quinta-feira, 28 de abril de 2016

SITUAÇÃO DA DÍVIDA EXTERNA DE MOÇAMBIQUE: Intervenção de Sua Excelência Carlos Agostinho do Rosário



Gabinete do Primeiro-Ministro

República de Moçambique
Intervenção de Sua Excelência Carlos Agostinho do Rosário, Primeiro-Ministro da República de Moçambique
SITUAÇÃO DA DÍVIDA EXTERNA DE MOÇAMBIQUE
Moçambicanas e Moçambicanos
1. Inicio a minha intervenção saudando a todo povo moçambicano em nome de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República, e do Governo de Moçambique;
2. Estamos aqui hoje para, partilhar a situação económica do nosso País, sobretudo o tema actual que é a dívida, particularmente a externa bem como as acções que o Governo se propõe a tomar para inverter o actual cenário;
3. Vivemos hoje um momento particularmente atipico, influenciado pela actual conjuntura interna e externa, que afecta o desempenho da nossa economia e consequentemente o dia-a-dia de cada moçambicano.
Caros Compatriotas
4. Reitero que vamos partilhar com toda abertura a informação sobre a situação económica do País e as principais razões das dificuldades económicas que o País enfrenta.
5. Após vários anos consecutivos de crescimento economico rápido, o nosso país tem registado sinais de relativo abrandamento do ritmo de crescimento.
6. Quais são as causas então?
• A nossa economia tem uma baixa base produtiva! Isto é, o nosso consumo não é satisfeito, em grande medida, pela produção nacional e, por isso, temos que recorrer às importações, donativos e dividas. Este é o principal problema da nossa economia, consumimos mais do que produzimos.
• O País tem vindo a conviver com este problema estrutural de estarmos a importar mais do que exportamos;
• A título de exemplo, do período de 2013 a 2015 o País importou bens e serviços, excluindo os grandes projectos, cerca de quatro vezes mais do que exportou, senão vejamos:
Em 2013, o País exportou USD 1.926 milhões e importou USD 6.546 milhões;
Em 2014, exportou USD 1.477 milhões e importou 6.465 milhões; e,
Em 2015, exportou USD 1.356 milhões e importou USD 6.660 milhões.
• O problema estrutural e crónico de o país gastar mais do que produz internamente tem sido também agravado pelo facto de os preços dos principais produtos que exportamos estarem a resgistar uma queda acentuada no mercado internacional.
• A título exemplificativo, em 2015, a queda do preço do alumínio foi de 28%, algodão 12.5% e açúcar 20.9%, o que diminui a entrada de divisas para o nosso país, necessarias para cobrir as importações dos produtos que ainda não produzimos o suficiente.
• A actividade agricola que emprega a maior parte da população moçambicana que contribui com cerca de um quarto do total de bens e serviços que o país produz é afectada pelas secas e cheias aliada as acções de desastabilização da Renamo, que mantem ilegalmente na posse armas.
• A China, segunda maior economia do mundo, abrandou o seu ritmo de crescimento economico e consequentemnete dimuniu as suas importações globais , incluindo produtos dos Países africanos.
• O problema da queda contínua dos preços dos produtos de exportação não afectou apenas o nosso país, mas também afectou Países ricos em recursos naturais, tais como, Angola, Zambia, Africa do Sul;
• o investimento directo estrangeiro têm estado a reduzir-se nos últimos tempos, devido a combinação de causas relativas a conjuntura interna e internacional.
• Os desembolsos dos Parceiros de Cooperação Internacional, para 2016, estão atrasados, devido a conjuntura eocnomica nos respectivos Países.
• Nos últimos anos o apoio dos parceiros de cooperação internacional têm estado a reduzir. Por exemplo, em 2013, o Apoio Geral ao Orçamento do Estado foi de USD 457 milhões, tendo, em 2014, reduzido para USD 389 milhões e em 2015 para USD 297 milhões, devido a conjuntura eocnomica nos respectivos Países.
Moçambicanas e Moçambicanos
7. Porque o nível das exportações do nosso País está muito longe das nossas necessidades de importações, estas importações estão a ser pagas, particularmente por empréstimos e donativos externos.
8. Nos últimos anos, o País registou uma subida do endividamento externo, reflectindo a mobilização de recursos externos feita com vista a financiar o desenvolvimento de infra-estruturas e segurança do País. Para a concretização deste objectivo, foram emitidas garantias do Estado, a favor de algumas empresas.
9. O valor global da dívida pública, incluindo garantias emitidas pelo Governo e dívidas contraidas pelo Banco de Moçambique para financiamento à Balança de pagamentos, reportada à 31 de Dezembro de 2015 é de USD 11,64 mil milhões. Deste montante, USD 9.89 mil milhões corresponde a dívida externa, incluindo USD 247 milhões do Banco de Moçambique.
10. O saldo da dívida interna, a 31 de Dezembro de 2015, é USD 1.75 mil milhões, estando ainda em reconciliação USD 233 milhões.
11. De destacar que do endividamento do Estado, cerca de 60%, foi alocado para a infra-estruturas de estradas, pontes, energia, água e transportes, 17% para agricultura e educação e o remanescente para os outros sectores.
Compatriotas
12. No que se refere ao tema actual que é a dívida externa ligada as empresas EMATUM, PROINDICUS e Mozambique Asset Management (MAM), gostaria de partilhar com o povo moçambicano as seguintes informações:
13. Como é do conhecimento público, a Dívida da EMATUM, no valor de USD 850 milhões, dos quais USD 350 milhões têm como finalidade importar embarcações e equipamentos de pesca e os USD 500 milhões para a protecção costeira.
14. Os ganhos com a transformação da dívida comercial para soberana são os seguintes:
• Em vez do Governo pagar anualmente o valor de USD 200 milhões, incluindo capital e juro, passam a ser feitos de forma mais suave para o nosso País:
Pagamento apenas, em 7 anos, a partir de 2017, de juros anuais no valor de USD 78 milhões pagáveis semestralmente (cerca de USD 39 milhões/semestre); e
Pagamento único do capital da dívida em 2023 (cerca de USD 731 milhões).
15. Para assegurar que a EMATUM pague a sua parte está em curso a identificação de um parceiro estratégico que possa trazer experiência, capacidade técnica para rentabilização da empresa.
Caros Compatriotas
16. A par da dívida da EMATUM, o Governo no período de 2013-2014, emitiu garantias a favor dos créditos contraídos por entidades económicas, nomeadamente:
• Proindicus, S.A. no valor de USD 622 milhões; e
• MAM, S.A. no valor de USD 535 milhões.

17. Proindicus, S.A, tem como objectivo prestar serviços de segurança as empresas de hidrocarbonetos e contribuir para protecção das embarcações maritimas e tráfego e fornecer serviços de busca e salvamento de embarcações nas águas territoriais de Moçambique.
18. MAM, S.A tem como objectivo prestar serviços a PROINDICUS e outras empresas, para evitar a saida de divisas para o exterior no processo de reparação e manutenção de embarcações destas empresas.
19. Para assegurar que as dívidas destas empresas não recaiam no bolso do cidadão, o Governo está a trabalhar com as empresas com vista a asseguar que iniciem as suas actividades e honrem os seus compromissos;
20. Queremos deixar ficar claro, caros compatriotas, que no âmbito destas dívidas, o que for do interesse público, o Estado irá assumir e a parte referente a componente comercial deverá ser paga pelas respectivas empresas;
Caros Compatriotas
21. Esta informação deveria ter sido partilhada em tempo útil com o povo moçambicano e com os parceiros de cooperação internacional, incluindo o FMI e o Banco Mundial.
22. O momento sensível caracterizado pela instabilidade aliado ao processo da transição de um Governo anterior para o novo ciclo de Governação que iniciou em 2015, fez com que tivessemos conhecimento e contacto gradual com os dossiers destas dividas à medida que fossemos aprofundando o já conhecido;
23. O Governo enviou uma delegação à Washington para junto do FMI e Banco Mundial para partilhar e esclarecer informação relativa a toda dívida do País, em particular as garantias emitidas a favor da PROINDICUS e MAM.
24. No âmbito da transparência, o Governo tomou iniciativa, durante as conversações com o FMI, de informar a existência de uma dívida bilateral contraida entre 2009 e 2014, no montante global de USD 221,4 milhões no quadro do reforço da capacidade para assegurar a ordem e segurança pública.
Caros Compatriotas
25. Como Resultados da Visita a Washinghton, temos a destacar os seguintes:
• Reconhecimento pelo FMI e Banco Mundial e pelo Governo Norte-Americano do compromisso e da seriedade do Governo Moçambicano na busca de soluções para a questão da dívida pública;
• Reafirmada a vontade de manter as relações de cooperação entre o FMI e o Governo de Moçambique.
26. Estamos a trabalhar em conjunto para:
Restabelecimento da plena confiança e consolidar a transparência fiscal de modo a que situações similares não voltem a ocorrer.
Avaliar e determinar o impacto macroeconómico da dívida, com vista a redesenhar os programas futuros com base na informação disponivel.

27. No encontro mantido com o Banco Mundial, foi-nos informado que os desembolsos de apoio ao orçamento previstos para o ano em curso, serão feitos após a conclusão dos trabalhos que decorrem com o Fundo Monetário Internacional.
28. Em tempo oportuno, o Governo irá providenciar toda informação sobre a dívida pública à Assembleia da República.
Caros Compatriotas,
29. Porque é que no nosso País o Metical deprecia-se e o custo de vida tem estado aumentar? A resposta a esta questão não pode ser somente imputada a questão do endividamento. O Metical deprecia-se e o custo de vida aumenta porque:
• Primeiro - Produzimos e exportamos pouco, consequentemente, observa-se uma menor entrada de divisas;
• Segundo – O Apoio Geral ao Orçamento do Estado, pelos parceiros de cooperação internacional, reduziu; e
• Terceiro – O Investimento Directo Estrangeiro também reduziu.
30. Porque são necessários mais Meticais para a compra da mesma quantidade de dólares, os preços internos têm tendência a subir para reflectir o efeito da depreciação cambial.
31. Mesmo os bens e serviços que não têm relação com o dólar e com o mercado externo, tais como cacana, mandioca seca, rendas de casa, restaurantes, cabelereiros, os seus preços estão a subir, numa tentativa de recuperar os rendimentos dos que produzem/vendem esses bens e serviços. Esta situação acaba afectando o custo de vida no nosso País.
32. O facto de a economia americana estar a crescer e traduzir-se no fortalecimento do dólar americano, face às moedas internacionais, é um choque negativo, sim, mas que poderia ser amortecido caso a nossa base produtiva fosse maior e competitiva.
33. Resumindo, para conter a depreciação acentuada do Metical, face ao dólar norte-americano e o aumento do custo de vida, é necessário:
• Alargarmos e diversificarmos a base produtiva e aumentarmos a produtividade da economia nacional, capitalizando as potencialidades das quatro áreas de concentração e catalisadoras sem descurar outras, que o nosso País tem vantagens comparativas que facilmente podem ser converter em vantagens competitivas a saber: Agricultura, Energia, Infraestruturas e Turismo;
O financiamento das actividades previstas para estes quatro sectores em que o Governo vai actuar de forma mais concentrada e catalisadora, será através de linhas de crédito concessionais já identificadas e em negociação com os respectivos financiadores e pelo sector privado, através de Parcerias Público-Privado.
• Melhorar a qualidade e eficiência da despesa pública, com maior impacto no capital humano e operacionalização das quatro áreas de concentração e catalisadoras; e
• Racionalização da despesa pública.
• Assegurar que os projectos na área de recursos naturais se desenvolvam de acordo com o cronograma acordado, esperando que a decisão final sobre o investimento ocorra ainda este ano. As negociações com Anadarko e a ENI estão praticamente concluidas.
34. Esta acção é importante para estimular a economia, devido aos efeitos multiplicadores decorrentes da construção das fábricas de liquefacção do gás natural.
Caros Compatriotas
35. Apesar da conjuntura adversa, internacional e interna (cheias, seca e as condenáveis acções de desestabilização da Renamo na zona Centro do País), o País continua a crescer.
36. Em 2015, o crescimento da economia atingiu 6.3%. Esta taxa de crescimento indica que o País continua no bom caminho, posicionando-se em terceiro lugar na SADC, depois da República Democrática do Congo e da Tanzânia que registaram taxas de crescimento de 8.1% e 6.9%, respectivamente. 
37. A inflação média situou-se em 3.55%, abaixo da meta de 5.1%. No entanto, a inflação acumulada, em Dezembro, foi de 10.55%, reflectindo a subida mais acentuada de preços, em Dezembro, de mais de 4 pontos percentuais.

38. Para o ano em curso, 2016, está projectado um crescimento economico de 7%.
39. Face à persistência dos efeitos da conjuntura interna e internacional, o Governo está a avaliar a possibilidade de propor a revisão da taxa de crescimento económico.
Caros Compatriotas
40. A estabilidade e resiliência da nossa economia só se alcançarão com a produção interna cada vez mais crescente, pois, nenhuma economia pode viver e sustentar-se de empréstimos, importações e subsídios do Estado.
41. A conjuntura internacional que afecta muitos países do mundo, particularmente os menos desenvolvidos que têm uma estrutura económica débil e menos diversificada, como é o caso do nosso País, não deve levar-nos a uma situação de desespero e nem desviar-nos dos objectivos estratégicos constantes do Programa Quinquenal do Governo 2015-2019.
42. Moçambique é um país potencialmente rico, em recursos humanos e naturais. O potencial agrícola, energético, turístico, bem como a sua localização geoestratégica, fazem do nosso País um verdadeiro e natural ponto de atenção e de atracção de investidores.
43. Uma das grandes lições a tirar da queda acentuada dos preços das matérias-primas passa, necessariamente, pela aposta na transformação da nossa economia, através da sua diversificação, aumentando a capacidade produtiva e produtividade.
44. A diversificação da nossa economia vai garantir uma base sustentável de produção que garanta a segurança alimentar, substituição de importações e elevação de níveis de exportação, condições essenciais para uma estabilidade macroeconómica, particularmente a taxa do câmbio do Metical e redução do custo de vida e capacidade do país honrar com os seus compromissos referentes ao serviço da dívida.
Caros Compatriotas,
45. Acabamos de partilhar a informação sobre a situação económica do País incluindo a divida externa.
46. Exortamos a todos os moçambicanos:
• Manter a serenidade e confiança no trabalho que o Governo está a realizar para ultrapassar esta situação e mitigar os seus efeitos na vida dos moçambicanos;
• Com base nas lições aprendidas, reforçar o sistema de controlo e transparência nas finanças públicas.
Muito obrigado pela atenção dispensada.

De quem é a EMATUM e o que faz

   
0
COMPARTILHE 
O Estado moçambicano controla indirectamente  86.8% da EMATUM, através das participações nas empresas accionistas desta.
  • Três entidades de direito público, criadas pelo Governo, estão no negócio da compra dos navios, nomeadamente, o IGEPE, Fundo de Fomento Pesqueiro e os SERSSE.
A Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM), a responsável pelo negócio de compra de 30 navios, é fortemente controlada pelo Estado moçambicano.
Segundo contas feitas pelo “O País”, o Estado detém, indirectamente, 86.8% da EMATUM, através das suas participações no Instituto para Gestão das Participações de Estado (IGEPE),  Empresa Moçambicana de Pescas (Emopescas) e  Gestão de Investimentos, Participações e Serviços (GIPS).
Vamos em partes: de acordo com o Boletim da República datado de cinco de Setembro de 2013, III Série  – 71, a EMATUM foi constituída a dois de Agosto de 2013, com um capital social de quinze milhões de meticais, dividido por quinze mil acções de valor nominal de mil meticais cada.
O IGEPE, controlado a 100% pelo Estado moçambicano, detém 34% das acções, ficando a Emopesca  com 33% e a GIPS também com 33% das acções.
Por sua vez, a Emopesca é detida a 80% pelo Estado moçambicano e a 20% pelo Fundo de Fomento Pesqueiro (FFP). Enquanto isso, a GIPS é controlada a 60% pelos Serviços Sociais dos Serviços de Informação e Segurança do Estado (SERSSE) e a 40% por Joia Haquirene.  O FFP e a empresa SERSSE são controlados a 100% pelo Estado moçambicano. O resto é aritmética: a soma das participações do IGEPE e da Emopesca garantem uma participação indirecta do Estado moçambicano, na EMATUM, com 67% e que, adicionados aos  19.8% (que o SERSSE possui através da sua participação na GIPS), o Estado moçambicano controla 86.8% da empresa envolvida na compra de 30 navios, num negócio avaliado em 300 milhões de euros.
O Que faz a EMATUM?
A EMATUM tem como vocação principal  a captura e comercialização de atum e outros recursos pesqueiros. Segundo os estatutos da sociedade, a mesma pode “desenvolver outras actividades, subsidiárias ou complementares do seu objecto principal, desde que devidamente autorizadas”. É por dentro destas actividades subsidiárias que a EMATUM está a comprar 30 navios no estaleiro naval francês Constructions Mécaniques de Normandie.
3 hrs · 

Independência nacional


Em política, a expressão "independência nacional" refere-se ao direito de um povo à autodeterminação. O termo "autodeterminação" refere-se ao acto de um indivíduo ou grupo de indivíduos que coabitam um determinado espaço geográfico poder fazer escolhas motivadas por necessidades e interesses próprios desse indivíduo ou grupo de indivíduos, sem imposições externas. De um individuo ou grupo de indivíduos com autodeterminação, diz-se tem poder soberano ou soberania, o termo "soberano" ou "soberania" significando que não há poder superior ao poder desse indivíduo ou grupo de indivíduos, tanto dentro quanto fora do seu próprio geográfico ou território.


A independência nacional nunca é oferecida; ela conquista-se através de uma luta política, que não poucas vezes pode requer o recurso à luta armada, como foi o caso da independência nacional de Moçambique.

Na prática, a independência nacional tem que ser entendida como uma empresa. Para produzir, ser rentável, sustentável e viável tem que ser bem gerida.

Actualmente, o único partido político que está preparado e pode gerir bem a independência nacional de Moçambique, é a Frelimo.

Se, na euforia da democracia que poucos entendem bem, os moçambicanos colocarem a gestão do sua independência nas mãos de um partido político mal preparado, que mal interpreta a política internacional contemporânea, adeus independência!

<><><>

PS: Vamos lá desambiguar!

País = Território + Povo + Poder Político Soberano

Estado = Conjuntos de instituições criadas pelo poder político soberano de um país para servir o povo, nomeadamente (i) o Presidente da República, (ii) o Governo, (iii) o Parlamento, (iv) os Tribunais, (v) as Forças Armadas, (vi) a Polícia, (vii) os Serviços de Inteligência para a Segurança do Estado, entre outras.

Sociedade Civil (SC) = Conjunto de intuições da sociedade, quais sejam (i) partidos políticos, (ii) congregações religiosas, (iii) associações cívicas, (iv)organizações socioprofissionais, entre outras.

Portanto, num País, o Estado e a SC são criados e existem no interesse do Povo, funcionando como os dois braços/pratos de uma balança para que se faça justiça. A prática da justiça pode como não assegurar o exercício pleno das liberdades cívicas. Assim, a SC surge como o instrumento através do qual o Povo EXIGE que o Estado funcione de modo a assegurar a defesa e protecção dos direitos cívicos dos cidadãos. Só assim é que se pode assegurar a prevalência de um ambiente em que as pessoas possam viver livremente, em harmonia entre si.





Like

Love

Haha

Wow

Sad

Angry

Comments

Mussá Mohamad Gênio...grande reflexão...

Quantos anos levaste para concluír este estudo, professor Julião João Cumbane?

Aposto, que o mais importante para tí, neste longo têxto...é a parte que diz :
"Actualmente, o único partido político que está preparado e pode gerir bem a independência nacional de Moçambique, é a frelimo".

Todo o resto, é cosmético, é para simular algum ensinamento vazío, de esquina, de conversa de intelêctuais bêbados de uputso no senta-baixo...daqueles, que fazem de tudo, para fazer ver os outros que por mais que sejam viciados no mal-cuado, sabem alguma coisa sobre#Estado,#independência e uma e outra coisa que os outros bêbados não sabem, por falta de instrução.

Como sei que o prof, não é desses bêbados...só posso me concentrar, no que é realmente a tua mensagem aquí...e dizer que a #frelimo não está, nunca esteve preparada para o que dizes...mas para substutuir, o colono, fazendo pior que aquele...

Unlike · 1 · 38 mins · Edited

Azarias Felisberto pegou pesado pah! kkkkkkkkkkkj







7 hrs · 



E agora?...


O Governo de Moçambique acaba de partilhar informação detalhada sobe a situação económica deste país (Moçambique), mormente a informação sobre os montantes da dívida, sua estrutura e condições de pagamento. Nada ficou mal esclarecido. O erros foram assumidos e as suas causas indicadas.


Não houve o distanciamento que alguns esperavam ou desejavam que houvesse entre o actual Governo e o Governo anterior. Houve, sim, um assumir de que o actual Governo é inequivocamente uma continuidade de todos os governos anteriores na direcção da implementação das políticas públicas propostas pela Frelimo e sufragadas pela maioria do povo moçambicano a cada pleito eleitoral, desde o advento da democracia liberal em Moçambique.

E agora? O que dizem os contras? Vão continuar a querer distrair o povo moçambicano do que é essencial, nomeadamente a continuação da luta pela conquista da paz efectiva e pelo aumento da produção e produtividade? E, em particular, onde é que se enquadram as "Notas do Sérgio Vieira" sobre a questão da dívida externa moçambicana?

Eu tenho dito: usai a razão, guiados pela lógica; é disso que decorre a verdade, não da concordância casuística entre as vossas crenças e os factos!

Estou aqui!





Like

Love

Haha

Wow

Sad

Angry


Comments

Jorge Antonio Calane Kito Que isto tudo que esta acontecer no mínimo sirva para o povo em tempo de campanha nao se deixar enganar com discursos e promessas ...o discurso ate pode mudar futuramente mas a gangue e a mesma

Like · 2 · 7 hrs


Like · 1 · 6 hrs

Eusebio Jose Faz mais de 10 anos que oico essa frase: producao e productividade, resoltado povo sem comida,miseria...

Like · 1 · 6 hrs

Cristiano Manejo Responsabilizaçâo ? Equipa de Inquérito e Auditoria ?

Like · 6 hrs

Mauro Dinis Figueiredo Se, nós, o povo Moçambicano, de Rovuma ao Maputo e do Zumbo ao Índico, não conseguirmos levar a barra da justiça, os responsáveis pelo desfalque financeiro já mais visto nesta pátria amada, seremos considerados a geração mais tímida, burra, conformada, complice da incompetência, falsa, etc, de todos tempos. Os nossos bisnetos terão nojo de nós. No estudo da história Moçambicana, a nossa geração não será mencionada.

Like · 6 hrs

Enio Jorge Malema No brasil estavam todos eles na cadeia o presidente levado ao impeachment la vive-se pura democracia espero um dia haver em Moçambique

Like · 5 hrs

André Mahanzule As notas do Sérgio Vieira enquadram-se mesmo na impunidade q ele mesmo gerou e fomentou tendo atingido o auge na sua gestão do GPZ, para não falarmos de outras coisas portanto uma estrema síndrome de proximidade entre o q ele diz e o q ele é e isto estende-se ao outro anterior ministro da justiça q apareceu também a desfilar o seu latim. Depois aqui na terra as liberdades estão coarctadas!

Like · 5 hrs

Cesar Tique Quem se apropria do dinheiro público tem que pagar e responder no tribunal....essas empresas tem donos, accionistas e gestores....paguem as dividas por favor....O Primeiro Ministro que tanto eu respeito, só esta a defender o seu nome, o do seu Governo e do seu partido....se ele conta toda a verdade é demitido no mesmo dia como o Presidente Guebusa fez com o Aires Ali quando o cabeceou no negocio da China (referente a circular de Maputo). Quem roubou que pague e vá ao tribunal. Queremos justiça.

Like · 3 hrs

Raúl Nhagumbe Afinal d razão tem progenitor?







7 hrs · 



Informação do Governo de Moçambique sobre a situação económica do País


Bravo, Governo de Moçambique!


Franqueza ímpar e firmeza em reconhecer os erros e se assumir inequivocamente como continuidade do Governo anterior, na implementação das políticas da Frelimo!

Mensagem principal: se quisermos ser um país sustentável e viável, então que concentremos os nossos esforços na busca da paz efectiva e na produção; é preciso desarmar a Renamo para viabilizar a multiplicação de iniciativas de investimentos em actividades produtivas que permitam aumentar a renda nacional!

Viva Moçambique!





Like

Love

Haha

Wow

Sad

Angry

Comments

Manuel Moises Americo Confesso que a comunicação do governo superou as minhas expectativas. Mas ficou a lição: comunicar e priorizar a transparência.

Like · 2 · 7 hrs

Mussá Mohamad Ficou claro que é conveniente para a frelimo que a renamo esteja armada.

E aquí também tens a resposta daquela tua inquietação, prof, do motivo que levou o presidente chissano a não desarmar a renamo na altura.

A renamo armada serviu, serve e servirá de desculpa para qualquer crise,falha causada pelo istinto de gatunagem do regime...

Repare, que desta vez o roubo foi colossal, e era precíso não apenas uma renamo armada silenciosa, mas uma #guerra para tentar distraír a opinião pública e justificar qualquer desvio de conduta do regime.

Like · 3 · 7 hrs · Edited

André Mahanzule E porque é a Renamo se permite a tais préstimos Mussa Mahomed podes dizer? Será q de facto é de alguma a Renamo armada?

Like · 1 · 7 hrs

Homer Wolf Se houvesse um concurso tipo "O que vai dizer o profe, a seguir?"
EU GANHAVA! grin emoticon

Eish... Santa previsibilidade, meu Deus!

Like · 5 · 7 hrs

Mussá Mohamad André Mahanzule, isso deves ir perguntar a renamo...eu chamo-me Mussá Mohamad e não renamo.

Estou comentando o que vejo...em meu nome pessoal.

Like · 7 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana estou ainda a prucura de lupas para ver com exatidao o famigerado roubo para poder falar com certeza

Like · 7 hrs

Naldo Felipe Ndau Aquilo é que chama-se dar a mão a palmatória Sr. Julião João Cumbane ainda acreditas nas tuas teorias de conspiração ? O PM disse quase que taxativamente que este governo está ser obrigado a assumir dívidas do anterior que não está claro em quê foram aplicadas . Ainda reconheceu que houve ilegalidade na contratação das dívidas deviam ter sido informadas a AR. Defesa da soberania , e a renamo são os bode-expiatórios usados para fugir com a seringa no rabo. Mais gostei da humildade e abertura. A questão dos acionistas da proindicus essa não ficou clara .

Like · 7 hrs · Edited

Julião João Cumbane Recomendo-te morrer de desgosto pela Frelimo,Naldo Felipe Ndau! Assim morrerás de causa justa!

Like · 1 · 7 hrs

Mouzinho Zacarias A renamo parece um movimento grande demais onde governo se esconde para proteger os que roubaram dinheiros públicos

Like · 2 · 7 hrs

Calvino Cumbe Jornalistas encomendados ninguém perguntou se serão responsabilizados ou não os gatunos porra pá. ..

Like · 7 hrs

Julião João Cumbane Calvino Cumbe, veja a recomendação que deixei para o Naldo Felipe Ndau; serve para ti também!

Like · 1 · 7 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana porquê serà que certas pessoas desejam que haja roubo e ficam desflaudadas quando nem se fala disso..?serâ porque estao habituadas acusar, julgar e condenar só pk se acham competentes .

Like · 7 hrs


Homer Wolf E "não se fala" porquê, quando é sabido que existiram?...

Like · 7 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana dê me factos sr Wolf pra me conveceres

Like · 6 hrs

Julião João Cumbane Fernando Cumbana, o Homer Wolf só fazer isso mesmo: questionar, questionar, questionar, tentando conduzir os seus inquiridos a dar as respostas que suportam as suas crenças. Ele próprio não sabe defender o que acredita, porque não tem como. Logo, ele não vai reproduzir facto nenhum, porque não tem ideia de um se quer.

Like · 1 · 6 hrs

Calvino Cumbe Não m admirarei um dia o sr ser nomeado a um cargo no governo assim comentei sobre Patrício José hoje onde está amanhã será o sr bem haja JJC continue usando seu intelecto a favor do seu estômago está no caminho certo

Like · 3 · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana é pena.sem argumentos discute pessoas e os seus atributos fisicos.

Like · 6 hrs

Homer Wolf A minha opinião está postada no meu mural. BE WELCOME...

Like · 6 hrs

Calvino Cumbe Que me lembre nas últimas eleições votei na Frelimo logo como posso morrer por ódio a este partido a minha expetativa era q o PM falasse da ilegalidade da dívida e q prometesse q seriam responsabilizados.
Não tenho nenhum problema com a Frelimo voto desde 99

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana O pm falou sim.vai rever dpois diga algo.

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana nao sò,tambem explicou pk se incorreu ao erro,caro Cumbe

Like · 6 hrs

Calvino Cumbe E porquê não falou hoje? Simples não convinha assunto incômodo mexe com os patrões.

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana a conferencia d imprensa foi clara hoje

Like · 6 hrs

Calvino Cumbe Pra o seu interesse

Like · 6 hrs

Homer Wolf Clara coisa nenhuma!...

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana naturalmente para alguns nao foi.Os que só queriam ouvir "roubou roubou,cadeia,ladrao"para esses nem os erros que incorrerram no processo nao contam pk os ouvidos estavam formatados para "roubou,latarao"

Like · 1 · 6 hrs

Mussá Mohamad E você conhece algum ladrão que chama a imprenssa para dizer que roubou ou que seu pai roubou? Fernando Jorge Francisco Cumbana...

Like · 7 hrs

Julião João Cumbane Morre lá de desgosto pela FrelimoMussá Mohamad! Será uma morte por causa justa: não gostas de viver bem!

Like · 7 hrs

Mussá Mohamad Desgosto?
Sabe...você deve rever a sua forma de olhar um país/Estado e formatar a tua mente prof...

Vou-te explicar, se quiser aprende:

Eu como cidadão não precíso amar ou odiar este ou aquele partido politíco...posso simpatizar com um ou outro,ou não...

Mas algo é inevitável...o Estado de direito democrático, a justiça social, a transparência dos que gerem o país sob meu mandato e de outros Moçambicanos.

E este estado que me preucupa...sendo o partido frelimo o gestor actual, é natural que fale dele, que lhe critique...

O que é frelimo para que eu perca tempo, odiando? Grupo de coitados doentes de espirito que se acham seres superiores que outros humanos...
Um grupo de cobardes que vive as custas do pobre povo Moçambicano...

Like · 2 · 6 hrs

Julião João Cumbane Mussá Mohamad, tu sabes pouco ou nada sobre o que andas a dizer porque. Não saber até é melhor que saber pouco e mal. Não saber é ignorância, resolve-se com a educação (formação + instrução). Já saber pouco é veneno; sem antídoto, o indivíduo envenenado morre!

Like · 6 hrs

Mussá Mohamad Você, peofessor só pode recorrer a esses truques baixos...de tentar me diminuir, com acusações de nada ou pouco saber, sobre sei lá oquê...

Mas jamais irás indicar ou refutar um só ponto do que digo...isso é sinal de falta de argumento.

Quem não pode mais argumentar, por razões óbvias...parte para atáques pessoais e acusações...

Eu sou pelo estado de direito, justiça social e se quem a belisca for a tua frelimo, vou critica-la...frelimo não é Moçambique...e eu sou por Moçambiaque.

Sei que esta não é tua língua, prof Julião João Cumbane...para tí é frelimo no céu e na terra...

Like · 2 · 5 hrs · Edited

Maulana Domingos Maulana Mussa Mohamad tem razao.

Like · 2 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana nao conheço,mas se os conheçes se calhar conviveu com eles ,daí que falas com tanta certeza.Eu apenas opto por esperar ver os factos e evidencias para acusar despido de espirito de rancor por qualquer motivo

Like · 1 · 7 hrs

Mussá Mohamad Tsc...deve ser do apelido.

Like · 2 · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana E o sr è tao iluminado por ter nome de um profeta.?

Like · 6 hrs

Mussá Mohamad Na verdade são os dois nomes de dois profetas, mas isso sei que não está ao teu alcance...
E ambos não comíam um certo animal imundo...tal como eu não #comí o sapo que o #PM tentou servír hoje no seu gabinete...

Like · 3 · 6 hrs

Edy Manuel kkkkkkkkkkkk, me ganhast

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana infelizmente percebi que nao mereces a minha atençao.na verdade o sr è o animal mais asqueroso

Like · 6 hrs

Mouzinho Zacarias Julião a comer com colher pequeno(salário do professor universitário e mais de subsídios de horas extras)e Chang e companhia a comer a granel e a francesa(dinheieo das dividas secretas).aí está diferença.

Like · 6 hrs · Edited

Ginho Bombe seu advogado do DIABO

Like · 6 hrs

Julião João Cumbane Fernando Cumbana, não esquenta os ânimos com oMussá Mohamad; ele está envenenado e condenado pelo pouco e mau saber que detém!

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana estamos quites Mussa

Like · 6 hrs

Mussá Mohamad Fernando Jorge Francisco Cumbana, tua atenção e você próprio, não são minha prioridade de vida...

Like · 6 hrs

Juvêncio Abilio Comé Quando se aliena a mente, fica-se cego até à mais nua realidade. Para certas idades, deixar-se guiar por emoções é vergonhoso.

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana estou à vontade procurando as lupas é que quero ver bem o tal roubo

Like · 6 hrs

Mussá Mohamad Qual pouco saber, prof Julião João Cumbane...não há, nunca houve ciência alguma nos teus posts...são a coisa mais fácil de refutar...qualquer analfabeto percebe o quão equivocado andas desde que escreves via facebook...

Como podes medir o meu saber, nesse tipo de debates, que se promove no teu mural?

Aquí, é você defendendo com unhas e dentes o regime, sem usar ciência alguma e eu te chamando atenção...apenas isso.

Like · 1 · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana ,juvencio,nao tenho tua idade.cheguei aquí saudavel e pretendo caminhar mais jovem .E tu vais conseguir?

Like · 6 hrs

Juvêncio Abilio Comé Vou me virar. Aliás, não é isso que vocês querem, que nós os mais jovens nos viremos?

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana a pergunta è:seràs velho algum dia?

Like · 6 hrs

Juvêncio Abilio Comé Eu é que não percebo o alcance das suas questões, caro Fernando.
Tenho que me alienar para poder chegar à velhice saudável, é isso?

Like · 6 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana o post que mandou pra mim, o primeiro,dava entender que nao chegarias a ser velho,por falta de simpatia com com as idades mais avançadas...releia

Like · 5 hrs

Edson Genuíno Cumbex Mussá Mohamad discriminando né???... Ou os Mohamads são limpos e iluminados? Baixaste até esse nível!!!??? Tive que intervir! Não falas mal só do Cumbane deste post ( meu pai) mas de toda familia Cumbane! É essa a tua maneira de intervir! Discrimando famílias e etnias??? Agora já pides falar o que quiseres! Mais não disse!

Like · 1 · 5 hrs

Mussá Mohamad Primeiro você não percebeu nada como o outro...mas esse não é problema meu...tens a sorte que o outro não teve porque vou te esclarecer o que aconteceu no meu dialogo c ele.

Quando eu disse "deve ser do apelido"...refería-me ao facto de ele partilhar o mesmo apelido com o autor do post, o professor JJC e defenderem as mesmas coisas da mesma forma...

Ele, o teu protegido, não percebeu e meteu meu nome, profetas, e eu prontamente respondi-lhe, para ficarmos quites...

Segundo; preste atenção no principio e desenrolar dos comentários e perceba com a tua mente, antes de correr para defenfer tua família...

Terceiro...vou te ensinar uma coisa:

"Se o João insulta o amiguinho chamando nomes a mãe...e este(amiguinho) por sua vez responde pela mesma moeda, insultando a mãe do joão"
Adivinha quem é o maior culpado da mãe do João ter sido insultada,?

Preste atenção, cumbex...esta de cumbex também pha!

Like · 2 hrs

Juvêncio Abilio Comé Interpretou-me muito mal. Diferente de alguns velhos que de tudo fazem para combaterem os jovens, eu, jovem, estimo os mais velhos. Segundo a educação que tive na família, é minha obrigação moral respeitá-los sempre.

O que quero transmitir no meu comentário em causa é que os mais velhos, pela idade, têm a obrigação de se distanciarem de emoções nas suas análises.

Like · 1 · 5 hrs


Like · 5 hrs

Mussá Mohamad Da próxima vez, edita directo no teu comentário...tens essa possibilidade.

Like · 1 hr · Edited

Joao de Sousa Porque será que eu tenho de me concentrar na busca da paz, quando outros, que a provocaram, não o fazem ? Vamos deixar de colocar as coisas no plural.

Like · 5 · 5 hrs

Fernando Jorge Francisco Cumbana viva a paz.vamos batalhar para alcançala.Com ela podemos fazer do nosso país um lugar seguro e prospero.Os que nao comungam o ideal da paz temos que os marginizar combatendos os empura los para caixote de lixo.As nossa ideias nao podem ser imposta pelas armas.



LA: A State of Mind
LA.COM

Like · 4 hrs

Hilario Tui Com ou sem a informacao do governo parece que amanha a coisa vai esquentar(se as noticias que tem circulaso no fb e no whatsapp forem verdadeiras)

Like · 4 hrs · Edited

Cesar Tique O mais importante é que os que levaram o dinheiro público tem que devolver....essas empresas que pediram usaram o estado a pedir dinheiro emepretado com juros altissimos tem donos, accionistas, gestores etc. Estes tem usufruido dos seu beneficios e tem que assumir seus deveres e responsabvilidades. Paguem a divida se não tem que responder na justiça.

Like · 3 hrs

Edson Genuíno Cumbex Muita verborreia só... provoca confiando no vocabulário e na tua capacidade de blá blá blá!!!


Edson Genuíno Cumbex Olha só para a palavra pejorativa e muito menos educativa que está na foto do teu perfil
... analise-a e depois decida se és capaz de me ensinar algo útil Mussa Mohamad


Edson Genuíno Cumbex Explica melhor a parte que diz: (" animal imundo" que tu nunca comeste...) e depois venha me dizer que não entendi novamente!







9 hrs · 



Governo esclarece as "dívidas ocultas"


Dentro de instantes, o Primeiro-ministro (PM) da República de Moçambique, Carlos Agostinho do Rosário, vai comunicar aos moçambicanos a situação da dívida externa deste país.


Não se espere que ele (PM) divulgue detalhes sobre assuntos classificados como segredo do Estado. Segredo de Estado é mesmo isso: segredo do Estado.

Quem espera revelações sobre segredo do Estado vai ficar decepcionado e vai andar a noticiar o que pensa e acredita no lugar do que será dito pelo PM.

Ficai atento, pois, aos jornais de mais logo ou de amanhã; haverá muito falatório!





Like

Love

Haha

Wow

Sad

Angry

Comments

Ariel Sonto Sabeis, profe, que se diz que o Banco Mundial já deu às de Vila Diogo?

Like · 1 · 9 hrs

El Patriota Não esclareceu nada, professor e poupe-nos das suas conversas para boi dormir.... Deixe-nos chorar em paz pela triste sina de sermos guiados por gente sem escrúpulos e mestre em gatunagem.

Like · 4 · 9 hrs · Edited

Isac Manjate Ntsén

Like · 9 hrs

Ximbitane Na Lenha Até onde sei "esclarecer" é justamente desmistificar segredos!

Like · 8 · 9 hrs

Rogerio Antonio Ntse'm!

Like · 1 · 9 hrs


Like · 8 hrs

Lúcio Langaa Certo.

Like · 8 hrs



Like · 9 hrs

Joao de Sousa Conferência de imprensa foi adiada.

Like · 1 · 9 hrs


Like · 9 hrs


Like · 9 hrs



Alfredo da Silva Se a dívida é soberana,não me escondam nada.preciso saber porque é que tenho de pagar

Like · 2 · 9 hrs

Isac Manjate Segredo de Estado? Ainda ousam manter isto em segredo. A verdade é que a coisa está cada vez mais ficando claro que a "bolada" não só foi para aqueles dois senhores( que não merecem meu respeito) mas também para muitos do Governo do dia, eis a razão clara do seu rabo preso. Bolada e comissões, um ciclo muito extensivo de gente que quer nos enganar.

Like · 3 · 9 hrs

Láilo Machava Professor pah! Hehehe

Like · 9 hrs

Joao de Sousa Conferência de imprensa já começou.

Like · 2 · 9 hrs

Zeca Becane Felisberto Sibia Deuteronomio 29:29, "as coisas encobertas são para o Senhor nosso Deus e as reveladas são para o uso do povo." Não tente buscar os segredos pois estes serão sempre segredo e nunca serão do seu conhecimento.

Like · 1 · 7 hrs

Chande Puna Segredos do estado? Eu deixei de usar fraldas a 50 anos, procurem enganar ou mentir aos que não têm 2 dedos de testa

Like · 7 hrs

Gaspar Americo Gove Kikikikiki pra pagar ja nao e' segredo do estado, depois dizem que o povo e' patrao,

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook