quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Centenas de professores sem salários desde Setembro em Inhambane



PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Nacional
Escrito por Adérito Caldeira  em 09 Novembro 2016
Share/Save/Bookmark
Pelo menos uma centena de professores do ensino primário e secundário não recebem os seus salários mensais há dois meses na província de Inhambane. “O último salário foi recebido no dia 13 de Setembro” confidenciaram-nos alguns docentes. O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano não respondeu aos pedidos de esclarecimento do @Verdade sobre as razões que ditam este atraso.
“Socorro, pedimos a vossa ajuda, não estamos a receber salário a dois meses, em Inhambane” desabafou ao @Verdade um professor com mais de seis anos de trabalho numa das escolas existentes no posto Administrativo de Mapinhane, no distrito de Vilanculo, que por temer represálias pediu para não ser identificado.
Segundo o nosso entrevistado colegas seus, afectos às escolas dos distritos de Massinga, Inharrine, Zavala e Vilanculo, estão a enfrentar o mesmo drama que dura desde Setembro.
Só “na escola escola primária completa de Mapinhane são mais de 20 professores, na escola secundária 25 de Setembro são mais de 30 professores, na escola Padre Gerardo Gumiero de Mapinhane são mais de 20 professores e na primaria de Mujavangue são mais de 10 professores entre outras escolas arredores” afirmou o docente que disse estar desesperado com dívidas acumuladas nos comerciantes onde adquire os alimentos para si e a sua família.
Um outro docente, nomeado há três anos e que sempre recebeu regularmente por transferência bancária através do Sistema de Administração Financeira do Estado(SISTAFE), corroborou o drama da classe em Inhambane.
“Ontem, dia 7 do mês em curso, o director distrital passeou pelas escolas procurando saber quem estava disseminado uma mensagem sobre falta de salário, também procurou saber se os professores estavam trabalhando ou estavam paralisando o trabalho. Na minha escola ninguém faz à sala de aulas a não ser para dar testes finais” declarou a nossa fonte que também pediu para não ser identificado.
O @Verdade contactou telefonicamente o assessor do ministro da Educação e Desenvolvimento Humano que nos explicou que sendo um assunto de salários numa província os esclarecimentos seriam obtidos na respectiva direcção provincial.
Todavia não foi possível obter os esclarecimentos da directora provincial de educação de Inhambane, segundo o seu secretário, contactado telefonicamente pelo @Verdade, esteve a trabalhar fora do escritório nesta terça-feira(08).
Contactado o chefe do departamento Administração e Finanças na direcção provincial de educação em Inhambane escusou-se a responder as questões do @Verdade alegadamente por não ter autorização para o fazer.
O @Verdade apurou que todos os professores afectados por este atraso salarial em Inhambane têm a sua situação regularizada com o Estado portanto não se tratam de novos contratados havendo portanto cabimento orçamental previsto para estas remunerações.
Não foi possível apurar quantos alunos em Inhambane não estarão a receber a devida atenção dos seus docentes em virtude desta situação que se arrasta sine die, entretanto os exames da 2ª e 5ªclasses, alfabetização e educação de adultos iniciam no dia 14 de Novembro e os das 7ª, 10ª e 12ª classes iniciarão a 28 de Novembro.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook