sexta-feira, 1 de julho de 2016

Coelho leva bandeira do Estado Islâmico para a Assembleia, com Marcelo a ver

Por

Coelho, que já protagonizou vários episódios semelhantes, justificou o acto como "um grito de alerta" pela situação no arquipélago.
Gregório Cunha/Lusa
O deputado madeirense do PTP José Manuel Coelho exibiu esta sexta-feira, a bandeira do auto-denominado Estado Islâmico, no final do seu discurso na sessão solene do Dia da Região, que conta com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.
Coelho, que já protagonizou vários episódios semelhantes na Assembleia Legislativa da Madeira (ALM), justificou o acto como "um grito de alerta" pela situação no arquipélago.
Discursando no Salão Nobre do Parlamento madeirense, o deputado acusou juízes e magistrados de estarem ao "serviço da oligarquia laranja" e de perseguirem os políticos que denunciam a "corrupção" que existe na Madeira.
O caso, que ocorreu logo no início da sessão – Coelho foi o segundo a discursar –, acabou por não ter reflexos em termos institucionais, com o presidente da ALM, Tranquada Gomes, a pedir ao deputado do Bloco de Esquerda, que ia intervir depois para apressar-se.
Não foi a primeira vez que José Manuel Coelho foi protagonista deste tipo situações. Já desfraldou uma bandeira do regime nazi, foi vestido de recluso, levou um relógio de cozinha ao pescoço e, mais recentemente, despiu-se no plenário, entregando a roupa a Tranquada Gomes.

José Manuel Coelho ergue bandeira do ISIS em frente a Marcelo

O deputado do PTP na Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Coelho, desfraldou hoje uma bandeira do autoproclamado Estado Islâmico na sessão solene do Dia da Região e das Comunidades, que contou com a presença do Presidente da República.

© Lusa
POLÍTICA MADEIRAHÁ 40 MINSPOR LUSA
"Exercendo o meu direito à resistência e à denúncia, e na defesa da liberdade e dos direitos cívicos do meu povo, vou usar esta bandeira do Estado Islâmico, como um grito de alerta, como uma chamada de atenção para o estado calamitoso do Ministério Público e dos tribunais no nosso país", afirmou na ocasião José Manuel Coelho
PUB
O deputado do PTP declarou, ainda, que a "autonomia foi tomada de assalto pelo PSD num longo reinado de 37 anos: foram anos de muitas obras públicas, mas também de muita corrupção".
José Manuel Coelho considerou, por outro lado, que a justiça na Madeira "é uma farsa e não há liberdade de expressão".
Protestando pelo facto de ter sido condenado em vário processos judiciais pelos crimes de difamação, que têm resultado em penhoras do seu vencimento, Coelho argumentou: "Se o Presidente angolano tivesse processado o ativista Luaty Beirão por calúnia e difamação e retirado todos os seus bens em vez de prendê-lo, com certeza não tinha sido alvo da censura da comunidade internacional".
O deputado madeirense apelou a Marcelo Rebelo de Sousa que "use a sua magistratura de influência" para "libertar destes juízes fundamentalistas, jiadistas camuflados, que oprimem e levam o país rumo ao obscurantismo".
O episódio não foi mencionado durante o resto da sessão.
José Manuel Coelho já protagonizou outros momentos insólitos no parlamento da Madeira, tendo desfraldado uma bandeira nazi, despido a roupa ou usado um relógio de cozinha ao peito, entre outros.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook