quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Mario Raffaelli foge à imprensa Depois da emboscada que Afonso Dhlakama confirmou


Comments


1
Manambua said...

A palhaçada continua. Até quando? Quantos mais terâo que morrer para acabar com este circo?

2
umBhalane said...

T.I.A. (this is Africa)


Alguns saudosistas anglo-saxónicos, e alguns outros, do tal de colonialismo, costumam escrever TIA.
EU DEScordo, não concordo.
DESacordo.
Só de alguma África, não toda.
Ainda que “África seja um grande país, com uma bonita religião natural”, lido em tese ou dissertação, já nem lembro bem, de uma académica que nem saiu de Maputo – politicamente muito correcto.
Esta maneira vem a propósito desta grande “NOVELA”, pujante e ainda bem alavancada, que ainda vai rolar, conforme previsões já previstas, até 2019, com desfecho que EU já, AQUI, também escrevi, repetidamente:
– “Transparentes, Livres e Justas”, e que decorreram num ambiente, na generalidade, de boa ordem, sem incidentes que contribuam para pôr em causa os resultados apurados.
Assinam, os “Verdadeiros Amigos de África”
Não confundir com os saudosistas, os colonistas, os racistas, os imperialistas, os “faxistas”, e outros ismos/istas.
Um jogo novo!!!, com novos actores – lá e cá, cá e lá.

Não resisto, porque será?, a socorrer-me da NOTA de Fernando Gil
“Dr. Mario Raffaeli:
Por favor, não seja mais um a enganar o povo de Moçambique.
Custe o que custar, conte a verdade.
E a ter acontecido, este facto só mostra que Filipe Nyusi não controla as FADS, ou então que tem mesmo duas caras.”

E acrescentar , um contributo, HILARIANTE, de Salomão Moyana

SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO,…

Mas, porém, todavia, contudo, …, ainda que…
E, alembrando as mensagens/missivas que os imperialistas USA já enviaram diversas, e continuam sempre, para o ESPAÇO, assim mesmo:
- “Está alguém por aí? Alguém nos ouve? Falem lá”
Até hoje, …, e sempre…

Na luta do povo ninguém cansa.

FUNGULANI MASSO
LEMBREM BEM
QUEM NÃO LUTA, PERDE SEMPRE

A LUTA É CONTÍNUA

3
Frank said...

Torna-se já evidente que o sr.Mario Raffaelli está comprometido com outros interesse estranhos às chamadas negociações. Essa é uma das razões para não afrontar o regime colonialista da Frelimo.

Não é uma coincidência que o governo esteja a negociar ao mesmo tempo o contrato com a ENI. São sobejamente conhecidos o vários casos de corrupção, na Nigéria, Argélia, ect, que envolvem a ENI como corruptor de líders nos países com quem tem contratos. Não é pura coincidência que os governos italinos onde participou o sr. Mario Raffaelli, tenham sido os mesmos manterem-se impávidos perantes aos crimes da ENI.
Moçambique é um país à beira de bancarrota. O regime colonial da Frelimo está desesperado e procura a todo custo sobreviver mesmo que tenha que fazer acordos como ladrões, neste caso a ENI.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook