sábado, 5 de março de 2016

Dilma foi a casa de Lula oferecer solidariedade


O ex-Presidente pediu aos apoiantes para saírem em defesa do Partido dos Trabalhadores. "Se eles me querem vencer, têm que me enfrentar nas ruas deste país", disse.
Dilma Rousseff esteve um ahora com Lula da Silva NELSON ALMEIDA/AFP
A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, foi neste sábado a casa de Lula da Silva para lhe prestar solidariedade, depois de o ex-chefe de Estado ter sido levado para prestar depoimento pela polícia federal, no âmbito da investigação à rede de corrupção na Petrobras.
Dilma esteve no apartamento de Lula em São Bernardo do Campo (estado de São Paulo) uma hora, durante a qual os dois surgiram numa varanda para acenar às cerca de 250 pessoas — segundo o jornal O Globo — que ali se juntaram em apoio do ex-Presidente. Na véspera, Rousseff tinha criticado a forma como Lula fora levado pela polícia, considerando que fora "desnecessário", pois o líder histórico do Partido dos Trabalhadores (PT) já teria comparecido várias vezes de forma voluntária para prestar esclarecimentos.
Dilma Rousseff e Lula da Silva foram acusados por Delcídio Amaral — que era o representante do Governo no Senado e no Congresso e que fez um acordo com a polícia — de interferência na Lava Jato, a operação do Ministério Público e da Polícia Federal que expôs o esquema na petrolífera estatal. A Presidente denunciou a fuga de informação que fez chegar as declarações de Amaral à imprensa e disse que este agira por "vingança".
Depois de Lula ter sido ouvido, o Ministério Público divulgou que Lula foi "um dos principais beneficiários" da corrupção na Petrobras. O ex-Presidente contra-atacou, pedindo aos seus apoiantes para saírem à rua em sua defesa e do PT. "Se eles querem vencer, têm que me enfrentar nas ruas deste país", disse Lula, que na sexta-feira à noite saiu do apartamento em São Bernardo para falar com os apoiantes. "Eu sobrevivi à fome, e quem sobrevive à fome nunca é derrotado", disse, citado pela AFP.
Já neste sábado, pelas nove horas, a polícia fechou uma das vias da avenida onde Lula mora, preparando o local para a manifestação de apoio. Foi pendurada uma faixa a dizer "Lula o mais honesto e honrado deste país" e os manifestantes cantaram "Lula, guerreiro do povo brasileiro" e "Lula meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo". Quando Dilma chegou, relata O Globo, gritaram ainda que não iriam permitir "o golpe" — a oposição tenta, há meses, dar início a um processo de destituição da Presidente no Congresso.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook