segunda-feira, 10 de outubro de 2016

ASSASSINATO DE PONDECA NÃO DEVE IMPEDIR PAZ: MEDIADORES

Mario_raffaeliO coordenador dos mediadores no diálogo político entre as delegações do governo e da Renamo, Mario Raffaelli, defende que o assassinato de Jeremias Pondeca, chefe da delegação do maior partido da oposição em Moçambique, não pode constituir um impedimento para se alcançar uma paz efectiva no país.
Numa declaração emitida hoje através da Delegação da União Europeia em Moçambique, Raffaelli reitera que só com o fim da violência pode ser construída, de facto, uma paz verdadeira e durável.
O coordenador considera o assassinato de Pondeca como um acto horrível e condenável.
A nota diz ainda que Raffaelli manteve hoje encontro em separado com as duas delegações da Comissão Mista, nomeadamente, a do governo e a da Renamo, sublinhando que, durante o interregno, vai continuar a manter contactos com as partes.
Pondeca, antigo deputado de 1994 à 2004 pela bancada parlamentar da Renamo na Assembleia da República, o parlamento moçambicano, foi assassinado na manhã de sábado, quando fazia a sua ginástica matinal, na praia da Costa do Sol, na cidade de Maputo. O seu corpo só viria a ser reconhecido dia seguinte pelos familiares na morgue do Hospital Central de Maputo.
Raffaelli chegou domingo a Maputo, com o objectivo de comunicar às partes o pedido de adiar a retomada do diálogo político até 18 de Outubro.
O adiamento visa permitir uma melhor reflexão para acelerar a resolução das questões em discussão.


A Embaixada dos EUA em Maputo também enviou uma mensagem a Redacção da AIM através da qual endereça as suas condolências à família enlutada e condena o acto. 
Embora não se saiba ainda as motivações por detrás deste acto bárbaro e condenável, é nossa convicção que qualquer tentativa de intimidar personalidades envolvidas na procura de uma paz duradoira em Moçambique, deverá ser condenada ao nível mais alto possível. Apelamos às autoridades relevantes a levarem a cabo uma investigação célere e exaustiva deste acto hediondo e a levarem à barra do tribunal os respectivos perpetradores, lê-se na mensagem.
A Embaixada dos EUA renova o seu apelo para o fim de todas as formas de violência em Moçambique, que inclua a cessação das hostilidades, de forma a que aqueles que estão envolvidos na procura de uma paz duradoira e sustentável possam prosseguir com a sua importante tarefa.
O governo francês, através da sua embaixada em Maputo, também condena qualquer forma de violência e espera que seja esclarecido este crime hediondo cujos autores deverão ser levados à justiça. 
A França apoia a União Europeia e os mediadores internacionais com vista a favorecer uma solução pacífica da crise, condição para uma normalização sustentável da situação em Moçambique, refere a mensagem.
Ac/sg
AIM – 10.10.2016

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook