segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Com revolta contra a escravatura sexual e outras

Com revolta contra a escravatura sexual e outras

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
CARTA A MUITOS AMIGOS
De acordo com a comunicação social regional Sua Majestade Mswati II decidiu oferecer uma adolescente como mulher a Jacob Zuma.
Este assolado de problemas incluindo no ANC e nos tribunais, mais ou menos declinou a oferta.
Não se tratava de uma TSHIRT, um pacote de chocolates mas de uma pessoa toda inteira e Zuma já possui umas 4 esposas.
Como pensa o tal reizito?
1.   Que adolescentes porque raparigas adolescentes não passam de objectos de oferta?
2.   Quando cerca de 20 moças morreram num acidente de viação indo para a chamada Reeds Dance (Dança das canas) morreram num acidente de viação ele adiou, decretou um luto? Zero!
3.   Ele preside a uma comissão da SADC. Imaginem como vai agir diante de crimes? Ofertar adolescentes, viver na opulência e as suas mais de vinte esposas igualmente, quando o povo está na miséria e sofre de fome, os salários mais que atrasados? Maravilha!
4.   Esta a África a pensar sair do TPI. Esse TPI vale zero quando se trata de brancos, salvo os sérios mal vistos.
5.   O que vai fazer um Tribunal Africano, criado pela União Africana?
6.   Julgará os predadores, os que mandam massacrar populações inteiros, os filhos e descendentes dos grandes no poder até que países fora do continente querem julgar, os meninos e meninas seus filhos que se tornaram outros tantos pilhadores? DUVIDO!
Porque não pensamos no que se passa aqui, na nossa terra, pela qual tantos sacrificaram as suas vidas para a libertarem? Particularmente neste 30.º aniversário do assassinato de Samora Machel e mais de 33 companheiros, além dele?
Verifiquemos, olhemos para o mundo real que nos rodeia.
Faz uns bons 15 anos, perto de Doa no então distrito de Mutarara, um chefe convidou-me para um casamento com a sua vigésima X esposa, ele já passava e bem dos 60 anos.
Perguntei-lhe para que queria mais uma esposa.
Resposta: preciso de mais gente para trabalhar nas minhas machambas.
Fui à direcção do distrito e pedi que investigassem e se houvesse matéria que o afastassem e pusessem uma pessoa honrada.
Assim o fizeram e uma pessoa séria veio a ocupar lugar.
Dirão que a FRELIMO mandava, bem, mas mandou mal ou bem para corrigir uma forma disfarçada de escravatura de gentes, mesmo se mulheres, tão humanas e dignas como os homens e todas as pessoas de qualquer sexo ou tendência sexual!
Na nossa terra existem leis contra casamentos prematuros. Tiram miúdas adolescentes das escolas e das suas casas. Há organizações sociais que se batem contra a infâmia.
Como reagem as autoridades locais? Fecham os olhos?
Para fora do país exportamos como atum ou camarão jovens, rapazes ou raparigas para escravos sexuais, trabalhadores forçados desta ou daquela empresa no Médio Oriente, na Europa no continente americano.
Fazem estas pessoas parte dos produtos de exportação, contribuem para o PIB, as receitas das finanças e a liquidação das dívidas ocultas?
Raros os dias em que pela comunicação social não nos informam de violações sexuais horrendas, pais abusando de descendentes, jovens violando pais e avós, mesmo os bebés não escapam a estas hecatombes.
O terror acompanha-nos contra todos estes crimes, acrescentemos a eles a indiferença das autoridades na manutenção de valas, ruas e até da Marginal tão recentemente construída. Não substituem as árvores vetustas, não arborizam e põem relvas que nos protejam das areias.
Parecem mais preocupados em concederem terrenos e receber comissões do que nos cuidados básicos de manutenção das urbes que lhes pagam os salários e outras alcavalas.
Isto não pode continuar assim. A derrota sofrida pela FRELIMO nas municipais de 2013 e nas gerais de 2014, o acontecido ao vizinho ANC deveria trazer-nos lições e vermos os caminhos para corrigirmos.
Confrontamos com o terror que semeiam os chapas, my love, txopelas. Sem seguros, sem regras de condução, sem cartas profissionais.
Quero crer que qualquer dono de viatura deve levá-la anualmente à inspecção, deve possuir seguro e carta de condução. A Lei pune os faltosos.
Faz anos um funcionário da Assembleia da República alugou uma viatura para levar deputados a Gaza.
Houve um acidente. Morreu uma deputada e outra ficou imobilizada da cintura para baixo. A viatura não tinha seguro, nem o condutor carta.
Uns tempos depois um senhor dirigiu-se a mim numa loja e pediu-lhe que o ajudasse porque estava a sofrer prejuízos devido à apreensão pela polícia da viatura do tal acidente.
Só lhe respondi que não me incomodasse e que ele também deveria estar retido pela polícia e PGR pela incúria e ganância produtoras de mortes e ferimentos. O funcionário da AR sofreu um processo disciplinar por não haver verificado o que alugava e a quem.
Estou convicto que o Código Penal deveria condenar com penas bem pesadas, penas maiores os proprietários dessas viaturas que acumulam irregularidades. Sem direito a liberdade condicional, com apreensão de bens pessoais para indemnizar as vítimas e tratar os feridos.
Precisamos de segurança nas vias públicas, protecção para as jovens que frequentam cursos nocturnos, polícias à noite rondando os quarteirões e as ruas. Porque razão não trabalha a polícia pela noite, quando mais se cometem todo o tipo de violações, assaltos, crimes? Quem liga às angústias das pessoas?
As redes que considero e com razão como anti-sociais propagam todo o tipo de calúnias, boatos, mentiras transformadas em verdade. 
Porque o Chefe do Estado visitou uma pessoa próxima internada no ICOR sem qualquer investigação até ousaram declarar que o Presidente sofrera um enfarte!
Alguém nesse dia ou seguinte disse-me essa baboseira. Respondi que tudo levava a crer que ele iria inaugurar uma cimenteira em Cabo Delgado, que a cerimónia não sofrera adiamentos e muitas as razões para que na véspera da partida se deslocasse ao ICOR, visitar alguém, um controlo, mil razões que não se relacionavam com nada tão grave como um AVC.
Pela prudência naquilo que se diz, escreve, se mete no facebook etc um abraço.
P.S. Com a subida anunciada do preço da energia, efectuadas as dos combustíveis e diversos produtos alimentares, das taxas de juro, a mudança para mais do preço do pão, a inflação a 30%, a dívida a 115% superior ao PIB, perguntem-nos se nós estamos ou não a pagar as dívidas ocultas e muitos despesismos. Um abraço ao esforço de sobrevivência!
SV

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook