sábado, 4 de junho de 2016

A Primeira Morte do AGP, quando a Renamo enganou a ONU

A Primeira Morte do AGP, quando a Renamo enganou a ONU
No dia 22 de Outubro de 1993, o Governo, a Renamo e a ONU assinaram um documento de revisão do calendário militar do processo de paz em Moçambique. O novo documento foi assinado após enervantes esperas de duas horas para o início de uma reunião da Comissão de Supervisão e Controlo (GSC) em que a assinatura teve lugar. O encontro, previsto para começar às 15:00 locais, foi primeiro adiado uma hora, cinco minutos antes da hora marcada, a pedido do Governo, cuja delegação foi chefiada pelo então ministro dos Transportes e Comunicações, Armando Guebuza. Guebuza não explicou bem-bem por que motivo o Governo tinha tomado aquela posição. Uma hora depois da hora prevista, apareceu a delegação da Renamo, chefiada por Raul Domingos, então chefe do Departamento Político do movimento liderado por Afonso Dhlakama. Nenhumas explicações foram dadas para estas demoras que enervaram durante algum tempo o representante especial do secretário-geral da ONU em Moçambique, o italiano Aldo Ajello.
A assinatura de um documento sobre movimentações de tropas durante a vigência do cessar-fogo foi adiada, porque, segundo uma fonte da ONU, a Renamo declarou na altura "não estar preparada para assinar ciladas". O calendário aprovado formalizava o desbloqueamento do processo de paz moçambicano, obtido durante a visita a Moçambique do então secretário-geral das Nações Unidas, Butros Ghali. Após consultas, Ghali concluía que não estavam reunidas as condições para a desmobilização nos termos em que fora acordado no AGP. Dhlakama e seus assessores tinham conseguido esgrimir argumentos convincentes segundo os quais “era injusto que as suas forças, cuja movimentação dependeria única e exclusivamente dos próprios pés para chegar as zonas de aquartelamento, tivessem a mesma pressão que as forças do Governo que tinham carros a seu dispor para esse efeito”. O novo calendário substituía assim o que estava contido no Acordo Geral de Paz (AGP) de Roma, de 4 de Outubro de 1992, completamente ultrapassado e que previa o termo do processo de paz em Outubro de 1994, com a realização de eleições gerais. Era uma vitoria oculta da Renamo.
A fixação das datas a serem observadas era outro ponto com que a Renamo não concordava, pelas mesmas razoes: falta de meios circulantes. O novo calendário, segundo explicou Aldo Ajello, não fixava datas precisas, mas meses para o início das acções nele previstas. Era outra vitoria clandestina da Renamo. Segundo o cronograma, ainda em Outubro seria aprovado o programa de extinção de forças irregulares pela Comissão de Cessar-Fogo, que se reuniu no dia 23 de Outubro de 1993. O desmantelamento destas forças ocorreria em Novembro e Dezembro, em simultâneo com o acantonamento das tropas do Governo e da Renamo. A desmobilização destas demoraria cinco meses, entre Janeiro e Maio de 1994. O calendário contido no AGP indicava que todo o processo de acantonamento e desmobilização estivesse concluído em 180 dias, a partir do dia "E", data da aprovação pela Assembleia da República do Acordo de Paz.
De acordo com o novo calendário, em Janeiro teriam sido desmobilizados cinco por cento dos efectivos, 25 por cento em Fevereiro, 50 por cento em Março e 75 por cento em Abril. A desmobilização ficaria concluída em Maio. A ONU assumiria o controlo do armamento armazenado das tropas acantonadas a partir de Novembro, entregando-o de cada vez que se iniciasse um dos três ciclos de formação das tropas de Infantaria do Novo Exército, em cinco centros no interior de Moçambique e envolvendo de cada vez cinco mil homens. A formação dos 540 instrutores de Infantaria do futuro Exército, já tinha sido iniciado em Nyanga, no Zimbabwé, por militares britânicos e previa-se que terminaria em 20 de Dezembro. Na mesma altura, os militares portugueses já tinham começado a formação de forças de logística, fuzileiros e do primeiro dos três batalhões de forças especiais, alem do treino de liderança a generais e coronéis, em regime de seminários. De acordo com o calendário das Forças Portuguesas, as Forças Armadas de Defesa de Moçambique ficariam inteiramente operacionais em Setembro de 1994, um mês antes das eleições.
Cfr. O Século, Johannesburg, 25 de Outubro de 1993
LikeShow more reactions
Comment
20 comments
Comments
Observador da Justiça Na minha opinião, a RENAMO, ñ se deixou enganar apenas, pq de lá para cá todo esforço está a ser "produzido" de modo a se oficializar a monarquia, exemplo disso é essa maquiagem da democracia q se assiste.
LikeReply2June 4 at 12:24pm
Eusébio A. P. Gwembe Desafiar o Estado não deve ser visto como sinónimo de «não se deixar enganar», Observador da Justiça. A Renamo perdeu grandes oportunidades e hoje acusa outros de serem responsáveis por aquilo que em tempo oportuno não fizeram.
Elemia Witimosse Bau A quem ainda a poia a frelixo?
Titos Cau Ha quem apoia terroristas. O proprio lider terrorista Al Fonso ja disse que nao quer mais viver no mato. Parem de usar o velhote enquanto vivem no luxo dos ACs e 4x4 nas cidades.
LikeReply1June 4 at 5:31pm
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Fernando Matouassanga Matouassanga Que desafio ao Estado se refere dr.Eusebio? A Renamo e o povo moçambicano deviam aceitar de forma mudo as fraudes eleitorais,violaçao das liberdades fundamentais do cidadáo.? O povo deve assistir passivamente o rombobfinanceiro e endividamento que registam no oaìs?Falar sobre estes e outros problemas que enfermam o paìs,nào è desafiar o Estado,è sim exigir a justiça.
UnlikeReply4June 4 at 1:31pm
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Eusébio A. P. Gwembe Fernando, estamos em Outubro de 1993, antes do vocábulo "Fraude" estar em voga. Vem de la todas as fintas para se manterem armados.
LikeReply5June 4 at 1:33pm
Lazaro Filimone Pene Por isso ainda estão vivos. Ou tem dúvidas?
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Elemia Witimosse Bau MA.ainda nao leu "a paz dos moçambicano " d dom jaime.pork é sempre foge da verdad.envergonha-nos
LikeReply1June 4 at 1:41pm
Eduardo Domingos Eu participei na implementaçao do AGP e contactos cm varias personalidades das nacoes unidas expedidas para moçambique e sempre se questionou a má fé da frelimo. Sempre esteve patente so o azar é que estavam a lidar com militares da renamo experientes casos de Raul Domingos, Herminio Morais e proprio Dhl fora da equipa de assessores de luxo.
Portanto, a frelimo está a colher o que plantou Eusebio Eusébio A. P. Gwembe.
LikeReply3June 4 at 2:10pm
Angela Maria Serras Pires Raul Domingos parece me que os frelos andam a querer agarrar se a algo para nao capitularem Sem Gloria
LikeReply2June 4 at 2:23pm
Candido Junior O azar de Moçambique e dos mocambicanos é ter como líder da Renamo, uma força de oposição que se pretende de equilíbrio e controlo, um homem ganancioso e narcisista chamado Dlakhama. É detentor de baixa moral e o objectivo único da sua via é o poder. Quem ousa desafia lo sofre severas represálias incluindo a morte. Que o digam Raul Domingos e companhia que de certa forma o faziam sombra.
LikeReply4June 4 at 3:08pm
Tsala Muana O Mestre e fofoqueiro da inverdade parece que nao e historiador a frelimo e que engana
LikeReply2June 4 at 3:15pm
Candido Junior Jornal O Seculo, 25 de Outubro de 1993... onde é que a Frelimo entra?
LikeReply3June 4 at 3:18pm
Eduardo Domingos Candido Junior estás tentar apalpar coisas que nem sabes, triste. Rafael mangui, alberto nkutumula, Mabote, arao, samora, mondlane...etc.foram da renamo?
LikeReply2June 4 at 3:25pmEdited
Candido Junior Na tua perspectiva estamos perante uma competição para ver quem ganha? Então porque é que se queixam de alegados males da Frelimo se vocês são os homens do "copy, paste" dessas atrocidades?
Eduardo Domingos Quem foi morto na renamo por ter ideias contrarias? Na frelimo a lista incompleta está ai?
Candido Junior Creia me Eduardo Domingos a lista da Renamo é vasta, não procure tapar o sol com a peneira.
Eduardo Domingos Peça te alguns nomes?
Candido Junior Antes disso vou te pedir para contares sem maquilhagens a origem da Renamo e passe pelos Evo Fernandes, Orlando Cristina e companhia... prometo te depois uma lista bem longa parte da qual é do teu conhecmento
Eduardo Domingos Pergunte a o inacio natividade vai te dizer quem matou esses todos que mencionaste. Fez parte do primeiro lote de esquadroes de morte de luxo.
LikeReply1June 5 at 2:34pmEdited
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
José Francisco Narciso A filosofia terrorista de Afonso, inclue tudo isto: enganos, mentiras e sobre tudo desinformação. Eu como cidadão Moçambicano e acostumado as malandrices do Canibal sanguinário, não espero resultados esperanzadores de parte dessa banda de indesejáveis.
LikeReply4June 4 at 3:52pm
José de Matos No preambulo do AGP esta bem explicado que o proposito do Acordo era a Paz e a democracia!! olhemos a nosssa volta com seriedade, em questoes de Paz e democracia, e facilmente vemos que quem golpeou o AGP foi a Frelimo! O AGP nao foi implementado na totalidade e quando a Frelimo assaaltou o Estado é obvio que violou o Acordo! Afirmar que so a Renamo violou o AGP ja nao cola, cada vez sao menos os distraidos!
LikeReply1June 4 at 3:56pmEdited
Lazaro Filimone Pene As pessoas que condenam a oposição aqui, não têm argumentos convincentes, estão contra o Afonso Dlacama, esquecem os grandes violadores dos direitos humanos que pululam na associação que eles fazem parte. Um juiz (maluleque), afirmar que o assassinato de 15 ou 20 mocambicanos não é preocupante, só se fossem os tais 100 corpos.
Ninguém é santo aqui, pelo que vamo-nos concentrar nos actos que essas entidades públicas se envolvem.
Os que estão no poder devem aprender a saber ouvir e considerar as opiniões dos demais, sob pena de fomentar a fecundação de muitos Dlacamas no País.
LikeReply1June 5 at 11:12am
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Eduardo Domingos Quem es tu jose José Francisco Narciso que nem fauna acompanhante es. Continuem fazendo teu papel de imbecil.
LikeReply5June 4 at 4:01pm
Candido Junior A Imbecilidade é um direito constitucional "Sérgio Vieira "
Eduardo Domingos Entao, goze-o na sua plenitude.
LikeReply2June 4 at 4:25pm
Candido Junior ... só que alguns gozam-no de forma camuflada, dando imensa pena.
Eduardo Domingos È teu caso.
LikeReply1June 4 at 4:27pm
José Francisco Narciso Quem se faz de imbécil é, o vosso cabecilha, o Canibal sanguinário Dhlakama.
LikeReply3June 4 at 4:42pm
Eduardo Domingos Faz se de imbecil mas o teu chefe anaozinho belico e toda sua turma nao se fazem sao de facto canalhas, imbecis e sanguinarios jose José Francisco Narciso.
Eduardo Domingos Está o homem que se faz de imbecil perdido numa multidao que grita sem parar, frelimo rua!
Candido Junior Cuidado com o anaozinho que ainda limpa o sarampo ao gagá das matas. Diz não ter nascido para viver no mato mas a maior parte do tempo que lá está é por vontade própria. Arranjar subterfúgios para pôr o dedo no gatilho porque é disso que ele gosta.
LikeReply2June 4 at 6:26pmEdited
José Francisco Narciso Todos os bandidos armados são selvagens.
LikeReply1June 4 at 6:24pm
Eduardo Domingos Anaozinho é um pateta de todos tempos. Uma batalha que dura tres dias estrategicamente fracassou é preciso recuar. Mas insistir com soldados que estao quase loucos por verem colegas a tombar e a ferir. Muito sangue está jorar devido a tolice de anaozinho.
Candido Junior ... e em maior dose por culpa do velho gagá louco que prometeu a alma da mãe que um dia será presidente de Moçambique.
LikeReply1June 4 at 8:02pm
Candido Junior Esse velho nem está lá. .. esta mais do que comprovado.... há muita informação sobre o seu paradeiro que está ainda em processamento.
Eduardo Domingos Kkkk deu entrevista a tres dias para de la, nao acreditaram que está la? Agora procuram a morte sabendo que o alvo nao está la. Estao a gozar o direito de imbecilidade?
LikeReply1June 4 at 8:10pm
Candido Junior Qual morte qual quê Eduardo Domingos diga isso a quem não sabe o que acontece por lá. .. nos conhecemos os "Unais Cambumas" ... neste momento o gaga seria um bônus, o objectivo é outro.
LikeReply1June 4 at 8:21pm
Eduardo Domingos Estao te enganar Candido Junior, é pena que vce é bandido senao ia te dizer o que está acontecer e o que está acontecer neste momento. Anaozinho nunca vai conseguir dobrar a renamo.
Candido Junior Posso te assegurar que sei o que está a acontecer. Bandidos são aqueles que vivem escondidos. O objectivo não é dobrar a Renamo mas sim chama la a razão infelizmente militam na maldita alguns iluminados que acreditam em brincadeiras de guerrinhas que não levam a nada senão ao sofrimento de inocentes
LikeReply1June 4 at 8:48pm
Eduardo Domingos Ha bandidos, filhos de bandidos, simpatizantes de bandidos, e ideologos de bandidos assim está composta a frelimo de que fazes parte Candido Junior. Se Dhl nao está em satungira so pode estar a caminho de maputo. Oiço falar duma caravana de luxo a caminho de maputo sabes disso?
José Francisco Narciso O sanguinário Canibal Dhlakama, está bem que viva na sua habita natural que é a selva, ele é livre de viver donde lhe apetece, somente queremos que nos deixe os Moçambicanos de bem, a viver em Paz com maiúsculas, sem disparar aos autocarros, escavar as nossas estradas e que deixe que as nossas crianças que vaiam as escolas, sem temor de que um selvagem armado lhes dispare!
LikeReply1June 4 at 10:36pm
Eduardo Domingos Acabaste de cair dum coqueiro?
Eduardo Domingos Tenho pena de ti
Lazaro Filimone Pene Pode ser que lhe nomeiem a um cargo que lhe possibilite a fazer parte nos roubos programados para esta legislatura, aos cofres do Estado. Com o Dlacas vivo, a tarefa se torna complicada.
LikeReply1June 5 at 11:22am
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Jabento Quetxoaio Meu caro amigo #Eusebio apartir do momento que neste seu post escreveste que a Renamo enganou a frelimo o resto multipliquei por zero . Vejo que es um frelimista . Eu nao sou frelimista mas posso pertencer ao partido Frelimo . Continue a dar nos a Historia que muitos de Nös moçambicanos nao conhecemos e deixa de ser um lambe bota . Se achar que este meu comentario nao te agrada bloqueia me por favor . Abraços
LikeReply2June 4 at 9:42pm
José Francisco Narciso Essa frase que até me dá vergonha de pronunciar, que utilizam sempre os menos instruídos ( lambe - botas) já é tão velha, como Matussalem mesmo. Os adversários dos governos de dia não deveriam inventar alguma outra?
Nos está parecendo curtos de imaginação!
Jabento Quetxoaio Gosto da velha guarda
Jabento Quetxoaio Outra nao sou adversario do governo dia . Leia bem e entenda o meu comentario
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Joao Cabrita Para quem, como eu, não esteja dentro desta fase da aplicação à prática do AGP, o título do artigo de Eusébio A. P. Gwembe, «A Primeira Morte do AGP, quando a Renamo ‘enganou’ a ONU», induz os incautos em erro. Da leitura do texto, não fica demonstrado como é que a Renamo enganou a ONU, e como é que terá exactamente ocorrido a ‘primeira morte o AGP’. Eusébio A. P. Gwembe fala em ‘vitória clandestina da Renamo', o que sugere que as NU mais o seu representante em Moçambique estariam em conluio contra o governo da Frelimo. Não tenho conhecimento que este alguma vez se tenha queixado de algo parecido. Talvez Eusebio Gwembe possa elucidar-nos.
O que se depreende é que houve um alargamento de prazos, e por razões lógicas : a Renamo não dispunha de meios rolantes, ao contrário do governo, para movimentar as suas forcas dentro dos prazos previstos. O que há aqui de sinistro e clandestino é também algo que o autor não especifica.

A julgar pelo título, Eusébio A. P. Gwembe talvez disponha de elementos firmes a demonstrar que a segunda, ou eventualmente a terceira morte do AGP terá ocorrido quando uma das partes, à revelia do espírito do processo visando a paz, decidiu criar um exército paralelo, a FIR, embora supostamente uma força policial, mas que se locomove, opera, e comporta-se como exército.
UnlikeReply5June 5 at 4:20pm
Tsala Muana Perdoem o miudo Jose Narciso ele e um simples apanha politica onde ele se refugiou na europa
José Francisco Narciso O que está em causa aqui, não é o miúdo José Narciso, o que está em causa é o terror que você e outros iguais a você junto o vosso cabecilha, o Canibal sanguinário Dhlakama, estão praticando no nosso País. Este é o cancro e a epidemia que Moçambique enfrenta e sem solução a vista.
Tsala Muana E frelimo, não comente mentiras eu respeito o dono do post foi meu docente na UP, e ele reconheceu e por isso que não comenta o facto de alguem comentar o contrario não significa se da esquerda mano Narciso, eu nasci na frelimo, mas o problema não e frelimo mas sim as pessoas que estão lá
José Francisco Narciso Aí estamos juntos caro compatriota. Mas o facto de termos algum ou alguns impresentaveis no governo de dia, não é razão para que uns Moçambicanos matem a outros.
Jabento Quetxoaio Frelimo and Renamo for me is a same shit in a difrente toillet
Cedrickslov Nkhoma
Write a reply...
Vassili Vassiliev Historiador parcial e manipulador. Esqueceu-se de dizer que muito antes do AGP, alguns elementos dos boinas vermelhas das FAM/FPLM comecaram a ser movimentados para o Ministerio do Interior e SISE, onde viriam mais tarde formar a FIR e a UPAI.
UnlikeReply1June 5 at 4:52pmEdited
Vassili Vassiliev Fonte: M Chachiua, Segurança interna em Moçambique:Preocupações contra
políticas , African Security Review 9 (1), 2000,
https://www.issafrica.org/.../%20SecurityMozambique.html , (Outubro de 2003). e Ministério do Interior, Plano Estratégico da Polícia da República de
Moçambique – PEPRM, Maio de 2003.
UnlikeReply1June 5 at 5:00pmEdited

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook