segunda-feira, 9 de maio de 2016

Ao fim de 32 anos, homem confessa ter assassinado adolescente

Suspeito foi considerado culpado, mas ainda não é conhecida a sentença.

© Getty Images
MUNDO INGLATERRAHÁ 35 MINSPOR PATRÍCIA MARTINS CARVALHO
Na madrugada de 9 de junho de 1984, Melanie Road saiu com os amigos para se divertir. No final da noite regressou a casa, mas a verdade é que nunca chegou à habitação. 
PUB
Quando caminhava sozinha na rua em Bath, na Inglaterra, foi atacada por um homem que a violou e esfaqueou diversas vezes no peito e nas costas. 
O corpo da jovem de 17 anos foi encontrado ao amanhecer por um leiteiro e pelo seu filho. 
Durante 32 anos, a polícia tentou encontrar o responsável por este crime, mas nunca obteve sucesso, algo que mudou no ano passado. 
As amostras de ADN encontradas em Melanie foram testadas pelas autoridades, mas não havia correspondência na base de dados nacional.  
No ano passado, aquando de mais um aniversário da morte da jovem, as autoridades decidiram voltar a testar o ADN e desta vez encontraram uma correspondência e descobriram que se tratava da filha do assassino. 
Christopher Hampton foi então acusado depois de o seu ADN ter sido comparado com aquele encontrado na jovem Melanie, conta o Western Daily. 
Hoje, no tribunal, o homem, agora com 64 anos, acabou por confessar o crime, 32 anos depois de o ter cometido. 
A assistir à audiência estavam a mulher e os três filhos do homem que foi considerado culpado. 
Em declarações à BBC, Jean Road, a mãe da vítima confessou que achava que iria morrer – tem 84 anos – sem nunca saber quem havia sido o homicida da sua filha. 
A idosa descreveu ainda Christopher Hampton como um “monstro”. 

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook