quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Economia nacional registou pior crescimento dos últimos 10 anos no segundo trimestre


Segundo cálculos do Instituto Nacional de Estatística
Tudo indica que o crescimento económico em 2016 deverá ser o mais baixo da última década. Como já era previsto por muitas entidades, incluindo o próprio Governo que cortou suas estimativas, últimos cálculos do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que a economia abrandou muito no segundo e terceiro trimestres deste ano, contrariando assim a tendência dos últimos 10 anos. E não há ainda sinais claros de melhorias.
De Julho a Setembro, o Produto Interno Bruto (PIB), indicador que mede o comportamento da actividade económica, cresceu 3.7%, depois de 3.4% registado entre Abril e Junho. Estes níveis de crescimento trimestrais são os mais baixos dos últimos 10 anos, segundo dados do INE. É como se a economia tivesse travado e começado a recuar para aqueles momentos que ninguém quer voltar a viver, caracterizados por falta de produção e crise.

É que o país atravessa várias dificuldades, nomeadamente, económica, financeira e política, que só contribuem para o abrandamento económico. A tensão político-militar, por exemplo, que se arrasta desde as últimas eleições, está entre os grandes problemas, entre eles, dívida pública bastante elevada, depreciação do metical, pressão inflacionária e taxas de juro muito acima das taxas normais.

Ao mesmo tempo, o volume dos investimentos nacionais e estrangeiros estão a cair, o custo do dinheiro fica mais caro nos bancos, as despesas do Governo estão a cair, empresas a fechar e a dívida do país aumenta com a depreciação do metical, já que grande parte dela está em dólar, entre outras razões. Não há economia que resiste a tudo isto.

Em outras palavras, quer dizer que os níveis de produção nacional quase que não alteraram nos seis meses. Os níveis de crescimento do primeiro e segundo trimestres do ano estão relativamente muito abaixo que os registados de Janeiro a Março, quando a economia nacional cresceu 5%.

Estas informações constam do último relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE), uma entidade subordinada ao Governo. Segundo a instituição, o Produto Interno Bruto, que era previsto para o segundo trimestre deste ano, foi revisto em baixa, de 3.7% para 3.4%.

O sector terciário, que inclui comércio e serviços, transportes, comunicações e informação, é que mais contribuiu para o desempenho da economia no terceiro trimestre deste ano, ao crescer 6.1%.

Com um crescimento de 4.7%, o sector primário, que inclui os subsectores de agricultura, pesca, silvicultura, indústria extractiva e pescas, ocupa a segunda posição em termos de contributo para o desempenho económico.

“Um crescimento também positivo de 2.1% é também registado no sector secundário impulsionado pelo ramo da indústria transformadora, com uma variação de 6.2%”, estima o Instituto Nacional de Estatística.

No período em análise, o ramo da agricultura, pecuária, caça, silvicultura, actividades relacionadas e pesca, teve maior participação na economia, com um peso no PIB de 26.6%, seguido dos ramos dos transportes armazenagem e actividades auxiliares dos transportes, e informação e comunicações com uma contribuição conjunta de 11.5 %. Este ano, o Governo prevê um crescimento económico global de 3.7%, muito abaixo do PIB de 6.3% registado no ano passado.

Gás natural como esperança
O gás natural é visto como saída para o actual abrandamento económico, já que se esperam vários investimentos a partir do próximo ano. Falando, ontem, em Maputo ao nosso jornal, o presidente do Conselho de Administração (PCA) da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) admitiu que a decisão final de investimento no projecto de gás natural da área 4, no Campo Coral, Bacia do Rovuma, pode ser tomada até princípios do próximo ano. Omar Mithá diz, no entanto, que caso a empresa portuguesa Galp Energia e a sul-coreana Kogas, que fazem parte do consórcio liderado pela italiana Eni, decidam este ano investir, a decisão final de investimento conjunta pode ser tomada ainda este ano. Tudo depende delas, já que a ENH e a Eni já decidiram investir no gás de Cabo Delgado.
Mas Omar Mithá prevê que as receitas deste projecto, caso comece a ser construído no tempo previsto, só poderão ser arrecadadas pelo país a partir de 2020 a 2022, mais ou menos daqui a cinco anos, segundo a fonte. Já o director do Centro de Integridade Pública (CIP), Adriano Nuvunga, é pessimista quanto a esse período e explica que ainda há muitas etapas que o país deverá ultrapassar para começar a tirar proveitos do projecto, mas não avança sua previsão. Mithá disse ainda que, o facto de estar previsto que o projecto seja implementado no mar, grande parte dos benefícios poderá vir das receitas fiscais.

Lembre-se que recentemente o vice-ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, afirmou que dois anos de operação dos projectos de gás natural da Bacia do Rovuma são suficientes para o país pagar as dívidas que tem. O outro projecto de gás, liderado pela norte-americana Anadarko, poderá ter decisão final de investimento próximo ano.

    Estou acompanhar o debate na AR sobre o Banco do INSS.
    Julgo que Ernesto Gove não deveria reformar sozinho. E se quisermos fazer de Rogério Zandamela um bom Governador do Banco Central, devemos reformar todo colectivo dos administradores, principalmente aqueles que na altura deveriam ter alertado para a escandaleira que estava a fermentar.
    Em algum momento devemos lançar sinais vibrantes que o tempo de laxismo chegou ao fim e que a incúria tem seu preço.
    Re-credibilizar as instituições do Estado e reanimar a esperança dos cidadãos também passa por remover a ferrugem da incompetência, do laxismo, da incúria, do cinismo e de todas formas perniciosas e paralizantes e parasitárias da gestão da coisa pública.
    Eu sou pela renovação do colectivo dos governadores do Banco de Moçambique...para que a lavandaria esteja, finalmente completa.
Comentários
José Mambo
José Mambo Concordo plenamente...
Marilucia Rodrigues Francisco
Marilucia Rodrigues Francisco Concordo plenamente.
Schauque Spirou
Schauque Spirou De facto o BM precisa ser "limpezado " e mais: pra she chegar aos lugares de administração, só por concurso público e não indicação política!
Gosto · 5 · 22 h
Guilherme Noronha
Guilherme Noronha Ha uma carreira dentro da banca para se atingir lugares do topo. Seja no BM ou em outro banco comercial qualquer. Dificilmente alguem de fora da casa ou do ramo ocupara esses lugares....(nem sei se os ad. sao indicados)
Gosto · 2 · 21 h
Schauque Spirou
Schauque Spirou ...e mesmo assim parece que esses não tem carreira solida: os factos falam por si! Há anos vieram os mesmos dizer que Moçambique passaria ao lado das crises que sacudiam o mundo....pois tsunami só vem depois do terremoto e faz mais estragos nos países que não se precavem a tempo!
Ido Alfred
Ido Alfred Ali esta a faltar vice Governador.

A Sra. Saranga e o Bila esses devem ir descancar.
Ido Alfred
Ido Alfred Nada Guilherme Noronha, hoje em dia nada.
Tem exemplos ?
Lourenço Jossias
Lourenço Jossias Renovação e o mesmo k su substituição ou continuidade???
Gosto · 1 · 22 h
Juma Aiuba
Juma Aiuba Assino. Uns bancos que ontem estavam no máximo hoje estão no mínimo.
Gosto · 2 · 22 h
Moniz S. Walunga
Moniz S. Walunga Argh, reformar somente sem a componente da responsabilizacao nao diz absolutamente nyiente!! Edta gente de incompetente NAO tem absolutamente nada! Impunidade sim! Reformar sem responsabilizar pessoas ja' com a vida feita e cansadas de prosperaram fazendo o mal ao Pais certamentante que sera' adiar o problema porque o proximo elenco ira' repetir os mesmos erros sabendo que mais tarde sera' "reformado" mas com a vida feita!! Por ecemplo, que tal investigar-se o proprio Gove para ver onde encontrou tanto dinheiro assim para, no moment da crise, dar passeatas de luxo em Miamis, etc., tudo pago em Dollars num momento em que ele mesmo impedia empresas mocambicanas de importarem materia prima necessaria para a producao!!
Luis Manuel
Luis Manuel concordo
Ed Mazive
Ed Mazive deve - se mudar a direcção, mas analisando caso a caso, para não perder a memória institucional e deixar lá as pessoas que, de facto merecem. Mais importante do que isso, é rever os mecanismos de nomeação dos governadores, para que esses possa ser independentes, de facto e na aparência, do PR!
Gosto · 1 · 22 h
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane mas o Gove nao foi melhor governador de africa ha escassos anos?.. se ser melhor de africa é assim, nem quero imaginar como sao os governadores de egipto ou africa do sul.. nao quero pensar...tsc
Gosto · 4 · 22 h
Schauque Spirou
Schauque Spirou Kekekekekkwk eu já disse: ele que devolva o prémio!
Gosto · 1 · 22 h
Ed Mazive
Ed Mazive assim como Guebuza é doutor honoris causa em economia de desenvolvimento e nyusi recebeu prémio ambiental nos EUA
Gosto · 3 · 22 h
Santos F. Chitsungo
Santos F. Chitsungo Hoje, existem premios internacionais que estao a venda. Nao sei se nao tera sido o caso, mas que existem, existem.
Gosto · 2 · 22 h
Egidio Vaz
Egidio Vaz Kkkkk
Gosto · 1 · 22 h
Ed Mazive
Ed Mazive ...ah esquecia-me do premio nobel de paz de Obama!
Gosto · 1 · 22 h
Dino Foi
Dino Foi Foi melhor mentido ao mundo sobre a real situação do país. Ja tinha eu alertado há 3 anos.
Gosto · 6 · 21 h
Taty Zandas
Taty Zandas Quando se diz que o tempo é o melhor remédio...
Gosto · 2 · 21 h
Carlos Jonaasse
Carlos Jonaasse Sera que ha interese nisso? Da impressao que algumas mexidas nao passam de accoes cosmeticas!
Gosto · 2 · 22 h
Antonio Sandramo
Antonio Sandramo Talvez a remodelação não seria o primeiro passo antes temos que avaliar o processo de tomada de decisão identificar os erros e classificalos - existem erros feitos por incompetência: erros deliberados: atitudes oportunistas por existencia de fazio legal e de regulamento e ate por falta de informação/ integraçao - urge a necessidente de fazer um diagnostico e isso exige uma limpeza da ferida para so depois tomarmos as medidas correctivas e que algumas delas podem passar por responsabilização - a remodelação por si so pode ou não resolver - é uma especie de antibiótico para uma infecção não identificada
Gosto · 3 · 22 h
Santos F. Chitsungo
Santos F. Chitsungo Ou seja: auditar e so depois tomar as decisoes que forem mais equilibradas e avisadas. Absolutamente de acordo.
Antonio Sandramo
Antonio Sandramo Exacto! Mas não gosto da palavra auditoria embora correcto numa perspectiva geral a auditoria erradamente tem a conotação de prestação de conta apenas no campo financeiro mas o Banco de Moçambique enquanto regulador a sua intervenção tem outra vertente e a sua avaliação tbem deve respeitar o seu papel
Ed Mazive
Ed Mazive que tipo de auditoria?
Antonio Martins
Antonio Martins Que tipo de auditoria?
Hiiiiii pá, precisamente por nada
ser auditado é que o país anda mal, a pessoa toma conta duma certa empresa ou repartição sem saber em que situação se encontra, foi o que aconteceu com Ministro das Finanças que veio a pública em alta voz dizer que tinha dinheiro para pagar as dívidas escondidas e no fim só tinha ratos nos cofres.
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Em relação ao post anterior ....este merece o meu respeito, afinal não é só baboseira aqui na AR.
Gosto · 3 · 22 h
Alvaro Guimaraes
Alvaro Guimaraes Essas cenas compram se Lindo
Gosto · 1 · 22 h
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Aznar gastou 600.000 euros por uma medalha do congresso americano q nem lhe deram..
Egidio Vaz
Egidio Vaz Kkkowk
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane E dinheiro de todos..
Marilucia Rodrigues Francisco
Marilucia Rodrigues Francisco Um dos administradores do BM devia ser Luisa Diogo. Essa entende de economia e por mais incrível que pareça, tem povo no coração.
Gosto · 4 · 22 h
Ed Mazive
Ed Mazive essa de povo no coracao?
Novo Combatente De Moz
Novo Combatente De Moz O problema nao eh apenas do BM mas sim um sistema todo de governacao falhado, em que a corrupcao, apadrinhamento, amiguismo, lambebotismo e ate o tribalismo sao praticas defendidas pelo regime. As nossas instituicoes sao todas pareliticas, mesmo os qua...Ver mais
Gosto · 5 · 22 h
Marilucia Rodrigues Francisco
Marilucia Rodrigues Francisco Varrer a todos e deichar que o novo Governador inique novos homens de confiança. Não confiança política mas de trabalho árduo e catalizante.
Gosto · 4 · 22 h
Ramalho Edson Paris
Ramalho Edson Paris Fazer reforma de um Imovel e continuar com mesmos moveis è mesmo que passar uma vassoura o pò ainda virà do mesmo jeito. Kkkkkkkkkk
Gosto · 5 · 22 h
Zito Tomas
Zito Tomas Concordo com a limpeza, principalmente na supervisão bancária.
Gosto · 4 · 22 h
Elecas António
Elecas António Nos reclamados em todos sectores desde o passado presente e provavelmente no futuro iremos reclamar ou seja o problema não está apenas com um e outro governante dessas instituições mas sim esta na toda máquina governativa . Falo da FRELIMO esse sim precisa de uma boa reforma.
Gosto · 2 · 22 h
Ed Mazive
Ed Mazive A Frelimo, como o resto do pais, foi capturada por bandidos. Liberatr a Frelimo será libertar o povo, porque os bandidos sabem que só podem controlar o país através da Frelimo!
Gosto · 1 · 21 h
Nelson Junior
Nelson Junior Carissimo Sr.Carlos Jonaasse disse tudo: estas novas accoes, superficialmente parecem ser medidas serias e importantes, mas se analizarmos profundamente sao mais cosmeticas, pois o sistema financeiro mocambicano nunca nunca e nunca vai se resolver so fechando os bancos...o assunto eh mais serio e um pouco complexo: o sistema financeiro mocambicano eh um sistema nas maos do crime organizado,crime organizado este formado pela elite da frelimo, uns monhes e uns paises arabes....ninguem em Mocambique das actividades nojentas na lavagem dos dinheiros e acima de tudo, na exportacao ilegal por via electronica de milhoes de dolares...Meus amigos, a crise financeira mocambicana reflecte a realidade mocambicana: o sistema de governacao esta errado, eh incompetente e incapaz pra um Mocambique do Sec.XXl...Com excepcao de um ou dois ministros, quase todos ministros sao uns incopetentes e simplesmente uns quangos-Dizem que o Pais esta a avancar, mas Mocambique esta estagnado so enriquecendo uma elite e companhias estrangeiras...vejam como o povo vive e tirem vossas conclusoes....Maus governos geram maus sistemas de financas...
Gosto · 6 · 22 h
Helio Banze
Helio Banze .....tudo o que tem chifres não se embrulha....
Gosto · 6 · 22 h
Egidio Vaz
Gosto · 1 · 22 h
Francisco Banda
Francisco Banda kkkkk, essa, não....
Carlos Candeado
Carlos Candeado Egidio Vaz China nyanga chinaphola sakha
Gosto · 2 · 21 h
Rodrigues Tembe
Rodrigues Tembe O colectivo dos gestores do banco central deve ser responsabilisado e não apenas o o governador.
Gosto · 2 · 21 h
Alito Gujamo
Alito Gujamo
Alito Gujamo Well done dr. Egidio Vaz!Ver Tradução
Gosto · 2 · 21 h
Nelson Junior
Nelson Junior No tempo colonial tinhamos companhias bem estruturadas tais como a companhia Boror, companhia de Acucar, de Cha,de batatas, de arroz,etc etc etc...nunca e nunca houve a importacao de bens da primeira necessidade...mas, hoje voces quase importam tudo..( ate frangos)...voces bem se enganam de que o gas, o petroleo vao vos tirar da pobreza: o gaz, carvao, petroleo, pedras preciosas irao continuar a enriquecer a elite, os politicos e as companhias estrangeiras...se, realmente esse governo formado de negros feios e gorduchinhos tem interesse no povo, deve apostar nas pequenas e medias empresasa...caso contrario senhores, voces serao uma outra Nigeria, Africa Equatorial ou Africa do Sul....,
Gosto · 2 · 21 h
Joana Herminio Herculano
Sonya Mondlane
Sonya Mondlane Qual é a sua nacionalidade caro Nelson Júnior?
Moiane Telma da Gloria
Moiane Telma da Gloria Purificação total
Gosto · 1 · 21 h
Milton Machel
Milton Machel https://www.facebook.com/milton.machel/posts/1251255338230898?pnref=story
Marcelo Mosse
As cores da mudança
As recentes intervenções do Banco de Moçambique no sector financeiro, a ultima dos quais decretando o destino do Nosso Banco (que todos nos sabiamos foi criado para viver à mama do INNS) mostram que, pouco e pouco, as cores da mudança vão manchando a linha do horizonte.
A alteração dos critérios de seleção de gestores nas empresas públicas, como se viu no caso da EDM, é também uma pincelada subtil (faltando apenas legislar esse processo em sede de Conselho de Ministro, tornando esses critérios mandatórios para todo o espectro empresarial do Estado).
Lado a lado com a crise, há mudanças que indiciam uma nova era na gestão do bem publico e na promoção da transparência. O Nosso Banco era um banco nado e criado no seio da elite política. Seus fundadores são gente grande na Frelimo.
A intervenção do Banco de Moçambique decorre da crise. Ela é uma oportunidade para encetarmos reformas pro-transparência. Algumas dessas reformas decorrem da cartilha do FMI mas são estruturais para a separação de águas entre a política e negócios.
Há onze anos, quando fundamos o Centro de Integridade Pública (CIP) nossa visão se fundava nestas cores que começam a pintar um quadro futuro de transparência e integridade na gestão do bem público, reduzindo os espaços lamacentos para a corrupção. Nossa missão foi, no entanto, sempre espinhosa pois muitas das mudanças afectam o status quo da elite dirigente. Hoje, no entanto, com a crise, abre-se uma oportunidade para fazer mais. Aliás, a corrupção e a improbidade tem custos terríveis (como também o CIP releva num estudo recente com o CMI, de Bergen, Noruega) e, por isso, é fundamental que estas pequenas reformas tenham um grande suporte da opinião pública.
Há muita coisa que deve mudar. Para já, é preciso registar os gestos positivos. A mudança geracional na gestão do Estado precisa de assentar numa profunda reforma ética. Espero que isso seja possível. Só assim teremos futuro como Moçambique.
Gosto · 1 · 21 h
Sérgio Samuel Monjane
Sérgio Samuel Monjane Resolver o problema nao eh reformar os considerados incopetentes..... mas sim eh responsabiliza los pelos actos........porque eh em Mocambique nao ha responsabilizacoes?...... Falha um o povo eh que paga.
Gosto · 4 · 21 h
Nelson Junior
Nelson Junior Caro Amigo Sr.Sergio...responsabilzar os culpados?...e quem vai dar a ordem de prender esses tubaroes da frelimo???...acha que a menina procuradora geral tem capacidade pra tal????...Nao ve que ela esta ali so pra defender os tais e ter uma vida luxuosa...tem ela capacidade de mandar prender os directores da Pic e da Sise-os verdadeiros donos de Mocambique?...veja a realidade:...Mocambique eh uma Terra "Queimada"
Gosto · 1 · 21 h
Milton Machel
Milton Machel https://www.facebook.com/milton.machel/posts/1254472957909136?pnref=story
Milton Machel adicionou 3 fotos novas.
BOSS ZANDAMELA, CHEFE DE GUERRA!
Copyright: Presidência da Republica e Zitamar News.
Amilcar Joaquim Inguane
Paulino Da Fonseca Fanheiro
Paulino Da Fonseca Fanheiro Falou e disse... que te ouçam... os manos grandes...
Gosto · 1 · 21 h
Euclides Cumbe
Euclides Cumbe subscrevo
Gosto · 1 · 21 h
Rogério Jorge Muianga Muianga
Francisco Banda
Francisco Banda O sector financeiro dos países doadores, têm dinheiro até de apoiar os países pobres? A resposta é simples. Sim eles têm o dinheiro porque, quem se atreve a roubar ou fugir impostos, é obrigado a devolver na totalidade e mais multa. E nós? Quem dos ricos foi obrigado a devolver o que desviou do estado? Os partidos e seus governos, quando tomam o poder, levam consigo, período de validade de 4 a 8 anos! Terminando a validade, passa para reciclagem e entra outro! E nós? Kkkk, vamos mudar tudo! Muda-se o presidente, ministro, governador, diretor, administrador, etc., etc, mas o cheiro continua!
Gosto · 4 · 21 h
Gulumba D. Mutemba
Gulumba D. Mutemba Mesmo que venha o os melhores do mundo,enquanto o sistema político continuar este instalado em Moz.,não podemos esperar nada. Os problemas financeiros deste país não não tem nada a ver a incompetência dos dirigentes,mas sim,com o sistema político ou de governação.
Só vamos dar muitas voltas,vamos directo ao assunto,só com a frelimo fora do poder podemos sonhar com quaisquer mudanças.
Gosto · 6 · 21 h
Taty Zandas
Taty Zandas Assino e boldo em baixa
Gosto · 2 · 21 h
Belino Mussa
Belino Mussa Esta missão eh do próprio Dr. Zandamela. Ele se quiser brilhar terá que desmontar e formar nova imagem. Já devia ter feito.
Gosto · 1 · 21 h
Salvado Novela
Salvado Novela Ilustre para além de varrer o BM, urge uma necessidade de analisar o povo o mas breve possível. Este povo é esquisito(estranho) no meu ponto de vista.
Gosto · 7 · 21 h
Egidio Vaz
Egidio Vaz Kkkkkkkkkkkk
Gosto · 1 · 21 h
Muzila Wagner Nhatsave
Muzila Wagner Nhatsave Comungo da mesma opiniao Egidio Vaz. para mim aquele CA de administraçao devia ir descansar. a instituiçao precisa de credibilidade de facto.
Gosto · 1 · 21 h
Issufo Chona
Issufo Chona Descansar nao responsablizados sim
Almiro Mabombo
Almiro Mabombo concordo!
Francisco Tabua
Francisco Tabua Porque descansar? E quem vai repor os danos por eles causados? Nao ha descanso sem repor os danos. Por mim, nem cadeira nem reforma nao basta para estes, mas sim primeiro a reposicao dos danos depois, pode se decidir se vao descansar em casa, ou temos que encontrar outro lugar melhor para eles, talvez atras das grades. Mas infelizmente, no nosso pais, as grades sao para os inocentes e os ladroes ocupam cargos de grande relevo
Gosto · 2 · 20 h
Otilio Beijo
Otilio Beijo Bela reflexao. Apenas queria acrescentar que a correcc,ao de error nao se justifica simplesmente pela subistituic,ao dos diretores e chefes mas sobretudo pela mudanc,a do paradigma ou seja pelas reformas instituicionais.porem a subistituicao dos chefes funciona como analgesico servindo apenas para enganar a dor.
Jorge Mabango
Suzel Manhique
Nelson Sinai Chauca
Nelson Sinai Chauca Os Partidos Seculares Africanos sao compostos por uma elite, e durante muito tempo dilapidaram os recursos dos paises sem control. Ultimamente com o avanco da comunicacao, com os Europeus a exigirem uma melhor aplicacao dos seus donativos muito coisa vem a tona e infelizmente esses Partidos nao estao preparados para se adaptar a nova realidade e aos poucos vao se auto-destruindo. A Frelimo nao e diferente, e aos poucos vai perdendo a credibilidade ate dos adeptos cegos
Francisco Banda
Francisco Banda Quando os comentadores das televisões e rádios, se preocupam elogiar mais o dirigente Y ou X porque, conseguiu melhor ambientador para abafar o cheiro e não têm intrepidez de apontar a fonte do cheiro, significa que estamos mal; quando um partido não quer sair do poder, é porque, o mesmo, teme qualquer coisa; quando o povo não tem bravura de expor o seu descontentamento, é porque o cheiro virou aroma de maçã!
Gosto · 2 · 19 h
Artur Mondlane
Artur Mondlane
Artur Mondlane
Artur Mondlane
Fernando Domingos Peleve
Helder Dos Reis Manhique
Helder Dos Reis Manhique Muitos falam da actual situação dos depositantes do " Nosso Banco" e com muita razão, visto que são os mais prejudicados, mas esquecem dos outros lesados "colaboradores"... Qual é ou será a finalidade dos mesmos?
Gosto · 2 · 18 h
Khalid Dedat Kassam
Khalid Dedat Kassam to de acordo... todos deviam ser sacados,seifados, investigados e punidos pelo mau trabalho feito para a nacao.
Mundirwa Gazitua
Mundirwa Gazitua "Mudanças" a palavra d ordem corrente qer pra os pró-regime qer pra os anti-regime. Cada 1 específico na sua abordagem. Resta saber como estas abordagens são [in]deferidas pelo "regime". Uns focalizam as mudanças q devem acontecer nas instituições [académicos] outros e esses cuja alcunha foi reactivada "bandidos armados" apontam o dedo a CRM [oposição política], incluindo talvez os "apartidários" grupo social q exigem "mudanças" de fórum "filosófico" na perspectiva sociopolítico [intelectuais]. A questão é: qem rejeita actualmente ou esta a rejeitar o slogan "...a força da mudança!"??? Caso contrário proponho q se erradiqe d imediato este termo do vocabulário nacional por ser controverso e susceptível de má abordagem ou d abordagens "parcial".
Jaime Chambule
Jaime Chambule Quando o assunto é a justiça, sempre apoio! Parabéns pelo post!
Gosto · 1 · 17 h
Jorge Carlos Cavele
Jorge Carlos Cavele Aquela malta Souza, Matsombe e companhia sâo um cancro para o BM, recebem balurdios de dinheiro e ninguem vé e nem sabe o que fazem, God save the country.
Rogerio Daniel Naene
Rogerio Daniel Naene Egidio Vaz 300% de acordo contigo, o Conselho de Administracao do BM deve ser reformado, esta cheio de quadros que ja expiraram faz tempo, o BM esta a precizar de sangue novo.
Elias Valente Langa
Elias Valente Langa O maior erro nosso,esta a que não gostamos de resposabilizar as pessoas que come erros ao serviço do povo.descanso é para que fez trabalho nao para que destruiu o trabalho.
Nelson Junior
Nelson Junior Convido os Moçambicanos a fazerem uma simples leitura..........................................................................................................................................................http://macua.blogs.com/.../ofere%C3%A7o-me-para-cronicar...
Canal de Opinião por Adelino Timóteo Querida Mamã, Alguns moçambicanos gostam de ser americanos, ingleses, franceses, mas eu, apesar de conhecer meio mundo, e não me faltar oportunidade, continuo com o mesmo passaporte, que requeri quando saí para a Namíbia, onde, como bem sabes, cá me encontro. Vou...
macua.blogs.com
Pedro Miguel
Pedro Miguel Muito bem dito. Mas só um estrangeiro faria isso.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook