quarta-feira, 13 de abril de 2016

Presidente Nyusi plagiou o Hino Nacional da Mulher Moçambicana.

ABERTURA DA V SESSÃO ORDINÁRIA DO COMITÊ CENTRAL: Presidente Nyusi plagiou o Hino Nacional da Mulher Moçambicana.
Não quis acreditar quando li no ponto 37 e 38 do discurso
37. A FRELIMO já traçou a política do Povo que está a ser vivida e difundida, noite e dia.
38. Nós, a FRELIMO, olhamos com firmeza, na certeza da vitória.

As passagens acima são citações taxativas sem paráfrase ou atribuição autoral ao Hino da Mulher Moçambicana, património histórico do povo moçambicano. Podem ouvir a partir do minuto 1:57 do video que aqui partilho, ou mesmo consultar a versão escrito do mesmo hino.https://goo.gl/HDPhvm
Isto é plágio. Revela falta com a integridade intelectual.

Mas ainda mais. O seu discurso enceta de forma titubiante uma ruptura com as nateriores duas presidências da Frelimo e do país.
No parágrafo 30 pode se ler:
"30. Queremos reviver os sonhos de Mondlane, de Samora, de Marcelino dos Santos, de Feliciano Gundana, de Pascoal Mucumbi, de Lopes Tembe, de Gilberto Betuel Matavele e outros tantos, uns aqui presentes, sem com isso excluirmos os que aqui não citamos"

Durante a campanha este Presidente dizia que queria construir o quarto andar, para continuar com os sonhos de Samora, Chissano, Guebuza e (ele, o quarto). Como Presidente da Frelimo, sempre se assumiu como continuador dos ideias de Mondlane, Samora, Chissano e Guebuza. Daí o lema "O MESMO IDEAL". Hoje, já se assume continuar de todos menos os ausentes claramente identificados.
UM PRESIDENTE DA REPÚBLICA QUE NÃO CONHECE O TRABALHO DE CADA UM
No parágrafo 12 o Presidente diz:

"12. O Partido Frelimo condena veemente os assassinatos bárbaros de José Manuel, membro do Conselho Nacional de Defesa e Segurança, na cidade da Beira e de Marcelino Vilanculos, Procurador da República, nesta cidade da Matola e encoraja as FDS a continuar a procurar o rápido esclarecimento destes actos macabros".
Senhor Presidente, quem investiga crimes não são as forças da defesa e segurança. São autoridades judiciárias, nomeadamente PIC, PGR e os tribunais. As forças de defesa e segurança são para isso mesmo: defesa e segurança.
E por fim, uma bomba de mentira
"16. No Centro do País, em zonas bem localizadas, o Povo vive o terror e medo causado pelos homens armados da Renamo. 
17. Atacam viaturas, invadem machambas, perseguem líderes comunitários e dirigentes do nosso Partido, a nível da base.
18. Estes cenários calamitosos e criminosos, apesar do nosso bom nível da resposta, continuam a provocar sofrimento e perda de vidas humanas e de bens".

Para começar, o país todo está em guerra. E depois,a resposta do governo não é boa. É má. Ontem mesmo declarou o ALERTA VERMELHO INSTITUCIONAL.
Senhor Presidente, bom trabalho ai. Traga-nos a PAZ.
Aceda o discurso do PR com minhas notas aqui: https://goo.gl/THUw44
PS: Vai desculpar-me mano Carlos Candeado e demais, o resultado da sondagem só amanhã.

Não poucas vezes, o Egídio tem nos brindado com banquetes de paradoxos aqui no Facebook. Hoje fala de alegado plágio feito pelo PR na abertura da V Sessão Ordinária do Comité Central. Para mim trata-se de uma não questão, o PR, o mais alto magistrado da Nação tem o dever e a responsabilidade de promover a unidade, os símbolos e os valores nacionais. O Hino Nacional da Mulher Moçambicana de que Egídio faz referência, é propriedade de um País onde Filipe Nyusi é presidente. O Presidente não usou extratos do Hino para vender e ganhar dinheiro, usou, isso sim para exaltar os valores nacionais, para se dirigir ao povo e aos membros do seu partido. A falta de integridade intelectual, é o que Egídio tenta aqui camuflar, nomeadamente, pegar em partes de um todo e forçar uma análise e perspectiva, demonstrando claramente o défice democrático no seu exercício ou reflexão.
Egídio nos arrasta a mais uma toca onde vive e convive com o paradoxo, quando usa partes do discurso para falar de alegada ruptura, como se tal ruptura fosse crime. As ciências sociais ensinam-nos a ruptura e continuidade, aliás, na obra introdução à Filosofia de Giovanni Reale e Dario Antiseri, os autores dizem numa certa passagem que: Um grande discípulo não é aquele que passa a vida a repetir as ideias do seu mestre, mas sim aquele que a partir das ideias do seu mestre procura alcançar outros horizontes. Egídio volta a fazer de bobos seus leitores, a quem várias vezes apelou para que tivessem ruptura (corte e desligamento total) da nossa história, porque segundo ele era tudo mentira. Ora, ele mostra aqui a falta de integridade intelectual, pois suas posições são feitas segundo as circunstâncias, isto é, convém legitimar a história da Frelimo ligada ao país quando é para dizer e insinuar que há ruptura e convém negar quando é para sabotar a visão estratégica da Frelimo e do governo.

A análise do ponto 30 é uma fraude, pois se por um lado o presidente disse: “ Queremos reviver os sonhos de Mondlane, de Samora, de Marcelino dos Santos, de Feliciano Gundana, de Pascoal Mucumbi, de Lopes Tembe, de Gilberto Betuel Matavele e outros tantos, uns aqui presentes, sem com isso excluirmos os que aqui não citamos". O Egídio conclui que isto significa que:” Hoje, já se assume continuador de todos menos os ausentes claramente identificados”. A questão é, em que momento o PR teria dito que se assume continuador de todos menos dos ausentes claramente identificados? Está Egídio a insinuar que o PR está a dizer que não é continuador de Chissano e Guebuza? O facto de não os ter mencionado aqui, não significa que eles não sejam sua referência, aliás, ele podia ter falado de Gungunhana (a quem Egídio já fez várias acusações), podia ter falado de vários libertadores, mas isso não significa que eles (Chissano e Guebuza) não são sua referência, como ele mesmo disse no ponto 30 “sem com isso excluirmos os que aqui não citamos”.
A falta de conhecimento sobre as Forças de Defesa e Segurança por parte de Egídio é de dimensões assustadoras e eu prefiro fazer as seguintes perguntas/respostas: A Polícia não faz parte das FDS? A PIC não faz parte da Polícia? Então…Isto é que chama de integridade intelectual? 
Sobre os pontos 16, 17 e 18 tenho também perguntas/respostas: Onde é que se registam os ataques? A resposta a esta pergunta satisfaz o ponto 16. Sobre o Ponto 17 lembra-se do episódio de Nhamatanda ocorrido em fevereiro, onde um Juiz Comunitário e Primeiro Secretário do Comité do Círculo do Partido Frelimo em Chirassicua, foi morte pelos da RENAMO (http://tinyurl.com/jamuuwe). Sobre o ponto 18, lembra-se da senhora que foi morta quando vinha de Nampula onde fazia seu negócio de venda de portas e que pagava a universidade para filho pois o marido era doente? Lembra que o IGECOF deu bolsa ao jovem depois do cenário publicado pela midia? 
Por último se a governação não é boa é má, é uma análise subjectiva a ser respeitada da mesma forma que quem pensa diferente (que acha que é boa) deve também ser respeitado.

PS: eu espero pela sondagem, espero pelas promessas de pesquisas, análises, conclusões baseadas na ciência, livros, etc que já prometeu. Eu espero, espero sobretudo pelo debate democrático e não intimidação e chantagem emocional.LBamo

Frelimo Sim, Dalfino Hóster Guila, Mablinga Shikhani ve 18 diğer kişi bunu beğendi.
Yorumlar
Homer Wolf
Homer Wolf eh eh eh... "Egidio vive numa toca em que convive com o paradoxo" ?... 
Parece que ultimamente virou moda identicar mozes que vivem em lugares pouco convencionais, nomeadamente tocas, grutas, etc... 
grin ifade simgesi
12
4 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Deixa-me debater com Egidio Vaz voceHomer Wolf
2
4 saat
Homer Wolf
Homer Wolf So quis por sal na xima... 
Divirtam-se 
grin ifade simgesi
3
4 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Voce gosta de por sal, vinagre, caldo, piri-piri etc... kkk
4
4 saat
Sic Spirou
Sic Spirou He he he eh tocas e grutas mesmo...tá na moda.
1
3 saat
Francey Zeúte
Francey Zeúte Que seja sal nacional, das salinas Zacarias, ok brother Lobato? kekek
1
3 saat
Egidio Vaz
Egidio Vaz Só olho
3
4 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Vai me olhar no Kopus amanhã kkkk
Egidio Vaz
Egidio Vaz Lazaro Mauricio Bamo, dois pontos.
Primeiro: plágio é plágio. Seja para fins lucrativos ou não. Eu constatei o plágio e provei.
Segundo, as minhas constatações são factuais. Retirando a minha discordância com o que o PR acha ser boas medidas na abordagem na guerra e calamidades naturais , ainda fica por provar como é que ele acha que está certo quando o que se tenta curar mostra-se ainda pior. Decretar alerta vermelho institucional é sinal de melhoria da situação? Quero aprender. 
Para terminar, agradecia que fornecesse o link para que as pessoas interessadas possam por si ler o texto integral.
Abraços
2
3 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Egidio Vaz o alerta vermelho está ligado às calamidades naturais. Esta medida visa dar resposta clara e eficiente para mitigar o impacto da seca nas zonas sul e centro.
Egidio Vaz
Egidio Vaz Kkkkk. Afinal? E de que me referia no texto?
Egidio Vaz
Egidio Vaz Mbuya Bamo, nao existe se quer um único paradoxo no meu texto. No teu sim e passo a citá-los:
1=Primeito, o Lazaro Mauricio Bamo não traz nenhuma definição alternativa do que considera plágio. Sem concordar com a minha, enceta a fuga em frente e estupra fortemente o conceito de plágio para conidiona-lo a interesses comerciais. Mao Bamo, plágio é plágio, seja ele para fins lucrativos ou não. Ademais, o Hino da Mulher (e não nacional da mulher moçambicana, porque não é nacional é património e não propriedade. Entre um e outro conceito vai uma grande diferença. E, como propriedade intelectual, também tem autor. Cita-se ou parafrasea-se quando se quer dizer as mesmas palavras já ditas por alguém em um sítio. É princípio de integridade intelectual. Aqui não negociamos.
2-Da sua "toca de equivocos", o mano Lazaro Mauricio Bamo retira mais um coelhinho morto ao tentar DESAFIAR/ DISCORDAR com uma simples constatação. Eu constatei que no discurso do PR houve uma omissão forçada dos nomes de Chissano e Guebuza, num sentido titubiante de sugerir roptura. Ao ter dito isto, para além do termo titubuante e rutura, são constatnções com as quais não so concorda como apoia-as vivamente quando, citando um filosofo que bem conhece "questionou-me sem necessidade.
Este texto já vai longo. Se quiser mais volto.
3
3 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Aqui na periferia a net nao ajuda...venho
Américo Matavele
Américo Matavele Kkkkkkkkkkkkkkk... Occam razor.
Egidio Vaz
Egidio Vaz Este é o meu ultimo comentário (já que o Mbuya Lazaro Mauricio Bamo me deixa falar sozinho). Acedam ao discurso do PR com minhas notas objectivas aqui: https://goo.gl/THUw44
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo A. Conduzir
Gito Katawala
Gito Katawala LMB, can you chew the bite?
1
2 saat
Lazaro Mauricio Bamo
Lazaro Mauricio Bamo Hehehe how my older brother kkkk
Tomás Guima
Tomás Guima Não li o post do Egidio mas quero ver se estou equivocado em relação ao ponto 30. Parece que o mano Egidio considera,que os nomes de Guebuza e Chissano,deviam figurar neste ponto. Mas ele esquece que estes dois são evocados nas primeiras linhas do descurso o quue significa ques estes são uns dos distinatarios do descurso. Estarei errado? Peço ajuda dd alguem que fez linguistica
Egidio Vaz
Egidio Vaz Nunca foram citados senão nas observações protocolares
Chande Puna
Chande Puna Eish...and he chewed a big pice
1
1 saat
Mablinga Shikhani
Mablinga Shikhani Heheheheheheheheheheheh... Isto vai acabar mal...
Gosto
Discurso do Presidente da FRELIMO Camarada Filipe Jacinto Nyusi, por ocasião da Abertura da V Sessão Ordinária do Comité Central
Maputo, 13 de Abril de 2016

Camarada Secretário-Geral da Frelimo;
Camaradas Membros da Comissão Política;
Camarada Joaquim Chissano, Presidente Honorário da  FRELIMO;
Camarada Armando Guebuza, Antigo Presidente da FRELIMO;
Camaradas Membros do Secretariado do Comité Central;
Camaradas Membros do Comité Central;
Caros Camaradas Convidados;
Minhas Camaradas e Meus Camaradas!

1. Hoje é um dia importante para a nossa Gloriosa FRELIMO e  para todos os seus militantes.
2. A V Sessão Ordinária do Partido FRELIMO, é igualmente importante para todo o Povo Moçambicano porque dela sairão  resoluções com impacto na vida de todos os moçambicanos.
3. Por isso, é com elevada honra que endereçamos as nossas  saudações de boas vindas a todos camaradas membros do Comité  Central à esta nossa base Central na Matola.
4. As nossas boas vindas são extensivas a todos os Camaradas convidados à esta jornada histórica, avaliando pela expectativa  gerada com base na sua agenda dos trabalhos.
 5. Saudamos, igualmente, a todos membros do nosso vitorioso Partido, em todo território nacional e na diáspora, que de forma  incansável trabalham, lado-a-lado com o nosso Povo, na  promoção da Paz e do progresso.
6. Usamos este momento para felicitar toda mulher moçambicana, e em particular a mulher da FRELIMO, por ter  celebrado neste mês de Abril, dia 7, o dia de reflexão sobre os  avanços decorrentes da sua libertação.

7. No intervalo que separa a I Sessão Extraordinária do Comité Central da presente, realizou-se, com sucesso, o IV Congresso da OMM.
8. Usufruindo das liberdades que lhes são conferidas pelos seus Estatutos, a OMM revitalizou os seus órgãos, a todos os níveis.
9. Nesse processo, proclamou a Camarada Isaura Gonçalo Ferrão Nyusi como Presidente, a Camarada Maria da Luz Dai Guebuza como Presidente Honorária e elegeu a Camarada Mariazinha  Niquisse para Secretária-Geral da maior e mais antiga  organização da Mulher em Moçambique.
10. À todas, desejamos sucessos nas missões que passaram a  assumir. Uma palavra de apreço vai para a Camarada Maria de  Fátima Pelembe, e seu elenco, pela forma segura e consistente  com que dirigiram as mulheres.
11. A marca principal da sua direcção, Camarada Maria de Fátima, são as vitórias alcançadas nas eleições Autárquicas, Gerais e das Assembleias provinciais.
Minhas Camaradas e Meus Camaradas!
12. O Partido Frelimo condena veemente os assassinatos bárbaros de José Manuel, membro do Conselho Nacional de Defesa e Segurança, na cidade da Beira e de Marcelino Vilanculos, Procurador da República, nesta cidade da Matola e encoraja as FDS a continuar a procurar o rápido esclarecimento destes actos macabros[EGVR1] .
13. Como é do vosso conhecimento, o Norte e parte do Centro do Pais está a ser assolado por chuvas intensas, ventos fortes e descargas atmosféricas.
14. Por outro lado, outra parte do Centro e o Sul do Pais, vivem a seca e estiagem.
15. Em ambos os casos, regista-se a perda de culturas e de gado, destruição de habitações e infraestruturas diversas. 
17. Atacam viaturas, invadem machambas, perseguem líderes comunitários e dirigentes do nosso Partido, a nível da base.
19. Tomamos igualmente esta oportunidade para endereçar uma mensagem de pesar às famílias que perderam os seus ente-queridos e apresentamos a nossa solidariedade às famílias que perderam os seus bens. 
20. Ao mesmo tempo, exortamos a todo o Povo Moçambicano, a todos os que acompanham e se juntam ao sofrimento destes concidadãos, para que continuem a dinamizar as campanhas de solidariedade com vista a mitigar o sofrimento das populações afectadas.
21. Usamos esta oportunidade, para exortar a todos os participantes nesta Sessão, para se juntarem ao movimento de solidariedade, dando o seu contributo para minimizar o sofrimento destas famílias.
Camaradas Membros do Comité Central;
Estimados Camaradas Convidados!

22. Como forma objectiva de orientar a nossa actividade de liderança do Partido, quando iniciamos este ciclo definimos que 2015 seria o momento de fortalecimento da nossa coesão interna e de aprimoramento do nosso relacionamento.
23. Trabalhamos com cada um dos membros do Comité Central, a nível de todas as províncias, num programa que alargamos aos membros dos Comités Provinciais.
24. Juntos debatemos os problemas que podem afectar o nosso desempenho como militantes da FRELIMO, na materialização do nosso programa.
25. Trabalhamos com os Primeiros Secretários e avaliamos a sua relação de trabalho e de aconselhamento junto às estruturas locais, sem discriminação.
26. Fizemo-lo cientes que somos o Partido no poder e, por isso, com a maior responsabilidade na vida das populações e na construção do seu bem-estar.
27. Neste ano, a nossa agenda está virada para o reforço da DISCIPLINA INTERNA do nosso Partido.
28. Queremos com esta abordagem influenciar de forma intensa a promoção da disciplina individual de cada membro do Partido, de forma a consolidar a disciplina colectiva nos órgãos, a diversos níveis.
29. A nossa meta é alimentar o exercício retomado no ano  passado, o de fortalecimento da coesão interna do Partido,  preservando assim os valores e os princípios da FRELIMO.
31. O nosso sonho é ver um membro na sua Célula, no seu quarteirão, um membro a criticar e a ser criticado, um membro pronto e disponível, pontual, um membro que ouve e é ouvido.
32. O Sonho dum Camarada que confia e é confiado, que exprime o seu pensamento livremente e em frente do seu Camarada, ou do órgão a que pertence; uma disciplina de quem usa o espaço do seu órgão para fazer crescer a FRELIMO, para fazer progredir o país.
33. Sonhamos com um membro do Partido que respeita o bem público e que encontra oportunidade igual a dos outros para a sua auto- superação.
34. Na disciplina partidária, não encontramos o espírito de quem é mais ou menos importante, mais ou menos influente.
35. Respeitamos a experiência, e exploramos a experiência dos que mais a possuem e dos que mais a acumularam ou adquiriram créditos das lições da FRELIMO.
36. Com a DISCIPLINA, se vencem batalhas.
Camaradas Membros da Comissão Política;
Camaradas Membros do Comité Central;
Caros Camaradas Convidados;
Estimados Compatriotas;
Moçambicanas e Moçambicanos!
38. Nós, a FRELIMO, olhamos com firmeza, na certeza da vitória. [EGVR5] 
39. Por isso, estamos neste espaço mágico, da Matola, para quatro dias de reflexão.
40. Estamos aqui para recordar a luta que ontem exigiu muita  coragem e determinação para ganharmos as batalhas.
41. Fazemos, conscientemente, sabendo que os tempos mudaram mas o valor da nossa liberdade conquistada com sacrifício prevalece.
42. Viemos aqui buscar a nossa inspiração, a partir do passado, e  reconstruir um compromisso com base em princípios de uma  frente nova e comum em prol de um crescimento sócio –  económico equilibrado.
43. Para nós, a reflexão deve ser igual as autópsias.
44. Quando se realizam autópsias sem atribuir culpas antecipadas, está-se a dar passos importantes no sentido de criar um clima em que a verdade é ouvida.

Camaradas!
45. Quando se é pobre, há tendência de se considerar que a pobreza é também mental ou intelectual.
46. Há tendências de se pensar ou decidir pelo pobre, renegando  a liberdade do pobre, ou do mais fraco, decidir sobre o seu  futuro.
47. Nós, o Povo Moçambicano, podemos, temos e devemos pensar e decidir sobre os nossos próprios destinos.
48. É o que os nossos militantes esperam de nós nesta sessão.
49. É o que o Povo espera celebrar, e a sociedade toda está atenta.
50. Para além da agenda tradicional de análise e debate de relatórios da nossa Organização e produção de moções e diferentes resoluções da vida interna do Partido, esta Sessão elegeu temas que preocupam aos moçambicanos como prioridade.
51. Constituem temas que merecerão o maior tempo e atenção da nossa reflexão, o debate sobre a busca da PAZ duradoura para  os moçambicanos e a situação económica do país.
52. A falta de Paz efectiva condiciona o crescimento económico, e este se confronta com diferentes adversidades, que teremos tempo para debater.
53. A situação de Paz e o comportamento da nossa economia, embora seja parte da conjuntura regional e internacional, aumenta o custo de vida dos moçambicanos e reduz a sua esperança.
54. A FRELIMO tem que liderar o processo que visa contornar este mal e nós somos os escolhidos para fazer parte deste  momento com o apoio de todo nosso Povo.
Caros Camaradas!
55. A V Sessão do Comité Central vai também deliberar sobre a realização do 11˚ Congresso da FRELIMO.
56. Portanto, anunciará aos moçambicanos o calendário da nossa festa de reafirmação da Visão, Missão e Valores revitalizados.

Obrigada pela atenção.







 [EGVR1]O Senhor presidente não conhece o trabalho de cada um. Quem investigar e esclarecem crimes não são as forças da defesa e segurança. São as autoridades judiciárias: PGR e PIC e depois os Tribunais


 [EGVR2]É todo país senhor Presidente


 [EGVR3]Ontem mesmo o Estado decretou alerta vermelho institucional


 [EGVR4]Chissano e Guebuza? Esta passagem ensaia titubiante a rutura


 [EGVR5]Hino da Mulher

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook