sábado, 20 de agosto de 2016

SÓ HAVERÁ CESSAR - FOGO DEPOIS DA IMPLEMENTAÇAO DE TODOS PROTOCOLOS ASSINADOS NA MESA NEGOCIAL


A frelimo quer o cessar - fogo em todo o país para enganar a Renamo, como se a guerra tivesse acabado, enquanto a solução ainda foi encontrada. Informações que temos de fonte ligadas às negociações em curso indicam que este ponto (que é da frelimo), a frelimo está a exigir o cessar - fogo em todo o país, para que as negociações decorram sem combates. Esta é a proposta da frelimo porque já não aguenta com os combates com as forças da Renamo.
A frelimo quer procurar demonstrar parece ter boa fé enquanto é uma estratégia para descansar, refrescar e posteriormente reforçar e rearmar as suas tropas para atacar a Renamo. Para a Renamo este argumento é negativo porque já tem experiência do passado. Aliás, as negociações de paz em Roma levaram dois anos e meio e o fogo só cessou no dia da assinatura, a 4 de Outubro de 1992. Portanto, os combates decorriam entre as partes durante as negociações.
Para a frelimo o cessar - fogo em todo o país seria vantajoso porque está a "governar" o país e sentir-se - à a vontade porque já não há pressão militar contra ela. Isto significa que se a Renamo aceitar cessar - fogo, as negociações vão levar muito tempo, até as próximas eleições autárquicas e presidenciais respectivamente, porque este é o plano da frelimo. E a com o fogo cessado a frelimo vai começar a gingar e negar tudo na mesa negocial porque continua a "governar" a vontade.
Mas de acordo com fontes fidedignas ligadas à ala militar da Renamo, Afonso Dhlakama já rejeitou liminarmente esta proposta da frelimo. Dhlakama tem experiência e sabe que se a frelimo aceita aquilo que exige é porque está a levar porrada nos combates. Basta a Renamo relaxar e parar com as porrada a frelimo volta a negar tudo e ainda reforça e expande as suas posições militares nas províncias e importa mais armamento.
Segundo as mesmas fontes, Afonso Dhlakama condiciona o cessar - fogo em todo o país à implementação imediata de todos protocolos já assinados e outros ainda por assinar. Isto é, a frelimo deve negociar e implementar tudo com muita urgência até meados de Setembro nomeadamente a emenda constituiticional, reintegração dos militares da Renamo nas forças armadas, reestruturação das forças armadas (isto é, as forças armadas deixarem de ser um grupo ao serviço do partido frelimo e passar a serem do estado e assim jamais atacará a Renamo), assim como um acordo sobre o funcionamento da polícia e a integração de quadros da Renamo no seio da polícia e outras instituições conexas.
Também deve encontrada uma solução imediata até os princípios de Setembro para a nomeação dos governadores da Renamo nas 6 provincias e estes também nomearem os seus administradores, chefes dos postos administrativos e localidades. Se isto tudo acontecer já antes do fim de Setembro, já haverá cessar - fogo em todo o país porque significa uma nova vida política em Moçambique, o despontar de um novo Moçambique democrático.
A Renamo não rejeita o cessar - fogo em todo pais, apenas exige que o cessar-fogo seja decretado só depois de se encontrar a solução para a problema que provocou o conflito militar ora em curso. Para que ninguém mais ataque a Renamo nem embosque Afonso Dhlakama.
Afonso Dhlakama faz lembrar a todos mocambicanos que em 5 de Setembro de 2014, assinou um acordo com o ex-presidente Armando Guebuza, há um 10 dias do inicio da campanha eleitoral mas quase imediatamente a frelimo montou várias novas posições a volta da Serra da Gorongoza (o ex-vice ministro José Mandra até fez questão de levar jornalistas à Satungira para testemunhar o novo "assalto" sem combstes às antigas matchessas de Dhlakama) e voltou a atacar o próprio Dhlakama um ano depois em Chibata e Zimpinga, a 12 e 25 de Setembro de 2015 respectivamente.
Desta forma de que é valeu o cessar-fogo? Serviu apenas para a campanha eleitoral? Então, para o Dhlakama, com experiências amargas que tem, não interessa o cessar-fogo antes dea implementação de todos os protocolos assinados na mesa negocial. O Dhlakama diz que como a frelimo quer o cessar - fogo, então vamos primeiro resolver todos os assuntos que estão a provocar o actual conflito militar, que haja já uma emenda constituiticional e todos os documentos entrem na Assembleia da Republica para serem ratificados antes de 20 de Setembro do ano em curso, nomear os governadores da Renamo, e outros protocolos acordados, resolver o problema do Sise, acabar com os esquadrões da morte, então o Dhlakama pode garantir o cessar-fogo para todo o território nacional.
O cessar-fogo que a frelimo pede é para ganhar tempo para reforçar as suas forças militares e depois começar a atacar a Renamo. Aliás, está prevista uma outra grande campanha militar contra a Serra da Gorongoza na próxima semana (que contará com o emprego massivo da infantaria blindada), o que seria se Afonso Dhlakama ordenasse o cessar-fogo ontem sexta - feira? A frelimo brinca com coisas muito sérias.
Unay Cambuma está a dar a presente informação ao povo mocambicano porque o regime tem feito propaganda falando sempre do cessar-fogo, parace que tem pena da população, enquanto é uma manobra para perpetuar o sofrimento do povo de Moçambique. O povo não pode ser enganado, a solução não o cessar-fogo, isto foi provado nos cessar-fogo de 1992 e 2014, onde a frelimo voltou a fazer da suas, descomprimindo tudo que assinou e encetou grandes campanhas militares para destruir a Renamo e o seu lider. Desta vez a Renamo decidiu enveredar por uma nova abordagem. E irá até as últimas consequências.
LikeShow more reactions
24 Comments
Comments
Godfil Aguiar Obrigado
Like1 hr
Castiano Abílio Neves Neves Nosso obrigado,irmão Cambuma pelo informe,sempre k entro nesta rede apenas procuro suas informações.
Like1 hr
Zakarias Fernando Mais A renamo e povo ja esta esperto
Like1 hr
Amador Da Razao Sua Viva, desta vez vamx se matrecar. Ja discobrimx os truks
Like11 hr
Loló Ubisse Grato Unay Cambuma continue sempre na linha da frente
Sodja Rinosvika Kure Não se aceita nada antes de entregar as autonomias
Jeremias Macamo Quer dizer é o cenário da telenovela " os dez mandamentos" o Faraó nega de libertar os escravos. O Moises o libertador tem que fazer chover pragas para q o povo fique livre.
Like251 mins
Celestino Nicolau Força renamo
Araujo Manuenca Jose Força pai Dlhakama,o povo eta contigo,nao deixa relachar esses bandidos sem rumo
Maria Armando A política da Frelimo é de camaleão, esta manhã trocou e vestiu-se de várias cores. Atarde no mesmo dia e no dia seguinte, veste-se uma outra cor diferente a de ontem. Por isso, é preciso ter cuidado com a Frelimo, que a todo custo quer se perpetuar no poder. Para mim a Frelimo não têm absolutamente nada para negociar, esses bandidos já se rechearam ao longo dos 41 anos de governação a viverem como sangue-sugas a roubarem. Agora chegou a hora de largarem tudo para a RENAMO, governar Moçambique para o povo ver e se governar mal igual a Frelimo é o povo que dirá não e venha outro partido que traga a verdadeira Paz e Democracia neste País.
Like236 mins
Like134 mins
Pedro Casimiro FRELIMO É UM GRUPO DE MATCHUBAS SACANAS NE VALA PENA PERDOAR ESSES MACACOS PK NÃO DEMORAM DE VIRAR O SEU DISCURSO ESSES BURROS PA
Americo Mudaua Carlitos o importante aqui so paz, irmaos,
Carlos Jose Bacalhane Ate a vitoria Certa, a frente e o caminho .jornalista do povo na medida certa .
Mulandi HI Mina Kheni Assim seja ou chumbo com eles...viva liberdade
Domingos Rodrigues Boa decisão parabéns ao general .E parabéns os que estão na mesa negocial na parte da Renamo. E más ,os mais parabéns vai para os soldados da Renamo que sacrificam a sua vida,para o bem estar do povo e de Moçambique em geral. Os meus grandes e com muitos respeito os ditos da farda verde o más pesado os Rangers.
Niga-Fix Frey É verdade
Like7 mins
Henriques Luis Matsenguane Toda esta confusao começou em Chibata e Zimpinga em 12 e 25 de Setembro.
Tendo em conta o sofrimento k os Moçambicanos estao sujeito por causa dos confrontos militares, seria de todo bom haver um cessar fogo imediato. Mas Com o actual nível de desconfiança entre as partes, torna se difícel acreditar que desta vez não é mais uma manobra.
Ora, se alguém tenta ti matar duas vezes e depois diz que vamos conversar é justo que se tenha muita dúvida com a verdadeira intenção desta pessoa.
Ouvimos que o presidente é que travou a eliminaçao do Dlakama por parte dos mitares. Quem garante que desta vez está a falar verdade? Se efectivamente os acordos são reais qual o problema em avançar?
Basta de manobras.
Like4 minsEdited
Maria Armando Estamos juntos compatriota Domingos Rodrigues, assim é que deve ser.
Like5 mins
Nire Ernesto Manhalo Gostaria k setembro fosse último mês d paciência dos rangers...
Like3 mins
Anselmo Abílio Vicente Nunca jamais dhlakama perdoar

2 comentários:

Reis Riquicho disse...

Vamos desmascarar essa gente que pensar que e' xperta

Reis Riquicho disse...

Vamos desmascarar essa gente que pensar que e' xperta

Windows Live Messenger + Facebook