domingo, 8 de maio de 2016

Donald Trump descarta necessidade de união entre os republicanos

O bilionário Donald Trump reagiu com indiferença ao número cada vez maior de críticos dentro do Partido Republicano à sua provável candidatura à Casa Branca, considerando que não é necessário haver unanimidade, naquela força política.

© Reuters
MUNDO EUAHÁ 3 HORASPOR LUSA
Os dois últimos presidentes republicanos dos Estados Unidos da América (EUA), George Bush e George W. Bush, assim como o último candidato presidencial republicano a concorrer ao cargo, Mitt Romney (2012), são três exemplos de entre vários líderes republicanos que aderiram ao "movimento tudo menos Trump".
PUB
"Tem de haver unidade?", questionou Trump sobre o Partido Republicano. "Eu sou muito diferente de todos os outros, talvez, de todos os que já concorreram ao lugar. Na verdade, eu não penso que seja [necessária]", afirmou em entrevista ao programa 'This Week' da cadeia televisiva ABC, em excertos libertados no sábado à noite (em Portugal), antes da transmissão na íntegra, no domingo.
"Penso que seria melhor se houvesse unidade, penso que teria algo de positivo. Mas não penso que tenha mesmo de haver unidade, no sentido tradicional", reforçou.
Trump disse esperar que muitos eleitores democratas lhe deem apoio, de forma a que vença as eleições gerais.
"Vou obter milhões de pessoas dos Democratas", afirmou.
"Vou buscar as pessoas do Bernie [Sanders] para votar, porque elas preferem-me" a Hillary Clinton, realçou Trump, referindo-se ao candidato democrata que tenta ainda conquistar a indicação do seu partido para a Casa Branca.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook