quinta-feira, 5 de maio de 2016

Foi convocado para cumprir o serviço militar obrigatório

Foi convocado para cumprir o serviço militar obrigatório. Fez as malas para partir, Adeus mãe, adeus pai. A sua namorada, essa despediu-se dela durante a semana. E a todos acenou com esperança de cá voltar. E todos esperavam isso, AFINAL NÃO ESTAMOS EM GUERRA. 
Levou uma fotografia em família no seu smartphone. E ela (a namorada) que sempre se guardou, pedindo á Deus um grande amor. 
E la no centro de instrução recebeu uma missão para outra província. Tudo bem, tudo é nossa pátria, foi e nem deu informe a seus parentes pois, uma semana antes de receber a nobre missão, foi lhe tirado o celular. Aprumou-se e puxou bem o bastão, trepou o carro e sentiu o peito dando mil batidas mais do que o normal. Pensou "no campo de batalha só se ouve ratatatatá", Forjado para isso. Sua mãe levou-lhe 9 meses no ventre. Ja lá vão duas semanas, tês que não tem nenhuma informação do menino. Todas a noites quando vai a cama ajoelhando ora aos céus, pedindo a Deus por proteção daquele ser que lhe provocou estrias. Sim, a chamada casca de laranja.
Naquele mesmo instante alguém de tão distante lhe
sussura no seu ouvido dizendo assim: "Pode até ser tempo de chorar mas amanhã o sol vai brilhar. Deus é contigo."
O tempo passa e, sob o pesar da vida, a mãe torna-se envelhecida dez vezes mais que o normal.
Lá nas matas do centro do país com o coração fortalecido o soldado num acto heróico se deu e fez de escudo a própria vida para salvar alguém, fazer o bem.
Ela (a mamãe) nem sabe o que ocorreu. Nem quantas cartas o seu menino escreveu que ficaram retidas, pois os serviços de correios não funcionam nos campos de batalha. Mas todas as vezes que vai fazer o banho lembra-se do seu menino, afinal as estrias são uma marca indelével.
O ratatatatá... Ratatatatá matou a esperança da mamãe.
Não tem o seu filho, não terá netos, não terá o sustento do filho quando estiver na terceira idade. Será que vale a pena viver? Uma das grandes dores que um pai/mãe pode ter é o filho morrer primeiro, Mas fazer o quê? a Vida não tem lógica. Mas aqui a dor é pior... Fazer filhos que morrem sem te informarem, sem ao menos ver aonde foi sepultado. Coitado do menino, teve um crescimento difícil, estudou arrasca, trabalhou em situações difíceis, morreu e foi sepultado como animal que não serve para nada além de adubar o solo.
SERÁ QUE ESTE AINDA VAI PARA O INFERNO? Valha-me Deus.

Mostrar mais reações
6 comentários
Comentários
Helio Bule Poxa men. Essa historia reflete a vida de muitos, é impossivel ler sem ter aperto no coração ou lagrimas .
Essa foi forte
GostoResponder13/5 às 20:35
Sangato Sheyzel Weng É isso Helio Bule, reflecti o que muitos pais não conseguem expressar.
Nelson Rosario E isso tudo em defesa de indivíduos cujos filhos estão no doropa a shiner com range rover e a tomar whisky
Sangato Sheyzel Weng A gastarem 200mil meticais ou mais por noite. Dinheiro emprestado de maneira pública.
Cidalia Zeres Jose Macuacua Não se difere da história do meu vizinho. Nem 20 anos tinha...
GostoResponder23/5 às 23:46
Protegida Filha de Deus A vida de algumas famílias esta assim sem saber o paradeiro do seu menino talvez na vala comum muito triste cada toque de telefone com número estranho o coração dispara agora deve ser ele já que o nosso governo n informa nada quando nossos filhos perdem a vida
GostoResponder23/5 às 23:49
Ofelio Andre Triste mas nao temos como evitar

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook