quinta-feira, 31 de março de 2016

Condenação dos revolucionários é indigna e arbitrária obrigados pela vossa bravura - Raul Diniz

Luanda - A declaração da UNITA face á condenação dos jovens ativistas deixou de boca aberta a maior parte da sociedade politica inteligente ativa, não é que os burocratas do partido do galo negro saíram à rua para afirmar estupidamente, diga-se de passagem, que a solução da crise e das condenações dos ativistas políticos passa pelas eleições de 2018.

Fonte: Club-k.net

OBRIGADO JOVENS REVOLUCIONÁRIOS POR NOS MOSTRAR A SAÍDA PARA LIBERDADE, PERDOEM A RESIGNADA COBARDIAS DOS LIDERES OPOSICIONISTAS COM ACENTO NA ASSEMBLEIA NACIONAL.

Não vai ser fácil aceitar a condenação desses filhos legítimos da Angola profunda, eles estão e vão continuar a enternecer os corações de todos quantos amam a liberdade e querem a democracia participativa na terra angolana. A partir de agora a luta vai aquecer e eles os supostos donos do país e da alma dos angolanos vão ter que engolir a decisão do povo não se intimidar mais com as arrogâncias e prepotências do ditador.

ESTAMOS MAIS UNIDOS, OS ANGOLANOS NÃO PRECISAM DEPARTIDOS VADIOS COMO A UNITA NEM DE PROFETAS COBARDES ANUNCIADORES DO MEDO E DA DESGRAÇA COMO O VENDILHÃO DE TEMPLOS ISAÍAS SAMAKUVA, EM SUMA O POVO PERCEBEU QUE NÃO PRECISA DE LIDERES ADMOESTADOS ANCORADOS NO PORTO DA DESGRAÇA COM ACRESCIDAS NO ARCO DA GOVERNAÇÃO.

O país está mais iluminado a florescente luz de cor verde esperança, apesar de triste as mentes outrora oprimida dos excluídos despertou para a luta pela inclusão, somos milhões que não desejamos mais ver esse raivoso ditador infame a nossa frente e muito menos desejamos a sua substituição pelos filhos do regime. A promessa de não parar a luta está feita, ouvidos foram ossos

MAIS VELHOS QUE PELEJARAM PELA INDEPENDÊNCIA NÃO SÃO POUCOS E NÃO VÃO FICAR MAIS A ESPERA DE VER MORRER FILHOS ANGOLANOS INOCENTES. José Eduardo dos Santos trouxe a discórdia e a confusão, impôs a ditadura, roubou às riquezas nacionais, fez sua filha estrangeira bilionária e seus filhos e filhas multimilionárias, seus irmãos e irmãs estão riquíssimos, e agora decidiu assassinar o povo e matar o sonho e a vontade do povo de ser livre e de viver em democracia.

JES TEM MEDO DA DEMOCRACIA, ELE TEME SER PRESO E AMARRADO ASSIM COMO OS SEUS FAMILIARES.

O Ditador vai ser despedaçado pelos seus próprios companheiros de infortúnio, ele sabe bem disso, agora o que o povo pode contar com os mais velhos que nunca se contaminaram com as benesses do regime e em momento nenhum se alhearam a sua luta. Porque que faço tal afirmação? Porque eu estava lá na hora da dor e do sofrimento. Os mais velhos nunca estiveram distantes e muito menos a luta dos revús lhes foi indiferente.

A MORTE DOS FIEIS DE DEUS É TRANQUILA.
Não somos grandes, mas também não somos minúsculos, esses que vos oprimem estiveram conosco lutando, essa gente opressora é tão pequenina quanto elas pensam que nós somos não os tememos, pois, eles são humanos, e tão fracos e frágeis que são igualmente morríveis como nós, a diferença é que nós morreremos em paz.

ISAÍAS SAMAKUVA COMO POLITICO É UMA FRAUDE IDÊNTICA A ELEITORAL
A sociedade angolana acordou triste e o país está a viver momentos de tremor e escuridão. Não se pode mais de maneira alguma ignorar o regime que vigora e Angola, tudo tem que ser feito para que o brinde resultante da manobra fraudulenta, programada pelas hostes da casa de segurança do velho carcamano arrogante seja desfeita.


DE UMA VEZ POR TODAS A OPOSIÇÃO TERÁ QUE TIRAR ILAÇÕES ACERTADAS DO QUE JES E O MPLA ESTÃO A SANGRAR O PAÍS DE CABINDA AO CUNENE E DO MAR AO LESTE.
O velhaco ditador teima em agravar o sofrimento dos filhos da angola profunda, a muito que vem sendo denunciada a fraude do julgamento que toda oposição assistia de longe como se não fosse parte da sociedade acorrentada. As instituições do estado transformaram-se em propriedade de José Eduardo dos Santos.

A UNITA NÃO É UM PARTIDO OPOSITOR, TRATASSE DE UM PARTIDO DE COMPADRIOS VÁRIOS, DESCARACTERIZADA E M SUA TRATA-SE DE UMA ORGANIZAÇÃO POLITICA VADIA UMA AUTENTICA BAILARINA,
E/OU MARIA VAI COM O MPLA. A UNITA tem vindo a demonstrar que vive numa almofadada redoma circundada de um falso elã, o seu líder não é um libertário, ele não passa de um pigmeu egocêntrico, e de um libertino destemido, O velho Sam vive em outra Angola que não é a Angola do sofrimento real. ISAÍAS SAMAKUVA É UMA AUTENTICA ANEDOTA! Num momento de total terror imposto pelo regime, num momento de se sair a rua para demonstrar quem é a UNITA, num momento em que Angola necessita urgente dialogar, numa altura de desespero para todos. O fanhoso Samakuva e toda direção do seu partido vem a público afirmar que a crise é resolvida em 2018 altura das eleições viciadas!

COITADA DA UNITA, POBRE SAMAKUVA, GANHAR ELEIÇÕES NESSA ANGOLA DOMINADA POR GOLPISTAS!
Agora o povo sabe que apenas o poder interessa ao líder da UNITA, mas todo angolano tem a certeza que o mais próximo que Samakuva chegará do poder, é resignadamente derrotado, poder apertar a mão do seu dileto amigo o ditador José Eduardo dos Santos.

A ÚNICA SAÍDA PARA IMPEDIR O SUFOCAMENTO DA SOCIEDADE, OS PARTIDOS POLÍTICOS TERÃO QUE CONDUZIR A POPULAÇÃO, SAINDO AS RUAS DO PAÍS PARA REIVINDICAR O DIREITO AS LIBERDADES CONSTITUCIONALMENTE PROTELADAS.
Não existe saída para uma vitória nas próximas eleições para a UNITA nem para a oposição descrente que Angola possui. Além disso, fata cerca de 1 ano e 6 meses para que as eleições sejam eventualmente realizadas, até lá muita água vai passar por baixo da ponte que separa a os opressores dos oprimidos. Não existe democracia tendo na presidência do país um presidente corrupto, ladrão nepotista. Basta ver como o ditador decidiu oprimir o judiciário e decidiu também colocar em retrocesso a democracia mantendo descaradamente o povo num total obscurantismo politico apenas para coartar as liberdades democráticas duramente alcançadas no ardor da luta contra a tirania.

A ANGOLANIDADE ESTÁ A UNIR-SE PARA LUTAR CONTRA A TIRANIA.
O país pertence aos angolanos, não se pode deixar um povo sério ser dominado pela truculência do terror homicida do regime opressor. Por outro lado, o medo que as lideranças oposicionistas sentem do regime não deve ser combustível para a balcanização da sociedade angolana. Na verdade essa oposição até dá pena de tão fragmentada que ele se encontra.

TODO PAÍS ESTÁ INDIGNADO, TODOS SOFREMOS COM VOCÊS E VOSSOS FAMILIARES, FESTA HA NA CASA DE SEGURANÇA, NA TPA TELEVISÃO POPULAR DE ANGOLA, NA RADIO NACIONAL DE ANGOLA E NO JA JORNAL DE ANGOLA. o DITADOR E SUA FAMÍLIA DELIRA DE CONTENTAMENTO PELA VOSSA DESGRAÇA TRANSITÓRIA, O ULTIMO A RIR RI MELHOR.

«Angola é uma ditadura» - Deputada portuguesa

Lisboa - Durante o debate quinzenal, na Assembleia da República, a porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, desafiou o primeiro-ministro a comentar a condenação de 17 cidadãos em Luanda por «rebelião».
Fonte: Abola/RTP
A bloquista aludiu ao caso do luso-angolano Luaty Beirão e de outros 16 ativistas detidos em junho de 2015 e agora sentenciados a penas de prisão.
Para Catarina Martins «Angola é uma Ditadura», denunciando o «silêncio» de Portugal perante a condenação e questionando como o Governo «estará a acompanhar os casos».
«Estes ativistas são presos políticos. Estamos num debate no Parlamento português - casa de liberdade e democracia. Este é o lugar para o senhor primeiro-ministro deixar uma palavra clara para a libertação dos presos políticos em Angola», disse para António Costa.
Porém, em resposta, o chefe do Governo refugiou-se na declaração do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, produzida há dois dias, em que alegou confiar na lei angolana e no respeito pelos direitos humanos.

O MNE referiu na sua nota no começo da semana que "o Governo português acompanhou pelos canais diplomáticos adequados, quer no plano bilateral, quer no quadro da União Europeia, o processo judicial conduzido, em Luanda, pelas autoridades competentes, relativamente às ações de 17 cidadãos angolanos, um dos quais detém também nacionalidade portuguesa".

Um tribunal de Luanda condenou a penas entre dois anos e três meses e oito anos e seis meses de prisão efetiva os 17 ativistas angolanos que estavam desde 16 de novembro a ser julgados por coautoria de atos preparatórios para uma rebelião e associação criminosa.

Os jovens ativistas rejeitaram sempre as acusações que lhes foram imputadas e garantiram, em tribunal, que os encontros semanais que promoviam - foram detidos durante um deles, a 20 de junho do ano passado - visavam discutir política e não promover qualquer ação violenta para derrubar o regime.

Os 17 ativistas hoje condenados a prisão efetiva são: o músico e engenheiro informático luso-angolano Luaty Beirão, o estudante universitário Manuel Chivonde "Nito Alves", o professor universitário Nuno Dala, o jornalista e professor universitário Domingos da Cruz, o professor primário Afonso "M`banza Hanza", o professor do segundo ciclo José Hata, o jornalista Sedrick de Carvalho, o funcionário público Benedito Jeremias, o cineasta Nélson Dibango, o mecânico Fernando António Tomás, o tenente da Força Aérea Osvaldo Caholo, os estudantes Inocêncio de Brito, Albano Bingo Bingo, Arante Kivuvu e Hitler Tshikonde, a estudante universitária Laurinda Gouveia e a secretária Rosa Conde.

Estamos juntos, vamos nessa.



Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook