quarta-feira, 11 de maio de 2016

Carta aberta ao Presidente Filipe Nyusi (7)

adicionou 3 fotos novas.
1 h
Carta aberta ao Presidente Filipe Nyusi (7)
Senhor Presidente: fazendo uso da prerrogativa constitucional do direito à opinião, consagrada na liberdade de expressão da Constituição da República que o senhor jurou fazer cumprir na Praça da Independência , naquele dia de tomada de posse, hoje escreve-lhe pela sétima vez.
Como cidadão nacional continuo preocupado com o rumo que o país está a tomar e por isso, aqui estou uma vez mais para partilhar consigo o que me vai na alma. A situação da dívida pública que faz manchetes na imprensa por todo o lado, requer muita calma e ponderação, senhor Presidente.
Uma dívida de 11 mil milhões de dólares não pode constituir alarido para um país. Vários outros países, como Portugal, por exemplo, tem dívidas mais avolumadas mas as economias não estão em agonia.
A minha consciência me diz que- por experiência empresarial acumulada ao longo da vida- 11 mil milhões de dólares se podem pagar em tempo recorde. Moçambique é um país vasto que tem muita riqueza ainda por explorar. Riqueza essa de um valor imensurável. E a maior riqueza de Moçambique é o seu povo que é humilde.
Senhor Presidente,
A questão da dívida requer calma e técnicos capazes de a administrarem a coisa pública a bem dos seus cidadãos.
Estou em crer que em algum momento as minhas anteriores missivas lhe terão chegado às mãos ou pelo menos ao seu conhecimento. Desde Novembro passado que de tempos em tempos venho alertando sobre o colapso financeiro que agora já é uma realidade de que não se pode fugir.
Provavelmente o senhor Presidente, por via dessa dívida, deve não dormir. Todos os dias recebemos surpresas de que os nossos habituais parceiros estão a cortar financiamento. Primeiro foi o FMI e o Banco Mundial. Seguiu-se o G-14, os Estados Unidos e o Canadá. Isto, senhor Presidente, é muito grave!!!
Aprendi desde cedo que para criar um nome leva anos, mas para descredibilizá-lo é questão de segundos. A imprensa mundial só fala da desfavorável situação económica de Moçambique e da tensão político-militar que efectivamente afugenta qualquer investidor. Isto é grave, senhor Presidente!!!
Senhor Presidente: enquanto a paz não se construir em Moçambique, nenhum investidor ou doador colocará aqui o seu dinheiro. Até o mais reles, falo de um empresário que sonhe ter uma moageira em Manica ou Moeda.
Nas minhas cartas anteriores, já havia pedido ao senhor Presidente para dialogar incondicionalmente com o líder da Renamo, o senhor Afonso Dhlakama. Ao fazê-lo, o senhor estará a escrever a sua própria história na liderança deste país e, claro, terá todo o apoio e aplausos de mais de 24 milhões de moçambicanos que almejam pela mesma paz.
Presidente, não devo estar de todo enganado ao considerar o senhor uma pessoa inteligente. Julgo eu, na minha humildade, que o senhor já percebeu que todas estas convulsões que acontecem tem um único nome: a tensão político-militar. Independentemente de estarmos em bancarrota, com a paz qualquer moçambicano desdobra-se para produzir alguma coisa para o seu sustento.
O camponês de Mandimba, senhor Presidente, nunca se beneficiou dos dinheiros de nenhum doador para produzir comida. Mas sempre produziu. Já com a guerra não pode mais produzir. Será que custa tanto ao senhor Presidente sentar com Afonso Dhlakama e conversarem como irmãos para o bem deste país?
Toma coragem, senhor Presidente. Rompa com os dogmas do seu partido. Vai a Sathujira, lá nas matas da Gorongosa, e fala com o seu irmão Dhlkama. Ajoelha-se se for necessário, mas traga de volta a paz . Quando lhe peço para ir conversar com o Dhlakama onde quer que ele exija, é que está no seu direito querer que haja mediações. Há muito tempo que se quebrou a confiança e o senhor sabe disso.
Presidente: a paz não tem preço. Se é o seu ajoelhar que o Dhlakama precisa para o bem-estar de 24 milhões de moçambicanos, o senhor não pode fazer isso? Foi o senhor que disse que o povo era seu patrão. Agora, Presidente, o seu patrão lhe pede para que dialogue incondicionalmente com Dhlakama.
Senhor Presidente, quando Barack Obama assumiu a presidência americana enfrentou alguns problemas financeiros. E para resolvê-los não olhou a meios. Foi buscar Hilary Clinton e colocou-a como secretária do Estado, apesar de terem sido opositores para a nomeação Democrata.
O Zimbabwe, o país irmão de Robert Mugabe, quando estava em convulsões soube nomear Morgan Tsivangirai, seu opositor severo, a Primeiro-Ministro. O exemplo clássico é de Nelson Mandela. O seu partido, o ANC, ganhou as primeiras eleições multipartidárias. Mandela havia ficado 27 anos na prisão, mas depois de ser eleito Presidente da África do Sul soube nomear Frederik de Klerk como vice-presidente, mesmo sabendo que este vinha do partido que lhe encarcerou durante 27 anos. E mais: chamou também Mangosuthu Buthelezi, líder do Inkatha , para ministro do interior. Mandela não fez isso à a toa é porque queria o bem- estar do seu povo. E o senhor, Presidente Nyusi???
Presidente: todos esses embaixadores acreditados em Moçambique, diariamente mandam emails aos seus países relatando a situação actual do nosso país. Julga mesmo que alguém quererá investir num país onde há guerra, valas comuns com cadáveres humanos, assalto aos cofres do Estado?
Escreve a sua história, Presidente. Traga Dhlakama a Maputo. Percorre com ele o país de lés-a-lés. Mostra ao mundo de que Moçambique respira paz. Abraça-o. Dá-lhe a sua mão. É seu irmão, apesar da diferença de ideias. Fazendo isso, senhor Presidente, estará a escrever o seu nome nos Anais da História Mundial e este pobre país, este Moçambique, será cobiçado por qualquer investidor. Tudo está nas suas mãos, meu Presidente!!!!
Nini Satar
Frank Phan Ma-E'Maezeedoesit Mawelela, Ludo Moisés Chizunza Sabão, Cantilal Ramuchande e 157 outras pessoas gostam disto.
Comentários
Omadio Harissancar
Omadio Harissancar Sinceramente, está mais claro que se o senhor presidente não for ao encontro do líder da renamo, jamais conseguiremos almejar a paz Moçambique. Esquece os princípios do seu partido e vá dialogar com este senhor.
231 min
Eliminar
Sheinhani Waka Wetela
Sheinhani Waka Wetela " Muzaia" que tal..que tal criar um programa de bolsas de estudo para estudantes universitários moçambicanos fora de Moçambique. Quem sabe temos mais "réplicas" do Momade Assife Abdul Satar e assim teremos um moçambique diferente nos proximos anos. Que tal...
17 min
Eliminar
Ramalho Quelhas
Ramalho Quelhas Meu caro Nini Satar , eu tiro o chapéu. Você faz a diferença se todos Moçambicanos k falam de uma suposta manifestação a fosse transmitir essa mensagem ao Presidente da República, acho eu k ele acabaria ouvindo a voz do povo.
441 min
Eliminar
Dyllastley Ossman
Dyllastley Ossman É isso ai #Ramalho.bjbj
117 min
Eliminar
Hummer Boy Martins Martins
Hummer Boy Martins Martins O grande problema da divida nao e a sua sustentabilidade, e a forma como foi contraida as escuras... E ha pessoas que tiveram algum beneficio quando se investiu o dinheiro, a pergunta que nao quer calar e: quem sao os accionistas dessas empresas criadas.... O q o presidente e o regimento da frelimo ganham com a instabilidade financeira e politica? custa dialogar com a renamo?
148 min
Eliminar
Ibraimo Momade Faquira
Ibraimo Momade Faquira Enquanto a paz ñ se construir Moçambique, nenhum investidor ou doador colocará Aqui o seu dinheiro....
Certo
246 min
Eliminar
Ayana Lino
Ayana Lino Haja coragem....baixe o orgulho de muito outros que dizem ser donos da frelimo
16 min
Eliminar
Salimo Bastos
Salimo Bastos Espero que esta carta chegue ao presidente e consider. ha um ditado que diz, quem avisa amigo é! Se isto acontecer o pais fica rico em pouco tempo.o sofrimento do povo acaba.
8 min
Eliminar
Edicilia Gilberto
Edicilia Gilberto Sr Momade Assife Abdul Satar, só por curiosideda será que o sr presidente lê essas cartas?
10 min
Eliminar
Geraldo Manjate
Geraldo Manjate A unica pessoa capaz de tirar o pais nesta situacao e o antigo presidente Joaquim Chissano, pode ter os seus defeitos mas em 1986 fez milagres numa situacao quase semelhante e com a sua humildade conseguiu se enteder com DLH, o presidente Nyusi nao passa de um poeta muito mal aconselhado, o seu mandato vai passar assim mesmo com discursos repitidos min a min na RM e nada mais........
113 min
Eliminar
Cristiano Tsakane
Cristiano Tsakane Bem falado Nini, e espero que o nosso presidente tome coragem e fale com o sr.Dhlakama e arrume a casa porque nós povo é que tamos a sofrer dia a dia, e sem saber onde iremos parar com dívida pública e com a guerra, quidijuiris!
128 min
Eliminar
Ernesto Manguele Nhandjir
Ernesto Manguele Nhandjir Mas que sufoco esta sendo a tua presidência sr. Presidente, conflito militar, valas- comum, dívidas desconhecidas pelo moçambicanos, o black-out dos doadores e investidores, tudo herdado do anterior elenco governativo. Sr. Presidente deves não estar a pegar sono no palácio,tens um enorme desafio diante de si, pelo qual poderas um dia ser recordado como o presidente que nos tirou de todos esses males, mas também, um perigo de saires como um presidente que nenhum legado deixado, mr. President please, traga-nos a paz em primeiro lugar, porque a guerra mata mais que a fome.
17 min
Eliminar
Isac Manjate
Isac Manjate Quando a mente é sóbria, as ideias são limpas. Um texto vestido da verdade. Rogo sinceramente que esta seja a última carta a endereçar ao senhor Presidente. Que, a próxima vez que o escreverá seja unicamente para o congratular pela boa ação que terá trazido ao povo Moçambicano, PAZ efectiva e sem nenhuma precedência e nenhum condicionalismo. Parabéns mais uma vez Sr. Satar
23 min
Eliminar
Nemane Selemane
Nemane Selemane Sinceramente, esta carta quase terminei a leitura com lagrimas. O PR tem tudo nas suas maos. Sair do poder com letras grandes ou Como caratuja.
248 min
Eliminar
Gilberto Filipe
Gilberto Filipe Bela carta de Motivação.
Resta saber se havera bolas pra acatar a opiniâo
346 min
Eliminar
Kito Dos Santos
Kito Dos Santos Prometo governar com ciência e não com esperteza. O Povo é o meu Patrão. Tsk... discursos pra nos enganar só. Ruaaaaaa Nyusi.
135 min
Eliminar
Apolinario Michaque
Apolinario Michaque Palavras sábias Nini,vejo de que há um grande interesse em si no bem estar deste país, mas parece que de todas as cartas que tem feito ainda não há retorno no concrecto,pois não há interesse governamental e estamos a viver com uma dúvida nestes três quinquênios,será que nós não merecemos o bem estar deste país?oiça Nini este país está num abismo absoluto e esperavamos um grande resgate com esse presidente, mas parece que há uma demora e estamos a afundar cada vez mais.por favor ajudem-nos voçês que tem essa pujáncia até este extremo, pois hoje hoje perguntamos acerca de alguns países africanos,se foram e será Moçambique o próximo?faça algo Nini e junto com os seus bons acessórios.
2 min
Eliminar
Beto Nhuana Dos Maya
Beto Nhuana Dos Maya Até pra quem não foi a escola percebe que para ultrapassar esta crise basta o sr Presidente ceder ao orgulho do partido..... é de como tenho dito, este Presidente tem de tudo para fazer história em Moçambique...
33 min
Eliminar
Milagre Pahuwa
Milagre Pahuwa Se ele quisesse resolver já o teria Nini , más é tão orgulhoso que faz de conta que vive num país onde n esta acontecer nada.
244 min
Eliminar
Ndimomwene João
Ndimomwene João Mano Nini isso depende de qual agenda que o Nyussi está a seguir, porque ele tem dois patrões primeiro a frelimo e segundo o povo e esse ultimo menos lhe interessa
116 min
Eliminar
Juma Mussagy Abdul Mutualibo
Juma Mussagy Abdul Mutualibo Uma colocação oportuna ,visionária e de relevância pontual. Eu assino por baixo
142 min
Eliminar
Tuxa Machava
Tuxa Machava Nini você é um Deus obrigado por pensar antes pelo povo humilde parabéns e que o presidente te Oiça
131 min
Eliminar
Dyllastley Ossman
Dyllastley Ossman Meu caro #Nini,depois de ler e me deliciar desta sua carta só posso #assinar #em #baixo e rogar que ela chegue as mãos do Sr Presidente.Força.
Eliminar
Nena Soares
Nena Soares Isso significa fazer a divisão ? Único problema é q dhakama quer os siteos aonde há riquezas ...! P k finalidade ? Também o pr não quer ceder ..... Seria a primeira vez na história "embora tem q se fazer história " ! Mais duvido mt e mt mesmo k isso aconteça !
38 min
Eliminar
Baptista Macamo
Baptista Macamo Este Nini, me convence a cada dia k leio seus sabios artigos k e uma grande pessoa. Sinceramente falando, cresci com uma imagem ruim deste senhor, mas o tempo provou tudo ao contrario. Bem haja compatriota Nini
11 min
Eliminar
Mauricio Ventura
Mauricio Ventura Obrigago Nini. Nem uma virgula a mais.. Obrigado obrigado, e obrigado. Muito obrigado com estas palavras sabias... Obrigado Nini.
6 min
Eliminar
Mauro Campos
Mauro Campos Gostei da carta acredit se ele ler esta carta vai tirar lagrimas, e vai a santugira
9 min
Eliminar
Uissidio Uisse Ugembe
Uissidio Uisse Ugembe Quem me dera isso tudo tivesse acolhimento.
145 min
Eliminar
Bachir Abacassamo
Bachir Abacassamo Muito bonito. Nini Satar.
24 min
Eliminar
Edicilia Gilberto
Edicilia Gilberto Curiosidade
8 min
Eliminar
Ibrahimo Ossman
Ibrahimo Ossman Verdade nini satar
52 min
Eliminar
Dylan Naftal
Dylan Naftal Estas de parabens
39 min
Eliminar
Helena Vilanculos
Helena Vilanculos sabias palavras ,nini satar
5 min
Eliminar
Gylberto Gyl
Gylberto Gyl Muito bem dito, esse é o desejo de todos nós.
13 min
Eliminar
Afonso Moiana
Afonso Moiana Mesmo faça isto. Por nossa teu povo eu patrão
10 min
Eliminar
Sidinho Vasco Ngale
Sidinho Vasco Ngale Vce e de outro mundo parabens
43 min
Eliminar
Adamo Aziz
Adamo Aziz Esse presidente não vale nada só fala da paz mas não resolve esse problema ..
30 min
Eliminar
Anildo Chitlhango
Anildo Chitlhango Bons dizeres que o patrao dele quer que acontca.
6 min
Eliminar
Jabento Quetxoaio
Jabento Quetxoaio Wau ...nini tiraste me lagrimas . Quem me dera se o presidente o faça...
36 min
Eliminar
Lavumó Massequessa
Lavumó Massequessa Meu compatriota falaxte tud ñ rexta mais nada meus parabens
22 min
Eliminar
Samuel Bilika
Samuel Bilika Palavras sabias ao presidente
35 min
Eliminar
Meque Magira
Meque Magira Verdade dita Nini
55 min
Eliminar
De Lamarck Puto Mimädo
De Lamarck Puto Mimädo Apoiado
48 min
Eliminar
Alves Sambo
Alves Sambo Força mano
3 min
Eliminar
Cadre Abudo
Cadre Abudo Nini satar visionário, apoiado
2 min
Eliminar
Dércio Vintane
Dércio Vintane Grande abordagem
3 min
Eliminar
Pydro Vuma
Pydro Vuma isso mexmo
22 min
Eliminar
Bakayo John
Bakayo John Mais k verdade
43 min
Eliminar
Djtelmomoz Telmo
Djtelmomoz Telmo verdade
51 min
Eliminar
Rodrigues Filipe Paia Dotinho
Rodrigues Filipe Paia Dotinho Muita forsa

Carta aberta ao Presidente de Moçambique

 
COMPARTILHE 
Por  Carlos Nuno Castel-Branco
Senhor Presidente, você está fora de controlo. Depois de ter gasto um mandato inteiro a inventar insultos para quem quer que seja que tenha ideias sobre os problemas nacionais, em vez de criar oportunidades para beneficiar da experiência e conhecimentos dessas pessoas, agora você acusou os media de serem culpados da crise política… nacional e mandou atacar as sedes políticas da Renamo.
A crise político-militar que se está a instalar a grande velocidade faz lembrar as antecâmaras do fascismo. Em situações semelhantes, Hitler e Mussolini, Salazar e Franco, Pinochet e outros ditadores militares latino-americanos, Mobutu e outros ditadores africanos, foram instalados no poder, defendidos pelo grande capital enquanto serviam os interesses desse grande capital, e no fim cairam.
Será que você, senhor Presidente, se prepara para a fascização completa do País? Destruir a Renamo, militarmente, é um pretexto. Fazer renascer a guerra é um pretexto. Parte do problema dos raptos – não todo – e do crime e caos urbano é um pretexto. Permitir a penetração da Al Quaeda em Moçambique é um pretexto. Pretexto para quê? Para suspender a constituição e aniquilar todas as formas de oposição, atirando depois as culpas para os raptores e outros criminosos e terroristas, ou para aniquilá-los em nome da luta pela estabilidade.
Senhor Presidente, você pode estar a querer fascizar o País, mas não se esqueça que a sua imagem e a do seu partido estão muito descredibilizadas – por causa de si e do seu exército de lambe botas. E essa credibilidade não se recupera com palavars e com mortos. Só se pode recuperar com a paz e a justiça social. O que prefere, tornar-se num fascista desprezível e, a longo prazo, vencido? Ou um cidadão consciente e respnsável que defendeu e manteve a paz e sugurança dos cidadãos, evitando a guerra e combatendo o crime?
Senhor Presidente, você tem que ser parte da solução porque você é uma garnde causa do problema. Ao longo de dois mandatos, quem se rodeou de lambe botas que lhe mentem todos os dias, inventam relatórios falsos e o assessoram com premissas falsas? Quem deu botas a lamber e se satisfez com isso, com as lambidelas? Quem se isolou dos que realmente o queriam ajudar por quererem ajudar Moçambique e os moçambicanos, sem pretenderem usufruir de benefícios pessoais? Quem preferiu criar uma equipa de assessores estrangeiros ligados ao grande capital multinacional em vez de ouvir as vozes nacionais ligadas aos que trabalham honestamente? Quem insultou, e continua a insultar, os cidadãos que apontam problemas e soluções porque querem uma vida melhor para todos (meamo podendo estar errados, honestamente lutam por uma vida melhor para todos)?
Quem acusa os pobres de serem preguiçosos e de não quererem deixar de ser pobres? Quem no principio e fim dos discursos fala do maravilhoso povo, mas enche o meio com insultos e desprezo por esse mesmo povo?
Quem escolheu o caminho da guerra e a está a alimentar, mesmo contra a vontade do povo maravilhoso? Quem diz que a guerra, e o desastre humanitário a ela associado, é um teste à verdadeira vontade de paz do povo maravilhoso? Por outras palavras, quem faz testes politicos com a vida do povo maravilhoso? Quem deixa andar o crime, a violência e a pobreza, quem deixa andar a corrupção, o compadrio e as associações criminosas? Quem nomeia, ou aceita a nomeação, de um criminoso condenado a prisão maior para comandante de uma das principais forças policiais no centro do país?
Quem se apropria de toda a riqueza e ao povo maravilhoso oferece discursos e dessse maravilhoso povo quer retirar (ou gerir, como o senhor diz) qualquer expectativa? Quem só se preocupa com os recursos que estão em baixo do solo, mandando passear as pessoas,os problemas e as opções de vida construídas em cima desse solo? Quem privatiza os benefícios económicos e financeiros dos grandes projectos, e depois mente dizendo que ainda não existem?
Quem se defende nos media internacionais dizendo que passou todos os seus negocios para os familiares enquanto é presidente – e quem é suficientemente idiota para aceitar isto como argumento e como defesa?
Quem divide moçambicanos em termos raciais e étnicos, regionais e tribais, religiosos e políticos – já agora, o que são moçambicanos de gema? Serão os autómatos despersonalizados e ambiciosos que nascem das gemas dos seus patos? O que são moçambicanos de origem asiática, europeia ou africana – são moçambicanos ou não são?
Quem ficou tão descontrolado que hoje acusa os media de serem criadores do clima que se vive no país – foram os media que se apropriaram das terras, iniciaram uma guerra, deixam andar o crime urbano e foram pedir conselhos ao Zé Du? Que tipo de media você quer? Um jornal noticias que não tem uma referência destacada a três grandes manifestações populares pela paz e seguranca e justiça social que aconteceram ontem no nosso país, embora tenha uma noticia sobre manifestações contra violações no Quénia? Porque é que as manifestações dos outros são verdade e as nossas mentira?
E, já agora, senhor Presidente, pode esclarecer-nos quem matou Samora?
Senhor Presidente, você não merece representar a pérola do Indico nem liderar o seu povo maravilhoso. E desmerece-o mais cada dia. Você foi um combatente da luta de libertação nacional e um poeta do combate libertador, mas hoje não posso ter a certeza que liberdade e justiça tenham sido seus objectivos nessa luta heróica.
O povo maravilhoso, ontem, prestou homenagem a Mocambique, a Mondlane e Samora, aos valores mais profundos da moçambicanidade cidadã e da cidadania moçambicana. Foi bonito ver as pessoas a manifestarem-se por causas justas comuns, a partilharem a água e as bolachas, a abraçarem-se e distribuirem sorrisos, a apanharem o lixo que uma tão grande multidão não poderia deixar de criar. Foi bonito ver quão bonitos e cívicos Moçambique e os moçambicanos, na sua variedade, são. Foi bonito ver os cidadãos aplaudirem a polícia honesta e abraçarem os seus carros, e os polícias absterem-se de atacar os cidadão. Foi bonito ver que conseguimos juntar uma multidão consciente, cívica e honesta, que o seu porta voz partidário, Damião José, foi incapaz de desmobilizar. Foi bonito ver a bandeira e o hino nacionais a cobrirem todos os moçambicanos, moçambicanos que são só moçambicanos e nada mais.
E no seu civismo e afrimação da cidadania moçambicana, esta multidão para si só tinha três palavras: “fora, fora, fora”. Tenha dignidade e, pelo menos uma vez na vida, respeite os desejos do povo. Reuna os seus patos e saia, saia enquanto ainda há portas abertas para sair e tempo para caminhar. Não tente lutar até ao fim. Isso só vai trazer tragédia, mortes e sofrimento para todos e, no fim, inevitavelmente, você e todos os outros belicistas, criminosos e aspirantes a fascistas, sejam de que partido forem, serão atirados para o caixote do lixo da história. Saia enquanto é tempo, e faça-o com dignidade. Ninguém se esquecerá do que você fez – de bem e de mal – mas perdoa-lo-emos pelo mal por, pelo menos no fim, ter evitado uma tragédia social e saído com dignidade.
Que, pelo menos, o seu último acto seja digno e merecedor deste povo maravilhoso. E, enquanto se prepara para sair, por favor devolva ao país e ao Estado a riqueza de que você, a sua família e o seu grupo de vassalos e parceiros multinacionais se apropriaram. Leve os seus patos mas deixe o resto. E, por favor, use as presidências abertas, pela última vez, mas para se despedir, pedir desculpas e devolver a riqueza roubada.
Saia, senhor Presidente, enquanto ainda é suficientemente Presidente para sair pelas suas próprias pernas.
Você sabe, de certeza, o que quer dizer “A Luta Continua!” Então, saia.
E não perca tempo a abater ou mandar abater ou encorajar a abater ou deixar abater alvos seleccionados, sejam eles quem forem. O sangue de cada um desses alvos só vai engrossar ainda mais o rio em cheia que o atirará a si, e seus discípulos, como carga impura, para as margens do rio poderoso fertilizadas pela luta popular. O povo não morre, e é o povo, não um alvo seleccionado, seja quem for, quem faz a revolução. Não se esqueça que a fúria do rio em cheia é proporcional à água que nele flui e à pressão que sobre ele exercem as margens opressoras.
Senhor Presidente, não tente fascizar Moçambique. Se o fizer, pode levar tempo, podem muitas vidas ser encurtadas pelas suas forças repressivas de elite, mas se seguir este caminho, você sairá derrotado. A história não perdoa.
Adeus, senhor Presidente, vá descansar na sua quinta com a sua família e dê à paz e à justiça social uma oportunidade nesta pérola do Índico e em benefício do seu maravilhoso povo. Por favor.
Não lhe queremos mal. Mas, acima de tudo, queremos a paz e que os benefícios do trabalho fluam para todos.


Fonte: http://www.mmo.co.mz/carta-aberta-ao-presidente-de-mocambique#ixzz48Q3xynKn


Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook