segunda-feira, 7 de março de 2016

Rubio com vitória simbólica em Porto Rico, Sanders derrota Clinton perto de casa

Esta terça-feira é dia de votações importantes em estados como o Michigan e o Mississippi, mas antes disso os candidatos à Casa Branca foram a votos em dois locais pouco relevantes no calendário das primárias.
O senador da Florida precisa de vencer no seu estado no dia 15 de Março ALVIN BAEZ/REUTERS
Depois das importantes votações de sábado nas eleições primárias, os candidatos à nomeação para a Casa Branca foram a votos no domingo em locais menos representativos. No lado do Partido Democrata, Bernie Sanders bateu Hillary Clinton no estado do Maine, enquanto Marco Rubio levou para casa todos os delegados que estavam em jogo no território de Porto Rico.
As votações no Maine e em Porto Rico surgiram entaladas entre um sábado em que o senador Ted Cruz apareceu como o mais forte opositor de Donald Trump no Partido Republicano, e uma terça-feira em que vão estar em jogo estados como o Michigan e o Mississippi, que têm muitos delegados para distribuir — não é de admirar que a principal notícia nos sites norte-americanos seja o rescaldo do debate da noite de domingo entre Hillary Clinton e Bernie Sanders, que decorreu precisamente no estado do Michigan.
As escolhas dos eleitores do Partido Democrata no Maine foram feitas emcaucus (assembleias populares), e quem mais beneficiou desse sistema que exige mais discussão e envolvimento no terreno foi Bernie Sanders, até porque o Maine tem apenas o New Hampshire a separá-lo do Vermont, o estado onde o candidato foi eleito senador em 2007 e onde desempenha cargos públicos de relevo desde 1981.
Com a quase totalidade dos votos contados, Sanders tem 64,3% e Hillary Clinton 35,5%, num universo de cerca de 3500 eleitores. Estes resultados traduzem-se em mais 15 ou 16 delegados para o senador e um máximo de dez para a antiga secretária de Estado.
Antes dos resultados no Maine, Clinton tinha 1123 delegados (incluindo o apoio manifestado por 458 superdelegados, que têm liberdade de voto na convenção do partido, marcada para Julho) e Bernie Sanders tnha 484 (incluindo 22 superdelegados). Para que um dos candidatos chegue à convenção com a nomeação garantida precisa de conquistar pelo menos 2383 delegados.
No lado do Partido Republicano, a votação de domingo decorreu no território norte-americano de Porto Rico, onde os cidadãos podem escolher os candidatos do Partido Republicano e do Partido Democrata que vão concorrer à Presidência dos EUA mas não podem votar nas eleições gerais, marcadas para o dia 8 de Novembro.
O desinteresse pelas primárias e caucus em Porto Rico nota-se na ausência de grandes sondagens e de histéricos anúncios televisivos a toda a hora — para além de não poderem votar nas eleições gerais, os cidadãos de Porto Rico estão a braços com uma enorme crise económica, num território que acumulou uma dívida na ordem dos 70 mil milhões de dólares.
Ainda assim tem 23 delegados para distribuir, e foram todos para o senador da Florida, Marco Rubio, que precisa de vitórias nas primárias como de pão para a boca. Foi apenas a segunda vitória do senador da Florida desde o início das primárias, depois da vitória no Minnesota na Super Terça-feira de 1 de Março. Para se manter na corrida, Rubio tem de vencer as primárias no seu estado, no dia 15 de Março — ao contrário do que tem acontecido na maioria dos estados até agora, a Florida entregará todos os seus 99 delegados ao vencedor e não de forma proporcional; para além da quantidade de delegados em jogo, Marco Rubio não resistiria a uma derrota no estado que o elegeu senador.
Dos quase três milhões de eleitores que poderiam participar nas primárias em Porto Rico, nem 40.000 chegaram às mesas de voto — muitos deles nem sabem que podem votar nas primárias do Partido Republicano e do Partido Democrata (estas marcadas para 5 de Junho), e estão naturalmente mais preocupados com a política e a economia internas.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook