quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Chissano apela a RENAMO a não usar armas para tomar poder

O antigo Presidente de Moçambique, Joaquim Chissano, apelou nesta quarta-feira a Renamo, o principal partido da oposição, a usar instrumentos democráticos e não recorrer a força das armas para alcançar o poder, no país.
Falando em Pemba, capital de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, durante a cerimónia central alusiva as celebrações do 7 de Setembro, Dia da Vitória.
Chissano desafiou os homens armados da organização de Afonso Dhlakama a abandonar as matas para se juntar à família moçambicana, escreve Jorge Dick, da AIM, em Pemba
Nesta data, o país recorda a assinatura dos Acordos de Lusaka, na Zâmbia, em 1974, entre o governo colonial português e a Frelimo e que culminaram com a proclamação da independência de Moçambique, a 25 de Junho de 1975.
“Nós vamos recebê-los e viveremos como irmãos, tal como fizemos anteriormente”, disse Chissano em alusão ao período que se seguiu a assinatura do Acordo Geral de Paz, em Roma, na Itália, em 1992, entre a Renamo e o governo moçambicano e que pós fim a guerra dos 16 anos.
O antigo estadista moçambicano referiu que o desfile dos combatentes mostra que ninguém quer a guerra em Moçambique.
Sublinhou que nem mesmo aqueles que combateram nas fileiras da Renamo estão a favor da guerra, pois todos os moçambicanos querem ver o país a crescer.
Segundo Chissano, a Associação dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional (ACLLN) é a continuidade da luta política, diplomática e cultural travada durante a guerra pela independência, iniciada a 25 de Setembro de1964, e as suas acções visam fundamentalmente fazer progredir o país.
Lembrou que após a assinatura dos Acordos de Lusaka, o regime colonial tentou impedir a independência dos moçambicanos, tendo chegado a criar grupos ou partidos políticos, com os quais pretendia realizar um referendo.
O governo colonial, de acordo com o antigo Presidente de Moçambique, também tentou preparar um governo de transição, que iria vigorar por um período 20 anos, mas a Frelimo exigiu a independência total e completa do país.
“Como não bastasse houve tentativas para a tomada da actual Rádio Moçambique (RM) e Aeroporto de Maputo, mas os moçambicanos combateram todas essas manobras”, disse.
Chissano mostrou que frustradas todas essas acções, tendentes a impedir a libertação do país, a Renamo foi acolhida pela Rodésia de Iam Smith, hoje Zimbabwe, e posteriormente pelo regime do Apartheid, na África do Sul.
Fonte: Angop
Chefe de Estado quer combatentes na pacificação do país
QUINTA, 08 SETEMBRO 2016
Celebração dos Acordos de Lusaka
O Presidente da República, Filipe Nyusi, apelou ontem aos combatentes da Luta Armada de Libertação Nacional e da soberania e democracia a continuarem a ser referência na convivência pacífica e a contribuir para o aumento da produção e produtividade, com vista ao desenvolvimento do país.
Discursando na cidade de Pemba, Cabo Delgado, num comício popular inserido nas comemorações do 7 de Setembro, “Dia da Vitória”, Nyusi exortou as duas gerações de combatentes a pautarem por acções não violentas e a estimularem o crescimento do país. O Chefe de Estado sublinhou que os veteranos da luta armada pela independência devem continuar a alimentar a sua experiência de perdão, para permitir que moçambicanos trabalhem para o bem de todos.
Na ocasião, Nyusi pediu aos antigos guerrilheiros Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) para se envolverem de forma activa no aumento da produção agrícola e produtividade, bem como a trabalharem para garantir a criação de renda para os moçambicanos.
Filipe Nyusi salientou que a geração do 25 de Setembro é de uma virtude que ainda hoje continua a orgulhar o país, sublinhando que esta festividade, cujo epicentro serviu para reencontrar milhares dos que lutaram pela independência, constitui o reconhecimento do passado que está a construir o presente do país. Disse, todavia, que o Governo reconhece o sofrimento dos combatentes e apelou à necessidade de continuarem a ser exemplo de perdão e inclusão social no país.
“O 7 de Setembro confunde-se com a história de Moçambique. Estão aqui combatentes, desmobilizados de guerra, aqueles que estiveram na Udenamo e na formação da Frelimo, o que mostra o exemplo da unidade nacional e da inclusão social no nosso país”, disse Filipe Nyusi.
No seu discurso, o Presidente da República reconheceu, a dado momento, que a economia moçambicana está a atravessar momentos difíceis, caracterizados por queda de preços dos produtos das exportações, como camarão e carvão. Em face desta situação, exorta todos os moçambicanos a envolverem-se ainda mais na produção de comida, em todas as regiões do país.
Na mesma ocasião, Nyusi falou dos ataques armados levados a cabo por homens da Renamo, que, segundo o Presidente da Renamo, estão a desestabilizar todos os esforços empreendidos pelo Governo para a melhoria da vida no país.
Comments
Yaqub Sibindy Chissano, deve ter coragem de criticar publicamente os seus substitutos na Chefia de Estado Moçambicano que sem razões palpavéis decidiram rasgar o seu legado de reconcialiação, tolerância e diálogo permanente com Renamo, como à cultura cívica permanente de manter à Paz em Moçambique!

Chissano não deve vir ao público exigir que à paz venha só das hostes da Renamo, porque quem provocou o presente conflito não foi o prazer simplesmente da Renamo, mas sim da Frelinegocios, que de repente surpeenderam todo o mundo ao desencadear um terrorismo de estado, alegando o desarmamento compulsivo às Forças Residuais da Renamo, no lugar de priveligiar o diálo, património político que Chissano usou para desarmamar e teazer a Renamo para o mercado urbano da Paz, há mais de 20 anos atrás!
Antonio Martins Acordando do sono profundo e respondendo acerdatamente ao colosso Chissano que sempre escondeu a verdade.
Abudo Ismail Ismaila Tio yaqub sibindy aonde você pertence na Renamo ou na FRELIMO?
Aziza Throne E fazer autocrita primeiro. Ele foi o primeiro aldrabão
120 hrs
Eduardo Domingos Ele defende dialogo com fogo
220 hrs
Yaqub Sibindy Se aldrabasse Dhlakama no sentido positivo de lhe trazer ao convívio da Paz Justa e permanente, Chissano continuaria a gozar o estatuto de heroi perante o seu povo!

Aldrabar Dhlakama, como esteatégia de lhe trazer ao ambiente urbano para depois aniqu...See More
819 hrs
Aziza Throne E muitos dizem que é de paz kkkk. Assassino silencioso
119 hrs
Jose Majasse Dombe Copiado Sibindy
Celestino Cebu Este Sr, Na verdade e camaleao, e egoista, so quer protagonismo para ele,,,agita o actual Governo incentivando a Guerra, para ele ser o unico protagonista de pacificacao....
219 hrs
Bertino Angelo Bento Macamo Chissano perdeu juizo.
Gulumba D. Mutemba O povo já não mais criança para acreditar nos discursos manipulatorios do Chissano.
118 hrs
Yaqub Sibindy Chissano ainda vai a tempo de ser CARTAZ DA PAZ em Moçambique!

Ele é à única personalidade moçambicana que pode evitar à humilhação da Frelimo no campo das operações militares com à guerrilha da Renamo....See More
118 hrsEdited
Maria Manjate Neste momento está a decorer uma grande ofensiva contra a Renamo em gorongosa; existem também os terríveis esquadroes da morte , criados e controlados pelo governo para acabar com membros da renamo.
Gostaria de ouvir Chissano a pronunciar-se sobre essas questoes, sendo ele uma pessoa k apregoa e defende a paz.
218 hrs
Aziza Throne Cartaz da Paz? Caracoles ... Qtas pessoas morreram silenciosamente no mandato dele Irraaa
318 hrs
Sinembo Ndaneta Este Sr. que se chama Chissano quando o vi pela primeira vez nos anos 80, ao lado de Kawawa de Tanzania, julguei-o bastante humilde e serio
mas apartir de certo periodo para ca. manchou se muito apartir desde acordo de Roma e ter aceite forjar a morte de seu proprio, isto criou nele uma certa marca indelevel. Mas ainda ele tem uma oportunidade...so se falar a verdade apartir da morte de Mondlane em 1969 e as mortes sucessivas perpetradas pelo grupo dele. Ouviram o que o Julius Malema falou sobre o envolvimento de Chissano e companhia a morte do tambem assassino Samora?
217 hrs
Joana Simeao Ntelela IDEIAS DESTE VELHO JA NAO SERVEM AO POVO MOCAMBICANO SO A ELE E A FRENTE DELE
19 hrs
Raul Novinte Chissano é aquele cara calmo mas esperto... pois tudo o que estamos a viver em Moçambique até agora este foi um dos arquitetos.... falo das fraudes......
15 hrs

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook