segunda-feira, 18 de abril de 2016

Sonho inalcançável: Escrito em 11 Abril 2013


@Verdade EDITORIAL: 
Editorial
Escrito por Redação  em 11 Abril 2013
Share/Save/Bookmark
A nomeação dos membros da “sociedade civil” para compor a Comissão Nacional de Eleições vem dar razão, pasme-se, ao partido Renamo. Quando se nomeiam membros da Frelimo, para um processo que deve pautar pela imparcialidade, podemos assegurar, sem pejo, que não existe democracia neste rochedo à beira-mar. E, por essa ordem de ideias, é melhor que não se realizem eleições. Urge organizar a casa e despartidarizar o Aparelho de Estado.
Porém, o mais importante é tirar as armas da Frelimo e da Renamo. A nossa liberdade não pode ser condicionada pela musculatura de dois partidos que desconhecem, por completo, o caminho do diálogo. Contudo, na situação actual, apesar dos intervalos delirantes de Afonso Dlhakama e dos seus homens, a verdade manda dizer que os maiores culpados da podridão na qual chafurdamos envergam a camisola do partido do batuque e da maçaroca.
Uma visita ao conteúdo da Lei no 13/92, de 14 de Outubro, com vista a tornar executório o Acordo Geral de Paz assinado em Roma, mostra que o partido político que viola os princípios gerais da paz, no país, é a Frelimo. Na alínea e) do número 3 da lei em apreço consta: “Nenhum cidadão pode ser perseguido ou discriminado em razão da sua filiação partidária ou das suas opiniões políticas”.
A Frelimo nunca reconheceu esse direito. Criou células na Função Pública e perseguiu sistematicamente todo o indivíduo que ousou revelar a sua cor partidária. O músico Edson da Luz que o diga. Foi parar na Procuradoria por causa do teor das suas letras num país que devia respeitar a sua Constituição e a liberdade de opinião que a mesma consagra.
A Função Pública está completamente partidarizada. A Polícia da República de Moçambique é um braço da Frelimo. Não serve os cidadãos e contribui significativamente para a marginalização dos demais partidos políticos.
No que diz respeito ao processo eleitoral, a lei estabelece que “para organizar e dirigir o processo eleitoral, o Governo constituirá uma Comissão Nacional de Eleições composta por pessoas que, pelas suas características profissionais e pessoais, dêem garantia de equilíbrio, objectividade e independência em relação a todos os partidos políticos”. Mas que garantia de equidade pode ser assacada ao cidadão Leopoldo da Costa que apareceu nas páginas dos jornais com a camisola do partido Frelimo? É idóneo esse senhor?
Com todos os sinais ditatoriais protagonizados pela Frelimo, nenhum partido sentado poderia abdicar das suas armas. Nem um delirante Dlhakama. As armas ou homens armados, diga-se, garantiram, até os dias que correm, a sobrevivência da Renamo no panorama político nacional. Sem esse poder de fogo Moçambique seria como Angola. Guebuza seria o nosso José Eduardo dos Santos, pleno e poderoso. Sentado numa cadeira confortável depois de manietar uma oposição sem armas e sem voz. O caminho era esse, mas parece que a Renamo não se deixou enredar e, por isso, Guebuza não realizou o seu sonho molhado...
Xikhosa Khosa · 
Belas palavras. Contudp, gostaria de alertar que o editor, também se constitui dos discursos ideológicos dessa mesma Frelimo que sempre lutou contra todas formas da Democracia em Moçambique. O uso de termos discursivos "Delirante" constitui a prova inequívoca do linchamento político e ideológico que aquele homem foi alvo por pessoas que acordam todo santo dia para menietar dizeres que marginaliza a oposição em Moçambique. E como isso acontece? pelo discurso proferido pelos jornalistas. Não todos, mas a repitição da palavra cristaliza certos sentidos na sociedade, dai vermos neste momento a palavra delirante. Ísso constitui reforço à marginalização. No etanto sabemos todos que o que sempre falou aquele líder da oposição constitui a verdade. Pior! falamos as mesmas plavras pelos cantos. Choramos das injustiças e arrogância dos dirigentes governistas pelos cantos. Isso é cobardia. É hipocresia.
JF Thayero · 
Até quando? Deus, Abençoe Moçambique!
Jose Soares Castelo Branco · 
Vamos pautar pela democracia. Verdadeiro caminho para a Gloria e Paz. Temos que respeitar as opinioes e ideias do seu proximo. afinal, Deus criou a Terra para todos nos usofruirmos de igual modo dos recursos naturais. Todos nascemos com sangue vermelho e respiramos o mesmo ar e para vivermos precisamos de Deus Natureza e se morermos, todos nos teremos um unico Palacio que e um verdadeiro paraiso chamado TERRA. Pessoal, sentemos a mesa e vamos converser para o bem do Povo Mocambicano. Ninguem gosta de GUERRAS. Sejamos um verdadeiro cidadao mocambicano com um pensamento e conteudo ALTRUISTA. Viva a Paz, Viva o Povo Mocambicano. Deus nos abencoe.
Jorge Martins Martins · 
De acordo, novos dirigentes políticos é urgente, juventude Moçambicana está nas vossas mãos o derijismo da Nação, quer politicamente quer económico, Moçambique vai ser grande com outra mentalidade.
Jerry Revelador Fonseca · 
O delirante é a FRELIMO se gabar de dar todas essaa "cabeçadas à RENAMO. Este partido, FRELIMO, criou mais musculatura no seio do ESTADO e, sim, humilhando os portadores do pensar diferente através da marginalizaçäo sistematizada destes.
Dhlakama sempre esteve certo desde as primeiras eleiçöes em que ganhou em 6 províncias indiscutívelmente. Maputo e Gaza näo é Moçambique e, diga-se, em abono da verdade os votos em Maputo säo bem discutíveis.
Inacio Joao Madeira Madeira · 
O mais caricato vem do Municipio do Dondo aonde o Sr. Cambezo assambarcou uma autonomia de decedir a implantacao dos Paridos da Oposicao no seu territorio.....esta so prova o desespero do Partido no Poder...o modelo Inhambane ja esta na forja...mas devemos recordar que as FIR ou Policia sao civis fardados......essa nunca deviamos esquecer...
Elias Mecre · 
o sonho de guebas foi realizado, chegar ao poder e quem garante que ele nao eh igual ao Eduardo dos santos? talvez ate pior, ele nao passa de um savimbe, guebuza e o xeu elenco nos humilham, eh triste o que se vive neste pais em nome da democracia.... o meu grito eh: comunidade internacional socorrrroooooooooooooooo
Domingos Gundana · 
Meus parabens a verdade, por ser tao nitidamente verdade, o vosso editorial esta cem por cento fantastico, muitos ontem nao tinham voz mas hoje a tem para livremente dizerem que existe razao suficiente para as revindicacoes do povo que esta por detraz do Partido renamo e do seu Lider. Dhlakama, nasceu e cresceu nesta terra, fez e faz tudo pelo bem desta nacao, vivemos anos e anos de sacrificio comunista, muitos foram mortos nos campos de reeducacao por ter pensamentos e ideias diferentes, ate por serem religisos, que o digam as testemunhas de jeova, que nao dizerem viva samora e frelimo, mesmo aceitando pagar impostos foram deportados para madjune e unango no niassa, que o digam os muculumanos, viram samora a pisar o lugar sagrado da mexiquita com sapatos. que o digam os pais dos portuguese que hoje estao a retornar a mocambique para investir, sairam aqui na lei do sr. guebuza de 24 sobre 48. manos, andamos a nos massacrar durante 16 anos, por causa da caebca dura destes frelimistas, que negavam mudar a constituicao do monopartidarismo para o multipartidarismo, do marxismo comunista para a democracia, e hoje querem que nos matemos, por negarem coisas simples, como PARIDADE NA CNE, integracao de tecnicos no STAE, A DISPATIDARIZACAO DO ESTADO, FORCAS ARMADAS PROFESSIONAIS, POLICIA DO POVO, CONTRATOS DOS MEGAS PROJECTOS CONHECIDOS E EM BENEFICIO DA SOCIEDADE. Homens armados da Renamo sao conhecidos pelo Guebuza, foram acordados em roma, deviam no serto periodo de tempo passarem para a policia, o governo nao o fez porque sabia que seria dificil usar essa policia com estes homens para atacar a renamo e arrependido por ter aceite no exercito, andaram a desmobilizar os que da renamo vieram. Que pais estamos.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook