domingo, 9 de outubro de 2016

Arábia Saudita executa empregada que matou criança por vingança


arabia-saudita
As autoridades sauditas executaram esta segunda-feira uma empregada doméstica etíope condenada à morte pelo assassínio em 2013 de uma rapariga de seis anos da qual cuidava, alegadamente para se vingar dos maus tratos dos seus empregadores.
Segundo um comunicado do Ministério do Interior divulgado pela agência oficial saudita SPA, a mulher degolou a criança em junho de 2013 na cidade de Huta Bani Tamim, a sul de Riade, num caso com grande impacto na opinião pública.
Na altura, a empregada disse que cometeu o crime em represália pelos maus tratos que sofria por parte da família da vítima, segundo informações divulgadas pela imprensa.
Na Arábia Saudita são frequentes os casos de maus tratos a empregadas domésticas, a maioria originárias das Filipinas, Índia, Indonésia e Sri Lanka.
A maioria das execuções na Arábia Saudita é realizada por decapitação com uma espada, numa severa aplicação da lei islâmica (“sharia”), que pune com a pena capital os condenados por assassínio, tráfico de droga e feitiçaria, entre outros crimes.
Desde o início de 2016 e até finais de julho foram executadas 108 pessoas na Arábia Saudita, segundo a organização de defesa dos direitos humanos Human Right Watch. (J.N.pt)

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook