segunda-feira, 4 de abril de 2016

Português em lista comprometedora confidencial


Divulgação de documentos está a ser feita por um consórcio de jornalistas de investigação

Foto: DR

04 Abril 2016 às 01:09


Há um nome português nos documentos secretos que um consórcio internacional de jornalistas começou a divulgar este domingo.

O empresário português Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira, que está a ser investigado no âmbito da operação Lava Jato, aparece na lista comprometedora divulgada este domingo.

A lista resultou de uma fuga de informação envolvendo a empresa de advogados panamiana Mossack Fonseca, revela 107 novas sociedades "offshore" ligadas a citados no caso Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção que envolve várias empresas, incluindo a petrolífera estatal Petrobras, no Brasil.

DOCUMENTOS SECRETOS REVELAM COMO A ELITE ESCONDE DINHEIRO

O portal de notícias brasileiro UOL, um dos mais de cem meios de comunicação envolvidos na investigação, noticia que a Mossack Fonseca criou sociedades em "offshores" para pelo menos 57 indivíduos já publicamente relacionados com o esquema de corrupção na Petrobras.

Idalécio de Oliveira terá aberto várias empresas "offshores" em paraísos fiscais, meses antes de vender à Petrobras parte de um campo de petróleo no Benin, em 2011.

A Mossack Fonseca constituiu a empresa Lusitania Petroleum Holding Limited nas Ilhas Virgens, em julho de 2010, a pedido do português e sete meses depois a Petrobras comprou o campo no Benin a uma subsidiária da Lusitania Petroleum, mas nunca encontrou petróleo naquele campo da África Ocidental.

OS NOMES DOS "DOCUMENTOS DO PANAMÁ"

O portal UOL escreve que os responsáveis pela investigação da Lava Jato suspeitam que a transação resultou no pagamento de subornos ao presidente da Câmara dos Deputados e líder do Partido do Movimento Democrático do Brasil (PMDB), Eduardo Cunha, algo que o político nega.

O UOL cita um relatório do Procuradoria-Geral da República, de 2011, segundo o qual Idalécio Oliveira transferiu eletronicamente 10 milhões de dólares (8,7 milhões de euros) para uma conta num banco suíço, mantida por João Augusto Rezende Henriques, ligado ao PMDB.

A transferência foi feita através da Acona International Investments Limited, uma empresa sediada nas ilhas Seychelles, também registada pela Mossack Fonseca.

PANAMÁ INVESTIGA REVELAÇÃO DE LISTA COMPROMETEDORA

Segundo o relatório, semanas depois, Rezende Henriques transferiu eletronicamente 1,5 milhões de dólares (1,3 milhões de euros) para uma conta num banco suíço.

Rezende Henriques disse, em depoimento à Polícia Federal, que "a conta indicada para o pagamento pertencia a Eduardo Cunha".

Em maio de 2010, e-mails trocados entre funcionários da Mossack Fonseca sugerem que a Lusitania Petroleum foi criada para ser negociada em bolsas de valores, escreve o UOL.

Os funcionários discutiam alterações no contrato social da empresa para adequá-la às regras, e tinham também a ideia de replicar o estatuto noutras companhias "offshore" do Lusitania Group.

Entre junho de 2010 e maio de 2011, o português adquiriu ou transferiu para a Mossack Fonseca 14 sociedades "offshore".

Em maio de 2011, Idalécio Oliveira respondeu à Mossack Fonseca que os seus negócios envolviam, na altura, minas em África e no Brasil e exploração de petróleo em África, e disse ainda que entraria em breve no negócio da exploração do petróleo no Brasil e na Ásia.

A lista hoje divulgada inclui 12 líderes mundiais incluindo chefes ou ex-chefes de Estado e atuais e antigos primeiros-ministros. Ao todo são 140 políticos de mais de 50 países.

Entre os nomes divulgados encontram-se os do rei da Arábia Saudita, do Presidente da Argentina e de elementos próximos do Presidente russo Vladimir Putin, o presidente da UEFA, Michel Platini, e a irmã do rei Juan Carlos e tia do rei Felipe VI de Espanha, Pilar de Borbón.

O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação precisa que mais de 214 mil entidades "offshore", em 21 paraísos fiscais, aparecem, em 11,5 milhões de documentos, ligadas a mais de 200 países e territórios.

Adicionar um comentário...
Quase que jurei que seria o Sócrates...
GostoResponder716 h
Vc não deve andar muito longe da verdade..., vamos dar tempo ao tempo!!!!! O negócio da Oi no Brasil pela PT (agora Fharol), está na mira da operação Lava-Jato onde os meninos Lula&sócrates meterem os dedinhos no ''pote'' do mel e parece que ficaram demasiado lambusados...! A ver vamos...
GostoResponder1113 hEditado
Duarte Sá Ferreira ...a ver vamos como diz o cego...mas pelo andar da carruagem provas é que é mais dificil, mais fácil é fazer como você faz ...insinuar e para si já vi que é suficiente para acusar alguém.
GostoResponder38 h
Off shores são o buraco negro para os capitais ilícitos.. os manuais de macroeconomia chamam-lhes «capitais errantes», mas na realidade é tudo cheio de lama..
GostoResponder516 h
Por isso que não acaba a mama dos offshores,porque toda esta turma de corruptos que nos governam escondem lá os seus milhões!
GostoResponder315 h
E as "operações over-night" feitas pelas grandes empresas como EDP, antiga Sonecom/Optimus e actual NOS, PT, Vodafone, e a quase totalidade de prestadores de serviços de Telecomunicações, Energia e tudo quanto envolve autorizações de Débito Directo em Conta (acham que os erros de Facturação, normalmente Sobre-Facturação, são apenas erros?), além dos próprios bancos e sociedades financeiras?


O dinheiro sai daqui à meia-noite, vai para outros lados, sempre circulando conforme os vários fusos horários, para chegar de volta a Portugal passadas 24 horas, rendendo BALÚRDIOS que nunca são contabilizados oficialmente e muito menos são objecto de qualquer controlo ou processamento fiscal?

E tudo isto com a cumplicidade e conhecimento quer dos bancos, quer do Banco de Portugal (que continua a permitir tais actividades), quer da CMVM e até do próprio Fisco, sem que NADA seja feito?
GostoResponder515 h
Se o Correio da Manha sabe desta lista amanha la estara escarrapachado o nome do Socrates ou então entreguem o caso a Felicia Cabrita do Sol
GostoResponder315 h
Se o nome desse aldrabão e troca-tintas está metido no caso, que o escarrapachem em letras gordas e a côres em todos os jornais..., e venham eles todos, os nomes dessa canalha que suga o país e sugou os portugueses que vivem de salários de miséria e não têm offshores para guardarem as suas pobres poupanças!!!!!!! O menino sócrates que se cuide, pois já tem muito lixo no seu historial e se calhar vão acrescentar mais este que acaba de sair nos jornais e a procissão ainda nem no adro vai...! Não tenho pena nenhuma dessa escumalha que nos engana e nos rouba todos os dias!!!!
GostoResponder613 hEditado
Há comentários com humor..... Lamento..... Este assunto deve ser critado com sentimentos.... quem paga os seus impostos, revolta-se contra esta trama de gatunos à solta e livres .... num mundo cada vez mais desumano, onde os jovens, na sua maioria, cada vez mais dependem dos seus familiares. Portanto, há que criticar com cabeça, pés e mãos, até às últimas consequências. Quem faz parte destas vigarisses, e, que tem anos e anos.... deveriam ser punidos por quem de direito. Espero para ver, se é mais um escândalo, para venderem jornais e revista,que contribuiem para encher os cofres de alguém. ILS
GostoResponder39 h
Naturalmente que qualquer cidadäo atento sabe que o virus que provoca continuas crises econömicas

e assimetrias sociais de arrepiar tem sido a ligacäo umbilical de alguns grupos econömicos com politicos.Em poucas palavras se justifica a existencia de opulentas riquezas e a miseria total da maioria da populacäo mundial.Mais se os bens produzidos pelo "plebe"fossem honestamente renumerados,näo havia as precariedades conhecidas.
GostoResponder19 h
mas há algo de novo nos nomes. q gente mais burra. os paises dos ditadores se nao for no panamá é noutro lado.agora platinis e messis, bao-semasé phuder. ja foram condenados por isso. ja agora, ó dono do jn, o site está uma merdda. 100 * pior.
GostoResponder18 h
Não dizes nadinha de jeito. É que não se aproveita mesmo nada!
GostoResponder17 h
Jorge Alves deves dizer tu alguma coisa. tira as palas. és daqeles q acredita em td. a in teligencia falou, o mundo vai parar p te ouvir. arranja um cereb
GostoResponder6 h
Jorge Alves nao falas? tens medo?nem sabes o q has-de dizer, deves-te por a ler comentarios e pensas n tua vida inutil. qd n se sabe o q dizer, faz-se como tu .................olha p ideias feitas............és mt intreligente...........debem de ter mt orgulho em tie...........balha-me deuzzzzzzzzzzzzzz......qeres 2 cafesezzzzzzzzzzzzzzz
GostoResponder6 h
corrupçao a alto nivél
GostoResponder15 h
Um amigo meu que dizia 300 000 euros bastava a abrir uma conta em "offshore" e era legal
GostoResponder5 h
Alguem que se chame Idalécio tem obrigatoriamente de ter problemas graves. a começar pela mãe que permitiu tão grave atentado contra o filho. depois foi um crescendo.....
GostoResponder14 h
Ninguem merece confiança. Não há policia que chegue.
GostoResponder4 h
Alberto Silvus · 
Works at Luxembourg
Um apenas? 

São vàrios mas qual à razão não dizem quem é ? 
Protejer esses grandes senhores tem medo?
GostoResponder4 h
Uma certa direita começou já a salivar, com a eventualidade de aparecer o nome de José Socrates. Eu não ponho as mãos no fogo por ninguem. Há uma direita muito obtusa que só vê corrupção em Sócrates,Lula,Dilma,Putin e por aí fora.Vejámos, a noticia fala de corrupção ligada ao caso lava jato, a amigos de Putin,a Platini a pessoas da familia real de Espanha,etc. Nuns casos já há investigação há muito tempo, não há novidade.Mas as novidades são de países em como Argentina Russia Islandia,etc. Parece que da Europa Comunitária, ou dos EUA não vem muita coisa,sabendo-se que obviamente...Ver mais
GostoResponder14 h
Alberto Silvus · 
Works at Luxembourg
Não estou de acordo consigo sobre alguns Nomes que refere nada tem com este caso se se fala ha anos e provas nada se viu para mim é mais politico para tirar do poder um se conseguiu meter fora das eleições e do Putin tem havido uma campanha contra ele e relembro um grande patrão russo fez isso e foi preso por lavagem de dinheiro e depois disseram era um preso politico que nada tem com isso tudo dépende quem escreve o artigo a maneira deles. Ha muita gente pensa que o Putim e a Russia que é comunista que nada tem mas sim anti comunista. 

A imprensa de hoje que é controlada por gra...Ver mais
GostoResponder2 h
Alberto Silvus · 
Works at Luxembourg
Veja o YouTube marque 

Cash tabac 
é um inquérito muito quente do canal France 2 vai ter uma grande supresa quem o português que aparece depois de uma hora depois mas veja tudo que muita gente me critica assim vejam està em francês procuram alguem fale francês
GostoResponder2 h
Eh pá, os srs jornalistas do JN têm omitido continuadamente os nomes do actual presid da Ucrania e o pai do PM do R Unido, D. Cameron. Porque será??
GostoResponder13 h
Waaaoooo....So preciso algum para comer...mais algum para farras.....
GostoResponder3 h
Onde esta' a noticia???! Seria noticia se dissessem que o parlamento aprovou Leis para combater as off-shores. Como isso nunca ira' acontecer, temos esta noticietas de fugas de informacao.
GostoResponder3 h
Cá para mim, foi o Sócrates, quem " inveitou " as off shores. Merecia um prémio de " inventor ". No mínimo. Por acaso, ouviram as " conversas " entre os dois eminentes e honestos (?) servidores do bem comum ( olha o FMI !!! ), sobre a questão grega.? E outos países, como Poirtugal, por exemplo, como é que é? Abram a pestaninha e não sejam patetas ( por encomenda ).
GostoResponder1 h
E para além da tentativa de se vingarem do Putin , por ele ter ajudado as FFAA Sírias a DERROTAR os grupos terroristas do EI, contra os interesses dos EUA / Ocidente, NADA.... PUTIN que nunca é sequer citado nos documentos ... NADA de ilegal é referido pelos jornalistas: Offshores legais! Colocar dinheiro em Offshores é legal e ... à luz da legalidade imposta pelo Capitalismo financeiro Neolibreral, tudo Muito Legal ! ... Tão legal como o CASO do Homem do Pingo Doce que tendo enriquecido em Portugal , à custa dos portugueses, foge a pagar impostos em Portugal, aos portugueses e vai pagá-los numa Offshore aos holandeses para pagar menos !!!
GostoResponder159 min
E ainda o Belmiro ... e ... e... e...
GostoResponder156 min
cADEIA COM TODOS OS CORRUPTOS, COM UMA JUSTIÇA JUSTA E IMPARCIAL, OS TRIBUNAIS FAZEM O SEU TRABALHO, NADA DE GOLPES, NÃO MISTUREMOS AS COISAS.
O Mistério Público com pelo memos mais seis meses de "investigação", pode ser que finalmente encontrem o que até agora nada disserem, falam muito, mas acusação, zero, a não ser como dizia o outro (com o devido respeito pela sua memória), ah temos... temos, gasolina no biato. lol

Mas por obra do divino espírito santo de orelha, quiça, se não encontram alguma coisa?
Vão procurando, que pelos vistos, tem todo o tempo do mundo, enquanto alguém continua a ser difamado e julgado na praça pública com o auxilio da Justiça.
GostoResponder119 minEditado
Digam o que quizerem mas já hoje ouvi, que neste caso das massas no PANAMÁ disseram estar em curso, uma investigação em vários paises e sobre vários fugas. As ofshores deviam pura e simplesmente desmanteladas, porque podem servir para qualquer coisa positiva, mas é bom lembrar que serve para tráfego de armas e outros valores bem como o maior que é o possivel apoio do terrorismo e seres humanos, branqueamento de capitais vindos da corrupção bem como a sua lavagem. Possivelmente há um português nesta lista? SÓ UM? Há justiça não peço exijo; operacionalidade rápida, transparência e coragem, chega de olhar a nomes a justiça têm que ser igual para todos.
Uma coisa e certa, se forem os americanos a investigar estes corruptos, vai-lhes acontecer o mesmo que aos da FIFA, cadeia e penso eu os milhoes a reverter para os paises a que pertencem. Ao contrario de certos paises europeus incluindo Portugal, os americanos investigam primeiro, reunem provas convincentes e depois e que prendem. Nos os europeus, primeiro prendemos e depois investigamos e o resultado esta a vista, estao a recordar-se do caso Socrates?
A investigação de mais de 100 jornais sobre bens em paraísos fiscais de políticos ou personalidades de destaque é "um crime e um ataque" contra o Panamá, afirmou o diretor da firma de advogados Mossack Fonseca.
"É um crime, um delito", declarou no domingo à agência noticiosa France Presse (AFP) Ramon Fonseca Mora, diretor e fundador da Mossack Fonseca, após a divulgação de vários documentos, denominados "Documentos do Panamá", propriedade desta firma panamiana, especialista na gestão de capitais e patrimónios.
A investigação sobre 11,5 milhões de documentos encontrou bens em paraísos fiscais de 140 políticos ou personalidades de destaque.
A lista inclui o presidente da Argentina, o futebolista Lionel Messi, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, o rei da Arábia Saudita, elementos próximos do Presidente russo Vladimir Putin, o presidente da UEFA, Michel Platini, e a irmã do rei Juan Carlos e tia do rei Felipe VI de Espanha, Pilar de Borbón.
Para Fonseca, de 64 anos, "há duas maneiras de ver o mundo. A primeira é ser competitivo e a segunda criar mais impostos".
"Há uma guerra entre os países abertos, como o Panamá, e os países que cobram cada vez mais impostos às empresas e cidadãos", declarou.
De acordo com a imprensa, a Mossack Fonseca comunicou aos clientes ter sido alvo de um ataque informático, que poderá ter afetado os seus dados.
"Os documentos mostram que os bancos, as firmas de advogados e outros atores que operam em paraísos fiscais esquecem-se frequentemente da obrigação legal de verificar se os seus clientes não estão implicados em empresas criminais", afirmou o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, sigla em inglês), que coordenou a investigação e integra mais de 100 meios de comunicação social.
Juergen Mossack, o outro fundador da firma panamiana, criada há cerca de 30 anos, nasceu na Alemanha em 1948, antes de emigrar para o Panamá, onde estudou direito, com a família.
Os dois advogados começaram por abrir a firma nas Ilhas Virgens britânicas, tendo deslocado a atividade para o Panamá quando as Ilhas Virgens foram obrigadas, sob pressão internacional, a abandonar o sistema de ações ao portador anónimas.

O governo do Panamá garantiu no domingo que "vai cooperar" com a justiça, em caso de abertura de processo judiciário.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook