quarta-feira, 2 de março de 2016

NOVO GASODUTO LIGARÁ BACIA DO ROVUMA/GAUTENG

A SacOil Holdings, uma companhia sul-africana, anunciou terça-feira a assinatura de um acordo na cidade de Joanesburgo que abre o caminho para a construção de um gasoduto, orçado em seis biliões de dólares e com uma extensão de 2.600 quilómetros, que irá ligar a Bacia do Rovuma, na região norte de Moçambique, e a província de Gauteng, naquele país vizinho.
O gasoduto, designado por African Renaissance (tradução em português, Renascimento Africano), também deverá fornecer gás nas cidades moçambicanas localizadas ao longo do seu percurso. 
Assinaram o acordo a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos de Moçambique (ENH), SacOil, Profin Consulting e a China Petroleum Pipeline Bureau (CPP). 
A Profin é um consórcio privado moçambicano, enquanto o CPP, de acordo com um comunicado da SacOil, é uma empresa chinesa e internacional líder na construção de gasodutos que vai trazer os seus ricos conhecimentos técnicos para o projecto do gasoduto.
Segundo o director executivo da SacOil, Thabo Kgogo, o acordo confirma os compromissos de financiamento necessários para as fases de pré-investimento e estudos de engenharia do projecto, e abre o caminho para a sua construção e implementação rápida e eficaz.
A CPP vai financiar e realizar os estudos de pré-investimento. Esta empresa também irá garantir a mobilização de 70 por cento do orçamento do projecto de instituições financeiras chinesas. Outro investimento virá de Moçambique e África do Sul.
A CPP é uma empresa filiada à China National Petroleum Company, que detém uma participação de vinte por cento na Área 4 da Bacia do Rovuma, ao largo da costa da província de Cabo Delgado. A empresa italiana ENI é a operadora da Área 4, que possui um depósito de gás natural estimado em 85 triliões de pés cúbicos. 
A SacOil afirma que a assinatura do acordo de cooperação está em linha com a estratégia da SacOil para se tornar uma empresa líder Pan Africano de gás e petróleo envolvidos em actividades Upstream e Midstream.
O projecto, segundo a SacOil, está sendo concebido para tornar a energia acessível para uma maior proporção da população, promover a energia limpa, reduzir a factura de importação de petróleo e reduzir a pegada e imposto de carbono.
A SacOil afirma que é uma companhia africana independente de gás e petróleo baseada na África do Sul, listada na Bolsa de Joanesburgo e no Mercado de Investimento Alternativo (Alternative Investment Market), que é um sub-mercado da Bolsa de Valores de Londres. O seu presidente é o antigo governador do Banco Central da África do Sul, Tito Mboweni.
JHU/SG/DT
AIM – 02.03.2016

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook