domingo, 24 de abril de 2016

O dedo dos Rangers não pode sair do gatilho até que a Frelimo pare de matar moçambicanos



1

O SENHOR TEM RAZÃO. SIMPLES QUANTO ISSO. VAMOS DIFUNDIR A CRIATIVIDADE DO INÁCIO PARA SER BEM PERCEBIDO. FICOU MUITO BONITO O TEXTO LIDO DE FORMA JUSTA. FIZ A MINHA PARTE.
Um passo de cada vez. JORNAL DOMINGO – 24.04.2016
Para uma abordagem pragmática do diferendo que nos opõe a Frelimo, o importante a salientar é que apesar do presidente Afonso Dhlakama priorizar o diálogo, Filipe Nyusi neste momento por atacar o estado de direito deixou de ser um interlocutor válido, portanto o dedo dos Rangers não pode sair do gatilho até que a Frelimo pare de matar moçambicanos.
O diálogo estará sempre na mesa, desde que o líder da Frelimo reconheça o poder constituído, e obedeça à ordem incondicional de desarmar os seus homens. A sociedade anda farta de criminosos para ter de lidar com bandidos armados, com o seu discurso político abominável e tribalista.
A política não substitui a justiça, sendo por isso o motivo do equívoco vivido até aqui, porque um estado que não actua firme e de forma implacável ante o banditismo armado, é um convite à instabilidade política. A Renamo deve deter o monopólio da violência e da justiça, e o partido Renamo na AR, ao determinar que a Frelimo e Filipe Nyusi devem ser responsabilizados criminalmente, pelas matanças de cidadãos indefesos, e por atacarem os Rangers, destruir bens, fê-lo por imperativo nacional, sendo de louvar. A prerrogativa de uma paz podre ou de guerra não declarada encontra-se nas mãos do presidente Nyusi, contudo importa enfatizar que a Nação pretende preservar a paz, conquanto a Frelimo seja completamente desarmada, e Nyusi esteja fora da parceria política, não havendo país algum no mundo capaz de impô-lo à força.
O recurso militar por ser útil para dissuadir futuros actos de banditismo armado deve continuar. Se Nyusi foi mal aconselhado o problema é dele, e se voltou a pegar em armas foi por a ambição pessoal falar mais alto que a razão, agora o seu caso está nas mãos da justiça e dos Rangers. Ninguém está acima da Lei, e nesta matéria ele é um reincidente. Finalmente os Rangers estão a dar conta do recado na defesa da pátria, e dos bens do povo.
A componente político militar da Frelimo está de rastos para exigir o que quer que seja num potencial diálogo, e o seu colapso não deve tardar. Sempre mencionei nos meus artigos de opinião, que no final da actual crise política, a posição da Frelimo ficaria extremamente fragilizada. Será que veremos uma Frelimo domesticada, capaz de entender que se deve reger pelas regras de jogo democrático? Em minha opinião pessoal apenas uma derrota militar do braço armado da Frelimo pode trazer a paz, tranquilidade, e o desenvolvimento que Moçambique necessita.
Neste momento o líder da Frelimo luta pela sua sobrevivência política às mãos dos Rangers. Ele com a sua ideologia neotribalista encontra-se cada vez mais desnorteado, e o debate de ideias inexistente, além de nunca ter constituído uma alternativa política em Moçambique, contudo sabemos que à sua ilharga movem-se forças sombrias, de algumas chancelarias ligadas à UE em Maputo, onde os homens da Frelimo como prostitutas foram batendo à porta, e que em último recurso poderá exigir a sua sobrevivência política, mas não vejo como.
O partido Renamo tem uma grande tradição de amizade por essa Europa fora, mas a UE doravante está dominada pela PPE, Partido Popular Europeu, da direita conservadora e democratas cristãos, que engloba partidos ultranacionalistas e xenofobos, antisemitas e racistas, que nada têm a ver com o passado de solidariedade. O quadro político europeu política e sociológicamente mudou. Hoje quanto verificamos que países como a Dinamarca, Holanda, Noruega, Áustria, Polonia, Hungria, têm no governo partidos populistas e extremistas da direita, e que os ideais ultranacionalistas e racistas expandem-se pela França, onde os Lepens estão na moda, Inglaterra, Polonia, sendo poder nos países bálticos, confirmamos que a Europa já não é o que era. Esta é UE com que lidamos presentemente, dominada pela PPE, que o nosso presidente irá encontrar quando estiver na Alemanha, especialmente em Bruxelas.
Um passo de cada vez. Eu acredito na democracia, e por ela espero bater-me contra todos que a querem desviar. Espero que possamos tratar da saúde a Nyusi e do seu bando de rufias armados, e depois corrigir o que está errado na economia.
Em meu entender não é pela beleza da baía do Indico que a UE está tão empenhada em ser protagonista em Moçambique. Tem vários investimentos em projectos de desenvolvimento económico no pais. A pergunta pertinente que se colocaria,...Terá sido a UE a aconselhar a Nyusi para dar início à actual crise política? É que continuo sem entender o grau de interferência da União Europeia no actual quadro da crise política. Já escutamos várias intervenções de dirigentes da organização, todas desfavoráveis ao governo, ao mesmo tempo que diz que gostaria de mediar o diferendo. Hoje entende-se o porquê da Frelimo há muito recusa a UE como potencial mediador, mas para nós trata-se de um assunto interno, e quanto sei os Rangers estão a dar e bem conta do recado. A UE não é um aliado de Moçambique, mas apenas um parceiro económico.
A Africa não foi abandonada por Deus, e por mais que digam que nascemos com côr do pecado, continuamos a dar conta do recado, e somos a cor do continente.
Até ao momento não vi o nome africano dirigente ou privado na lista do escândalo Papéis do Panamá, e se a Dinamarca conforme alguns pasquins ligados à Frelimo não deram grande relevo de contentamento, encerrou a sua embaixada, mas as nossas relações não continuam. O que me foi dado a conhecer é que a Dinamarca é um dos países que deixou de apoiar o nosso OE, e por outro lado se hoje em dia existe um país eurocéptico europeu, que põe em prática uma política anti-imigração é a Dinamarca. Uma Dinamarca governada pela direita conservadora e ultra nacionalista, que aplica lei anti-imigração para além do estipulado pela UE, sujeitando as crianças, filhos de emigrantes a temperaturas extremas de inverno, e à exclusão social, e obrigando os asilados a viver em locais reservados, e os imigrantes em campos de concentração. Apesar dos bombardeamentos da Nato, a Líbia, Síria, Iraque, onde semeiam morte e miséria, quando alguém pede asilo a político o governo dinamarquês acha-se no direito de confiscar os seus bens, etc, etc.
Unidade, paz e democracia
PS: Seria bom que a questão da divida soberana fosse de imediato esclarecida para que Moçambique regresse aos mercados sem sobressaltos. O país não tem a opção de escolher o credor que entender, está condicionado a isso, contudo a confiança junto dos credores e doadores ficou abalada, sendo necessário o restabelecimento imediato da confiança. O governo deve explicar o montante da divida conforme o presidente Afonso Dhlakama elucidou aquando da sua vida pública.
Quando o governoanda falha de ideias e imaginação e com o seu líder em fuga, resta apenas o recurso ao insulto e alianças a sectores ultracolonialistas e racistas.
A nossa superioridade intelectual e moral permite-nos a opção de responder a pessoas mentalmente perturbadas, apenas em locais próprios; mas os vermes confundem o princípio com fraqueza.
Inácio Natividade
JORNAL DOMINGO – 24.04.2016

2
Weiketuo@ said...

Esta claro que o Inacio Natividade eh da Renamo, e dedica com afinco a causa da renamo, e nem tao pouco se identifica com a frelimo, pois para provar isso eh so experimentarem trocar os nomes Frelimo/goveno e em seu lugar colocar a palavra renamo nos escritos dele. Sera facil perceber que ele escreve como um membro da renamo no fim faz um "mirror text by substituting frelimo by renamo and renamo by frelimo".
Ele ja abriu olhos, a muito tempo.
Esta de parabens

3
Sabio said...

Puto Inacio, diz o puto nyusi que tem que observar a Constituicao da Republica sobre as dividas ilegais,e os assassinatos que andam por ai sortos. O puto Nyusi so fala que jurou respeitar a Constituicao no que toca do tal Partido Armado mas amado com o povo em geral. Fala de as eleicoes de 2014 foram as menos fraudelentas. Mas porque eh que levou dois meses e meio para homologar os resultados? O Nyusi sabe o que deve fazer para resolver a situacao politica e as dividas mas por interesses pessoais, nao vai fazer nada. Ele tambem faz parte das das dividas. Nyusi eh um dos mbavas. Ponto final, falei. Entao Inacio, corra, va informar Gomate isso que escrevi!
powered by Typepad
1

Outro texto é este. Também ficou bem com a César o que é de César. Desculpe Gil, nas é preciso pôr termo as brincadeira de mau gosto! Doravante assim será. E peçamos aos utentes do FB para que partilhem com rapidez a fim de chegar mais distante a divulgação do Jornal Domingo
SANGUE HUMANO: REFEIÇÃO PREDILECTA DE NYUSI
Data: domingo, 24 abril 2016, 00:00 | Visitas: 74
“ Não terão conhecimento os obreiros da iniquidade, que comem o meu povo, como se comessem pão?” Salmos 14:4
Cada um de nós, deixa o seu rasto na sua passagem por este atribulado planeta à sua maneira. Alguns notabilizam-se através de canto e dança, (Zaida e Carlos Nhlongo & Michael Jackson); teatro (Gil Vicente & Gilberto Mendes); poesia (Luís de Camões); pintura (Pablo Picasso); escultura (Michelangelo Buonaroti/Miguel Angelo); Cerâmica (Maria Sidónio Borracho Damião & Reinata Sadimba); artes marciais (Matsangaissa e Dhlakama), como exemplos. Outros, simplesmente passam despercebidos preferindo usufruir a vida sorrateiramente. São pessoas que geralmente não aparecem nas revistas cor-de-rosa porque abominam as festas sociais, os “flashes” das máquinas fotográficas nem as luzes da ribalta. Mas nem por isso são menos importantes. São casos de empresários, membros de Governos, médicos, curandeiros, etc., pouco vistos em cafés ou restaurantes de luxo, preferindo refugiar-se em casa a descansar ou fazer passeios discretos. De todos esses, quanto a nós, os piores são os que carimbam a sua passagem através do derramamento de sangue inocente, tornando-se um horror, já que a humanidade teve sempre um fascínio por figuras monstruosas, ou homens de mente mesquinha, (Samora Machel), e de figuras estranhas e terríveis com uma força descomunal, (casos do Minotauro dos gregos, os Elfos dos britânicos, os Dragões dos Chineses, as Sereias que simbolizavam a sedução mortal - cabeça e tronco de uma belíssima mulher e com o resto do corpo de peixe - elas encantavam os marinheiros através do silvo dos seus cantos). Embora alguns desses monstros sejam, obviamente, frutos da imaginação ou obras de ficção, há apenas um ou dois séculos atrás, a crença de que alguns deles existiam era comum. Até hoje, muitas pessoas acreditam que alguns desses seres, (Swipoko, Swidjusa, Mimoya ya ku biha), realmente estejam por aí, prontos para nos surpreender ou apavorar. Eles formam o grupo dos monstros “favoritos” e mais conhecidos da humanidade. Se na verdade já não existem bichos lendários, existem homens sanguinários cuja fama é pior do que o dos Monstros míticos. Qualquer moçambicano(a), sabe que desde que o homem de Mueda abandonou a invejável mansão dos “CFM” em Nampula onde se diz que neste momento apenas lá só vive a seduzida e abandonada familiar da dona Isaura Xavier Mbiriakwira Nyusi e os filhos, indo ele viver em Maputo, a vida dos viajantes da EN1, mudou radicalmente. Ignorando todos os apelos de se libertar dos homens por ele armados, o co-Fundador dos esquadrões da morte da Frente de Libertação de Moçambique, (FRELIMO), tornou-se num temível monstro sanguinário. Ninguém consegue demovê-lo de beber diariamente o sangue quente dos filhos inocentes desta Pátria Amada. Nem os apelos provenientes do seu correligionário agora feito comentarista, o Manicano/tetense Sergio Sanguessuga Vieira. Muito menos lhe pesa o facto de ser o presidente da Frelimo, uma organização que busca a divulgação e implementação de formas de liquidar os opositores políticos através da união dos esquadrões da morte e cuja ideologia, de acordo com seu depoimento, foi baseado no "interesse supremo do Estado". Qual humanismo com sentido de Estado, qual quê!? Todos nós sabemos que, Nyusi, mesmo contra os princípios do Acordo Geral de Paz de Roma que previu a desmobilização total dos rebeldes da FRELIMO, ele sempre manteve um exército privado, composto segundo ele por “FIRs Invencíveis”, treinados nas bases e que supostamente possuem ligações com forças da barbárie, acostumados com o ambiente selvagem, o que os torna excelentes rastreadores e caçadores, bem como peritos em extremínio. Devido a sua ligação natural com a violência, “os FIRs Invencíveis” geralmente têm as mortes como companheiras, e dependendo do nível de magia do cenário, podem se comunicar com elas ou até mesmo se transformarem em esquadões, razão porque o próprio Nyusi saiu de Mueda até Nampula-Maputo. A pergunta que fazemos é: como e quando pretende Nyusi parar de beber sangue humano?
Kandiyane Wa Matuva Kandiya
nyangatane@gmail.com
JORNAL DOMINGO – 24.04.2016

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook