segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Detidos supostos assassinos de dois cidadãos no Chiango


PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 03 Outubro 2016
Share/Save/Bookmark
A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Maputo deteve três indivíduos supostamente envolvidos na morte dos dois cidadãos assassinados à queima-roupa, na noite da última quarta-feira (28), zona de Chiango, no bairro de Albasine. Os visados consideram-se inocentes, mas assumem ter assaltado estabelecimentos comerciais no município da Matola, onde se apoderaram de pelo menos 17 mil meticais.
Os indiciados foram interceptados quando se faziam transportar numa viatura de cor preta, por sinal uma das que foram indicadas por algumas testemunhas do crime ocorrido em Chiango, numa das bermas da Estrada Circular de Maputo, por volta das 21h00.
Orlando Modumane, porta-voz da PRM em Maputo, disse que os três cidadãos foram presos a caminho do bairro de Magoanine, depois de um assaltado na Matola. Eles faziam-se transportar no carro acima referido, o qual foi roubado e alegadamente usado no crime de Chiango.
Na posse dos visados foram recuperados um carregador de uma metralhadora AKM contendo seis munições, uma pistola, bolsas, cartões de bancos e bilhetes de identidade, presumivelmente das vítimas de assaltos.
Os detidos, que alegam que actuavam sob o comando de um comparsa a monte, que responde simplesmente pelo nome de Tony, assumiram que invadiram duas lojas de cidadãos de nacionalidade nigeriana, na quinta-feira (29) passada, no bairro da Liberdade, apoderaram-se de 17 mil meticais.
Ninguém dos três indiciados assume ser dono dos pertences encontrados em sua posse. Um deles, que se apresentou como motorista, narrou que os seus comparsas pediram transportá-los até um certo lugar, onde permaneceu até novas ordens. “Eles entraram num sítio de onde trouxeram bebidas e 17 mil meticais”.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook