sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Cidadãos presos em Manica, um por falsas qualidades e outro por produzir soruma


PDF
Versão para impressão
Enviar por E-mail
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  em 06 Outubro 2016
Share/Save/Bookmark
Um indivíduo de 22 anos de idade, identificado pelo nome de P. Omar, está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica, acusado de posse ilegal de uma pistola com cinco munições, algemas e fardamento militar.
O visado, na altura fardado e neutralizado na cidade de Chimoio, fazia-se passar por membro das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).
Ele foi interpelado por um membro das FADM, o qual procurou saber se eram ou não colegas e onde estava afecto. Sem argumentos diante da tal situação, P. Omar reconheceu que era apenas um guarda de uma casa e de uma propriedade agrícola.
Nesse momento, Omar foi forçado pelo seu interlocutor a entregar o uniforme, mas, de repente, a arma e as algemas que trazia caíram.
Ele alegou que obteve o fardamento militar e o instrumento bélico de um amigo ex-militar falecido na capital do país.
No caso, está, também, envolvido um seu patrão, supostamente funcionário aduaneiro em Machipanda, e para o qual trabalhava como guarda.
Por sua vez, o cidadão em causa conformou apenas, à Polícia, que conhece Omar como seu empregado, mas nada sabe sobre a arma. De acordo com o mesmo cidadão, o jovem sempre usou fardamento militar e trazia pistola quando estivesse em serviço sua propriedade agrícola mas em nenhum momento lhe interessou saber até que ponto o material era ou não ilegal.
Enquanto isso, ainda em Manica, um outro indivíduo foi preso no distrito de Macossa, por produzir soruma, em grandes industriais, na sua machamba.
Elsídia Filipe, porta-voz da PRM naquele ponto do país, disse a jornalistas que foram destruídas mais de 821 plantas de soruma, as quais estavam encobertas entre o milho.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook