quarta-feira, 20 de abril de 2016

Bandido Armando, Canal de Moçambique, nr. 353 - 20 de Abril de 2016.

CanalMoz
Canal de Moçambique, nr. 353 - 20 de Abril de 2016.

Primeiro-ministro dá explicações em Washington

Dívida da EMATUM e da “ProIndicus”.

“A Frelimo só respeita quem lhe dá dinheiro” – Ivone Soares, chefe da bancada parlamentar da Renamo.

Uma equipa chefiada pelo primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, vai reunir com especialistas do Fundo Monetário Internacional para dar esclarecimentos sobre a dívida da EMATUM e da “ProIndicus”.

A ida do Governo a Washington acontece pouco tempo depois de o FMI anunciar a suspensão da cooperação com Moçambique, caso o Governo não esclareça sobre as duas dívidas.

O Governo vai a Washington depois de a bancada parlamentar que o apoia na Assembleia da República, a bancada da Frelimo, se recusar a agendar o debate da situação real da dívida pública.

Depois do anúncio da suspensão da cooperação pelo FMI, o Governo só precisou de vinte e quatro horas para constituir a equipa que vai prestar contas ao FMI.

Ivone Soares, chefe da bancada parlamentar da Renamo, diz que a atitude do Governo revela falta de respeito para com o povo moçambicano e para com a Assembleia da República.

“A Frelimo só respeita quem dá dinheiro e manda passear todo o povo”, declarou Ivone Soares, numa entrevista exclusiva ao CANALMOZ.

A deputada declarou que a bancada da Renamo “não irá demitir-se das suas responsabilidades de representação do povo e fiscalização do Executivo”. Segundo diz Ivone Soares, a bancada parlamentar da Renamo vai “continuar a batalhar para a responsabilização daqueles que lesam a pátria”.

Conselho Constitucional e Assembleia da República devem pronunciar-se

Questionada sobre o passo a seguir, Ivone Soares afirmou: “Dois mil cidadãos poderão exigir que o Conselho Constitucional se pronuncie, ou o próprio parlamento”.

“Nós, deputados da Renamo, não vamos cruzar os braços e esquecer os desmandos e inconstitucionalidades praticados pelo Governo da Frelimo”, disse Ivone Soares, acrescentando que a Renamo vai “continuar a exigir transparência e o cumprimento dos ditames da Constituição da República de Moçambique”.

A Renamo condena a decisão da bancada parlamentar da Frelimo de inviabilizar a ida do Governo à Assembleia da República. “É repugnante ver a bancada da Frelimo a impedir que os deputados cumpram o seu mandato de fiscalizar o Governo”, afirmou Ivone Soares.

Responsabilizar todos os envolvidos no endividamento do Estado moçambicano

“Devemos todos gritar, para todo o mundo ouvir, que exigimos a reposição do bom nome da nossa pátria e a responsabilização dos cérebros desses créditos malparados, sobre cujo montante nenhum de nós foi informado até hoje”, declarou Ivone Soares. (André Mulungo)

CANALMOZ – 20.04.2016

Edgar Barroso

Nas últimas semanas, uma sucessão de notícias escandalosas sobre as nossas finanças públicas têm aparecido na imprensa internacional. Temos estado a tomar conhecimento de negócios ultra-secretos envolvendo o Estado moçambicano, sem conhecimento e chancela de órgãos fiscalizadores como o nosso parlamento, no mínimo. São negócios que nos envolvem a todos, como cidadãos contribuintes. O anterior Governo, que cessou funções no início de 2015, contraiu até agora 3 (três) empréstimos esquisitos que já estão a chamuscar a briosa imagem internacional recente do nosso desempenho económico, nas últimas décadas.
Eu Já vi cidadãos moçambicanos, comuns e influentes, a serem devidamente (ou injustamente) ouvidos e julgados judicialmente. O músico Azagaia já foi ouvido pela Procuradoria da República, apenas por dizer nas suas músicas que estávamos a ser dirigidos por corruptos e ladrões. O intelectual Carlos Nuno Castel-Branco até foi parar aos tribunais, mesmo sabendo-se hoje que ele tinha de facto razão nas contundentes críticas feitas ao nosso anterior Chefe de Estado. Almerino Manhenje, antigo Ministro do Interior, já foi até preso por ter desviado e usado indevidamente fundos do Estado. A lista se segue por alguns dirigentes superiores ou subalternos do Estado (ou de empresas públicas) nos seus mais diversos sectores. Até funcionários públicos de escalão baixo têm sido levados e responsabilizados na barra da justiça. Porquê é que os que nos dirigiram nos últimos dez anos, no Governo central e principais responsáveis por essa série de escândalos financeiros sem comparação possível a nível mundial, não estão a ser ouvidos judicialmente?!
Este texto pode ter até contornos populistas, já nem me importo. Há tanta falta de informação, tanta desinformação e tanta contra-informação que a única coisa que nos resta, como cidadãos legitimamente preocupados com a gestão da coisa pública e com a imagem do nosso país internamente e além-fronteiras, é este grito de indignação! O Estado é uma entidade, e não um grupo de individualidades. Se houve, no nosso passado recente, responsáveis pela sua gestão danosa, então que sejam hoje devidamente responsabilizados. Os nossos magistrados devem mostrar serviço hoje, mais do que nunca. Se têm sido os primeiros a correr para processar, sem apelo nem agravo, pilha-galinhas e derivados, hoje que sejam os primeiros a agir em nome do Estado e da salvaguarda do Estado de Direito que se dizem ser dignos e briosos guardiões. Caso contrário, também não deverão merecer a nossa credibilidade e respeito, como os gangsters do Estado que nos endividaram insustentavelmente.
Persigam, oiçam, julguem e prendam esses ladrões!

FMI diz que Moçambique reconheceu dívida não comunicada e deu "passo importante"

O primeiro-ministro moçambicano reconheceu na terça-feira que o FMI não tinha sido informado sobre um valor superior a mil milhões de dólares da dívida externa de Moçambique, revelou o organismo, que vê nesta atitude um "primeiro passo importante".
Carlos Agostinho do Rosário reuniu-se com a directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, na terça-feira, em Washington.
"O primeiro-ministro de Moçambique reconheceu que um montante superior a mil milhões de dólares de sua dívida externa garantida pelo Governo não havia sido anteriormente divulgado ao Fundo", informou o FMI, numa nota enviada à agência Lusa.
Segundo o Fundo, Christine Lagarde recebeu a divulgação destas informações por parte das autoridades moçambicanas como um "primeiro passo importante".
Moçambique vai fornecer mais informações e documentação de apoio ao longo dos próximos dias para que se poderem "apurar os factos e permitir que o Fundo efetue uma avaliação completa", destacou o FMI.
"O Fundo e Moçambique vão trabalhar juntos de forma construtiva para avaliar as implicações macroeconómicas dessas informações e identificar passos para restaurar a confiança", lê-se ainda na nota enviada à Lusa.

O FMI cancelou o pagamento da segunda tranche, no valor de 155 milhões de dólares, do empréstimo que tinha acordado no final do ano passado com Moçambique, no total de 285 milhões.
De acordo com o jornal britânico Financial Times, que cita uma fonte interna do FMI, a decisão terá sido tomada na sequência do cancelamento da visita ao país, esta semana, na qual era previsível que fosse dada a autorização para o pagamento da segunda parte do empréstimo acordado no final do ano passado.
"É provavelmente um dos piores casos de entrega de dados errados por parte de um Governo que o FMI viu num país africano nos últimos tempos. Eles esconderam deliberadamente de nós pelo menos mil milhões de dólares, possivelmente mais, em empréstimos escondidos", disse esta fonte do FMI ao Financial Times.
"Moçambique está à beira de uma crise financeira se as autoridades não tomarem medidas para lidarem com os riscos actuais", vincou a mesma fonte, acrescentando que os doadores internacionais, responsáveis pelo financiamento de cerca de 25% do Orçamento, podem também seguir o mesmo caminho e cancelar os pagamentos de 350 a 400 milhões de dólares.
"Aí Moçambique enfrentaria uma crise orçamental e uma crise na balança de pagamentos", concluiu a fonte do FMI citada pelo Financial Times.
O FMI cancelou na última sexta-feira uma missão prevista para esta semana a Moçambique devido às revelações de empréstimos alegadamente escondidos no âmbito do caso dos "títulos do atum", relacionado com o financiamento da empresa pública Ematum, anunciou a directora do Departamento Africano, Antoinette Sayeh.
"O empréstimo em causa ascende a mais de mil milhões de dólares e altera consideravelmente a nossa avaliação das perspectivas económicas de Moçambique", disse Sayeh, na sede do FMI, em Washington, semana passada.
No fim de semana, o Governo moçambicano anunciou que o primeiro-ministro iria a Washington explicar ao FMI os contornos de todos os empréstimos que não foram publicamente anunciados.
FOS // MP
Lusa – 20.04.2016
Dário Khossa O que mais me deixa perplexo é o rumor de que, a antiga Ministra das Finanças (que nem estava em exercício quando este escândalo foi arquitectado ) teve de rumar para Washington para eventualmente dar apoio ao actual titular do pelouro das finanças deixando para trás o mais recente ex-Ministro das Finanças por terra, este que deve saber com mais pormenores, os contornos destas dívidas. E mais, os "pais" destas dívidas têm nomes e endereços
Alex Paulo Dos Anjos Antes vão perseguir, ouvir, julgar e prender a ti meu amigo Edgar Barroso, que não tens provas das alegadas dívidas...e, não te esqueças que os magistrados são nomeados por confiança desses mesmos que os queres perseguidos, ouvidos, julgados e presos, daí não contribua para o excesso de textos falaciosos nas redes sociais, canal onde só encontras escritores e leitores sensacionalistas em detrimento de gente com atitude e que quer ver um Moçambique melhor.
Sexta vamos as barracas e sábado ao Festival do Zouk... ntsen!

GostoResponder435 min
Rafael Ricardo Dias Machalela ... E a história absolve os apóstolos da desgraça. Adoro história... Ela sempre prova quem está do lado certo e errado
GostoResponder133 min
Epodez da Siderurgia Tem gosto saber o nome da Jiboia que nos engoliu?
GostoResponder133 min
Zé Joel Não imagino o que deve estar a ocorrer na cabeça da Dr Buchill. Um pedido de demissão, face a incapacidade(coragem) pode até ser mais digno e honroso que o contrário. É uma opinião.
GostoResponder32 minEditado
Casimiro Cossa meu caro gostaria que estivesse no lugar deles e com autonomia para julgar e prender pois de si creio que o farias, o silencio deles já diz tudo o que uma boca seria incapaz de dizer, para mim eles fazem parte e tomaram muitas sopinhas e se sentem cúmplices por de mais.
Massing Jaq De facto se nao tem capacidade o unico caminho digno e se demitir, sairia de cabeca erguida! Entao, essa tal de justica e so para alguns? Hehehehehe
Manuel Carlos Zacarias O que eh bom para tosse esta por vir para esses corruptos da frelimo
Bone Waka Mazuze demissao
Sheila Daniel Manjate Precisamos duma reforma nessa nossa " democracia "
Milagre Cumbe Cumbe Para mim aqui ha muita cumplicidade entre ( certas figuras d antigo e novo governo) dai que as figuras d novo governo não tem como levar as de governo de antigo para barra da justiça ( em linguagem popular diz se que estao de rabo preso)
Prontos! Ragendra de Sousa disse tudo: fomos vítimas de um governo monopolista e secretista. Um governo de barriga grande e coração pequeno.

Hoje, estamos aqui sem saber o que devemos, quanto devemos, quando devemos, como devemos, a quem devemos, porquê devemos, etecetera.
Hoje, estamos aqui, em mau tempo, remando contra a maré com remos partidos e barco furado.
Hoje, estamos aqui a correr de um lado para o outro como baratas em fumo de Baygon.
Hoje, estamos aqui de pernas pra o ar - aliás, de ar pra as pernas - sem saber o que fazer ou dizer.
Hoje, estamos aqui a gastarmos o pouco que nos sobra em viagens para Washington e Bruxelas.
Hoje, estamos aqui cheios de vergonha e sem patos nem atum para comer ou vender.
Hoje, estamos aqui, enfim, cheios de desconfiança.

DIVIDA SOBERANA - e esta agora!....
Há unanimidade no seio do povo moçambicano informado de que o pais está mal. Tanto a Frelimo bem como a Renamo e outros partidos, incluindo a sociedade civil, estão, raramente, de acordo em relação ao caos financeiro para o qual fomos atirados. Não é para menos!
As razões objectivas para sermos arrastados para esta situação ainda continuam no segredo. Ouve- se falar de que os dinheiros contratados foram usados para financiar a Proinducus, Ematum e, agora, a Base Logística de Pemba. Os montantes variam em função das fontes. Os critérios para contratação dessas dividas assustam os mais e menos entendidos em matérias de finanças públicas.
E, para tornar a situação mais grave, somos brindados com a decisão do Executivo de que esta divida já não é das pessoas que a contraíram, mas sim já é de todos nós. Um punhado de pessoas cria empresa, contrai divida, não consegue pagar e depois repartem a divida por todos nós. Em todos estes processos nós o povo não somos consultados. Entretanto, há pessoas que acham isto normal. Pudera eu repartir a minha divida pelos meus vizinhos e amigos sem os consultar...
No final das contas, qual é o problema real? É porque não fomos consultados? O dinheiro deve ter sido desviado? Porque o dinheiro foi usado para compra de equipamento bélico? Porque os barcos da Ematum “pescam acostados no porto” e nunca se fazem ao mar? Porque o Parlamento não foi consultado? Qual é o problema real?
O problema real é que nos endividamos muito acima das nossas capacidades reais de repagar a divida dentro dos prazos acordados com os credores. Exemplificando, é como se alguém que aufere mensalmente 1000.00, 00 Mts fosse ao banco para contrais uma divida de 1.000.000,00 Mts para pagar em 5 anos. Esta é a situação actual.
Mas, como foi possível alguém no seu perfeito juízo tomar tal decisão? As respostas a esta pergunta são várias, mas a mais objectiva e desapaixonada é que alguém confiou que podia fazer omoletas com os ovos ainda dentro da galinha. Alguém tomou a decisão de se endividar junto ao banco contando pagar a divida com o dinheiro de um negócio que estava por fechar. Acontece que o negócio ainda não fechou mas o dono do dinheiro já o quer de volta. Ti ku kinze!
O que isto significa? Significa que temos de nos virar para pagar a divida. Temos de juntar todas as quinhentas que a nossa economia produz em divisas para pagar a divida. Tudo que for dólar que se encontra dentro do pais e fora, sob a alçada do banco central e do governo de Moçambique deve ser contabilizado para pagar as dividas. Acontece, porém, que os dólares que nós geramos neste momento não são suficientes para simultaneamente pagar a nossas dividas, importar comida, importar combustíveis, importar medicamentos, pagar as despesas dos cartões VISA feitas no estrangeiro em dólares quando viajamos, importar carros, pagar despesas de tratamentos médicos no estrangeiro, etc, etc
Consequências
Quais são os prováveis consequências desta situação para o povo? São vários e todos assustadores, nomeadamente:
a) Escassez de Divisas no Mercado
De onde vem os dólares para o nosso mercado domestico? Das receitas das exportações, das transferências dos moçambicanos no estrangeiro e das instituições diplomáticas e pagamentos empresas privadas e publicas para o mercado doméstico, dos investidores estrangeiros e das ajudas financeiras das instituições de Bretton Woods e de outros créditos externos.
Uma vez que todas estas fontes de receita de dólares americanos estão comprometidas, resulta que há cada vez menos dólares disponíveis no mercado para financiar/pagar as importações de bens e serviços necessários à economia. Isto faz com que não haja disponibilidade de divisas para realizar as importações e, as poucas divisas arrecadadas, são usadas para financiar actividades prioritárias tais como importação de medicamentos, comida, combustíveis, etc. Por quanto tempo? Ninguém sabe.
b) Depreciação do Metical: o aumento da procura do dolar americano pelo governo e pelos comerciantes, inflaciona o valor do dólar americano em relação ao metical, fazendo subir o custo de transação do dólar no mercado financeiro. Isto é, as pessoas estão dispostas a pagar o que for necessário em meticais para ter os dólares necessários para financiar as suas actividades.
c) Subida de Precos: uma das conseqüências directas da escassez do dólar é a subida do preço de transação da moeda, o que por sua vez provoca o aumento dos preços dos produtos no mercado doméstico. Ora, Mocambique quase importa tudo, com a excepção do ar livre que respiramos, da terra que pisamos e suas riquezas e da água dos rios, mares, lagos e oceanos. Tudo o resto é parcialmente ou totalmente importado. Para importar os bens e serviços precisamos de moeda forte (e.g dólar, euro, libra, rande, etc). Estando o dólar a ser transaccionado em alta, resulta que todos os produtos importados com esta moeda estarão mais caros.
Impactos
Todos os produtos importados irão subir de preço, por via da carestia dos custos de transação em moeda estrangeira. Mesmo os bens e serviços não importados serão afectados por via do aumento dos custos dos factores de produção i.e. energia, água, matérias primas, etc.
Esta subida de preços irá trazer sofrimento ao povo uma vez que com o mesmo salário auferido o povo comprará cada vez menos bens e serviços. O povo irá comprar cada vez menos pão, menos carne, menos manteiga, fará menos viagens, irá consumir menos medicamento, comprará menos roupa, ajudará cada vez menos as viúvas e órfãs, comprará menos energia, e a lista não termina.
Medidas de Prevenção
Aliado à seca que se faz sentir em algumas regiões do pais, esta situação da carestia do custo de vida tem o potencial de despoletar reações nāo desejáveis por parte do público. A nossa experiência colectiva das reações por parte do público nos diz que o Governo precisa de tomar medidas proactivas para evitar tais reações, nomeadamente:
• Maior abertura na prestação de informação educativa para o povo lidar melhor com a crise que se avizinha;
• Relaxar certas medidas fiscais que sufocam o povo;
• Reduzir a ostentação dos meios de vida, principalmente por parte de governantes e oficiais seniores do Governo;
• Reduzir e cortar gastos supérfluos com festas, festivais cerimónias oficiais de pouco valor e significado neste contexto de contenção;
• Evitar brutalizar o povo por parte das autoridades i.e. policia municipal, policia de protecção e de trânsito;
• Incrementar o diálogo político interpartidário e social para aumentar a coesão interna para melhor se lidar com a crise económica;
• Aumentar a eficácia do controlo interno no sentido de assegurar a eficiência dos custos e das despesas;
O nosso futuro é incerto, de tal modo que pensar nele seria um esforço em vão. O nosso esforço deve estar concentrado em sobreviver cada dia e isso deve ser feito num ambiente menos hostil e pacifico. Todo o esforço colectivo, cada metical, cada homem, cada cabeça deve ser usado para assegurar que a gente atravessa esta crise como um pais, um povo uno e em paz.

HIDROCARBONETOS / GOVERNO REDUZ ÁREA PARA BASE LOGÍSTICA EM CABO DELGADO

Pemba-PORTOS DE CABO DELGADOO governo moçambicano decidiu, recentemente, reduzir a área que havia sido concessionada à empresa Portos de Cabo Delgado (PCD), dos anteriores oito mil para mil hectares, uma medida que surge numa altura em que a instituição acaba de compensar monetariamente as famílias camponesas que desenvolviam as suas actividades nos espaços que lhes haviam sido concedidos.
Localizado na cidade de Pemba, concretamente no bairro de Muxara, o espaço da empresa em alusão, destina-se à construção da Base Logística de Gás e Petróleo.
A edição de hoje do jornal Noticias explica que esta a pretensão foi sempre alvo de conflito de terra entre a PCD e a população local devido ao facto de algumas pessoas acharem que os valores pagos estavam aquém de compensar as suas benfeitorias, desentendimento que acabou desaguando no tribunal.
O Presidente do Conselho Municipal da cidade de Pemba, Tagir Ássimo Carimo, entidade que por lei gere o solo urbano em causa, confirmou durante a última sessão da Assembleia Municipal que, de facto, o governo central havia tomado a decisão de reduzir em cerca de sete mil hectares a área anteriormente concedida à empresa PCD sem, contudo, ter avançado as razões.
Há um trabalho que deve ser feito. Nós, como Conselho Municipal, assumimos a liderança de apoiar a PCD para que as pessoas que tinham espaços de terra na área fossem compensadas. Naquela altura, falava-se de oito mil hectares mas agora que a área ficou reduzida, será necessário fazer uma nova contagem para sabermos, mais uma vez, quem são as pessoas abrangidas, explicou Carimo.

Questionado sobre o destino da área fora do novo traçado, cujos antigos proprietários foram já compensados pela PCD, a fonte respondeu “se, eventualmente, existirem terrenos cujos donos já tinham sido compensados, o ano passado, não sei dizer qual vai ser o procedimento, se as pessoas devolvem ou não devolvem dinheiro. O que temos de saber é se no novo mapa existem espaços que não estavam no antigo traçado. É preciso estudarmos qual vai ser a melhor saída”. 
Refira-se que, em 2015, alguns elementos da população vandalizaram a vedação da área concedida à PCD alegando estar a ser privada de consumir água potável numa fonte que se encontra dentro do espaço fechado com recurso ao arame farpado.
Outra revindicação da população tinha a ver com a falta de clareza sobre o processo de reassentamento.
Sobre este último assunto, o edil de Pemba, disse que a empresa tinha-se prontificado em reassentar a população numa área de cerca de dois mil hectares. Contudo, tal ainda não aconteceu porque, para além dos que viviam na área, existem aqueles que apenas praticavam agricultura.
A empresa PCD, ao nível de Pemba, sempre evitou falar do assunto à Imprensa, sob pretexto de que apenas a edilidade era a entidade autorizada para o efeito, na qualidade de gestora do solo urbano.
SG
AIM – 16.04.2016
Comentários
Gito Katawala Os generais do planalto quiseram demarcar ou projectar uma futura cidade de Mocimboa da Praia. Entao de onde acham que a "mola" viria? Hehehe!!
Apolinario AP Pateguana Melhor análise que li sobre este assunto. Bem escrito meu amigo Teo Nhangumele.
5Ontem às 5:07
Muhamad Yassine Muito profundo, provavelmente terá resposta dos que levaram a mola
1Ontem às 5:35
Paulo Bagasse Fantasticamente escrito. Tem um porem, tem consequências para todos nos, excepto os decisores desta situação
1Ontem às 5:35
Teo Nhangumele Paulo, eu não tenho certeza disso. Eu não sei se a esta algures eles conseguem dormir. Até tenho pena deles....
Herminio Malaia Teo mais uma vez o Governo deve descer do estrado e ir até ao povo perguntar quais as soluções do problema porque este povo que já sofreu com 4/80 tem soluções e pode se virar e bem.
1Ontem às 9:45Editado
Elio Jonasse Good Teo. Parabéns!
1Ontem às 5:55
Inocencio Macuacua Bem explicado com linguagem simples e clara. Parabéns Teofilo.
117 hEditado
Preta Manicusse Eu acredito que descer junto ao povo e buscar soluções não será tão viável o povo actual está longe de ser o mesmo que enfrentou o 4/80 uma vês que as dinâmicas e o modus vivend mudou o nível e modelos de vida mutaram se hoje o povo é mais exigente hoje o povo está doptado de um coeficiente amplo e uma maturidade perante a vida diferente dos anos passados, então há que o executivo dar um informe muito rapidamente ao povo para evitar um caus que só vai acelerar o barco que nos leva ao abismo.

Grande Teo Nhangumele parabéns pelo texto bem elaborado

1Ontem às 7:05
Daniel Timana E preocupante! Parabens Teo
1Ontem às 7:26
Joaquim Joao Correia muito preocupante
1Ontem às 7:27
Ema Bombe Samussone Ufff...finalmente um texto escrito em portugues que todos percebemos. Este texto devia ser publicado no jornal maior circulacao no pais, o noticias.
2Ontem às 7:33
Daniel Lewis Mas..... onde está o dinheiro? Foi gasto com o que? Por quem? Se o negocio não saiu, devolvam o que tem, vendam o que tem e paguem a dívida. ...
4Ontem às 7:39
Jeronimo Gungulo Está de parabéns Teo Nhangumele, este texto é tão inteligível que mesmo minha mãe em Zavala vai perceber
1Ontem às 8:03
Isac Naiene Este texto deve ser replicado e a sua leitura, ter um caracter obrigatorio. Parabens chara.
1Ontem às 8:13
Ilídio Caifaz Texto de uma leitura desapaixonada e sem "ismos" da situação e da incerteza do futuro. Excelente análise Teo!
3Ontem às 8:29
Ema Bombe Samussone Com sua permissão Teo, este texto tem que ser partilhado nos nossos grupos improdutivos de whatssap, etc.
1Ontem às 8:33
Teo Nhangumele Grupos improdutivos. ... hahahhahahahh
1Ontem às 9:21
Ema Bombe Samussone De la so sai screenshots e fofoca. Hoje sim teremos materia pra debate. Muito obrigada pelo "material".
1Ontem às 10:19
Teo Nhangumele Obrigado Mamai
Anacleto Machava Simplesmente genial! Só falta dizer o que se deveria fazer com os prevaricadores de toda esta situação. Obrigado.
3Ontem às 8:50
Cornelius Vanderbilt Comodorio O causador de tudo...
2Ontem às 8:51
Sebastiao Baiao Mabote Esclarecedor, parabéns kota Teo Nhangumele!
Rogerio Cuinica Mais esclarecido nao posso estar.muito bom.obrigado Teo pela simplicidade na linguagem que possibilita a compreensao de todos
1Ontem às 9:18
João Carlos Muito didático. Imagino o esforço de falar coisas complicadas e complexas de forma simples e amplamente compreensível. É um contributo importante. Valeu Teófilo Teo Nhangumele
2Ontem às 9:26
Iko Mendonca O povo Mocambicano, toda a massa intelectual,políticos e políticos opositores do governo estão é espera do quê? E chegada a altura da verdade ser dita,dos números reais da dívida serem anunciados e dos que causaram está dividida virem ao público. Chegamos a um ponto tal que já não suportamos rumores.
1Ontem às 9:27
Jose Chilengue Mais claro é impossível. Parabéns Teófilo Teo Nhangumele.
1Ontem às 10:51
Valter Tchona Muito profundo!!!!
122 h
Fernando Ernesto Ernesto Ha fumiwa mani!
222 h
Teo Nhangumele Unga uli sawena!
15 h
Flávio Rafael Zaqueu Parabens Teofilo. Esta foi mesmo para que até o mais pacato cidadao que nem eu tambem entenda que está na me*^@#.
122 h
Teo Nhangumele Pacato cidadão. ... meu irmão!
115 h
Carlos Majimeja Uganedhe satsabho ndriango, simwalo simbe. Hi mamane mahungo
217 h
Gladys Luisa Muito esclarecedor e profundo. Obrigado!
114 h
14 h
Horace Cooper Bem transparente.
Pudera o governo ser assim. Logicamente não estaríamos nesta situação lamentável e de dar vergonha....!
O que me dói mais é o facto de estes cenários estarem a acontecer justamente agora, depois de termos sofrido tanto no passado e aprendido a "sobreviver" dum cenário em que saiamos da pobreza absoluta (um dos países mais pobres do mundo)....
Quando menos esperamos e graças a apenas um punhado de pessoas sanguessugas e interesseiras que visam os seus próprios interesses apenas.... Phammmm!!!.... Estamos endividados até à terceira geração... Mas que palhaçada mais sem graça!
Embora não seja político, sugiro eu que se crie um novo governo, jovial mesmo e sem os habituais "sanguessugas"... talvez a comunidade internacional, os financiadores e investidores sintam pena de nós e arranjemos uma maneira de pagar a dívida em prestações favoráveis e quiçá, prestação de serviços num meio termo e que não signifique escravatura....
Corrijam-me se estiver errado por favor.
A verdade é que já estou a sentir os bolsos bem furados....
Cheer down!

13 h
112 h
Horace Cooper Coitados dos que vão nascer !
112 h
Elsa Matula Análise muito inteligente a mais imparcial das que tenho lido ,real não especulativa . Se tivéssemos mais pensadores assim por todas organizações do nosso país ...os que sabem dar parecer , sabem prever dando hipóteses , que sejam mais consultores e menos bajuladores não tínhamos chegado a este dilema creio ,espero também que meus filhos e netos não paguem esta dívida ,muito menos eu que vejo a cada dia meus rendimentos ficarem asfixiados diante de tudo que pago quase em dobro com a desvalorização da nossa moeda . Me orgulho se ser tua amiga . Dizes o certo quando é certo e o errado quando errado . Me identifico com pessoas que discutem ideias e assuntos e não pessoas. Vamos esperar com serenidade o regresso do governo pelo nossos chefes representado ainda vislumbro um futuro risonho, prefiro acreditar em Bons dias de contrário isto não vai prestar, não há dinheiro que vai se ganhar para suportar os cenários que se desenham vindo de dinheiro honesto ..enfim .O teu pensamento não tem influências de nenhum tipo no meu entender gostei de ler amigão .
211 hEditado
Teo Nhangumele Obrigado Elsinha do meu coração.
112 h
112 h
Elsa Matula A massa cinzenta só rende quando usada em pensamentos que ilustram coisas das quais tem alguma lógica . A tua análise foi boa na componente social e Econômica, que é o que no momento interessa ,não obstante a tensão que temos estado a viver que em tudo nos atrasa ,onde estamos e onde vamos isso é o mais importante .Tua análise é abrangente na minha óptica pois somos Moçambicanos, eu me revi em tudo que escreveste . Pois não curto fofocas , ficam por aí falando a toa e mal de pessoas ,algumas talvez inocentes , mas é muita coisa que oiço ,leio muita informação. Curto os em nada confiam mas fazem valer seus pensamentos em público ...ou em privado de forma muito transparente acusando ou não desde que tenham sustentabilidade suas abordagens mas não populistas e difamatórias . Não trouxeste nomes sim assuntos ,apenas o caus social em que estamos imagino como as vítimas estão sendo bajuladas e por traz apunhaladas ,ainda prefiro o estilo não bajulador ,elogiar quando for o caso mas falsidade dizer whauuuuuuu mil pela ideia , falaste bonito , fizeste boa acção quando esta toda a gente atenta ao erro acho ridículo haja paciência de gerir controvérsia/ bom senco é paradoxo ... mas quando está tudo bem ohhhh mil palmas . Aí as minhas a ti e todos que tem sabido lidar com os assuntos sem ferir sensibilidades mas trazendo o cenário real dos acontecimentos . Sensatez e meio termo sempre . Crispação só em caso extremo, estão a se auferir os dados em causa neste caso caso em particular não obstante os indicadores serem na palavra clara (feios) Valeu ...
110 hEditado
Leonardo Nhavoto That's my brother Teo doing what he does best sharing knowledge! Uma visão de 360 graus da situação que vivemos (e sobreviveremos). Estamos, nos leigos nestas matérias, encarecidamente agradecidos 🏾
211 h
Ben Nguenha Teo Nhangumele,esta divida nao obedeceu a constituicao,nao tem aval do Tribunal Administrativo,da Assembleia por isso nao pode ser imputado a todos nos,nenhum governante pode acordar e ir fazer dividas em nosso nome.
111 h
Paulo Goque Texto simples e didáctico.
110 h
Arnaldo Tembe Não será que alguém se embalou nas "menos valias" que ficaram "mais valias" espantalhadas?
110 h
Niquice Júnior João Teo, gostei do que li. Apenas acho que o texto peca por, no conjunto de medidas de prevenção propostas, não mencionar a questão da responsabilização de todas as instituições e indivíduos que levaram o país de todos nós a este estado. Bem hajas mano!
18 h
Teo Nhangumele Não posso concordar mais do isto com o teu comentário mano. Acontece, porém, que não sei quem são as pessoas implicadas e responsáveis pelo descalabro. Manda - me a prudência evitar apontar dedos às pessoas pois não tenho matéria para tal. Se houver acordo de que houve crime, como deve ser o caso, certamente haverá criminosos e, esses, deverão, sem dúvida, serem responsabilizados civil, administrativa ou criminalmente, segundo acharem apropriado as autoridades competentes.
3 h
Niquice Júnior João Estamos de acordo! Responsabilização não significa que tenhamos que citar ou conhecer nomes. Quem de direito que se empenhe em assacar responsabilidades. O meu ponto é que a impunidade é uma fonte perene de desconfiança em relação às instituições o que também acicata as tensões sociais que, a este andar, por aí espreitam. E, também, de alguma forma previne actos semelhantes. Repare que até a constituição terá sido posta em causa neste imbróglio. Abraços, Mano!
12 h
Teo Nhangumele 100% de acordo.
2 h
Celio Langa Realmente estamos a puxar a carroça por causa de bando de ladrões e burros.Mas eles não perdem por esperar, pois o que é deles está guardado.
13 h
Hugo Gomes Sem dúvidas, um texto interessante de ser lido, parabéns companheiro!!
23 h
Helio Sumbane Parabéns Teófilo.
Excelente análise , metódica e bastante compreensível.
Apreciei a sua simplicidade ....sobretudo onde disseste Ti ku quinze ...

12 h
Jaime Guambe Well done sawena wena!
Eles devem tomar banho de dólares. Enquanto o povo nem água potável tem.


LikeShow more reactions
Comment
Comments
Elmo Buene Toda obra o homem tem fim na terra e nos estaremos aki para testemunha!
LikeReply1 hr
Geronimo Manuel Sainete Este k é o problema
LikeReply1 hr
Hidayat Gafur E mesmo assim a homens armados a desestabilizar o país, criando terror nas estradas nacionais...
LikeReply1 hr
Djao Dos Magaias O povo um dia vai tomar uma atitude.
LikeReply1 hr
Laura Daisy Vergonha
LikeReply1 hr
Helio Angelo Ngoenha Cada dia um novo escândalo. Nos acudam por favor.
LikeReply11 hr
Dário Khossa Povo que agora vive com menos de 50centimos do dólar por dia
LikeReply1 hr
Isidro Madaleno Kkkkkkk isto sim! por isso que fomentam a guerra para incluirem os fundos ou melhor desviarem os fundos nas suas comissoes
LikeReply1 hrEdited
Meque Antonio Simango muita vergonha meu povo
LikeReply1 hr
Nhabanga Faztudo Nhabanga Com muita certeza ms vai pacar espera ms um pouco
LikeReply1 hr
Eusebio Sabonete quem faria diferente? o governo da renamo? todo politico e' ambicioso.
LikeReply11 hr
Pires Calembo Não acredito cada um é um.
O meu pensamento não é o seu.

LikeReply1 hr
Eusebio Sabonete eu oro pra que voce estaja certo. lamento e bastante.
LikeReply1 hr
Paula Maria Raiova
Write a reply...
Gito Júlio Sumbane Não há como
LikeReply1 hr
Meque José Meque Isso é só um começo até próxima quarta feira o país terá mas informações e a dívida poderá chegar aos 6bilhões de dólar
LikeReply1 hr
Helder Da Costa Sumaila Aproveitem porque e o vosso ultimo mandato free
LikeReply1 hr
Cezia Maria Santos Santos Jesus tem misericórdia desse povo
LikeReply11 hr
Celestino Cebu Mana Ivone,,,nao estou a ver o v aproveitamento nisso,,,? É tempo de arregassarem as mangas tirarem ganho nisso,,,sem precisar de uso de arma, O governo ja esta sem rumo...Vcs tiveram iniciativa de convidar o Governo,,e tudo esta a v. favor,,,é so um pouco de trabalho,,teremos caso Brazil...
LikeReply11 hr
Chamussidine Abdulai Obrigado mana ivone pela observação
LikeReply1 hr
Andreia Castigo Castigo Estamos à passar mal, salários baixos produtos d pequena necessidade caro. Heee já n aguento ,esta difícil viver em Moçambique
LikeReply1 hr
Gilda Sumbane oqui tem principio tem o fim
LikeReply1 hr
Arcenio Chizz Isso mesmo Dra
LikeReply1 hr
Lourindo Muspanhola Ha Moçambicanos que pensam nos anos 75 quando eram bebe...que presidente daquela altura era capaz de fazer ese tipo de creme publico? Pensa bem seu lambebotafrelimo.
LikeReply1 hr
Bruno Mello Se ao menos isso a gente tivesse mana...
LikeReply1 hr
Feliciano Rosado Guebuza fez grande cagada
LikeReply1 hr
Matos Azevedo Ate compramos por bidoes,5 mt agua.
LikeReply1 hr
Pires Calembo E não potavel , que pricissa de pour certeza.
LikeReply1 hr
Paula Maria Raiova
Write a reply...
Zarito Mutana E os outros partidos políticos o que fazem para contornar esta situação? Este país nem sei se tem partidos sérios!
LikeReply21 hr
João Adolfo Faustino Cantengo Zarito Mutana eu penso que os partidos estão a fazer o seu papel na Assembleia da República obrigar através desta instituição o governo a cumprir com a constituição em vários actos. Mas vão fazer mas como se a ditadura do voto por em baixo as intenções dos partidos da oposição...fazer as coisas à força nem sempre é bom e podemos alcançar objectivos diferentes do almejado.
A culpa é nossa (povo) que damos além do poder damos a maioria dos assentos no parlamento.

LikeReply145 mins
Paula Maria Raiova
Write a reply...
Crimildo Chemane com toda razão minha Dr Ivone Soares
LikeReply1 hr
Costa Rica Junior kkkk Zerito Mutana
LikeReply1 hr
LikeReply1 hr
Valeriano Saidde Arbano O que falta nos organizarmos como povo Brazileiro?
LikeReply1 hr
Ilda Bulule Conta comigo!
LikeReply1 hr
Paula Maria Raiova
Write a reply...
Calo Nhipimi Verdade
LikeReply1 hr
Ilda Bulule Pooooorrrrraaaaaa.....
LikeReply1 hr
Goncalves Francisco Nguiraze Ainda bem que estao a ser desmascarados
LikeReply1 hr
Merkito Hunguana Mas esse dinheiro todo estão a levar para ondeee..!
LikeReply11 hr
Triple Seven isto vai de mal a péssimo!
LikeReply21 hr
Ilda Bulule Ai se ele estivesse entre nós...
LikeReply11 hr
Paula Maria Raiova
Write a reply...
Adilson Joao Luis Campira FOME TA MAL DEVEMOS REAGIAR MOZ
LikeReply11 hr
Cremildo Manosse Com um pouco de esforço podemos ter a situacão que se vive no brazil.
LikeReply11 hr
Pires Calembo Mas teque ser disarmados la no maputo, pelomenus uma semana intensa, será eles apedir a comonidede intrenational.
LikeReply1 hr
Zecas Banjavo Nao é isso!
LikeReply1 hr
Nelli Nelly O megocio ta fikar erudito para eles.. Daki a pouco aparecealgiem com documento a dzer k ja comprou o pais..
LikeReply58 mins
Aissa Lacá Só nos resta continuar a suplicar ao Todo Poderoso YAHWEH: iauéh Nosso Deus Pai em Nome de Jesus Cristo com a Intercessão da Mãe de Jesus e Nossa Mãe Espiritual nos Seus Anjos, Arcanjos e Todos os Coros Celestes nossos Anjos da Guarda, Santas e Santos que intercedem por nós ao Pai do Céu para Abençoar e Proteger nosso amado País Moçambique e Todos os Povos do Mundo Inteiro. E que o Pai Poderoso Yahweh Abençoe as almas dos nossos antepassados: que estejam em paz nos Braços do Nosso Adorado Deus Yahweh na Felicidade Eterna. Àmen.
LikeReply55 mins
Matos Azevedo Estamos cansado,queremos o que esta acontecer em Brasil.
LikeReply251 mins
Wilson Tembe Tamos numa situacao bué triste poraaaa......!!!
LikeReply348 mins
Sergio Suberano Cuidado vem ai,ja exist fontes fididgmas
LikeReply38 mins
Aditos Nhambau É verdade ,pior é tal povo k também é medonho.
LikeReply135 mins
Andreia Castigo Castigo N tenho certeza s foi ele a dzr, Azagaia disse vamos paralizar tudo tudo mesmo, cada um na sua casa, veram k esse diálogo vai se resolver, porq é um dos factores da proliferação da fomeeeeee. Pena
LikeReply120 mins
Frenck Afonso Ma yi dlaya e dlala va nhacongo dzi wina
LikeReply20 mins
Domi Domi Vinte e iso msm
LikeReply12 mins
Alberto Dongue Dongue Praga de Mosquito Dia e Noite Aqui No Mahlazine Afinal Pra Onde 'e K Vamos, Passaremos a Usar Rede Mosquiteira Dia e Noite
Josimar Biosse "Pudera eu repartir a minha divida pelos meus vizinhos e amigos sem os consultar..." Acho que é por estas e outras que uns fazem coisas chamadas "referendos e/ou resoluções". Análise simples, clara e directa que vai directamente ao estômago do cidadão. EhehehehehLikeShow more reactio
Miguel Cossa Estamos todos aos gritos, mamã Graça já nega pagar. Eu, meus filhos e netos ñ vamos pagar a dívida. Exige k se devolva o dinheiro, ñ imagino como estaríamos de alívio mas... ñ sei. Irmãos, eu ñ ficarei surpreendido se amanhã ouvir k o Guebas contraiu uma dívida mais pesada k isto, num dos bancos Chineses em nome do povo Moçambicano para construção de coisa alguma. Só me resta o milagre de dos filhos e netos que ñ vão pagar esteja eu e os meus filhos incluídos cujas probabilidades, são ínfimas se não o modelo:um por si Deus por todos. Amén
LikeReply42 hrs
Moninho Massango Triste nosso Pais o que esta a acontecer e nós o povo calado com medo de se abrir a boca tomar bala, mais o que o nosso governo esta a mostrar nos é triste e lamentável. Precisamos de tomar atitude ser como o povo brasileiro que esta lutar pelos seus direitos (impeachment Dilma) a caça do Zuma, nós passivos estamos a afundar aos poucos, nossos irmãos fogem no norte para vizinha Malawi e são ignorados, nossos outros irmãos, filhos, sobrinhos, pais, morrem no centro no confronto de não sei quem esta por de trás só sei que a pessoa que esta a protagonizar tais acções esta ganhar dinheiro com isso, acusações deste e aquele partido no meio de um fogo cruzado nas aldeias e estradas essas que transportam alimento, pessoas, recursos minerais para economia do pais e tudo acaba eliminado no Centro do Pais. Acordemos irmãos
LikeReply140 mins
Helder Carlos Sive É triste o que vivemos em Moz, a quem ainda nao ten noção de Como e quem vai pagar port port Essex roubos, she em Janeiro reconhecer uma copia de Bi no notario custava 5mt home esta 25 my is to é uma subidade 500% comecemos a imaginal quais serao outras medidas a serem adotadas...
LikeReply11 hr
Paulo Jorge Ouana Até quando continuaremos assim passivos? Sabemos que alguns políticos querem trabalhar e outros não, não vejo mal de um político roubar pois não é fácil estar ali e não roubar mas o que o ex-presidente fez já não é roubar e destruir uma nação e futuro de vários moçambicanos!!
LikeReply11 hr
Alexandre Macitela O pato/prato/patrao? Mocambicano nao morre de amor com esse prato/pato devido o seu mau cheiro,so em Vietname e' um dos pratos/pato mais prefirido.! O bom do pato aque em Mocambique e' um codico de riqueza ou pato/patrao por isso onde ele sai cheira mal..! Vamos perfumar nosso pais cheira mal passou la um pato.
LikeReply1 hr
Adamo Aziz Nos também somos os maiores culpados não fazemos nada só olhamos e comentamos criticamos , enquanto os ladrões próprios estão a esconder a verdade e não tem ninguém superior a eles para investigar e por a eles n prisão ...O próprio Nyusi nota se que esta envolvido não há dúvidas ....A Justiça que seja feita ...Nos moçambicanos temos medo quando abrimos boca ou investigamos algo somos assassinados e depois a polícia própria na sabe nada .. Todos Unidos juntos conseguiremos a justiça ....bandos de ladrões que escondem a verdade muitos dinheiros roubados
LikeReply21 hr
Vinho Julio Francisco Ainda ha mais podres neste pais, o Guebas fez asneiras para com Povo, se fosse num pais onde a justiÇa tem pernas para andar o MP como garante da legalidade ja estaria a investigar o caso pois estamos perante um crime publico e este tem poderes para tal
Guepato tinha que responder isto, cade o dinheiro das dividas por si contraida, a justiÇa deve ser feita, e' imperioso que se investigue e apurado a verdade execute se o patrimonio do Guebuza e companhia limitada.....!

LikeReply12 hrs
Isabel Paunde Meus caros, não fez sozinho, tem os seus cúmplices. Acho que a lista dos envolvidos e grande daí o silêncio. Mas enfim, nos e que criamos e fomentamos estes roubos, quando defendemos a todo custo corruptos, alegando que um ladrão depois de acumular fica satisfeito, por isso mais vale continuarmos a dar credibilidade visto que já estariam satisfeitos. Nunca acreditei nisso, acho que rouba irá sempre roubar enquanto não for punido, até porque é mais fácil. Agora mocambicanos? Qual será a nova lógica popular?
LikeReply22 hrs
Tomas Humbe Samora o conhecia bem,quando dizm k o ambiocioso e capaz de vender a patria samora referia esse senhor nao foi por o caso foi ministro sem pasta;e nao ficarei surpreso si haver divida maior k essa na china.
LikeReply1 hr
Olympius J. Mondlane Esse Patinhas Vendeu nosso pais ao Diabo. O que falta para ser responsabilizado as dividas? Sera que neste pais temos governo mesmo? ou temos um pilha de patetas ou então comem juntos. Es a razao de elegerem ao Ny no lugar da Luísa ou Aires os da ALA da FRELIMO DE COTA CHISS...... Acho chegou a hora de dar ao César o que e do Cesar.
LikeReply1 hr
Alcidio Sitoe É absoluto engano dizer que não vamos pagar esta dívida. O Estado vai cobrar-nos e conscientes ou não, pagaremos esta dívida. Vamos sim. Nós pagamos impostos, pagamos taxas e demais imposições do Estado. É óbvio que pagaremos esta dívida. Agora, o que é certo, é que não a reconhecemos como legítima e não a queremos pagar, porém enquanto estivermos cá, a pagaremos. Infelizmente.
LikeReply41 hrEdited
Salomao Miambo Onde vamos parar com tudo isto?! O povo a apertar o cinto a ponto de separar as duas partes, há quem vive às largas o pior as custas do próprio padrão o "POVO".
LikeReply12 hrs
Dirofex Limitada Se nos jovens fossemos unidos a serio...iamos fazer um protesto a pedido de exclarecimento de tudo isso e principalmente de troca de tiros cm armas silenciosas, digo isso porque as principais midias nao divulgam estes ataque brutais e terroristas....ndaneta
LikeReply12 mins
Hobety Luys Muhamby Não só o Bandido Armando Emílio Guebuza fez essas dívidas para sabotar a Governação dos Macondes.
LikeReply12 hrs
Ernesto Nhaule Mas sera que o povo mocambicano nao eh capaz de fazer contra o autor dessas dividas todas? eh so calar e sofrer mesmo?
LikeReply1 hr
Ussene Dias CRIANÇAS MOÇAMBICANAS QUANDO SAEM DO VENTRE DA MAE,JA TEM DIVIDAS.
LikeReply1 hr
Claudio Zeferino Sambo Mas, voces Pah! ja virao Pato deixar o espaco ocupado limpo?
LikeReply38 mins
Cazionato Catete Guebuza so pode não ter coração ou no ligar de coração tem pedra
LikeReply21 hr
Paulo Jorge Ouana Nini falou de nada mais é nada menos de 8 bilhões
LikeReply1 hr
Salane Mario GUEBUZA LADRÃO NÚMERO{{ 1 }}NA ESTORIA DE MOÇAMBIQUE
LikeReply2 hrs
Teixeira Teté da Silva Dá pra ver que ha muitos envolvidos nesse esquema, mas o que me surpreende e o nosso silêncio.
LikeReply22 hrs
Hidiel Da Silva Macuácua porque que não coloquem a foto desse tal bandido?
LikeReply2 hrs
Salane Mario UM GRUPO DOS ASSASINOS E LADRÕES CHAMADO ((FRELIMO))
LikeReply2 hrs
Angelo J Chiesa Chiesa È nisso q da kando vivemos d lambebotismo.cada lambe botas????pa esplicarem asituaçao k vivemos agora...
LikeReply36 mins
Helder Sitole Os tiranos passaram d limites levaram o pais a falencia total cm stes roubos e por isso k custo d vida sta elevado no pais e ainda vem mais nao vamos ficar surpresso qando aparecer a 4a a 5a e tantas outros kem sab milhares
LikeReply27 minsEdited
Miguel Comiche Esse Sr.Guebuza deve recolher as celas e serem penhorados todos os bens dele tudo sem deixar nada todas a contas bancarias dele.....pora pha esse....desta vez vamos tomar medidas Guebuza u ta aquela.
LikeReply2 hrs
José Ismail Zeca So lamentar q o meu governo nao faz nada pra deter esse ganancioso. Não temos q sentir na pele esta dor o criador de patos vai ter q devolver a valor
LikeReply57 mins
Simon Cossa Esse pais virou patopolis!
LikeReply32 hrs
Nehemia Micheque Badza nao, bandido guepato.
LikeReply22 hrs
Salane Mario BANDIDU ARMANDO ÉMILIO GUEBUZA#
LikeReply11 hr
Simon Cossa Tai a foto queres mas oque?
LikeReply12 hrs
Paulo Gundana Ijiiiii!
LikeReply12 hrs
Joaquim Joao Correia estamos lixados
LikeReply2 hrs
Jaime Mutomojua Agora é o povo que tende pagar isso!!??
LikeReply1 hr
Macome Antonio Mais uma MENTIRA.
LikeReply2 hrs
Varlido Jorge Mahoche Kkkkkkkk, canal moz nao tem preguica de fazer manchete
LikeReply1 hr
Avelino Namarrocolo O pato ganancioso e destruidor.
LikeReply1 hr
Pedro Paruque Salarios em jogos dos inocentes mocambicanos.
LikeReply1 hr
Kary Pereyra Ta mau isso
LikeReply2 hrs
Sanito Samuel Mandipira O povo tem que reagir.
LikeReply1 hr
LikeReply1 hr
Rodolfo De Carvalho contra pobreza absoluta segundo eles... triste
LikeReply6 minsEdited
Jaime Dias Estevao Sr patinho camarada
LikeReply2 hrs
Stellyo Renovado ponham esse pato no forno para o povo comer...
LikeReply5 mins
Mateus Lucas Xixite É uma conquixta da 3 guerra mundial.....combtentx d fortuna
LikeReply18 mins
Emilio Mario Todox da frelimo , xao coruptox .
LikeReply2 hrs
Gabriel Machel Tenho nonjo desse curupto
LikeReply2 hrs
Agostinho Carvalho Esse regime samguessugas pa.
LikeReply15 mins
Edward Jorge Giorgio Falta a foto do atum ai.
LikeReply1 hr
Pequeno Gugu ...Oremos pra que os próximo dias não sejam piores...
LikeReply31 mins
Édno EChuquela Chuquela Este pato devia estar a caminhar para o TPI...



O Facebook perguntou-me o que estava a pensar.
Incrível como populam textos de alguns "intelectuais" a defender que a(s) dívida(s) pública/soberana da pérola do Índico não constitui motivo para alarmismos, porque até os países mais desenvolvidos como os EUA, Japão, China(maior credor mundial), Alemanha, etc, têm dívidas de trilhões de dólares.
Num dos textos até estão lá descriminados com exactidão os montantes das dívidas desses países.
O que me intriga é que em nenhum desses textos está la escarrapachado o montante da "nossa dívida" - qual patriotismo barato - e nem as fontes dessa informação, que duvido que seja o diário Notícias.
Sob a capa de "intelectuais" querem nos fazer crer que os credores é que são culpados pela situação que o país atravessa com aquela máxima de "mão externa e agendas ocultas", afinal quem anda ocultar coisas aqui?
Munga hi fenhisse futso(não nos façam pentear cágados) páh.
P.S. Texto de um simples cidadão preocupado com as nóticias das bombas "EMATUMICAS e Proindicas"

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook