quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Governo decreta três dias de luto nacional em memória das vítimas da tragédia em Tete


Filipe Nyusi diz que neste momento não importa questionar as causas, mas agir perante os factos
O Governo convocou para esta manhã, uma sessão extraordinária do Conselho de Ministros cujo ponto de agenda era a análise da situação da tragédia em Tete que já tirou a vida a 56 pessoas. Na sessão, dirigida pelo Presidente da República, o Governo decretou três dias de luto nacional a partir de amanhã. Filipe Nyusi disse que, neste momento, não importa questionar as causas, mas sim agir perante os factos.
Para além do luto, foi criada uma comissão de inquérito que será dirigida pelo Ministro da Justiça, para investigar as causas do incidente e apurar as responsabilidades.
Fizeram parte da reunião, os ministros, vice-ministros e o director-geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, para além do Presidente da República.

Três dias de Luto Nacional pelas 56 vítimas mortais de Caphiridzange

PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 18 Novembro 2016
Share/Save/Bookmark
Foto de Cidadão Repórter"O Conselho de Ministros da República de Moçambique decidiu decretar Luto Nacional de 3 dias a partir das zero horas do dia 19 de Novembro de 2016 até às 24 horas do dia 21 de Novembro de 2016" em memória das 56 vítimas mortais da explosão de um camião-tanque de combustível nesta quinta-feira (17) na localidade de Caphiridzange, no distrito de Moatize, na província de Tete.
Reunido em sessão extraordinária na manhã desta sexta-feira(18), na capital moçambicana, o "Conselho de Ministros decidiu ainda criar uma Comissão de Inquérito, dirigida pelo Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, e que integra os Ministérios do Interior, da Administração Estatal e Função Pública, da Saúde, dos Transporte e Comunicações e dos Recursos Minerais e Energia, para aprofundar as circunstâncias, as causas e as responsabilidades neste acidente", refere um comunicado de imprensa do Governo de Moçambique.
O Governo havia já mandatado uma Comissão do Conselho de Ministros para em coordenação com os Governos Provincial de Tete e Distrital de Moatize continuar a monitorar a situação e providenciar a assistência necessária aos doentes internados e às famílias enlutadas.
Para reforçar a assistência médica foram também destacados para o Hospital Provincial de Tete médicos cirurgiões de Maputo, Manica, Sofala e Zambézia onde estão internados 96 feridos com queimaduras no corpo, 35 em estado muito grave. Entre os moçambicanos feridos existem 16 crianças e uma mulher grávida.
Foram entretanto identificados, com ajuda dos familiares, 27 dos 44 mortos, carbonizados, no local da explosão. Estavam previstos iniciar ainda na tarde desta sexta-feira os primeiros funerais.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook