terça-feira, 29 de novembro de 2016

Aumenta número de empresas em dificuldades


De acordo com o mais recente boletim do Instituto Nacional de Estatística
As dificuldades das empresas moçambicanas começaram no fim do ano passado com a deterioração dos indicadores macroeconómicos e reflectem-se, sobretudo, na queda da facturação, numa altura em que os custos de produção são elevados.
De acordo com o mais recente boletim do Instituto Nacional de Estatística (INE) que avalia os Indicadores de Confiança e de Clima Económico (ICCE), em média, 42% das empresas inquiridas enfrentaram algum obstáculo no terceiro trimestre deste ano, situação que representou um aumento de 3% de empresas com constrangimentos face ao trimestre anterior.
O aumento da proporção de empresas com limitação de actividade no terceiro trimestre foi influenciado, principalmente, pelo acréscimo de empresas com dificuldades em todos os sectores, excepto de transportes que se estabilizou face ao trimestre anterior.
Os sectores com maior frequência relativa de empresas com constrangimentos foram os serviços de transportes (50%), de alojamento e restauração (46%) e actividades da produção industrial (46%).
Estas informações são obtidas a partir de inquéritos periódicos de conjuntura, instrumentos de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. Visam enriquecer o instrumental de análise da conjuntura interna, no que diz respeito ao sector real, e contribuir para a tomada de decisões de políticas mais acertadas e com a oportunidade desejada.
Perguntas deste tipo de inquéritos são de carácter qualitativo, reflectindo as opiniões dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, sobre o comportamento de algumas variáveis significativas no presente e também sobre as suas perspectivas no futuro imediato.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook