quinta-feira, 20 de outubro de 2016

29 agentes “expulsos” da Polícia de Trânsito por extorsão de automobilistas

Agentes também serão processados
Ao todo são 29 agentes, entre homens e mulheres, que serão desvinculados da Polícia de Trânsito, a partir desta semana, sob acusação de agir contra o regulamento durante a fiscalização rodoviária.
O grupo em causa é acusado de aceitar ou cobrar dinheiro aos automobilistas ao invés de fazer cumprir o regulamento de fiscalização rodoviária que estabelece a sensibilização ou aplicação de multas em caso de infracções.
O comandante da PRM na capital do país convocou, na manhã de hoje, uma formatura para anunciar a medida. No encontro, Bernardino Rafael recordou aos agentes que sua tarefa é garantir a ordem e segurança públicas sem comprometer a imagem da corporação em actos ilícitos. Aliás, o comandante disse ainda que a mesma medida é um instrumento encontrado pelas autoridades para disciplinar o comportamento dos agentes da corporação sobretudo da Polícia de Trânsito em relação a sua actuação na fiscalização.

Na formatura que contou coma adesão massiva de muitos agentes da PRM, sobretudo de Trânsito, Bernardino Rafael referiu que as chefias da corporação declararam tolerância zero contra quaisquer situações feitas pelos polícias e que podem prejudicar a imagem da instituição e dos cidadãos no geral.

Os agentes também serão processados
Os agentes afastados do ramo da Polícia de Trânsito (PT), cujos nomes não foram revelados, passam para o ramo da Polícia de Protecção (PP). Ainda durante a formatura o comandante da PRM na capital do país revelou que além de serem afastados os agentes em causa deverão ser processados disciplinar ou criminalmente pela prática de extorsão. Esta medida anunciada hoje foi tomada pelo Comandante-geral da PRM, Júlio Jane, como uma das grandes decisões do XXVI Conselho Coordenador do Ministério do Interior realizado dos dias 6 e 8 deste mês, na província de Maputo. Neste contexto, Bernardino Rafael garantiu que durante a sua chefia vai intensificar acções de combate à corrupção e extorsão envolvimento agentes da polícia como uma forma de cumprir as recomendações do Conselho Coordenador.

Medida será implementada em outras províncias
O afastamento dos agentes da corporação por envolvimento em corrupção é uma medida que o Comando-geral da PRM decidiu intensificar a partir deste mês como forma regular o comportamento dos polícias e promover boa imagem da instituição. Aliás, denúncias sobre má actuação da polícia têm sido tornadas públicas através de vários meios, incluindo publicação de vídeos, redes sociais, nos quais aparecem os agentes a extorquir os condutores. Sabe-se que a medida de desvinculação dos agentes por motivo de extorsão deverá ser implementada ao nível de outras províncias do país, pelo que os despachos dos agentes abrangidos já estão a ser exarados.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook