quarta-feira, 1 de junho de 2016

Advertência à FRELIMO e sua liderança

Advertência à FRELIMO e sua liderança

Já tive ocasião de dizer o que está a emergir sobre o plano de controlo dos movimentos independentistas nas ex-colónias portuguesas pela ex-Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE). Nesse momento tentei deixar ficar claro que a fundação da FREnte de LIbertação de MOçambique (FRELIMO) resultou de uma casual convergência do desejo dos moçambicanos de serem livres e da teimosia do regime colonial português em manter o controlo dos territórios ultramarinos, que é como eram conhecidas as colónias portuguesas. Disso resultou que a FRELIMO (Frelimo) nascesse contaminada por um "gene" do regime colonial português. Mas a justeza da causa da luta dos moçambicanos pela sua autodeterminação permitiu que esse "gene" fosse identificado e sinalizado para que a sua actividade possa ser controlada.
A actividade desse "gene" é instigar intrigas e promover o divisionismo no seio da família FRELIMO, para a enfraquecer. Durante a luta de libertação nacional, esse "gene" promoveu os conflitos técnico-tribais que culminaram com o assassinato de Eduardo Mondlane (Primeiro Presidente da FRELIMO) e de outros combatentes da FRELIMO, bem como do afastamento do Uria Simango da liderança da FRELIMO. A seguir à proclamação da independência nacional e da República Popular de Moçambique, esse "gene" promoveu os conflitos internos na família FRELIMO que culminaram com a orquestração do acidente aéreo que vitimou Samora Machel (o Primeiro Presidente de Moçambique independente). No consulado de Joaquim Chissano como sucessor de Samora Machel, esse "gene" até tentou orquestrar um golpe de Estado. Nos últimos dez (10) anos, no consulado de Armando Guebuza, esse "gene" tentou tudo fazer para agudizar as diferenças internas no seio da família FRELIMO. Hoje, esse "génese" actua para isolar o Presidente Filipe Nyusi dos demais camaradas.
O curso corrente dos eventos políticos em Moçambique sinaliza que, se não forem tomadas medidas urgentes, Filipe Nyusi pode ficar na história de Moçambique qual Mikhail Gorbachev ficou na história da já extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Advirto desde já que se isso ocorrer será o fim da FRELIMO e da independência de Moçambique! Observo com muita preocupação que o Presidente Filipe Nyusi está a ceder à acção do "gene" que sempre agiu para dividir e enfraquecer a família FRELIMO. E isto está a ocorrer ante o olhar impávido dos veteranos reais da luta de libertação nacional, que hoje abdicam de fazer política séria para a defesa das conquistas da revolução que conduziu à independência de Moçambique, e se deixam entreter com negócios sem um conhecimento adequado sobre COMO ISSO DEVE SER FEITO SEM PERDER O CONTROLO DO PODER POLÍTICO.
Enfim, chamo atenção aos VETERANOS DA LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL para que não se deixem enganar pelos negócios em que se estão envolvendo de forma pouco recomendável, em "joint-ventures" fictícios ou ardilosos com os monopolistas do capital financeiro internacional. Está a ocorrer que esses monopolistas do capital internacional é que estão ficar os verdadeiros donos desses negócios do Estado moçambicano, em detrimento dos moçambicanos. O barulho que se faz sobre a dívida externa moçambicana e a campanha que está sendo movida contra o ex-Presidente Armando Guebuza fazem parte de um pacote de acções destinadas a isolar o Presidente Filipe Nyusi—para ser melhor controlado—e enfraquecer a FRELIMO, tal como tentaram fazer nos consulados de Eduardo Mondlane, Samora Machel e de Joaquim Chissano. É preciso sofisticar rapidamente os métodos de combate contra o inimigo interno, ou a FRELIMO ficará divida e colocada na oposição. Eu estou a ficar com a impressão—que está a ficar convicção—de que Filipe Nyusi está a ser enganado pela acção do "gene" estranho da FRELIMO para dar ouro ao bandido; e quando ele descobrir e reconhecer que está a ser enganado, pode ser tarde demais.
A luta continua, contra os inimigos da independência de Moçambique!






Julião João Cumbane
May 29 at 5:57am ·



Desmentidos mentirosos


No comício que marcou o encerramento da visita de trabalho do Presidente Filipe Nyusi à Província de Tete, ele (o Presidente) disse e eu cito:

«Aqueles amigos que financiavam, ajudavam com dinheiro, já não estão a dar. Não estão a dar porque também têm os seus problemas nos seus países. A economia está mal em todo o lado...».

Anda por ai gente com medíocre de patriotismo a dizer que o Presidente Filipe Nyusi mentiu. Diz essa gente medíocre de patriotismo que «os amigos que financiavam, ajudavam com dinheiro, já não estão a dar» não porque «também têm os seus problemas nos seus países» ou porque «a economia está mal em todo o lado», mas sim porque nós escondemos dívidas, e gerimos mal os que nos "dão". Vi este "desmentido" em comentários num 'post' da Zenaida Machado, por exemplo, não obstante ela (Zenaida) ter esclarecido em que contexto o Presidente Filipe Nyusi proferiu aquelas palavras (citadas acima). Entre os meus amigos aqui no Facebook, Juma Aiuba, Egidio Vaz e Hermes Sueia registaram seus comentários em apoio—com humor à misturar—ao ponto de vista de que o Presidente Filipe Nyusi mentiu.

Ocorre que que este "desmentido" da gente medíocre de patriotismo é que é uma MENTIRA.

O que é VERDADE é que o Presidente Filipe Nyusi não disse toda a verdade; ele disse uma meia verdade, por razões político-diplomáticas. E isso é compreensível porque assim é que deve ser para a manutenção do exercício de aproximação entre povos, em busca de um mundo cada vez mais justo. O Presidente Filipe Nyusi NÃO MENTIU, não senhor!

Todo o cidadão moçambicano bem-educado, não-alienado, sabe que a verdade completa é que os tais "amigos que nos ajudam" não querem nos ver livres da dependência deles. A ajuda que eles nos dão é sob a condição de aceitarmos ficar dependentes deles—esses nossos "amigos"—, que nem os filhos dependem dos seus pais, mas sim como os empregados dependem dos seus patrões.

Todo o cidadão moçambicano bem-educado, não-alienado, sabe que a verdade completa é que os tais "amigos" ficaram zangados connosco (nós povo moçambicano) quando ficaram a saber que estamos a tomar medidas para melhorar a protecção da nossa costa e águas marítimas, e como castigo decidiram suspender os pacotes de "ajuda financeira" com a qual nos tapam a vista para enquanto pilham os nossos recursos naturais em terra e no mar.

Todo o cidadão moçambicano bem-educado, não-alienado, sabe que a verdade completa é que os tais "nossos amigos" são os mesmos que ontem nos colonizaram usando a força das armas, que hoje continuam a nos colonizar usando a força do dinheiro.

Todo o cidadão moçambicano bem-educado e não-alienado sabe que a verdade completa é que os tais "nossos amigos" não são verdadeiros amigos, mas sim falsos amigos, desonestos, que sempre quiseram e continuam querendo tirar vantagens de nós.

Todo o cidadão moçambicano bem-educado, não-alienado, sabe, em suma, que a verdade completa é que o colonialismo não terminou, e vai terminar enquanto nós, o povo colonizado, não compreendermos que os colonizadores continuam com a sanha de manter o seu domínio sobre nós, porque os consideram povo selvagem a ser domesticado para ser prestável para ele.

Quiçá dizer que o Presidente Filipe Nyusi teria sido muito feliz dizendo:
1. «Aqueles amigos que financiavam, ajudavam com dinheiro, já não estão a dar. Não estão a dar porque também têm os seus problemas nos seus países. A economia está mal em todo o lado... «

2. «Nós também precisamos de aprender a trabalhar e produzir mais para o nosso próprio consumo e para exportar e ganhar divisas. Neste momento estamos numa situação em que o que produzimos não é suficiente para satisfazer as nossas necessidades de consumo. Esta situação torna-nos vulneráveis à manipulação por aqueles que outrora nos colonizaram para permitirmos que eles continuem a colonizar-nos. Sem nós não pararmos de lutar entre nós, e nos dedicarmos ao trabalho produtivo; se nós continuarmos a deixar que os nossos irmãos da Renamo aceitem serem comprados para destruírem o nosso próprio país, em troca de promessas falsas, então o colonialismo nunca vai acabar.«

3. «Também temos que estar claros de que o custo de vida no nosso país (Moçambique) está subir muito por causa dos ataques da Renamo nas estradas do nosso país e nas nossas aldeias, que impedem a livre circulação de pessoas e bens. O impedimento da circulação livre de pessoas e bens tem como consequência que as pessoas que produzem não possam escoar os seus produtos para os mercados, onde seriam vendidos para a obtenção de renda por todos os intervenientes e, também, para o país, através da cobrança de impostos de renda.«

4. «E como não podemos render por causa dos ataques da Renamo, a nossa moeda—o metical—perde valor diante das moedas dos outros países, tal como o dólar norte-americano que os importadores precisam para importar o que não produzimos, como medicamentos e alimentos para suprir o défice da nossa produção interna. Quando a nossa moeda perde valor, por causa dos ataques da Renamo, também perdem valor os nossos produtos de exportação, tais como a castanha de caju, o algodão, o carvão, as pedras preciosas, o pescado, a energia, entre outros. Isso faz com o país venda os estes seus produtos a preços muito baixos, em prejuízo de nós próprios.«

5. «O que dissemos até aqui pode ser resumido dizendo que os ataques da Renamo nada mais são senão uma forma de impedir que o nosso país possa ser governado de modo a que recursos nossos recursos naturais possam ser utilizados para promover o nosso próprio desenvolvimento. Os ataques da Renamo só promovem a nossa dependência do capital estrangeiro, que somos obrigados a pedir emprestado para atender as nossas necessidades de sobrevivência.«

6. «As dívidas que contraímos por sermos dependentes desse capital estrangeiro agravam a pobreza entre nós, no campo e nas cidades, por contribuírem para tornar muito caro o custo de vida, uma vez que com a nossa moeda enfraquecida devido aos ataques da Renamo, que tiram valor aos nossos recursos naturais, ganhamos pouco com as nossas exportações e pagamos muito pelas importações que temos que fazer para sobreviver.«

7. «A solução para sairmos da dependência é dizermos aos nossos irmãos da Renamo para não se deixarem usar como instrumento de desestabilização do nosso próprio país. Eles têm que parar imediatamente com os ataques, para que todos nos possamos ocupar de actividades produtivas ou rentáveis. Os ataques da Renamo não produzem renda para o país, devastam as nossas vidas, tornando-nos cada vez mais pobres, porque incapazes de produzir vivendo numa situação de conflito armado.«

8. «Tem que ficar claro para todos nós, povo moçambicano, que os ataques da Renamo são encomendados por multibilionários que aspiram colonizar economicamente todo o mundo, colocando a maioria dos povos deste mundo na pobreza extrema. Não nos devemos deixar enganar: a Renamo não quer o bem do povo moçambicano; os ataques que ela vem fazendo nas nossas estradas e aldeias visam inviabilizar a cumprimento do nosso plano de governação e culpabilizar o Governo pelo fracasso. Temos conhecimento sólido de que a Renamo é paga arrancar o poder soberano do povo moçambicano a qualquer custo, incluindo a paralisação da nossa economia, para o entregar de volta aos colonialistas. Não devemos permitir que esse plano, para o qual a Renamo trabalha, de devolver aos colonialistas o poder soberano do povo moçambicano, durante conquistado à custa do derramamento do sangue dos filhos queridos desta nossa Pátria amada, se materialize!«

9. «Com muito poucas excepções, as acusações de má governação que se fazem contra o nosso Governo e contra os dirigentes do nosso Estado, são falsas. O que é verdade é que o nosso Governo tem estado a recusar que os monopolistas do capital financeiro internacional façam negócios desonestos com o povo moçambicano. Reconhecemos que alguns dos nossos concidadãos são corruptos, por causa da ganância desmedida; mas não é por causa disso que estamos em crise. As crises que temos vindo a passar são nos impostas pelos monopolistas do dinheiro, como castigo por nós recusarmos que eles façam negócios desonestos connosco. Esta é que é verdadeira génese da crise que atravessamos. E, como já dissemos antes (em 7, acima), a saída mais inteligente desta crise que nos é imposta de fora, usando os nossos irmãos da Renamo, é fazermos estes nossos irmãos (da Renamo) entenderem que estão a ser enganados, razão pela que devem parar imediatamente com as tentativas de chegar ao poder através do uso da força das armas, e todos nos engajarmos no trabalho produtivo.»

Enfim, falando nestes termos, o Presidente Filipe Nyusi teria dito toda a verdade. Mas, mentir, ele não mentiu. Quem mente são os que dizem que ele mentiu. Esses fazem desmentidos mentirosos, por ignorância ou por maldade contra si próprios.

Despertai, povo moçambicano; vossas almas estão sendo tomadas pelo Diabo!



LikeShow more reactionsShare

3434
14 comments
1 share
Comments


Julião João Cumbane Chamo para esta reflexão todos aqueles que acham que o Presidente Filipe Nyusi mentiu. Alguns deles são: Muhamad Yassine,NicriSs Manejo Jr., Chande Puna, Homer Wolf, Egidio Vaz, Zenaida Machado, Manuel Domingos J. Cossa, Rogerio Antonio, o falso El Patriota, Lito Lito Heliodoro Mundlovo, ...

Like · 7 · May 29 at 7:41am · Edited


Homer Wolf Prof, eu nunca disse que o PR mentiu. Nao tive ocasiao… Mas ja agora, aproveito: mentiu sim, ntsém!

Like · 9 · May 29 at 7:58am


NicriSs Manejo Jr. Mentiu sim, segundo a representante do FMI suspenderam o apoio pk ha claras evidencias de currupçâo nas dividas pùblicas. E ai prof quem ou quais sâo os donos das empresas privadas k beneficiaram a garantia do Estado ?

Like · 9 · May 29 at 8:16am


Lito Heliodoro Mundlovo Faltar à verdade é...

Like · 2 · May 29 at 8:21am


NicriSs Manejo Jr. Prof sera k ja leu a ultima ediçâo do Canal Moz ? La tem as exigencias do G14 sobre as dividas ocultas,uma das quais eles exigem k haja uma Auditoria Forense, sera k o "Patrâo" ira aceitar ?

Like · 1 · May 29 at 8:16pm · Edited


El Patriota Quando e onde é que eu disse que o PR mentiu, caro professor Julião?????

Like · 1 · May 29 at 9:10am


Muhamad Yassine Estou aqui

Like · 1 · May 29 at 6:29am


Julião João Cumbane Então diz algo, Muhamad Yassine!...

Like · May 29 at 6:32am


Rogerio Antonio kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Like · May 29 at 8:36am


Mathause Fernando Yes Sua Excelência Eng° Filipe Nyusi, faça a sua parte e faça com que as coisas aconteçam... Deixe os arruaceiros e os inimigos do povo que só passavam a vida a disseminar informações falsas e erros de governação com muito e muito exagero!
Viva Moçambique
Viva Presidente Nyusi

Like · 5 · May 29 at 6:32am


Estevao Pangueia " Todo cidadão moçambicano bem educado, não-alienado sabe que a verdade completa é que os tais amigos que nos ajudam não nos querem ver livres da dependência deles".

Quem não quer ver "você" livre meu caro não esta fora de Moçambique. É aquele que obriga você a pensar assim! aquele que nega ser transparente sob pena de se revelar escândalos como agora aconteceu;
quem quer ver os moçambicanos acorrentados, é quem penhorou a Pátria e fortifica os meios de repreensão como forma de manter se no poder.
Ó amigo Julião João Cumbane, se o Presidente Nyusi nega que estamos mal por causa da questionável governação anterior, nega igualmente quebrar uma etapa mal sucedida.
Nega dar o novo rumo ao país, adia o desenvolvimento de Moçambique.

Like · 7 · May 29 at 8:19am · Edited


Julião João Cumbane Estevao Pangueia, a Renamo que nega a liberdade e a paz ao povo moçambicano, e os governos da Frelimolutam contra isso. Fazem-te ler notícias sobre uma suposta corrupção sem rosto, porque sabem que a notícia de que estás a ser roubado produz mais impacto do que a notícia de que o seu vizinho foi morto por balas disparadas pelos bandidos armados da Renamo! Esta é a verdade que te recusas aceitar.

Like · 3 · May 29 at 7:41am


Mathause Fernando Quêm penhorou a Pátria e fortificou os meios de repreensão??
Não pode ser a governação anterior, mas sim os Matsangas e todos os que se dizem de académicos e analistas políticos enquanto estão a actuar sob agendas externas..

Like · 4 · May 29 at 7:44am


Mathause Fernando Os Matsangas estão a matar, a roubar bens das populações e a destruir as infraestruturas público -privadas e vocês estão aí a aplaudir... como???

Like · 4 · May 29 at 7:46am


Mathause Fernando Será que para se alcançar a tal Democracia e o poder é preciso ceifar vidas humanas, roubar, pilhar, queimar autocarros e destruir infraestruturas??
Eu perdi um auto carro a 3 meses no troço rio save muxungue, não sou deputado, não sou combatente, não faço parte nem do governo e nem da Frelimo... quêm irá repor os meus bens??

Like · 1 · May 29 at 7:50am


Estevao Pangueia Para si caro amigo Julião João Cumbane, o que fez com que a Frelimo perdesse a confiança popular?
Porque neste momento, um pacato cidadão em Chicualacuala, Zumbo ou Palma facilmente desconfia da máquina governamental que a tal mão externa?!

Like · May 29 at 7:54am


Estevao Pangueia Mathause Fernando, condeno as actuação no centro das operações militares, mas também deploro que usemos designações pejorativas a um grupo político. Não te perguntas porque o Governo abre se para dialogar com a Renamo? porque reconhece a legitimidade da sua existência. Então há passos importantes que os actores deste cenário estão a dar para paz efectiva! nós como moçambicanos só podemos saudar.

Like · 2 · May 29 at 8:03am · Edited


Julião João Cumbane «[O] que fez com que a Frelimo perdesse a confiança popular?» Fizeste aonde a sondagem para chegares à esta conclusão, Estevao Pangueia? Até prova em contrário, os últimos resultados eleitorais provam a maioria do eleitorado moçambicano está com a Frelimo e tu estás a fazer uma especulação baseado no pouco que sabes sobre o pulsar da opinião pública em Moçambique.

Like · 1 · May 29 at 11:10am · Edited


Homer Wolf ahahahahahaha

Like · May 29 at 8:18am


Homer Wolf Yuuu… é pra ler todo esse “lençol”?
So posso ir consumindo às “colheradas”… grin emoticon

PS: os seus alunos devem passar mal Profe. Eish, apontamentos djo…

Like · 10 · May 29 at 7:53am


Muhamad Yassine Kkkkkkkkkk

Like · May 29 at 8:16am


Rogerio Antonio kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Like · May 29 at 8:37am


Milton Chembeze Homer, os textos longos do prof têm um objectivo.
Provar que os jovens (principalmente) não gostam de ler e desse modo ninguém vai comentar. Aí o que ele escreveu ficará intacto como uma verdade absoluta.

Like · May 29 at 10:39am


Teixeira Teté da Silva Kkkkkkkkkkkkkk

Like · May 29 at 9:49pm


Chande Puna Mentiu sim, e ponto final!

Like · 6 · May 29 at 7:59am


Homer Wolf ntsém!...

Like · 1 · May 29 at 7:59am


Julião João Cumbane Eu compreendo que quem está viciado, não goste de ouvir dizer que cigarro mata lentamente. Entendes, Chande Puna? ...

Like · 1 · May 29 at 8:16am · Edited


Homer Wolf


Like · 2 · May 29 at 8:07am


Chande Puna Esses Paises mesmo com os problemas que enfrentavam devido a questoes relacionadas com a globalizacao e questoes financeiras sempre ajudaram o nosso Pais com o pouco que conseguiam angariar. Neste momento pararam de ajudar devido aos roubos perpetrados pelos governantes da Frelimo. O PR mentiu sim

Like · 1 · May 29 at 8:10am · Edited


Chande Puna Homer Wolf


Like · May 29 at 8:10am


Muhamad Yassine O professor escolheu as pessoas certas para este post. Somos um pouco fortes prof

Like · May 29 at 8:17am


Julião João Cumbane Sim, Muhamad Yassine, vós sois "resistentes". Mas a razão é invicta!

Like · 1 · May 29 at 8:19am


Muhamad Yassine Meu amigo, sempre fui cauteloso na escolha dos temas para discussão. O meu pouco saber me permite dizer que não sei, não sou um poço de verdades e aprendo de todos, até dos que tentam com arrogância passar conhecimento. Saiba que assumo sempre o que disse e não o que não disse

Like · 3 · May 29 at 8:45am · Edited


Lito Heliodoro Mundlovo Cumpra-se a lei prendam os prevaricadores e devolvam o que nos roubaram, tudo o resto é conversa para boi dormir... e este já anda cauto não dorme fácil

Like · 4 · May 29 at 8:51am · Edited


Jabento Quetxoaio Nunca escovarei nenhum partido . Se ainda sou um inviduo que ponho pao na mesa da minha casa jamais farei isso . Se um dia um partido meter pao na minha casa ...escovarei e ainda irei lamber a bota ate brilhar ... ¡! ¿ ? #Somenteparaosbonsentendedores...ntsik

Like · 3 · May 29 at 8:40am · Edited


Rogerio Antonio Hehehehehehe, será que é pra levar a sério este post?
Ainda bem que o prof sabe dizer que o camarada FJN faltou a verdade, portanto, em bom rigor quem “falta a verdade” é porque MENTIU.
Ps: FMI já colocou as condições para desembolsar a mola cativada, dentre várias destaco:
Boa governação, combate a corrupção, direitos humanos, e o mais importante, RESPONSABILIZAÇÃO dos que mergulharam-nos na CRISE.

Like · 7 · May 29 at 8:46am


Julião João Cumbane Dizer meia verdade não é mentir, Rogerio Antonio! Dizer a verdade às meias é sinal de inteligência. Essa música de «boa governação, combate à corrupção, direitos humanos, ..., RESPONSABILIZAÇÃO...» tu não nem se queres imaginas o seu compositor e os seus propósitos! ...

Like · May 29 at 8:51am


Rogerio Antonio Há uma questão que eu gostava que respondesses prof, porque razão o governo teve que justificar-se de algo que acha que está bem?

Like · 3 · May 29 at 8:53am


Muhamad Yassine Não irá responder

Like · 2 · May 29 at 9:21am


Rogerio Antonio kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Like · May 29 at 9:31am


Carlos Chivambo Kikikiki

Like · 1 · May 29 at 10:36am


Claudio Pahua Difícil é entender aonde quer chegar com estes posts, caro JJC. De que lhe vale defender discursos políticos quando na verdade o problema é tão claro e transparente como a H2O?
Assim também não, ilustre...

Like · 3 · May 29 at 8:51am

Izidro Ractone replied · 1 Reply



NicriSs Manejo Jr. Sera k o governo ira aceitar k haja Auditoria Forense prof ? Julião João Cumbane

Like · 1 · May 29 at 8:09pm · Edited


André Mahanzule E eu sou um moçambicano bem educado e não alienado.

Like · May 29 at 9:13am


Brazao Catopola Vale lembrar que no auge da crise entre 2008 a 2012 os amigos mesmo mal nos emprestavam e só agora estáveis decidiram não nos emprestar. Inversão da lógica.

Like · 6 · May 29 at 9:16am


Abdul Razak Salimo CUMBANE Próximo mandato vai ser ministro da verdade

Like · 2 · May 29 at 10:25am


Santos Mafigo Dr Cumbane, concordo consigo. Mas qual mentira, ele falou a verdadeira verdade. Quem mente agora e alguma parte do Povo incluindo Dr cumbana. Lamento, mas a verdade manda dizer isso ilustre...

Like · 18 hrs
Comments
Alvaro Simao Cossa O cabalístico moral desta análise (davertência) é que o dinheiro (corrupção) para a Frelimo, é o tal fruto proibido, tal como no Édem Deus disse a seus filhos (Adão e Eva) que não tocassem aquele fruto (maça), e o Diabo enganou aos filhos de Deus e estes provaram-no. Então, (Adão e Eva) descobriram que estavam nús. O dinheiro (corrupção) tira a respiração original a alguns membros da Frelimo, para uma frequência distante da respiração anterior (sincrónica) com o povo. Se a Frelimo não sentir a respiração do seu povo, automaticamente perderá o poder, boa observação fundada com prudência prof. Julião João Cumbane. A advertência está feita muito directa sem sofismas nem perifrases. Quem adverte amigo é. O dinheiro não é o objectivo que fez a Frelimo pegar em armas para expulsar os colonos! Mas se alguns membros da Frelimo lutaram para ter dinheiro, estes são uma presa fácilme de ser digerida pelos magnatas do capital internacional, que produzem os dólares na wall street, transformando um simples papel higiénico, em energia para a escravização de muitos povos do mundo. Então para que foi necessário sacrificar muitos compatriotas, melhores filhos deste país para a conquista da indendência nacional?. Para que?
Like35 hrsEdited
Julião João Cumbane Obrigado, caro amigo Alvaro Simao Cossa, por clarificares o sentido da minha advertência aos nossos veteranos da luta de libertação nacional. Eles são a reserva moral e política de Moçambique. Eles passaram a parte mais áurea da sua juventude lutando c...See More
Like137 mins
Estevao Pangueia O que os veteranos estão a fazer, é assistir a fila andar!
Presidente Guebuza quando chegou no poder, fez órgãos do partido à sua imagem.
Dividiu por completo a família Frelimo, (des)organizou para melhor reinar. Foi no seu consulado em que verificamos o auge da
vergonha das alas,
numa lógica de divir para dominar. AEG,
deixou o país numa crise sem saída, vozes vieram de todo canto reclamando a sua gestão no partido assim como no Governo, mas os discordantes foram chamados de apóstolos da desgraça movidos pelos interesses externos(incluindo Jorge Rebelo).
Que interesses externos se os problemas estão dentro da própria Frelimo?!

Like64 hrsEdited
Chande Puna Nem mais!
Like1 hr
Julião João Cumbane Meu amigo Estevao Pangueia, envenenaram-te para estares contra o cidadão mortal Armando Guebuza. Ele cometeu erros, sim. Mas, como diz o amigo Calton Cadeado, a avaliação honesta de um dirigente faz-se no futuro e não no presente. Ainda não chegou o tempo para fazermos uma avaliação ao trabalho de Armando Guebuza! Dentro da Frelimo há pessoas infiltradas, antipatrióticas, lá postas só para criar divisão e serem elas a mandar em nome do capital financeiro internacional. Algumas delas raras vezes dão a cara, mas estão lá e tudo fazem para semear divisão no seio da Frelimo e manipular a opinião pública. Não tenho dúvida que são essas pessoas que te fizeram a cabeça para estares contra Armando Guebuza. Sempre fizeram isso, porque nunca estiverem a favor da independência de Moçambique sem que fosses elas no controlo de TUDO. Abre tu o teu olho,Estevao Pangueia!
Chande Puna Hehehehehehehehehe
Chande Puna Estão aqui a tentar dizer me que a Frelimo é que é a Patria...nakunada juro!
Like126 mins
Philippe De Novais Em 1980 essa maneira de pensar teria arrastado multidões.
Parece que estas preso no passado o que te impede de ter ideias inovadoras de acordo com a conjuntura atual.

Like43 hrs
Alvaro Simao Cossa Amigo Philipe De Novais, pergunte aos libios, tunisinos, ucranianos ..., quao lhes custam essas ideias inovadoras de acordo com a conjuntura atual.
Like11 hr
Chande Puna Talvez estejamos a precisar de uma Libia por cá!
Like1 hr
Alvaro Simao Cossa Amigo Chande Puna experimente primeiro na sua casa depois vai dizer-nos os resultados.
Like21 hr
Chande Puna Moçambique é a minha casa
Like11 hr
Alvaro Simao Cossa Experimente com teus pais, irmaos, filhos e tua esposa ou marido, mas primeiro deves perguntar a eles se querem essa experiencia ou nao, para nao faze-los sofrer em vao. Os libios, tunisios e ucranianos choram lagrimas de sangue para voltarem ao passado, mas infelizmente ja nao e' possivel.
Like1 hr
Chande Puna Ninguem quer viver no passado, e parece que este presente te convém...bom proveito!
Philippe De Novais Caro Alvaro Simao Cossa, para si as únicas ideias novas são o caso da Líbia e da Ucrânia????
Procura outros exemplos, casos de sucesso em termos de reconciliação nacional, procure exemplos como os princípios de Nelson Mandela....

Alvaro Simao Cossa excelente amigo Philipe De Novais, eu sou a favor da reconciliacao nacional, mas contra revolucao importada. Ponho os pontos nos IS. Eu estou contra a guerra que mata cidadaos indefesos! A Renano deve-se integrar no processo da Paz.
Like115 minsEdited
Chande Puna Os teus comentários são a favor da continuidade, a continuidade que mina este Pais. A reconciliação está minada logo á partida com a inclusão de condicionalismos que favorecem o umbigo de quem manda. Não se importa a revolução, concordo! Agora, como acabar com uma guerra onde os beligerantes não estao interessados em faze lo?
Like112 minsEdited
Julião João Cumbane Philippe De Novais e Chande Puna, o passado de Moçambique era de dominação do povo nativo de Moçambique por outros povos. Contra esse passado foi a Frelimoque lutou, mesmo estando infiltrada por agentes da PIDE, CIA, CIO, KGB, BOSS, Mossad, entre outras agências de inteligência ao serviço de causas diversas. Veio a independência e com ela a República (Popular) de Moçambique. A gestão da independência é muito mais complexa do que a luta por ela, porque não tem fim senão com o fima da própria independência. Moçambique só tem 40 anos de independência, vinte dos quais passados a gerir uma guerra de agressão. O presente que hoje vivemos foi construído nos últimos 20 anos sob a gestão da Frelimo. A apreciação que vós tendes sobre este presente tem que ter em consideração o passado. O futuro não será melhor que este presente, se fvós ordes precipitados e saltardes (...)!
Like110 minsEdited
Alvaro Simao Cossa Eu contigo, nos como sociedade civil temos que recusar a instrumentalizacao e temos que dizer nao a guerra, obrigar todas as forcas beligerantes sentar e conversar, se o povo inteiro obrigasse aos caes da guerra renunciarem as suas intencoes de alçarem-se para os montes, com armas a proliferar o horror matando gente, se todos nos dissessemos Nao a Guerra, essas forcas iriam sofocar-se sem apoio nem comida, se nos denunciassemos tudo que impossibilita a paz, seria o ideal.
Like4 minsEdited
Zefanias Augusto Namburete pela visão obrigado! Agora cabe a frelimo saber fazer uso das sua facultandes.
Like11 hrEdited
NicriSs Manejo Jr. Sempre tentando nos formatar prof... É k os tempos sâo outros e a reflexâo é + ampla k o 3G
Like31 hr
Homer Wolf Ntsém!...
Julião João Cumbane Quais tempos são outros, Zefanias Augusto Namburete? Tu ainda não sabes NADA sobre tempos, avaliando pelas tuas intervenções. Tu estás a viver uma agitação intelectual sob efeito de um trabalho de lavagem cerebral que está a sendo levada a cabo pela média dominada pelo capital colonial! ...
Like8 mins
Homer Wolf Zefanias Augusto Namburete???

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook