quinta-feira, 3 de março de 2016

Encontro sem pré-condições é uma farsa

O Conselho da Defesa e Segurança Nacional recomendou ao Presidente da República, Filipe Nyusi, a criar condições de segurança para o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, a fim de se encontrarem com o objectivo de discutirem problemas da paz ameaça pelo reunício da guerra entre os homens armados do governo e da Renamo. Nyusi disse que quer converser sem pré-condições, como aconteceu nas duas vezes anteriores em que não se passou de um aperto de mãos, sorrindo para as câmaras e o assunto morreu por aí. Alguns ficaram impressionados enquanto outros disseram que não passava de uma brincadeira, fintando-se um ao outro. Nyusi e Dhlakama se querem se encontrar sem pré-condições, poderão faze-lo num quiosque ou numa barraca qualquer.
Como se pode conversar enquanto a casa está em chamas? O país está mergulhado em guerra que, com um pouco de bom-senso e justiça, poderia ter sido evitada. Como a ganância e o acumular de riqueza sem causa soa mais alto, vemos mortes de moçambicanos, destruições de bens, infra-estruturas e o desenvolvimento sócio-económico fica comprometido. Muitas crianças ficaram sem ir a escolar, porque os pais tiveram que mudar para lugares mais seguros, o fluxo de investimento parou. A dívida pública subiu devido à ganância de enriquecimento rápido de alguns. A compra de material bélico continua para matar a outros moçambicanos que discordam com a forma pouco transparente como o país está sendo governado. Como se pode conversar sem pré-condições?
Um encontro sem pré-condições visa, apenas, impressionar. O encontro terá que resolver o problema que está por detrás da guerra, que é a fraude eleitoral protagonizada pela Frelimo e apadrinhada pela Comissão Nacional de Eleições e Conselho Constitucional. O que gerou a guerra é a partidarização das instituições do Estado. A exclusão politico-social a quem não seja portador do cartão de membro da Frelimo é um problema bastante sério. Ao funcionário público que não seja da Frelimo tem as portas encerradas – não pode ser chefe nem pode progredir na carreira profissional. O professor e o enfermeiro são obrigados a inscreveram-se como membros da célula da Frelimo, para ter a oportunidade de apanhar migalhas que came da recheada mesa do poder.
Os refugiados moçambicanos, fugindo das atrocidades das tropas do governo, vão enchendo os campos, em países vizinhos. Os refugiados dizem que as tropas da Frelimo queimam-lhes celeiros, roubam-lhes cabritos, ovelhas, galinhas, patos e, por fim, fecham algumas pessoas nas suas casas e ateam fogo, como fazia o exército colonial. Foi assim em Wiriamo, em 1972, na província de Tete, durante a guerra de libertação. A soldadesca do regime de Ian Smith, da Rodésia do Sul, fazia o mesmo – fechava as populações moçambicanas nas suas casas e incendiavam-nas, como forma de as castigar pelo seu apoio à guerrilha da Frelimo. Mudam os actores da História mas a essência dos métodos continuam.
O povo quer um encontro com uma agenda concreta, capaz de calar o troar das armas. Deseja uma agenda que despartidarize o aparelho de Estado, capturado pela Frelimo desde a Independência Nacional, e instale um Estado que sirva a todos os moçambicanos, sem qualquer distinção como agora acontece. Pretende uma agenda capaz de reformar as forças governamenatais - FADM, FIR e SISE - em apartidárias, que deixem de obedecer ao pernicioso comando do partido Frelimo. Tem que ser uma agenda inclusiva da distribuição da riqueza nacional e de oportunidades de negócio que, hoje, contemplam, somente, as elites da Frelimo.
Portanto, a exigência de se encontrar com Dhlakama sem pré-condições é uma grande farsa. Revela, por outro lado, que Nyusi e o seu grupo não têm um plano para atingir a paz porque, segundo as palavras do Arcebispo da Beira, Dom Cláudio Dalla Zuanna, “os inimigos da paz são aqueles cujos interesses acabam por ser favorecidos pela guerra”.
Se a constituição é um impedimento à paz e concórdia, então que seja reformulada. A constituição não é nenhuma bíblia sagrada ou alcorão para se manter inalterável. A constituição não deve ser um obstáculo à paz, tanto mais que a exigência da Renamo (tanto de governadores quanto das autarquias provinciais) não fere a nossa constituição, logo, os argumentos levantados pela Frelimo são falsos e, totalmente, infundados.

Comments
Domingos Pedro Cadeado Hehehehehe, cada um puxa Sardinha para sua brasa
3 hEditado
Edwin Hounnou Comente o post!
Alcidio Do Rosario Dhlakama ja teve muito tempo para impor condicoes, agora chega.
Edwin Hounnou Deve aceitar as imposicoes do governo de boca fechada e maos juntas?
Alcidio Do Rosario Quantas vezes o governo cedeu as exigencias da Renamo no CICJM?
Eduardo Mazive Alcidio Do Rosario , o que realmente o governo aceitou?
Eduardo Mazive As questoes pertinentes com a despartidarizacao do aparelho de Estado e das FDS como ficou? Será que as FDSs despartidarizadas iriam fazer atentados a pessoas pertecentes a partidos politicos da oposicao e cercar as suas sedes politicas?
Joao Moreno Não estás a ver que o que está acontecendo é porque o governo está a agir ditatorialmente sem cumprimentos de acórdãos prévios e como diz Edwin a constituição não é de pedra nem é Bíblia.
Domingos Pedro Cadeado Ninguém nesta vida pode falar mal do seu patrão.... Hehehehehe, cada um puxa sardinha para sua brasa... Quem da Beira, puxa sardinha de lá,.....! Hehehehehe, comentei o post
Edwin Hounnou OK, Embora eu nao tenha entendido bem.
Alcidio Do Rosario Eu entendi muito bem. O Cadeado quis dizer que sempre vais lutar para agradar o cla Simango.
Domingos Pedro Cadeado Entendeu sim mano Edwin Hounow. Se entendo sua posição
Edwin Hounnou Um abraco.
Domingos Pedro Cadeado Hehehehehe, os homens puxando sardinha para suas brasas temendo a falta de refeição.... Aliás é sempre bom fazer isso
Joao Moreno Realmente tocaste em pontos fulcrais. E o governo terá que ser signatário da TPI ou ICC. Nhussy tem medo dos que o rodeiam. Está numa encruzilhada e não tem os...... no devido lugar. O partido dele está cheio de quadrilheiros
Diniz Jumapili Edwin Hounnou, respeito seu ponto de vista e nao sou obrigado a nao concordar com o post, seja qual for a pressao que eu tiver, sou obrigado a concordar com seu texto academico,resumido e muito claro para aqueles que tentam tapar o sol com a peneira furada! Esta de parabens pelo texto explicativo, a guerra pode ser travada sim, mas depende da vontade politica de todas as partes, mas ja que a guerra beneficia as duas partes em conflito, me parece que a guerra tera mais pernas para andar, o sossego do povo so vira no tempo das eleicoes gerais quando o DAVIZ SIMANGO e o MDM Governarem mocambique! Porque a FRENAMO sabe disso, incitam a guerra para haver motivos do MDM e seu candidato nao vencer as eleicoes de 2019! Doravante o MDM deve sem condicionalismos manter-se firme ate a decisao final do povo mocambicano submetido a um regime ditador e repreensivo que dura a mais de 50anos!
Entre as forcas armadas da frelimo e a Renamo nao se pode esperar mais nada a nao ser o teatro encenado que assistimos a titutulo gratuito com milhares de deslocados,mortos,bens destruidos, recessao economica,queda do Metical,abuso de poder,discursos injustos como assistimos em Tete pelo Governador, correanos ensinando tecnicas de guerra as tropas da frelimo,kenianos e mercenarios Sul Africanos apoiando a Renamo etc etc,
O povo Mocambicano jaz na penuria, luta contra seca, inundacoes,fome,emprego etc etc e tem mais um fardo pesado por aturar, a GUERRA das elites, isso tudo nos leva a pensar numa outra alternativa, apoiar os ideais do MDMe do Magestoso e humilde cidadao Daviz Simango,o nosso garante da liberdade e da BOA GOVERNACAO.
Armando Cuna Nos dois encontros havidos sem precondicoes, nao foram precedidos de tentativas de assassinatos envolvendo ate Bispos e Doutores.
1
2 h
Diniz Jumapili Kkkkkkkkkk
Joao Moreno Dinis o cenário aqui é tirar a frelimo do poder e a oposição devia de uma frente única com um líder custe o que custar. Será que nós do MDM não podemos sentar com a renamo? Porque são belicistas. Se não fossem belicistas hoje garanto te eu que não estaríamos aqui. Isto seria união soviética de Moçambique. Alguma vez temos que combinar para derrubar para interesse do povo. Depois o povo é quem vai julgar estando liberto.
1
2 h
Diniz Jumapili Uma das coisas mais lindas que ja ouvi este ano E este seu minisculo e academico comentario,
Parabens Joao Moreno
Diniz Jumapili Podemos sentar sim, mas vimos que A RENAMO quer abater o MDM, para manter sua egemonia politica na arena Nacional, entretanto sera uma sentada muito dificil.
Joao Moreno Esse é um assunto que não se pode dizer porque nunca sentamos.
1
1 h
Diniz Jumapili Verdade! Vamos esperar esse dia chegar
Joao Moreno Não podemos esperar temos de fazer acontecer. Sermos uma voz única. Nestas últimas eleições legislativas se estivéssemos unidos a frelimo nem piava nem piu. Claro que estamos a assistir a uma banda sonora barulhenta mortífera,. Somos diferentes sim mas temos de saber fazer alianças inteligentes claro que nunca até um futuro mais próximo aliança com frelimo. Portanto vamos ter coragem por o assunto nos corredores até aos canais de intervenção. Dinâmica é a essência do movimento. O futuro não é estático.
Armando Cuna Depois, existe sempre o SISE nada interessado em que a oposicao se una. E SISE eh Estado apesar de, em tudo, se confundir com a Frelimo.
Joao Moreno Eles sempre vão tentar não nos largam parecem cães de caça. Só nós é que não assumimos a nossa grandiosidade. O quão fortes somos neste xadrez, não é só o rei e a rainha que fazem xeque mate.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook