sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Castro Namuaca, antigo edil de Nampula,novo Director Provincial da Economia e Finanças de Inhambane

P: Como é que você sabe que num país de mais de 25 milhões não há quadros competentes ou pelo menos com bagagem escolar para levar em adiante o desiderato de desenvolvimento?
R: Quando um indivíduo que esteve a frente dos destinos de uma cidade, que saiu praticamente da porta dos fundos, depois é nomeado para gerir as finanças de uma província.
Nada de nhongwa, mas todos que frequentam bares sabem que o último edil de Nampula não podia se recandidatar pelo partidao por coisas que não precisamos queimar a massa para enumerar. Aliás, o que o actual edil está a fazer justifica tudo: a cidade estava pocilga a todos níveis, que acredito que o ex-edil (agora director provincial de finanças da província dos economistas de natureza) tem vergonha de sair à rua e ver sendo feito em menos de 3 anos aquilo que ele não fez em 10 (eu não falei que quando o novo edil entrou encontrou os cofres igualzinhos aos cofres que Nyusi encontrou lá na ponta: vazios).
_______
NOTA: eu sou da opinião que há momentos que é melhor levar um gajo que acaba de sair da carteira e lhe dar poder, fazer as coisas conforme suas teorias, do que dar a quem já sabemos que não presta.
PS: começo a pensar que esse Conselho de Ministros está decidido em nos levar para o fim do fundo da cova.... e que quase certo de que o partido que eu sempre votei parece que está cansado dessa estoria de dividir províncias, que quer entregar tudo nas próximas.


Claudio Rofino Ser - Huo Quadros até que existem outros até formados em Harvard mais não são de confiança esses são cargos de chefia e confiança.
Gosto · Responder · 1 · 2 h

Ser - Huo Rufino, te referes a confiança política, ok. Precisamos de confianca técnica.

Carlos Quizado Quizado Ja me rendi com as cronicas do Mestre, Huo.
Gosto · Responder · 1 · 2 h

Jemusse Abel Aqui na Pérola não ha seriedade ser-huo. De incompetencia à incmpetencia destruimos o País.
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Eusébio A. P. Gwembe Segundo Jesus Cristo, o filho do Carpinteiro, a pedra rejeitada pelo pedreiro tornou-se na pedra angular. Hã que acreditar na regeneração das pessoas.
Gosto · Responder · 3 · 1 h

Ser - Huo Eusébio, mas "mataste" mano.

Jemusse Abel Kkkkkk novo sangue Eusebio sempre é sempre bom dar oportunidade!
Gosto · Responder · 3 · 1 h

Selemane Daniel Chepula Apreciacao saudavel.

Andre Uandela Castro Namuaca foi um bom director adjunto das Finanças em Nampula. Foi o exercício deste cargo que o catapultou para o município. Tanto quanto sei, é um "às" em matéria de planificação e finanças pública. Quem sabe gerir o município tenha sido uma má empreitada? Seja como for, concordo contigo; sabendo tudo o que sabemos sobre ele...é difícil digerir a nomeação.

Ser - Huo Mano Uandela, que competências ele tinha como adjunto para atribuir a ele o louros do mandato nas finanças de Nampula?
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Jemusse Abel Nada de competencias aqui. Entao desde essa altura moz nao conseguiu formar gente que consiga exercer estes cargos? Come on!.

Eusébio A. P. Gwembe A culpa nao foi dele, se concorresse, pelo contrario, havia de ganhar.
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Ser - Huo Mano Eusébio, ele até podia ganhar. A questão é: porque o partidao não lhe permitiu? (e é acho que foi bom a oposição ter ganho, a cidade ganhou, isso qualquer um vê.

Sergio Joao Joao Minha provincia pode

Claudio Zunguene Já se aventava a hipótese de Castro Namuaca assumir um cargo numa Direção Provincial de Economia e Finanças. Tendo sido tomada a decisão de quem de direito, acho que devemos dar crédito ao empossado e porque não ajudá-lo a melhor exercer a nova função. O tempo dirá se a escolha foi ou não certa, o certo é que alguém devia assumir a função!

Ser - Huo Ponto d esclarecimento:
Eu NÃO tenho nada contra o ex-edil. 
So que o partido que temos votado deve nos respeitar. Há muitos moçambicanos em prontidão combativa, que na primeira chance podem mudar o status que disto.
Por isso, isso de apostar em "regenerar pessoas" em tempo de crise não me parece papo útil .
Gosto · Responder · 2 · 1 h

Lucia Simao Mirole Sem querer ser pessimista,e n tenho nada contra,mas não sei não,o que vai dar isso
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Eusébio A. P. Gwembe É bom nao esquecer que Nyusi era municipe de nampula quando Namuaca era edil. Isso diz alguma coisa? Pode ser que sim pode ser que não. mas de uma coisa tenho a certeza. As elites e a amizade andam juntos
Gosto · Responder · 3 · 1 h

Ser - Huo Resumindo mano Eusébio A. P. Gwembe , precisamos de muitas confiancas: "política" (sei que desse já estava deteriorada) e sobretudo "amizade". 
O mais importante num país em crise é que precisamos de confiança tecnica. Veja o antepenúltimo e penultimo governos tuga.

Manecas Tiane Província dos Economistas de Natureza

Claudio Zunguene Ser - Huo, meu caro, é legítima a observação que faz e sobretudo porque associa a nomeação de Castro Namuaca à conjuntura económica e social que o país atravessa. Nas suas palavras, ´´ precisamos de muitas confiancas: "política" (sei que desse já estava deteriorada) e sobretudo "amizade". 
O mais importante num país em crise é que precisamos de confiança técnica. Veja o antepenúltimo e penúltimo governos tuga´´. Aqui a confiança técnica a que se refere, na minha opinião é: saber decidir, saber fazer com que as pessoas se compremetam com a coisa pública, saber ser verdadeiramente um líder capaz de influenciar mentes, etc. Estas qualidades são dificeis de ser mensuradas num piscar de olhos, ou por alguma atitude que nos faz pensar que o passado é determinante no presente. Este postulado de tempos históricos pode ser melhor descascado pelo meu homologo Eusébio A. P. Gwembe. Na verdade o país atravessa por um momento sombrio e de grandes desafios, emprego o termo desafio na sua verdadeira acepção pois sinto que nos últimos tempos este termo foi muitas vezes mal empregue na nossa vida diária em Moçambique. Inhambane é uma província com um potencial de turismo que dever ser bem aproveitado e sobretudo agora que a bananeira começa a perder as últimas folhas. Pessoalmente acredito na viabilidade técnica dessa nomeação e ainda sublinho, a experiência política que o senhor Castro Namuaca experimentou em Nampula pode ser-lhe útil. Agora é preciso saber diferenciar as funções e olhar acima de tudo na amplitude das decisões que devemos tomar: agora é uma Província.

1 comentário:

Zainale Tavares disse...

Namuaca pode sim.Tem muita bagagem na area.

Windows Live Messenger + Facebook