terça-feira, 26 de abril de 2016

Aeroportos de Cabo Verde encerrados após descoberta de 11 corpos em quartel


Suspeita-se de tráfico de droga. Foram mortos oito soldados e três civis no destacamento militar de Monte Tchota, na ilha de Santiago.


Cidade da Praia RUI GAUDÊNCIO (ARQUIVO)



O aeroporto internacional da cidade da Praia, em Cabo Verde, foi encerrado nesta terça-feira, numa decisão que pode estar ligada ao aparecimento de 11 corpos no destacamento militar de monte Tchota, entre os quais oito militares e dois espanhóis, que trabalhavam na manutenção do quartel. Entre os mortos estão um cabo e um sargento que tinham antes sido dados como desaparecidos, diz o jornal cabo-verdiano A Nação.
Os portos de sotavento aumentaram também o nível de segurança notícia jornal Expresso das Ilhas. "Vai passar a fazer-se um controlo mais apertado à entrada e saída de navios, pessoas, bens, mercadorias dos portos”, disse ao jornal caboverdiano o capitão dos portos de sotavento, Manuel Claudino.
e deve haver uma comunicação ao país pelo ministro da Administração Interna, Paulo da Rocha, dentro da próxima hora, noticiou o jornal A Semana.
A notícia das mortes foi avançada pela publicação Ocean Press esta manhã, que dizia ainda terem sido encontradas no local "oito armas AKM" e terem sido apreendidas cerca de mil munições dentro de uma viatura alugada, encontrada na zona da Cidadela da ilha de Santiago, nas imediações da Universidade Jean Piaget. Este carro teria sido alugado por um estrangeiro, que é dado como desaparecido. É possível que dois outros militares do destacamento estejam ainda a monte.
Há ainda muitas incertezas - não há ainda qualquer comunicado oficial sobre o que se está a passar, dizem os media cabo-verdianos - e as autoridades responsáveis pelo Aeroporto Internacional Nelson Mandela não avançaram uma explicação para o encerramento. Mas o jornal A Nação escreve que "poderá estar alegadamente ligado aos acontecimentos desta manhã.
Todas as forças de segurança estão"em alerta máximo" e envolvidas na investigação deste caso, diz o jornal A Semana. Teme-se que por trás destas mortes esteja o narcotráfico, sublinha o jornal. O caso mais recente foi a apreensão de 280 quilos de cocaína no valeiro Príncipe III, a 18 de Abril, em que foram detidas seis pessoas, das quais quatro brasileiros, um russo e um cabo-verdiano, recorda.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook