domingo, 10 de abril de 2016

O ESTADO MOÇAMBICANO ESTÁ GANGSTERIZADO

Tenho ouvido, através das redes sociais, vários outros orgãos de comunicaçao, assim como, em conversas do dia-a-dia, alguns indivíduos apelarem para que o governo actual responsabilize os dirigentes que delapidaram o erário publico moçambicano, naquilo que é o maior escandalo financeiro do país desde 1975. Nesta senda, Sérgio Viera disse num dos orgãos de comunicacao social: coitado de Nyusi e Malehane que herdaram os cofres vasios do governo anterior. Na minha opiniao, o coitado desta história é o Ministro da Economia e Finanças (Adriano Malehane), e não o Presidente Nyusi. A minha posição pode ser sustentada pelas seguintes razões:
1ª. O Presidente Filipe Jacinto Nyusi deve conhecer muito bem os contornos de EMATUM, assim como da dívida que foi revelada algumas semanas, de cerca de 787 mil milhões de dolares. Digo isto porque ele era o Ministro da Defesa, e esta burla foi feita através deste ministério. É bem provável que ele tenha participado na assinatura de alguns acordos secretos relacionados com a fraude, sobre tudo nesta última dívida que alegou-se que visava comprar barcos para protenção costeira. Parece impossível fazer-se um emprestimo em nome da defesa sem que o Ministro deste pelouiro tenha conhecimento.
2ª. O actual Presidente Moçambicano foi proposto como candidato pelo anterior chefe do governo. E é importante lembrar que o Presidente Armando Emílio Guebuza (AEG) e os seus acolitos, tudo fizeram para impedir que um outro candidato, que não fosse do Grupo dos 3 (Filipe Nyusi, Alberto Vaquina e José Pacheco) passasse como o provável timoneiro da Ponta Vermelha. Dai que, o actual Presidente pode estar extremamente compromentido com o governo anterior.
3ª As instituições que zelam pela justiça em Moçambique são fracas, pelas seguintes razões: Os Magestrados são nomeados pelo Chefe do Estado (que é o Alto Magestrado da Nação), não tendo independência suficiente para agir com vista a responsabilizar algumas figuras ligadas ao poder executivo. Não conhecemos nenhum caso em que a justiça moçambicana tenha levado a barra do tribunal figuaras ligadas ao poder executivo, tirando algumas excepções, como foi o caso de Nhipine Chissano e Almerino Manhenge.
O primeiro caso teve a ver com a pressão dos doadores, que queriam ver esclarecido o caso Carlos Cardoso. Apesar do “teatro” que se fez em volta deste julgamento, Nhipine não foi condenado. Os que assistiram a este julgamento devem lembrar que quando Manuel Escurinho, durante o seu depoimento, mencionou o nome de Nhipine, o Juiz Paulino mandou cortar a transmissão em direta do julgamento, que decorria na cadeia da maxima segurança e a ser transmitido pela Televisão de Moçambique.
Em relação ao caso Manhenje, a quem muito respeito, por ter sido meu professor de Geopolítica, dos 47 crimes que inicialmente era acusado, apenas 1 é que veio a ser confirmado. Também há expeculação de que o seu julgamento não passou de ajuste de contas com alguém que o havia ofendido, e que procurava oportunidade apropriada para se vingar. Este também foi absolvido.
4ª. A esmagadora maioria da população moçambicana, nem se quer, percebe o significado desta dívida mal explicada, de aproximadamente 1.6 mil milhões de dolares. Não sabem que serão eles, os seus filhos, netos e talvez bis-netos, que directa ou indirectamente, irão fazer enormes sacrifícios para pagarem-na. Enquanto os que contraíram a dívida, poderão continuar a viver de uma forma faustosa, juntamente com as suas famílias, como se de reis e príncipes se tratasse. A maioria dos moçambicanos estão preocupados com a queda da chuva para plantar as suas culturas. Não estão nem ai para exigir que o Estado cumpra com os seus deveres ( de garantir o bem estar, a segurança e a justiça) para o seu povo. Não possuem o entendimento do actual Chefe do Estado, de que eles são os verdadeiros patrões, e os governantes são os seus servidores, e devem trata-los como tal.
Nestes termos, o cena'rio do actual Chefe do Estado Mocambicano responsabilizar o anterior governo como alguns vaticinam, é muito improva'vel. Talvez, se a ala do Presidente Joaquim Alberto Chissano (Luisa Diogo, Eduardo Mulembwe, e outros) tivessem chegado ao poder, se podesse vislumbrar essa possibilidade. Importa lembrar que quando AEG chegou ao poder hostilizou o seu antecessor, chamando-o de deixa andarista, e que ele tudo faria para combater o espirito de deixa andar, burocracia e corrupcao. Infelizmente, ele institucionalizou a corrupcao, sendo ele, hoje, a face mais visivel da mesma e considerado o maior curruptos deste país e que desgraçou os cerca de 25 milhões de Moçambicanos.
Se a ala de Chissano chegasse ao poder, a possibilidade de retalhar, tendo em conta a humilhacao que Guebuza lhe fez passar, era provavel. Deve ter sido por esta razão, que AEG tudo fez para afastar os concorrentes, que eram vistos como de outra ala, e garantir que um dos seus candidatos avancasse rumo à Ponta Vermelha. Olbjectivo este que consiguiu alcançar com sucesso.
Mocambique esta' gangsterizado, as pessoas ja' nao acreditam nas instituicoes. Para as proximas eleicoes preve-se um cenário de muitas abstencoes. Visto que por vários anos, as expectativas do povo tem sido desiludidas pelos governantes. Não obstante esses factos, ainda existe esperança de que um dia esta realidade se poderá inverter. Na frança e Reino Unido, houve momentos de tirania, mas os dias chegaram em que os seus povos deram um basta. E hoje vimos o povo como patrão nestes Estados.
In Chacateando as Minhas Lamúrias

CidadeZimpeto, Moçambique
Zeze Junior Partilhe-se!
GostoResponder12 h
Rogerio Antonio Apenas resta-me agradecer-lhe pelo belíssimo post, realmente quem ninguem pode atrever-se em colocar o guiso ao gato. Julgo que, mesmo que haja boa vontade do alto magistrado da nação, do jeito como o sistema esta' montado nao permite-lhe que faça grandes reformas. Teremos mais três anos duma governação frustada, onde o PR Nyusi não consegue se impor a nivel interno bem como fora do seu partido. É caso pra dizer que vivo num país das AVES.
Chacate Thinker Postei o texto antes de melhorar a estrutura. Devem ter tido dificuldades em ler. Mas ja' tratei disso. Os preguicosos dirao simplesmesnte que o texto e' longo. Por isso, nao conto com eles.
Rogerio Antonio Quem realmente gosta de leitura, não olha muito para este aspecto do texto ser longo, até porque quanto mais for longo e estando a abordar assunto de interesse nacional, não há absolutamente nenhum problema.
GostoResponder42 h
Zeze Junior Há assuntos que não devem ser resumidos!
GostoResponder22 h
Manuelito Nhazilo Bela observação
GostoResponder12 h
Chacate Thinker E' isso meu caro Zeze Junior. Obrigado, meu caroManuelito Nhazilo!
GostoResponder12 h
Januario Mucavele Bela escrita, boa leitura da situação. Parabéns
GostoResponder12 h
Chacate Thinker Obrigado meu caro Januario Mucavel!
GostoResponder2 h
Mutimucuio Sebastiao Marcos Foi exaustivo!
GostoResponder11 h
Muhamad Yassine Bem colocado
GostoResponder11 h
Silva Tembe Caro ilustre e irmão Pastor Chacate! É verdade e já estamos a sentir as consequências do roubo deles!
Se eu tivesse possibilidade de reunir autores desta burla faria lhes perguntas seguinte:
1- Porque é que o caso Ematum não foi debatido no Parlamento mesmo eles sabendo que o Partido no poder aprova tudo que dizem por serem a maioria?
2- Será que o preço dos barcos da Ematum foram justos ou igualam se as praticados no mercado internacional! Tomando em consideração que pagaram preços de barcos feitos com metal fundido nunca usado, mas barcos comprados foram feitos com ferro usado?
3- Será que houve estudo de viabilidade do negócio! Tomando em consideração que a capacidade máxima de congelamento dos barcos é de -20•C enquanto que a capacidade mínima necessária devia ser de -40•C!
4- Porque é que tais barcos não estão a realizar a pesca e o negocio de atum?
Quando e como foi criada a Ematum! Será que houve concurso público? Onde é que fica a sede, na Itália ou em Moçambique?
Quem são os acionistas da Proindicus criada com dinheiro do estado!
Ainda tenho muitas questões sem resposta, para sustentar que a ambição Guebuziana delapidou a nossa economia e o estado foi Gangsterizado; o povo elegeu se ricos com expectativas de ver a economia do estado bem gerida e o contrario viu se má gerência, helicóptero alugados esvaziando cofres do estado; projectos sem rendimento para estado foram lançados ex: da alocação de 7 milhões nas localidades sem garantia de retorno e nem segurança da chegada do valor aos ditos beneficiários; sexta básica e revolução verde sem rastos!
A empresa que faz BI's e Passaport não passou do concurso público e é cara em relação a empresas de renome; e foi criada de uma forma duvidosa!
Tenho mais perguntas que evito fazer por serem polêmicas! A impunidade dos estão no poder neste país leva lhes a empobrecerem nos cada vez mais e desmaiam futuro incerto! Eles constroem casas e mansões grandes quase em todas praias e em muitos países e que nunca usam e são propriedade individual; e as escolas, universidades, hospitais que constroem para nós, filhos deles e famílias deles nunca usam! Eles providenciam o pior para nós e eles vão ao exterior.
A ganância guiou o coração do ex Presidente e ele precisa declarar todos bens dele a favor do estado, até a riqueza da filha! Assim sairá rico e até no Céu pode ir se ele converter se e tomar essa atitude!
GostoResponder41 h
Chacate Thinker Meu irmao em Cristo, Pastor Silva Tembe, volto mais logo para ler os seus rabiscos. Se necessario, irei reagir. De momento estou atolado por algumas agendas profissionais. Um abencoado abraco!
GostoResponder11 h
Didixo Taju Pois é. ..!..Os outros cometem falcatruas. ..não são responsabilizados....e o povo é que é cobrado. ..resultado começamos a assistir uma aflição por parte da administração tributária. ..ao ponto de mover a própria PAT até à Shoprit e SOMOFER. ..Para certificar se de facto nas nossas comprinhas nos é cobrado o IVA....sinceramente. ..mesmo sabendo que os que nos enfiaram nessa dívida ainda estão vivinhos da silva. ..!
GostoResponder21 hEditado
Gaston Faela Obrigado ilustre, por trazer a tona este Ponto de vista em torno deste assunto. Há rumores de pessoas que protegem o Nhuce, mais o facto de ter sido Ministro da defesa na altura do sucedido, deixa a desejar!
GostoResponder11 h
Helio Thyago Krpan Qdo o estado se transforma no seu próprio predador, há que se reinventar modelos governativos e redesenhar políticas de auto-sustento. A situação não é nada favorável. ..
GostoResponder11 h
Chacate Thinker E' verdade ilustre Helio Thyago Krpan. Some thing has to be done to change the situation.
Joao Antonio Magaia O pais tA de pernas viradas pra o ar (vergonha total).
GostoResponder21 h
Tony Daniel Bom meu ilustre caro professor Chacate. De facto,é muito triste quando os nossos irmãos, nao entendem que há certos deveres que o estado está obrigado a cumprir,refiro me a bem estar,seguranca e justiça social e pensam que é favor que o estado concede aos seus cidadãos. Acrescentar que a dívida de EMATUM tem consequências e estas caiem sobre a classe social baixa e se fazem sentir agora. Ora vejamos: as consequências são muitas que já se vivem aqui no País. Há desvalorização da moeda,o dinheiro passou a ser mais caro pr Moçambique e o próprio cidadão passa a pagar mais caro pr ter acesso ao crédito . A vida está cada vez mais cara. O pão está caro,os transportes ,mas também há consequências na própria credibilidade do país ,do governo e da sustentabilidade do Estado.
GostoResponder250 min
Jorge Gole Apesar de tudo ele ainda e' o grande construtor.
GostoResponder137 min
Atanásio Khosa Estas suas lamúrias saíram no dia de muita inspiração!
GostoResponder129 min
Chacate Thinker Obrigado Khosa! Como dizem na minha terra: "fazer mais como?"
GostoResponder125 min
Nanda Lobato Excelente texto. Obrigado pela partilha.
GostoResponder116 min
Chacate Thinker Thanks Nanda Lobato!

1 comentário:

mr marley disse...

Obrigado meu caro

Windows Live Messenger + Facebook