sexta-feira, 15 de abril de 2016

Estado Islâmico avança fronteira turca



Os militantes do Estado Islâmico, apoiados pela Turquia, começaram uma operação de grande escala em três flancos contra os grupos do ELS
Por Redação, com Sputinik Brasil – de Beirute:
Os militantes do Estado Islâmico ocuparam mais cinco aldeias, que anteriormente estavam sob o controle dos grupos de Exército Livre da Síria (ELS) na região norte de Aleppo, perto da fronteira turca.
Os jihadistas estão equipados com ataques e armas pesadas, provenientes das cidades de Minbic e Cerablus. Devido ao avanço do EI na região, os habitantes, tentando se salvar dos ataques terroristas, fugiram ao posto de fronteira de Oncupinar em Kilis, disse o correspondente da Sputnik Khikmet Durgun.
Os jihadistas estão equipados com ataques e armas pesadas
Os jihadistas estão equipados com ataques e armas pesadas
Os militantes do Estado Islâmico, apoiados pela Turquia, começaram uma operação de grande escala em três flancos contra os grupos do ELS. Desde ontem à noite até hoje, os militantes do EI ocuparam mais cinco aldeias, que anteriormente estavam sob o controle de ELS. Paralelamente aos combates encarniçados na região entre o EI e os grupos armados da oposição, os aviões da coalizão continuam os bombardeios das posições do Estado Islâmico e a artilharia turca bombardeia os militantes com obuses.
Segundo os dados disponíveis, os militantes do Estado Islâmico se aproximaram do campo de tendas construído pela Turquia para os refugiados na região de Kilis.
O grupo terrorista EI (proibido na Rússia e reconhecido como terrorista pelo Brasil) autoproclamou-se “califado mundial” em 29 de junho de 2014, tornando-se imediatamente uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecido como a ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista de tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad. Depois da invasão norte-americana no Iraque em 2003, esta organização começou a se fortalecer até se transformar, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

Prisioneiras do EI

Cerca de 100 pessoas foram aprisionadas e encarceradas pelos militantes do grupo Estado Islâmico (também conhecido como Estado Islâmico e proibido na Rússia) durante as incursões em AL-Fallujah no Iraque, comunica o canal de televisão iraquiano Alsumaria citando a fonte do executivo.
Al-Fallujah situada no oeste da província de Anbar  está sob controle do EI desde o fim de 2013. Anteriormente foi relatado que os militantes tinham começado a perseguir e matar os habitantes que tentavam fugir da cidade. Os cidadãos vão ser usados como o escudo humano na situação da ofensiva das forças do Iraque.
– Os militantes começaram as incursões na noite e conseguiram capturar cerca de 100 pessoas  –comunica a fonte.
O exército se prepara para começar a ofensiva após a reconquista plena da cidade de Hit na mesma província de Anbar. Há informação que muitos bairros bem como o centro da cidade já estão reconquistados.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook