sábado, 1 de outubro de 2016

DIÁLOGO COMPLICADO MAS...


Nesta "segunda ronda", as negociações centraram se mais na questão da governação da Renamo e nas forcas armadas. Neste momento há uma nova pausa porque os mediadores regressam hoje dia 1/10/16 aos seus países e estarao de volta no dia 10 de Outubro. Em relação ao assunto das forças armadas a renamo apresentou, juntou a Comissão Mista, um documento com o seu ponto de vista sobre como devem ser as forças armadas.
A renamo defende que deve haver um equilíbrio de 50% entre os oficiais militares da frelimo e da renamo para que o partido frelimo deixe de usar o exército do estado para reprimir os opositores políticos em particular o partido renamo. Aliás, foi este arranjo que permitiu estabelecer a confiança entre os dois beligerantes aquando da assinatura dos acordos de Roma em 1992. Mas a frelimo está a dizer que esta proposta da renamo é ambiciosa, isto porque a frelimo pretende continuar a manipular o exército do estado para servir os seus interesses particulares.
Aliás, o actual conflito militar prova isto: As forças armadas apenas atacam e violentam os bastiões da renamo mesmo sabendo que a renamo também tem bases em Inhambane, Maputo e Gaza. A frelimo até faz questão de proibir a imprensa a fazer reportagens sobre quaisquer escaramuças que aconteçam na região sul do país e o seus militares não fazem incursões pelo interior para evitar alvoroço nas populações. Na cabeça da frelimo, as regiões centro e norte são suas colónias vassalas.
Outro ponto que a renamo quer ver resolvido é o da polícia e do Sise mas nesta ronda negocial estes assuntos não foram tocados, serão discutidos num futuro breve mas pelos vistos, quer a governação da Renamo às províncias e a questão das forças armadas já tem uma solução à vista, porque da maneira como a situação está no país, não há outra saída a não ser a assinatura de um acordo político entre a frelimo e a renamo e a renamo não vai assinar qualquer outro acordo sem que se inclua a governação imediata e ainda este ano às províncias por si reivindicada, assim como a reestruturação das forças armadas e enquadramento dos seus oficiais nos lugares de chefia nestas forças, a integração dos seus comandos nas FIR e PRM e finalmente a entrada dos seus quadros e técnicos para fazerem parte do Sise que actualmente é uma instituição altamente criminosa que serve exclusivamente os interesses partidários da frelimo.
Queremos abrir um parêntesis para rebater as opiniões pifias de certos académicos lambe botas e mercenários que defendem que a renamo "apenas" ganhou em algumas poucas províncias mas estes académicos vendidos estão a basear - se nos resultados fraudulentos apresentados pela frelimo, isto é, com editais e actas viciados, para além da invalidação criminosa de mais de 500.000 votos a favor da renamo e Dhlakama e várias outras gravíssimas irregularidades. Aliás, durante a primeira ronda negocial a renamo provou "A " por "B" aos mediadores internacionais a altamente criminosa fraude eleitoral da frelimo, o pior foi o facto de o Conselho Constitucional homologar os resultados sem editais originais mas simples impressões em papel A4. Isto é uma brincadeira intolerável.
Quem é Goebbels* aqui é a frelimo e seus lambe botas que querem impingir na mente dos moçambicanos uma pretensa vitória eleitoral que nao a obteve nas urnas. Eu diria que a frelimo é também (Heinz) Guderian** derrotado porque a tal "britzkrieg"*** para acabar com a renamo e impor o seu poder ilegitimamente adquirido redondou num fracasso absoluto. Ninguém vai esquecer ou perdoar a escandalosa fraude da frelimo mesmo que voltem a contratar curandeiros Nigerianos ou Malawianos para entorpecer a mente dos moçambicanos. A renamo irá até as últimas consequências para a reposição da verdade democrática. Este país não é propriedade privada de um punhado de comunistas retrógrados e vende pátrias acomodados em Maputo.
Unay Cambuma
NOTA:
* Jozef Goebbels, era o ministro de informação e propaganda regime nazista de Adolf Hitler.
** Heinz Guderian foi um intrépido general das tropas blindadas da Wehrmaacht, o super poderoso exército nazi-facista de Adolf Hitler durante a Segunda Mundial. Os blindados de Guderian pulverizaram cerca de10 paises europeus, incluindo a poderosa França, em menos de dois anos. Paris caiu em apenas 38 dias.
*** "Blitzkrieg" quer dizer "guerra relâmpago" em alemão, era essencialmente uma táctica de guerra dominada por emprego em massa de cunhas de tanques para surpreender e encurralar o inimigo e o general Guderian era o super "às" desta táctica ofensiva.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook