sexta-feira, 20 de maio de 2016

A VINGANÇA DOS DOADORES


Comments

1
JJLABORET said...
Ê VIRIATO, VIRIATO, VIRIATO, VIRIATO...
Toma jeito "cabra"!
Vês agora e sempre que não estou sózinho quando condeno os teus artigos?
Count in your fingers, boy! conta em teus dedos, quantas pessoas neste blog, aprovam o que escreves sobre política e sobre o Estado moçambicano?
Nenhuma... ou quase nenhuma!
Porque tu, que foste um dos responsáveis idealizadores do comunismo marxista do pós 1975, tens nas costas o peso ativo ou passivo de assassinatos, queima de gente viva, valas comuns, fuzilamentos, estupros, prisões, torturas e trabalaos forçados em campos de concentração ditos "de reeducação"! PENSAS QUE ESQUECEMOS?????
Talvez os mais novos, aqueles com menos de 35 anos... possas ENGANAR com essa tua nova carapuça e máscara de DEMOCRATA, LEGALISTA, CONSTITUCIONAL... E ANTI-OCIDENTAL que queres mostrar nos teus artigos!
Veste-te nesta "PELE DE CORDEIRO" e procura tentar enganar a pessoas como Francisco Moisés, que viveu o história "in loco" e dela participou!
Procura também enganar ao Fernando Gil...
Ê "cabra" !!! TUA FARSA SÓ CONVENCE A TI MESMO! não estás vendo isso?
"COUNT IN YOUR FINGERS BOY"!
Conta nos teus dedos quantos concordam com teus imbecís artigos! Porque por aqqui, no Moçambique Para Todos, parece que NENHUM/NINGUÉM concorda com essa bosta de elefante que sai da tua mente de escriba comprado pelo poder frelimista!
2
NAPHULU said...
SR VIRIATO
È de louvar as suas ideias porque sao legitimo do seu pensamento e etica uma vez que desde a sua existencia viveste na base de bajulamento e chegado a esse momento que ves que há enormes riscos dos seus financiadores cairem na bancarrrota como dizes é normal sofreres de uma febre tifoide se nao umas diareias agudas a esta altura. Mas é oportuno que o sr Viriato saiba que a gengiva por vezes cansa e acaba partindo osso, nao venha com esses tipos de palavras porque 99% do povo Moçambicano sacrifica o seu dia somente para encher os vossos bolsos e voces nao reconhecem isso e por cima contraem dividas tornando assim a vida insuportavel.
Afinal o que o sr gostaria que os doadores fizessem? agirem como a China que se faz passar por um messias salvador? Achas que a China vai doar sem retornos?
Ja fiseste mensao de quantos metros cubicos de madeira sai de Moçambique para China e as nossa crianças continuam a estudar em escolas precarias e sem carteiras?
Discupla mas tens que rever o seu cognitivo e fica sabendo que este é o inicio do fim.
3
Sempre li as aberracoes do tal senhor Viriato que, na relidade, nao deve estar a usar o seu nome verdadeiro. Como parece obvio, deve fazer parte do groupthink FRELIMO. A sua logioca e a linha do seu raciocinio nao deixam nenhuma sombra de duvida.
Naalguns dos seus artigos, nao me recordo de quais, o senhor "Viriato" soava constitucionalista. Enetse artigo? O que se passa com o seu constitucionalismo. Nao acha que o Governo, ou a FRELIMO, violou a constituicao ao contrair um emprestimo sem ter pedido a autorizacao da Assembleia da Republica? Ja agora, ja pensou noutra violacao recente do grupo parlamentar da FRELIMO que, contrariamante ao preceituado nos artigos 29, 200 e 201 do Regimento da Assembleia da República sobre a discussao de questoes pontuais urgentes tais como "Informações do Governo e Perguntas ao Governo", convidou o Ministro de Economia e Financas para prestar declaracoes perante duas comissoes permanentes daquela Assembleia...? Cresca meu amigo...senao vou deixar de ser Nhungwe por opcao.
4
The JustJudge said...
Caro Sr. Viriato,
Antes de mais, gostaria de deixar claro que o governo passado não cometeu uma falha mas sim premeditadamente arquitectou um dos maiores rombos da história do país (ou pelo menos os que se tornaram públicos). Rombo sim, visto que todos os créditos obedeceram de um certo modo o mesmo critério que consiste em violação da CRM. Por outro lado, houve omissão intencional de vários empréstimos a todos os níveis, e não acredito que os membros do Governo dada a sua larga experiência não conheçam os procedimentos internos bem como externos concernentes a contracção de dívidas soberanas.
Há situações em que nada mais pode-se fazer senão mesmo amputar o braço, sob o risco do cancro fazer o spread (expandir ou espalhar-se) e consequentemente, infectar e afectar o corpo inteiro – este é o presente caso. Mas temos que ter em conta que os doadores falam em suspensão e não corte definitivo, e se o Governo fosse mais aberto iria compartilhar quais as verdadeiras condições impostas no sentido de se mudar o cenário. Bem, não tenho o dom de adivinhar mas posso adiantar-lhe que a responsabilização dos envolvidos é uma das pré-condições impostas. Difícil escolha nem? Também acho. Talvez se simulássemos a prisão de alguns (e não seria a 1ª vez que assim se faz) para servissem de bode expiatório ajudaria. Mas para o presente caso as cabeças são conhecidas. São pessoas que dizem-se experientes na matéria, outros ostentam graus académicos e CV que deitar agua na boca tem acesso a todas ferramentas de gestao, e como se não bastasse, se vêm no direito de dar-nos aulas de ética e moral, chegando mesmo a dizer que os jovens vão vender a Nação – hehehe, parece que nada sobrou para vender agora.
Mas sem querer fugir muito do assunto propriamente dito, tenho que lhe dar um refresh ajudando-lhe a perceber que existem regras de jogo na diplomacia internacional e desculpas só, diz o ditado que não cura feridas. Até mesmo o perdão de Deus tem pré- condições: arrepender-se de corpo e alma e redimir-se o que ainda não aconteceu.
Muito dos doadores tem o sentido de accountability (responsabilização ou prestação de contas) para com os contribuintes do dinheiro que geralmente nos é dado, e há ainda que ter em conta que outros estão sujeitos a pré-condições como a de não ajudar na compra de material bélico, actividades que lesem o ambiente, actividades partidárias, etc. acho que o Sr. sabe disso apenas está a fazer vista grossa e ouvidos de mercador ou algo parecido.
Portanto não se trata de chantagem mais sim de reposição da ordem – o grande chantagista aqui ee aquele que foi pedir dinheiro em meu nome sem me pedir autorização e explicar a finalidade do mesmo, e pior ainda não apresenta argumentos palpáveis para que o perdão de qual fala lhe seja dado. Por isso pergunto:
Perdoar o quê mesmo?
• A violação da Lei Mãe ou a omissão das dívidas?
• A não clareza do destino dos valores ou a compra de meio para criar guerras?
Para grandes males, grandes remédios, e chamar isto de um grande mal até é suavizar as coisas.
A culpa não é dos doadores mas sim de patos, galinhas, pois, ao invés de deixar andar e comer onde estão acantonados como fazia o cabrito, dão-se ao luxo de atravessar fronteiras esquecendo-se de que há limites para tudo.
Sugestão: procuremos os tais patos, confisquemos tudo que usurparam e montemos uma boa capoeira para que la fiquem para um bom sempre (tendo em conta que a pena poderá ser maior que o tempo de vida que lhes resta dada a velhice destes), e prontos, lava-se a tal mão suja e uma nova etapa de cooperação começará (mas desta vez com mais cuidado ehmmm).
2 bis USD bem geridos resolveriam boa parte dos problemas por si colocados (saúde, educação etc).
Não sejamos ingratos: um pai quando compra o play station (videogame) é melhor pai do mundo, mas quando toda medida de correcção é mau. Sinceramente.
Esqueça os doadores e procure o ladrão – faz mais sentido.
5
Frank said...
O Sr.Viriato fala de um Moçambique que não corresponde à realidade. O Moçambique real é uma colónia das elites da Frelimo com quem o sr. Viriato convive. Os colonizadores da Frelimo tornaram Moçambique mais pobre e expoliado do que o Moçambique antes da tomada da Frelimo. Moçambique viveu os 40 anos da colonização da Frelimo sempre de mão estendida para os doadores. Qual foi o seu papel para alterar esta situação de dependência crónica das esmolas dos contribuintes dos países doadores?
6
Cunhado said...
Senhor Viriato,
Tenho acompanhado as suas opinioes e dizeres...na minha ingenuidade gostaria de atraves deste meio pedir que me refresque a memoria.
Moçambique viveu em pelo menos 20 anos - uma paz "efectiva" e de certeza os programas de reabilitação social, produção, e desenvolvimento economico sempre estiveram em cima da mesa.
Nesse periodo, em que nao haviam nenhuma suspeita de arrombamentos aos cofres do estado e sinais de guerra...essa produção que o senhor tanto releva nao foi mencionada como sendo a saida para Moçambique? creio que tenha sido. Desenvolvemos? Se em tempos de paz nao fomos alem dos 13%...hoje com a crise a LUZ e espetos de Guerra a Vista produziremos mais do que ontem?
Lembra que para produzir precisaremos de recursos (Agua, sementes, homens, fertizilantes, etc) que nem todos caem dos céus? Como acha que o campones vai adiquir esses recursos sem recursos financeiros? A BANCA? hoje está o grande Negocio. NAO NOS ILUDAM COM O SABER EXPRESSAR. ONDE ESTIVERAM ESSAS IDEIAS A 10 ANOS ATRAS QUE NINGUEM SE LEMBROU NA INTEGRA QUE A NOSSA SAIDA É e SEMPRE FOI A PRODUÇÂO!
7
Mozambican said...
SENHOR. VIRIATO,
Aquilo que chama de "GOVERNO", eh e foi
um bando de LADROES! Porque voce nao
da CORRUPCAO???
Nao suje o nome dos Moçambicanos e seja
HONESTO e nao sempre o papel de um
"Ignorante COBARDE"..! Como vao se comprar
Termometros sem "dinheiro"? O Estado Moçambicano
nao eh dos filhos da "MAFIA", e Mussumbuluko Guebuza
nao eh negiciante do Ministerio da Defesa.
Se es ORGULHOSO, TRABALHA e nao vive de ESMOLA
dos outros e nem ROUNA-LOS, Sr. INTELIGENTE DA FRELIMO!
Mozambican

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook