quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Carta ao Povo Moçambicano

Nelito Da Mara BT
31/10 às 12:25

Meus companheiros, sou moçambicano nascido e criado dentro desta nação, não sou pertencente a nenhum partido político nem a nenhum movimento.
Já vi aqui cartas endereçadas ao presidente da república, a Afonso Dhlakama e outros, mas eu escrevo pra você, escritório, bancário, empresário, diretor, vendedor ambulante, mamana do mercado, chapeiro, vendedora de sexo, camponês, camionista, polidor de carro, polidor de sapatos, varredor de rua, empregada domestica, guarda e por aí em diante. O motivo da minha carta é simples. Nós (povo) temos vindo a ser roubados, humilhados, espezinhados, desrespeitados pelo governo. Exemplo disso é atual situação económico-financeira e a tensão político-militar (guerra) em que o país se encontra mergulhado. Vale lembrar que a miséria em que o país se encontra deve-se a:
 Desvios de vários milhões de dólares em nome de aquisição de material bélico para proteção da soberania.
 Desvio de vários milhões de dólares em nome de investimento em barcos para a pesca do atum
 Saques de vários milhões de dólares retirados das empresas públicas, nomeadamente a EDM, TDM, MCEL, LAM…
 Corrupção ao mais alto nível
 Juros sobre empréstimos bancários altíssimos e insustentáveis.
 Contratos de fornecimento de combustíveis ao país firmados de forma fraudulenta para enriquecer alguns dirigentes
O resultado de tudo isso é o alto custo de vida, e quem sente na pele somos nós (povo), que:
 Já não conseguimos comprar comida pra nossas famílias
 Que andamos numa total e completa insegurança nos my love porque não há um sistema de transporte digno.
 Que não conseguimos mais comprar combustível para os nossos carros de segunda ou terceira mão do japão (que pagamos altas taxas aduaneiras pra carros que são lixo).
 Que não conseguimos mais comprar Credelec pra as nossas casas.
 Que somos assaltados dia e noite porque não há policialmente nos bairros nem iluminação pública.
 Que não temos água nas nossas torneiras.
 Que não podemos ficar doentes porque os hospitais não tem Credelec nem comida para os doentes.
 Que não temos subsídio nem 13º salário porque o estado não tem dinheiro, mas no entanto, o salário dos deputados sobe no mesmo momento que cortam as subsídio e horas extras dos funcionários públicos.
 Que não podemos viajar em todo território nacional porque existe uma guerra que está sendo promovida para satisfazer interesses obscuros e como forma de enriquecimento para os que a promovem.
 Que pagamos mais caros (juros) pelos empréstimos contraídos nos bancos comerciais porque o Banco de Moçambique aumentou a taxa de juros.
 Que perdemos empregos porque as empresas estão a falir.
 Que o negocio já não anda porque não há dinheiro na praça
São essas e outras situações que me motivam a escrever essa carta. E com a mesma (carta) quero pedir e apelar a todo o povo moçambicano do Rovuma ao Maputo, do Zumbo ao Indico para exigirmos:
 A devolução de todos milhões de dólares desviados dos cofres do Estado, para que sejam canalizados na construção e apetrechamento de escolas, hospitais, aquisição de machibombos para o transporte público de passageiros, vias de acesso (estradas, pontes e vias férreas), melhoria das condições salariais dos enfermeiros, médicos, professores, polícias e outros funcionários do Estado.
 Exigimos a responsabilização imediata dos que saquearam os cofres do Estado
 O fim da corrupção a todos os níveis
 A redução imediata das taxas de juros e o preço dos combustíveis.
 A recuperação imediata (sem fusão) de todas as empresas públicas.
 Investimento imediato na agricultura industrial (chega de discurso de “vamos aumentar a produção e produtividade), queremos ações concretas à escala nacional.
 Exigimos meritocracia (comprovada) na indicação dos dirigentes para cargos públicos.
 Exigimos o fim imediato de todas e quaisquer ações militares no país.
Vale lembrar meus compatriotas, esse país é nosso, nós somos o poder, quem elegeu esses dirigentes fomos nós e pagamos com o nosso trabalho as mordomias que eles tem e ainda assim nos humilham como se fossemos estrangeiros no nosso próprio país, nós temos poder de os tirar de lá, portanto, vamos fazer valer esse poder.
APELO A TODO POVO MOÇAMBICANO PARA QUE DO DIA 31 DE OUTUBRO ATÉ AO DIA 04 DE NOVEMBRO TODOS FIQUEMOS NAS NOSSAS CASAS, COMO FORMA DE MANISFESTARMOS A NOSSA INDIGNAÇÃO E EXIGIRMOS A TOMADA DE MEDIDAS E RESOLUÇÃO IMEDIATA DE TODOS PROBLEMAS COLOCADOS NESTA CARTA.
NOTA: NÃO É PARA SAIR A RUA, VAMOS PARAR O PAÍS EM SILÊNCIO E SEM DISORDEM, ESTARÃO ENCERRADOS TODOS AS ESCOLAS, O COMERCIO, AS EMPRESAS, NÃO HAVERÁ TRANSPORTE, PORTANTO, PERMANEÇAMOS DENTRO AS NOSSAS RESIDÊNCIAS
PASSE A PALAVRA
“SEM SACRIFICO NÃO HÁ REVOLUÇÃO” POVO NO PODER


GostoMostrar mais reaçõesComentarPartilhar

2929
3 partilhas
26 comentários
Comentários


Arnaldo Lampião Licumba Licumba Socorro
Gosto · Responder · 31/10 às 13:10


Feliciano Fernando Manico Denja entendido. eu colaboro
Gosto · Responder · 31/10 às 13:37


Apocalpse Mateus Isaias Romanos Certo eu concordo .
Gosto · Responder · 31/10 às 13:40


Benjamim Taiobo Assuba Executando
Gosto · Responder · 31/10 às 13:45


Apocalpse Mateus Isaias Romanos Mas antes temos ainda que convecer a maoiria dos moçambicanos pois se nao estivermos unidos num só objectivo nada faremos.
Gosto · Responder · 31/10 às 13:48


Victor Joao Invicha Primeiro e convençer o moçambicano a nao ter medo,porq existe alguns q quando vem arma recuam logo por ter medo daqueles miudos q andam com panelas nas cabeças.
Gosto · Responder · 1 · 31/10 às 13:54


Agostinho Joao Filipe Mabunda Aind nao sentimos nad
Gosto · Responder · 31/10 às 13:55


Apocalpse Mateus Isaias Romanos Certo pois a maioria é que vence nao importa se aquelas baratas estao armados. Viva o povo moçambicano.
Gosto · Responder · 31/10 às 13:57


Apocalpse Mateus Isaias Romanos Agostinho o que é que estas por ai a dizer????
Gosto · Responder · 31/10 às 13:57


Joana Simeao Ntelela YA, TEMOS ADIAR ADTA PARA PERMITIR QUE MUITOS TENHAM A INFORMACAO E ENCARNEM ISSO. tem que ser de escala nacional. sugiro que seja para final de NOVEMBRO quando todos ou pelo menos a maioria sabe. BOA IDEIA
Gosto · Responder · 3 · 31/10 às 14:32


Paulo Mugare No nosso pais ta cheio de lambe cuns, quando tentar faser vais despertar quando ja nao tens emprego, con essa crize vais comer ique?
Gosto · Responder · 31/10 às 16:27


Amisse Moniz Concordo com a Joana Simeao Ntelela, sobre adiamento para a data anunciar dentro do mês d novembro, boa ideia, esta é k é ideia democrática defendida pela RENAMO na pessoa do seu presidente Afonso Dhlakama, afinal xtá chegando o momento do povo fazer a sua revolução em prol da justiça, paz, liberdade e democracia total. " Povo unido, vencerá ".
Gosto · Responder · 3 · 31/10 às 17:44


Nelson Martins Por justica social, viva o poder do povo...
Gosto · Responder · 1 · 31/10 às 18:20


Apocalpse Mateus Isaias Romanos Apartir daqui o povo è que produz e manda por nao pences no qi vais comer a comida esistirA se o povo se unir.
Gosto · Responder · 2 · 31/10 às 21:02


Adolfo Valente Raso Raso Contam comigo
Gosto · Responder · 1/11 às 0:51


Isaias Luis Mahale -13
Gosto · Responder · Ontem às 16:49


Mandinho Luis Daniel Em silêncio ???????
Gosto · Responder · 21 h


Mandinho Luis Daniel A maioria vai trabalhar como de costume
Gosto · Responder · 21 h


Tarcyo Pedro Castigo Bm falado
Gosto · Responder · 20 h


Sevito Jhon Bungane Kkkkkk yah
Gosto · Responder · 20 h


Enoque Livombo Livombo Tudo isso ja sabemos..mas se juntos procurassemos uma solucao, acho que saíamos disto tudo.
Povo ja sabe quais os problemas do nosso país, mas ogrande inimigo nosso é ogoverno.
Gosto · Responder · 18 h


Mandinho Luis Daniel União para paz igualdade de direitos igualdade na distribuição equitativa da economia , justiça igual para todos direitos iguais e deveres estou dentro nessa união. Mas se disserem para apoiar um partido estou fora. Pq mtos querem união para ajudarmos um partido chegar ao poder isto tou fora. Cada partido q chegue ao poder com mérito próprio como nos o povo temos nossos sucessos de nossos méritos. Se algum partido almeja união para destruir o governo tou fora.
Gosto · Responder · 1 · 18 h


Mandinho Luis Daniel Q cada um colhe o seu sucesso do seu mérito não dá união povo
Gosto · Responder · 18 h


Mandinho Luis Daniel O povo tem q se unir para exigir justiça e liberdade para todos não ajudar o partido x ou y
Gosto · Responder · 1 · 18 h


Sevito Jhon Bungane É que para haver liderança num país parte sempre duma organização de pessoas que acabarão fazendo política e formando um partido em que depois a sociedade exigirá democracia para a participação de outros na concorrência para o poder e voltando aos mesmos princípios que os políticos aplicam no exercício das suas funções. Por isso o mundo é dos políticos não há como contrariar isso talvez nós o povo exigirmos reformas pedirmos direito a manifestação, transparência nas eleições, mudança da mentalidade de muitos Moçambicanos que idolatram partidos como se fosse tal Deus e não mudam até de mentalidade mesmo que o partido que ele apoia o humilhe. Enoque Livombo Livombo Mandinho Luis Daniel
Gosto · Responder · 10 h


Mandinho Luis Daniel Isso sim mas apoiar a renamo com seus interesses eu tou gora
Gosto · Responder · 1 · 2 h


Mandinho Luis Daniel Fora
Gosto · Responder · 1 · 2 h


Sevito Jhon Bungane O problema é que eles é que estão no processo de democracia eleitoral a não ser que você crie um novo partido que conquiste e arraste multidão...... atenção não digo Frelimo é melhor ou não renamo nem falo para aderir ao mdn mas digo que não temos outro caminho se não criar se melhorias no que já temos e nós o Povo mudarmos de mentalidade e deixarmos de acreditar num só e idolatrarmos como se de Deus se tratasse. Porquê não podemos ser como o povo norte americano?
Gosto · Responder · 2 h · Editado


Mandinho Luis Daniel Kkkkkkkk partido é partido quando tem apoio do povo


Avelino Matusse Xto dentro

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook