segunda-feira, 7 de março de 2016

Investidores à espera de ver a bazuca de Draghi

TIAGO FREIRE


Chamam-lhe o SuperMario, e com alguma razão, mas há coisas que nem um super-herói pode fazer sozinho, como salvar o mundo. Esta é a semana em que o presidente do Banco Central Europeu vai tirar outra vez a “bazuca” e, espera-se, anunciar os próximos passos do banco, no sentido de estimular a economia sem penalizar os mercados (tarefa difícil, como se tem visto). Toda a semana será marcada pela expectativa, e depois pela reacção, acerca da reunião de quinta-feira, e há apostas ara todos os gostos. O mais provável é um novo corte da taxa de depósitos, tornando ainda menos apelativo parquear dinheiro no BCE em vez de o colocar a circular, em crédito e investimento, na economia. Há quem espere taxas diferenciadas, por patamares, e ainda uma nova ronda, reforçada, do programa de compra de activos, o famoso ‘quantitative easing’.

É essa expectativa acerca do que Draghi irá anunciar que está a dominar o sentimento dos mercados, com muitos investidores a optarem por uma tónica de esperar para ver, o que está a penalizar as bolsas. Não ajuda o facto de vários mercados virem de um rally pronunciado, ocasião propícia para uma tomada de mais-valias, em tempos de incerteza.
O resultado de tudo isto é uma Europa pintada de vermelho, com perdas que oscilam entre os 0,86% de Paris e os 1,07% de Madrid. A queda do preço do cobre, também a corrigir dos recentes ganhos, arrastou boa parte do importante sector mineiro. Por Lisboa, o panorama não é muito diferente. O PSI 20 cai 0,98%, para 4.903 pontos, com apenas quatro papéis acima da linha de água. A maior subida pertence à Altri, que valoriza 0,71%, para 3,668 euros. Em sentido inverso, as maiores perdas são protagonizadas por EDP (-3,06%), NOS (-2,21%), BCP (-1,8%) e Mota-Engil (-1,62%). Fora do PSI 20, há um título a destoar: a Benfica SAD, depois de este fim de semana a equipa de futebol ter ascendido ao primeiro lugar da Liga.
Mas deixemos o mundo dos mercados, porque há muito mundo para lá destes.
Por cá, na política, o evento da semana é o “render da guarda” em Belém. Desta feita, um diferente, com o final de mandato do Presidente da República, Cavaco Silva, e a tomada de posse do seu sucessor, Marcelo Rebelo de Sousa. Já com este no cargo, uma novidade. Este ano, as comemorações do 10 de Junho terão lugar junto de parte da diáspora, em Paris.
No cruzamento entre política e empresas, continua a pressão da Câmara Municipal do Porto sobre a TAP, pelo número de ligações canceladas nos últimos dias, envolvendo aquela cidade e a transportadora.
Na quinta-feira, o comissário europeu para os Assuntos Económicos estará em Lisboa, no âmbito do semestre europeu, e irá reunir com António Costa e Mário Centeno. Não há agenda conhecida, mas podemos adivinhar conversas sobre planos B.
Lá por fora, o Brasil não tem descanso, com os estilhaços do mega-escândalo do “Lava-Jato”. Lula foi visado pelas autoridades, Dilma vai assobiando para o lado mas está em cheque, e a economia dá sinais de fragilidade.
Para terminarmos numa nota mais leve, veja num minuto como se construiu o primeiro jacto E190. Um vídeo impressionante.
  •  
  •  

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook