sexta-feira, 30 de setembro de 2016

APELIDAM O 25 DE SETEMBRO DE 1964, COMO O DIA DA REVOLUÇÃO E DA LIBERDADE!!!

ZECA CALIATE, VOZ DA VERDADE
 NA REALIDADE, O DIA QUE PENSÁVAMOS QUE PODERIA SER O INÍCIO DA NOSSA LIBERTAÇÃO COMO POVO, TORNOU-SE NO INÍCIO DE UM LONGO CAMINHO PELO MUNDO DAS TREVAS, QUE CEIFA A VIDA DOS MOÇAMBICANOS HÁ 52 ANOS, PELA MÃO DA CLEPTOCRACIA FRELIMISTA.
Eu, Zeca Caliate, considero esta data histórica de 25 de setembro de 1964, infelizmente como um dia triste e negro na nossa história como Moçambicanos, e como tal não gostaria de deixar passar esta data sem o meu comentário, em memória dos grandes compatriotas que se bateram heroicamente pela Pátria em prol de uma ´´suposta`` Liberdade e Independência Nacional.
Tenho um imenso orgulho em ter dado o meu contributo nesse dia e nos que se seguiram, como membro integrante das verdadeiras FPLM, isto é, o dia das “Forças Populares de Libertação de Moçambique”. Infelizmente, muitos dos nossos irmãos tombaram assassinados, não por bala inimiga, mas sim macábramente pela mão da Frente de libertinagem de Moçambique, vulgo Frelimo, quando o aprendiz de enfermeiro sem amor próprio, o ´´kichwa ya maji`` Machel tomou de assalto essa organização em 1969.
Em 1964, eu era um jovem no auge dos meus tenros quinze anos de idade quando a guerra rebentou, mas não era de todo inocente e recordo-me perfeitamente de todos os episódios importantes da época, graças á minha boa memória quando iniciei esse longo caminho no dia 25/09/1964 na frente Zambeziana. Embora ainda não fosse 100% guerrilheiro, começei como colaborador auxiliar do primeiro grupo dos guerrilheiros, que acabavam de receber treino militar na Argélia, e cujo comandante dava pelo nome António da Silva e seu adjunto Joaquim Mpindula.
Recordo-me perfeitamente dos nomes dos primeiros guerrilheiros, aliás, além de António Silva e seu adjunto António Mpindula, e o Bonifácio Gruveta Massamba, que ficava no Malawi a representar a Frelimo no País de Dr. Hasting Kamuzu Banda, estava o comissário político da Província da Zambézia, Alberto Mutumula, Eduardo Nihiya natural de Nampula, Miguel Ambrósio natural de Cabo Delgado, outro Miguel também natural de Cabo Delgado, Alberto Chingamuca o Zambeziano, e por fim Eusébio também Zambeziano, este último infelizmente não chegou a entrar no teatro de operações em plena guerra, pois foi ferido no Malawi, quando as tropas Portugueses aquarteladas em Milange, violaram as fronteiras daquele País numa incursão clandestina, onde arremessaram algumas granadas para o interior da sua residência, onde se encontrava na altura a dormir, acabando gravemente ferido.
Eu Zeca Caliate, com outros camaradas como anteriormente disse, eramos inicialmente auxiliares dos guerrilheiros, mas muito rápidamente nos foram atribuidas armas de fogo, devido ao rápido desenrolar das missões de progressão em ataques aos postos administrativos de Mongue, Tacuáne, Lugéla etc. Nós os novatos, éramos considerados voluntários, mas alguns já participavam em emboscadas para neutralizar os pequenos grupos das forças inimigas. O avanço da frente Zambeziana, fez-se simultaniamente com as frentes de Tete, Niassa e Cabo Delgado.
Este é que foi o verdadeiro 25 de setembro de 1964.
Agora perguntem-me por onde anda a maioria desses guerrilheiros em especial os comandantes!!!???? A resposta é simples, foram todos assassinados friamente pela própria Frelimo do assassino mor, Samora Machel, quando este chegou ao poder, pois os comandantes chingondos de massa cinzenta seriam sempre uma enorme ameaça aos ´´Dossiers Obscuros`` que estes cléptocratas assassinos teriam em mente para por em marcha depois da independência. Felizmente, escaparam alguns e com alguns dissidentes que fizeram também parte dessa organização, surgia a inevitável Resistência, que lhes faz face até hoje.
Aliás, o único comandante sendo chingondo makonde que se mantém até aos dias de hoje, pau mandado de um grupinho de gente oriunda da província de Gaza, com grande poder dentro dessa organica mafiosa que é a Frelimo, é o analfaburro mafioso e grande boçal, ou seja, uma pessoa rude, ignorante, grosseira, com pouca cultura, inteligência e sensibilidade, falo-vos do senhor da guerra Alberto Chipande, o assassino do seu próprio Pai, para agradar o camarada Samora o qual lhe deixou a enorme herança que é a província de Cabo Delgado no norte do País.
A começar por próprio chefe da Defesa e Segurança da Frelimo, Filipe Samuel Magaia, liquidaram-no dois anos após o começo da luta armada a 10 ou 11 de Outubro de 1966.
Seu adjunto chefe da Defesa e Segurança que também foi autor e primeiro comandante da guerrilha em Mutarara na Província de Tete o camarada Casal Ribeiro, liquidaram-no.
O primeiro comandante das primeiras ações da guerrilha na Zambézia e Niassa, António da Silva, liquidaram-no.
Outro comandante que planeou e reiniciou a luta armada na Província de Tete, o camarada Francisco Manyanga, assassinaram-no por envenenamento no Hospital de Muhimbiri em Dar-és-salaam e muitos outros combatentes e comandos que fizeram o 25 de setembro de 1964, e que não eram lambebotas dos Magazas foram todos assassinados por Samora Machel e seus cúmplices.
Eu Zeca Caliate, ex-comandante do 4º sector da Frelimo na Região Sul de Tete, escapei a morte por um triz, pois a minha fé me diria que tinha que me manter vivo para os poder bombardear com as verdades em memória dos que tombaram ás mãos desses cobardolas assassinos...não irei parar até cairem, um por um.
Poderão me perguntar, afinal não foram as forças Coloniais que liquidaram esses bravos combatentes da liberdade??? Pois o que a Frelimo nos ensina nas escolas, é isso mesmo!!!
A resposta é não, pois foi a própria Frelimo de Machel com seu gangue de idiotas, que fazem parte do grupo camaradas como Joaquim Alberto Chissano, Marcelino dos Santos, Armando Emílio Guebuza, Mariano Araújo Matsinhe, Alberto Chipande, Raimundo Pachinoapa, Sérgio Vieira, António Hama Thai etc.
Quero que isto fique bem claro, pois não tenho necessidade de falar mentiras, perdi a minha juventude ao lado desses canalhas e já não caminho para novo... a unica coisa que pretendo é que as novas gerações refaçam o nosso País com base na verdade e que não permitam no futuro que um punhado de ganânciosos vos roube, como fizeram comigo, a oportunidade de serem bem sucedidos na vida de uma forma honesta sustentada em valores morais. Ainda quero disfrutar da minha velhiçe na terra que me viu nascer.
Sei que andam por aí sobreviventes que fizeram parte dessa mesma luta pela Independência Nacional, que hoje continuam caladinhos, ou porque se sujeitaram a subornos, ou simplesmente olham para o lado para irem enchendo a barriguinha, na verdade não passam de coniventes com o sistema e são estes que olhando para o lado pôe em causa a nossa soberania, quando assistem ao triste espetáculo dos canalhas mor Frelimistas a venderem o nosso país aos Chinas e não só sem fazerem nada...dos fracos e cobardes não reza a história.
Quanto às afirmações do chefe do Estado Maior General das Forças da Defesa e Segurança o pátéta do Graça´´Johnny Walker`` Chongo, ao dizer que as FADM, são apartidárias, esta afirmação é completamente fora de tempo e sem conteudo, e só demonstram que já não têm discurso... já estão no final do percurso. Este canalha já não se recorda de quando recentemente milhares de Moçambicanos, foram forçados a abandonar os seus lares nas aldeias da província de Tete para escaparem a morte levadas a cabo pelas FADM ??? Felizmente poderam se refugiar no vizinho Malawi. Hoje, há várias famílias de Manica, Sofala, Tete, Zambézia, Niassa e Nampula que abandonam suas casas e bens para se refugiarem na floresta, onde coabitam com os animais selvagens, leões, leopardos cobras venenosas, etc. São as FADM que o senhor Graça Chongo comanda, que violam menores e mulheres casadas ou não e raptam seus maridos para os assassinar. São as FADM que ateiam fogo ás palhotas e celeiros do Povo e como se não bastasse, ainda roubam seus pertences como animais de criação, etc, etc. Gostaria de saber porque vocês fazem estas atrocidades contra o vosso próprio povo?? porquê?? Voçês canalhas que trazem desgraça e sofrimento ao povo nos ultimos 42 anos, serão severamente punidos, não tenham dúvidas disso.
Obviamente, que se o Estado roubado de Moçambique se guia-se através dos valores morais que qualquer ser humano deveria praticar, o sr general da treta, graça Chongo, com ( ´´G`` PEQUENO) não resistiria a apresentar a sua demissão de um cargo tão Honrado, mas VERGONHA é algo que voçês nunca tiveram, por isso ainda afundam mais a vossa triste figura, e agora mais que nunca, estão completamente descredibilizadas. Voçês só lá vão com PORRADA DA BOA.
Os ideais que seguimos no início da nossa luta, era precisamente combater os Colonos e proteger a população...Voçês praticam precisamente o contrário, e por isso, sim são voçês que põe em causa a nossa soberania, e como tal tem que se debelar essa enfermidade para que nos tornemos verdadeiramente num estado soberano e justo.
Não confundam a guerra que as FADM, FIR e outra forças desencadeiam contra a RENAMO e seu líder senhor Afonso Dhlakama. Os Moçambicanos têm que perceber que este confronto infelizmente é necessário, pois sem ele, nós todos vamos desaparecer como seres humanos e nos tornaremos em escravos desta canalhada ganânciosa que é a FRELIMO. A missão das Forças Armadas e é defender Moçambique contra o mal que surge de além-fronteiras, os estrangeiros ganânciosos que violam o nosso País com a conivência Frelimista, traficando e roubando as nossas riquezas sem que o País e o Povo se desenvolvam e tirem dividendos disso para evoluirmos como pessoas e no nosso bem estar, isso sim, é ameaça á nossa soberania e tem que ser protegido sériamente.
Se a Frelimo do ´´Gomate Wa Zaurinha-Filipe Jacinto Nyusi``, de facto quer paz e democracia para Moçambique, deve aceitar tudo o que vos é exigido, de outra forma arriscam-se a perder tudo.
´´QUEM TUDO QUER TUDO PERDE``
Meus irmãos Moçambicanos, relembro-vos em consciência, a todos os resistentes a este regime sanguinário inconsequente, que enquanto as chefias radicais assassinas desse partido Frelimo não forem capturadas e encarceradas, o povo nao terá liberdade e sempre haverá alguém para enviar os ``cães de caça do regime`` para vos perseguir, agredir e eliminar.
FUNGULANI MASSO, lembrem-se bem, QUEM NÃO LUTA PERDE SEMPRE, A LUTA É CONTÍNUA.
Zeca Caliate, general Chingòndo um dos sobreviventes da Teia do mal Frelimo.
GostoMostrar mais reações
Comentar
13 comentários
Comentários
Xivezara Chombo Onde foram esses todos que até os nomes não são todos contado na história do país ?
GostoResponder12 h
Angandimasso Alface Luís Entao os velhos da frelimo devem... queremos ver nova frelimo.
GostoResponder112 h
Amador Da Razao Sua Precisamos d homens como o senhor para nos contar a verdadeira historia deste país. E nao akelas mentiras k xtao nos livros
GostoResponder211 h
Àfrica Campo de Guerras Mais muito obrigado General resistente...
GostoResponder11 h
Josia Sibanda Obrigado
GostoResponder9 h
Benerth Ralc Acredito que um dia estarei frente a frente com o ilustre general. Ou na Europa ou em Africa, vai ser um prazer enorme. Estou como todo Mocambicano, aguardando fiel e pacientemente a queda deste regime de assassinos, estou da mesma forma tambem dando o meu contributo nesta luta diariamente. Abracos General Chingondo
GostoResponder9 h
Mangane Mangane Comentar a favor se o a FRELIMO não fosse anarquista
GostoResponder9 h
Moises Duarte Quando eu estava a fazer o ensino médio, o docente de história disse que a história muda consoante o tempo. Todos nós sabemos que todos os Presidentes do partido assim como de 
Moçambique não morreram por doença natural, e até hoje porque não nos traga
m os culpados dessas malditas mortes dos inocentes? Esperamos k com informações dos combatentes poderemos conhecer a proveniençia dos partidos políticos. Porque, o que nos importa de momento, não é somente o ser bandido armado mas sim, como é que esse bandido conseguiu arma até apontar contra nós. Mais disse, tifunguleni masso. Vulamatiço, we must wack up people. Arenilavule, não falei nada.
GostoResponder9 h
Donalds Mohlala Straight talk doesnt kill anyone .a vitoria e certaVer Tradução
GostoResponder2 h
Jose Tomas Esta bem dita a verdadeira historia de mocambique em relacao a luta de libertacao de 1964,tambem o povo questiona pra formar a frelimo houve uma juncao dos tres movimentos os dirigentes dos dois movimentos onde estao esta parte a frelimo nos manipula a esplicacao eu lembro quando a frelimo entrou la em tete acamparam no antigo hotel socio e denominaram como sector f a politica k trazia era cancoes revolucionaria k diziam o seguinte,Uria Simango,joana Simiao,Lazaro Kavandame,padre Miguel Morrupa,Gwenjere e outros eram reacionarios estes k mencionei eram da zona norte e centro do pais e eram etelectuais todos foram fuzilados pork na reuniao k tiveram em Dar_Es_Salam cada um apresentou sua proposta quando tivermos a independencia qual seria a via k o pais adotaria democracia ou via socialista todos esses optaram na democracia foi o motivo suficiente pra os afasta los e outro motivo foi da intelectualidade(visao)segundo uma das passagens o general Zeca Caliate frizou k samora nao foi eleito pra o cargo k ocupou de dirigir a frelimo usou a ditadura como ate hoje a frelimo usa ate mulheres samora nunca namorou sempre usou a forca a historia de mocambique vamos podermos acompanhar a par e passos na queda do regime do dia
GostoResponder1 h
Renas Simiao Cheira me aqui algum exagero. Cheira me umpouco de dor de cotovelo por não ter tido benefícios próprio. 
Algumas coisas da pra refletir + algumas são exageradas e carregadas de "inveja".
E está onde o tal zeva? É mocambicano?
Jose Francisco Mugabe Mugabe Falast verdade..E pela guerra Q vamos vencer coruptos...

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook