terça-feira, 23 de agosto de 2016

Novo Comandante da PRM tem missão de repelir a Renamo


Listen to this post. Powered by iSpeech.org

Francisco_Quiasse_MadiquidaA orientação está clara
O Comando provincial da Zambézia conta com novo Comandante desde a manhã desta segunda-feira (22), cuja apresentação oficial e cerimónia de tomada de posse teve lugar na Unidade de Protecção de Altas Individualidades (UPAI), na cidade de Quelimane. Trata-se Francisco Quiasse Madiquida que a até a data da sua nomeação ocupava o cargo de Comandante da Unidade de Intervenção Rápida (UIR) na província de Sofala, conforme fizemos menção na edição anterior a esta. Mahunguele termina com agradecimentos e pedidos Entretanto, João Mahunguele, o Comandante cessante, agradeceu os agentes ali presentes a vários níveis pelo apoio incomensurável que segundo disse, lhe foi prestado durante o tempo que esteve à frente dos destinos da corporação, pela força, trabalho abnegado de cada um, pelos sucessos juntos alcançados e inclusive pelos insucessos provavelmente tidos no terreno.
Mahunguele pediu aos companheiros para que com a mesma força com que o apoiaram apõem também o comandante Madiquida. Mahunguele disse ter feito este pedido porque, está confiante que realmente lhe será direccionado apoios a diversos níveis para que consiga realmente comandar.

Na sua despedida, Mahunguele fez questão de recordar aos companheiros que eles são os fazedores dos resultados, daí que há cada vez mais necessidade de se pautar pela determinação de modo que o que foi o seu primeiro discurso oficial na qualidade de Comandante da Polícia da República de Moçambique nesta parcela do país, Francisco Madiquida não fez mais nada se não pedir que os colegas o apoiarem, pois segundo fundamentou, só assim é que poderá levar a melhor o seu trabalho na qualidade de novo comandante exerça suas funções com brio pois se não o apoiarem, segundo disse, o novo comandante não poderá estar em todos os cantos onde poderia estar.
Num breve contacto que o cessante fez com os profissionais de comunicação social que fizeram parte do acto, este enalteceu o papel da mesma (comunicação
social) para a ordem social. Mahunguele pediu igualmente aos profissionais desta área para que ajudem com o seu trabalho a este novo quadro, sem no entanto deixar de agradecer o apoio a ele prestado nesta vertente.
Madiquida exige disciplina na corporação
Usando da palavra, naquele que foi o seu primeiro discurso oficial na qualidade de Comandante da Polícia da República de Moçambique nesta parcela do país, Francisco Madiquida não fez mais nada se não pedir que os colegas o apoiarem, pois segundo fundamentou, só assim é que poderá levar a melhor o seu trabalho na qualidade de comandante. "Eu peço aos colegas para que me prestem o mesmo apoio que prestaram ao meu colega (Mahunguele), para poderem trabalhar comigo, peço muita disciplina, muita coragem e coragem mesmo, muita determinação e determinação mesmo para juntos avançarmos, conto com vosso apoio", - exortou. Madiquida entra num período "turvo".
Entretanto, Xavier Tocoli 1º Adj. Comissário da Polícia em representação do ministro do Interior frisou que a tomada de posse de Francisco Madiquida representa uma nova etapa de direcção da Polícia da República de Moçambique nesta parcela do país, para garantir a prossecução de gestão de forças e meios do Comando da PRM de modo que se cumpra a missão mais alta do ministério, que é de garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas. Xavier explicou que a nomeação do novo comandante enquadra-se no processo regular de revitalização das áreas de serviço visando a adequação permanente da acção da polícia tanto na área de administração e gestão bem como no campo operacional.
Tocoli, chamou atenção ao facto de o acto ter acontecido num contexto marcado por aquilo que chamou de desordem social protagonizada por homens da Renamo, através de acções armadas contra viaturas e outra propriedades públicas e privadas, subunidades das Forças de defesa e Segurança, resultando no assassinato de pessoas, pilhagem e destruição de bens, uma demonstração hipotética de que travar as incursões armadas da Renamo, constitui um dos elementos fundamentais da sua nomeação conforme avançou o DZ na edição anterior, tendo em conta que Madiquida sai do comando da Unidade de Intervenção Rápida (UIR), facto que remete a ideia de que seja especialista em questões combativas. Tal como Mahunguele, Tocoli exortou aos agentes da lei e ordem a vários níveis para que prestem o apoio necessário ao empossado para que durante o exercício das suas actividades consiga ultrapassar os desafios que o comando enfrenta.
O dirigente chamou a consciência do recém-empossado, de modo que tenha em mente os desafios que o comando tem e que são vários e o exortou a prosseguir com esforços tendentes a remover e eliminar todos obstáculos que põem em causa o processo de trabalho com destaque para, a garantia da prontidão combativa das forças para responder a todas e quaisquer tentativa de perturbação da ordem pública, garantir a reorganização das forças e meios para o cumprimento de tarefas gerais e especificas, garantir a organização ao nível dos sectores de trabalho, entre outros. (Jacinto Castiano)
DIÁRIO DA ZAMBÉZIA – 23.08.2016

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook