quinta-feira, 13 de outubro de 2016

ASSASSINOS


Ha muito que o Conselho Superior da Comunicacao Social de Tomas Viera Mario ja devia ter-se pronunciado sobre o caso G 40, uma vez enviado para la pela procuradoria-geral da Republica ha mais de um ano. Tambem a procuradoria demorou mais de um ano para se pronunciar sobre o assunto, ate envia-lo para aquela entidade por entender ser esta a responsavel por zelar pela independencia dos orgaos de informacao publicos. Nesse intervalo de cerca de tres anos, com as instituicoes a zanzarem de um lado para o outro com o caso G 40, os esquadroes da morte, a frente assassina do G 40, vao fazendo as suas vitimas. O Canal de Mocambique, no seu editorial intitulado "Os esquadroes da morte", nao tem duvidas de que os esquadroes da morte sao o prolongamento do partido no poder, que actua a partir do momento em que se esgota a capacidade de argumento do regime. Se se pode associar facilmente o G 40 aos esquadroes da morte, o que se acha na atitude das instituicoes competentes relativamente ao caso G 40 eh um silencio cumplice. Impondo-se nos servicos publicos de radio e televisao como os unicos e exclusivos portadores da palavra, com o beneplacito das chefias editorias genuflexivas do sistema, os estrategas do G 40 nao somente se estabeleceram para promover a manipulacao e intoxicacao da opiniao publica, como tambem instituiram o quartel-general responsavel pela eliminacao de opositores e de vozes criticas da governacao, desde o aniquilamento do contraditorio ate aos fuzilamentos nas arterias da cidade e nos campos baldios. Tomas Viera Mario, que tem por missao responder a procuradoria-geral da Republica, que para ele, na sua qualidade de presidente do Conselho Superior da Comunicacao Social, enviou o caso G 40, ve-se cada vez mais metido numa camisola de onze varras, que lhe vao vergastando a partir de qualquer lado para onde se vire, sobretudo quando vamos testemunhar que ele mesmo faz parte do G 40, ainda que a cronica relate que se tenha retirado da reuniao em que se criou o grupo por entender que o mesmo era ilegal, inconstitucional, anti-etico e imoral. Gilles Cistac, Manuel Bissopo, Aly Jane, Americo Boca, Jaime Macuane, Carlos Jeque e agora Jeremias Pondeca sofreram atentados apenas porque sao opositores e pensam diferente. Quando o conselho superior se cala perante a procuradoria-geral da Republica, fazendo ouvidos de mercador face aos nossos apelos, torna-se cumplice do G 40 e da sua vertente assassina, nomeadamente os esquadroes da morte. Somente agora a Frelimo anda a correr de um lado para o outro, pelas redaccoes dos principais orgaos de informacao, com a nova lista de 18 analistas, uma accao que somente servira para nos distrair da investigacao necessaria sobre o infame G 40. Muito antes do assassinato de Jeremias Pondeca, ja vinhamos avisando que nao sera a tosse provocada pelo fumo dos cigarros que nos vai matara, mas sim a nossa instistencia para que Tomas Viera Mario e sua cupula se pronunciem sobre o G 40, de que o Canal de Mocambique ao tem duvidas que se trata de uma anti-camara dos esquadroes da morte. O que estas instituicoes nao querem eh pegar o touro pelos chifres, esquecem-se, ou fingem que se esquecem, que o genocidio do Ruanda foi tambem alcacado gracas ao papel da Radio Milles Colines, atraves da qual se mandaram aniquilar as baratas, ou seja, os tutsis. A independencia dos orgaos de informacao publicos nao eh um mero privilegio dos jornalistas, mas uma garantia de um verdadeiro servico publico em beneficio do cidadao. Limitar o acesso a informacao equivale a limitar o acesso ao conhecimento, ou seja, equivale a apagar a luz, Celso Manguana. Quando nao conseguem limitar o discurso do outro, eles apagam o gajo. Do G 40 aos esquadroes da morte, duas frentes, um mesmo fim: promover o aniquilamento do Outro. Assassinos!
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Jossias Ramos Assassinos!...
GostoResponder34 h
Nico Voabil Moçambique. No matadouro
GostoResponder14 h
Jorge Marven moz ta pesado
GostoResponder14 h
Jorge Marven e como nos filmes agora
GostoResponder14 h
Jorge Marven alguem faz um documentario acerca.. ^...
GostoResponder14 h
Jorge Jone Essa não é luta para uma única pessoa travar. O Tomás Vieira contaria com apoio de quem nesta luta? Quantos moçambicanos saem à rua para manifestar a sua indignação? Quase ninguém. Não será por medo? Ora, o Tomás é que deveria ser o valente?

O povo deve se organizar e tomar o seu verdadeiro lugar. Tomás não é melhor nem pior do que a sociedade que temos. Deixem o homem, ele tem família por cuidar!
GostoResponder32 h
Armando Nenane Em nenhum momento pedimos ao Tomas para deixar de cuidar da sua familia. Apenas dissemos que ele tem em suas maos um expediente que lhe foi remetido pela procuradoria-geral da Republica e deve responder, enquanto presidente daquele orgao. Dito de outro modo, estamos a informar ao povo quem tem a faca e o queijo na mao. No ambito do direito de informar e ser informado!
GostoResponder42 h
Armando Nenane Por outro lado, quando nos dirigimos a Tomas Viera Mario, em tudo o que aqui tratamos, dirigimo-nos, na verdade, ao Estado. Se o Jone quiser pode ir consultar no dicionario....
GostoResponder42 h
Matin Sabin
Escreve uma resposta...
Naine Mondlane Revoltante!!
Sergio Baloi Sergio Como vai fazer isso esta atado
Armando Nenane Nao esta nada atado. O Tomas Viera Mario eh jornalista, portanto, percebe muito bem de liberdade de imprensa. Ele tambem eh jurista, percebe muito bem de direito e de procedimentos. Tambem eh especialista em direitos humanos, sobretudo na vertente do direito a informacao. Esse conhecimento junto faz dele um homem livre, alia, pode ter sido por isso que Nyusi nomeou-o para comandar o conselho superior. Ele que comande!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook