terça-feira, 22 de março de 2016

Atentados em Bruxelas: 26 mortos confirmados

Explosões no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metro fazem vários mortos e dezenas de feridos. Capital belga está em estado máximo de alerta e há repercussões em toda a Europa. Ataques acontecem poucos dias depois da captura de Salah Abdeslam, terrorista fugitivo dos atentados de Paris.

Relacionados

Há 8 min.
 

Cláudia Lima Carvalho

Número de mortos sobe para 26

Apesar de o primeiro-ministro belga, Charles Michel, não ter avançado com o número de mortos e vítimas, as autoridades e a imprensa belga afirmam que os atentados já fizeram 26 mortos.
Há 12 min.

Pedro Sales Dias

PJ e serviços de segurança vão reunir

A Polícia Judiciária (PJ), os Serviços de Informação e Segurança (SIS), os Serviços de Informações e Estratégias de Defesa (SIED) e demais serviços de segurança portugueses vão reunir na tarde desta terça-feira.
O encontro já estava agendada pelo gabinete coordenador da segurança e tinha como objectivo analisar o Relatório Anual da Segurança Interna de 2015. Contudo, o actual momento que se vive em Bruxelas vai estar em cima da mesa.
Há 16 min.

Ataques "cegos, violentos e cobardes"

“Este é um dia negro para a Bélgica”, disse o primeiro-ministro Charles Michel, confirmando que as explosões desta manhã, no aeroporto e na estação de metro de Maalbeek, provocaram “vários mortos e feridos”. A Bélgica, afirmou, foi alvo de ataques “cegos, violentos e cobardes”, depois de meses em que essa era uma hipótese diariamente admitida. Michel anunciou que foram já ordenados reforços militares para auxiliar nas operações de segurança.
Há 20 min.

Joana Amaral Cardoso

Mais 1600 polícias nas ruas francesas - "Estamos em guerra"

"Estamos em guerra" e "perante esta guerra é necessária uma mobilização", disse esta manhã o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, após um encontro de urgência com o Presidente da República François Hollande e com o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve.
Cazeneuve anunciou então que colocou mais 1600 polícias nas ruas, sobretudo nas zonas de controlo de fronteiras e hubs de transportes aéreos, marítimos e rodoviários. 
Estes efectivos juntam-se aos reforços que estavam no activo nos últimos quatro meses desde os atentados de Paris, em que foram estabelecidos 220 pontos de controlo específicos, dos quais 42 eram áreas de controlo sistemático, reporta o diário francês Libération a partir da conferência de imprensa do responsável. 
Em França, neste momento, para aceder a estas zonas de transportes, por exemplo, o acesso está limitado a quem tenha títulos de transporte ou identificação e há mesmo dispositivos militares que podem ser recolocados em alguns pontos considerados de risco.  
Cazeneuve deixou ainda aum apelo ao reforço da luta antiterrorista na Europa. 
Há 20 min.

Imagens das explosões no aeroporto

Há 22 min.
 

Cláudia Lima Carvalho

"Não podemos responder por impulso sempre que há um atentado", diz Costa

António Costa comentou na sua visita à Madeira os atentados desta terça-feira, mostrando-se solidário com todos aqueles afectados por estes ataques. O primeiro-ministro assegurou que o nível de segurança só será alterado se houver necessidade de reavaliação, o que para já não está em questão. “Não podemos responder por impulso sempre que há um atentado”, disse aos jornalistas Costa, destacando que a luta contra o terrorismo é “um combate de longa duração”. É preciso vigilância e resistência, acrescentou ainda, garantindo que por cada atentado que ocorre, muitos são evitados.
Há 23 min.

Félix Ribeiro

Polícia detona embalagem suspeita

Nova explosão na Rue de la Loi foi causada pela polícia, que detonou uma embalagem suspeita, segundo avança a emissora RTBF, citando fontes policiais. 
Há 34 min.

Félix Ribeiro

O que sabemos até agora

  • Primeiro atentado atingiu o aeroporto de Zaventem por volta das 7h00, hora de Portugal Continental. Um bombista-suicida causou duas explosões na zona de embarque, segundo confirmou o procurador federal belga. Onze mortos confirmados. 
  • Noventa minutos mais tarde, por volta das 08h30, nova explosão, desta vez na estação de metro de Maalbeek, próxima de instituições europeias. Dez mortos confirmados. 
  • Há mais de três dezenas de feridos e estimativas não oficiais que sugerem cerca de trinta mortos. Bruxelas está em estado máximo de alerta e outros países europeus anunciam sucessivos reforços de segurança nas fronteiras e outros pontos sensíveis, como aeroportos e centros de transportes públicos. Voos entre Bruxelas e Lisboa foram cancelados.
  • Na segunda-feira, o ministro belga do Interior alertou para possíveis ataques jihadistas em Bruxelas como represálias à captura de Salah Abdeslam, um dos terroristas que atacou Paris a 13 de Novembro em nome do Estado Islâmico. 
Há 34 min.

Fronteira França-Bélgica fechada

O diário francês Libération noticia que a fronteira entre França e Bélgica está encerrada, estradas incluídas. A fonte da informação é a responsável do operador de comboios de alta-velocidade Thalys, que acrescentou que se trata de uma informação do Governo belga. Até agora, sabe-se apenas que os controlos fronteiriços nos aeroportos, e entre a Holanda e a Bélgica, foram reforçados.

Há 42 min.

Joana Amaral Cardoso

Facebook activa ferramenta para assinalar que utilizadores estão bem

Tal como sucedeu nos atentados de Paris de Novembro de 2015, a rede social Facebook activou uma ferramenta, que já está a ser usada, para que os utilizadores possam assinalar aos seus contactos que se encontram em segurança.
Há 45 min.

Selecção tem jogo em Bruxelas na terça-feira?

A selecção portuguesa de futebol tem um jogo agendado para Bruxelas na próxima terça-feira, frente à Bélgica. "A FPF informa que está em contacto com a sua congénere belga e as autoridades portuguesas, belgas e internacionais, tendo em vista os acontecimentos de hoje e o jogo previsto para terça-feira da próxima semana, em Bruxelas, entre a selecção nacional e a selecção da Bélgica, actual número 1 do ranking da FIFA", diz um comunicado da Federação Portuguesa de Futebol, que termina a dizer que quando houver informação relevante será publicada no site da FPF. H.D.S.
Há 47 min.

Lusa

Voos Bruxelas-Lisboa e Lisboa-Bruxelas cancelados

Todos os voos Lisboa-Bruxelas e Bruxelas-Lisboa foram cancelados esta terça-feira na sequência das explosões registadas no aeroporto e no metro da capital belga, que causaram vários mortos e feridos, adiantou à Lusa uma fonte da ANA.
"Temos seis voos cancelados de Lisboa para Bruxelas e cinco de Bruxelas para Lisboa, uma vez que o voo da TAP que fazia Bruxelas-Lisboa tinha partido antes das explosões e chegou bem à Portela", disse à agência Lusa o porta-voz da ANA - Aeroportos de Portugal.
Entretanto, o porta-voz da transportadora aérea portuguesa adiantou à Lusa que arrancou às 09h45 um voo de Lisboa com destino ao Luxemburgo, sendo os passageiros depois transportados via terrestre, por autocarro, para a capital belga.
Este voo da TAP deveria ter partido do aeroporto da Portela, em Lisboa, para Bruxelas às 07h de hoje.
António Monteiro disse ainda à Lusa que os passageiros da TAP podem optar por seguir para outros países, para depois chegar a Bruxelas, ou então adiar o voo para outro dia.
O responsável adiantou ainda à Lusa que os trabalhadores da TAP no aeroporto de Bruxelas encontram-se bem.
Também uma fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas disse hoje à Lusa ter a indicação, através a embaixada portuguesa em Bruxelas, de que um trabalhador da TAP que estava ao balcão da transportadora no aeroporto belga na altura das explosões se encontra bem.
Há 52 min.
 

Nuno Ribeiro

Portugal mantém nível moderado de segurança

Os atentados em Bruxelas não alteraram o nível de segurança moderado que vigora em Portugal, apurou o PÚBLICO. “Não há razões para alterar o grau de ameaça em Portugal”. É esta a posição das autoridades portuguesas.
Deste modo, o nível de alerta continua a ser o três, numa escala de cinco, o mesmo que vigorou na sequência dos atentados de Paris de 13 de Novembro. 
Há 57 min.

Joana Amaral Cardoso

Segurança reforçada nos transportes europeus

Em Paris, que a 13 de Novembro foi abalada por uma série de ataques que causaram perto de cem mortes, as estações, aeroportos e transportes públicos continuam a funcionar mas as medidas de segurança estão a ser reforçadas, confirma a polícia francesa. A AFP constatou na Gare du Nord, por exemplo, de onde partem os comboios que ligam a capital francesa a Bruxelas, que há mais polícia visível a patrulhar o local. Os horários de comboios de serviços importantes como o Eurostar ou o Thalys estão a ser afectados pelo reforço de segurança após os atentados.
A segurança está também aumentada no Aeroporto Charles de Gaulle e nas suas estações rodoviárias e o mesmo acontece no Aeroporto de Orly, no sul de Paris, e na cidade de Toulouse.
Já na Holanda, os aeroportos como o Schipol, de Amesterdão, ou os de Roterdão e Eindhoven viram também a sua segurança reforçada, bem como os controlos fronteiriços com a Bélgica.   
Em Londres, o Aeroporto de Gatwick está também em alto nível de alerta e Heathrow colocou mais polícias nos terminais, pedindo aos passageiros com voos previstos para Bruxelas que contactem directamente as companhias aéreas.
Isto porque os voos de e para a capital belga terão sido suspensos em toda a Europa. “Muitos aviões divergiram para o Aeroporto de Charleroi”, a cerca de 50 km de Bruxelas, disse um porta-voz dos Aeroportos de Paris, citado pela AFP, que adiantou que outros voos poderão ser reencaminhados para Paris.
Em Bruxelas os meios de transporte públicos foram suspensos – metro, trams, autocarros e comboios – bem como as estações e algumas capitais europeias estão também a reforçar os seus níveis de segurança. “Toda a rede está fechada”, diz a operadora de transportes públicos STIB da capital belga.

Há 57 min.

Luísa Pinto

França reforça segurança em estações de comboio e aeroportos

A segurança nos aeroportos e nas estações de comboio francesas foi reforçada, na sequência das explosões esta terça-feira no aeroporto de Zaventem, em Bruxelas. De acordo com o jornal Le Monde o dispositivo de prevenção e segurança nos aeroportos de Roissy-Charles de Gaulle estava a ser reforçado em cada um dos oito terminais dos aeroporto e nas duas estações de comboio. Uma fonte aeroportuária referiu que as equipas cinotécnicas iriam controlar os comboios com proveniência de Bruxelas em Roissy, e, no aeroporto de Orly já estavam a caminho quatro patrulhas suplementares com veículos blindados. No aeroporto de Toulouse a segurança também vai ser reforçada. Na estação ferroviária Gare du Nord, em Paris, o nível de segurança também aumentou, e a circulação de comboios entre Paris e Bruxelas foi suspensa. 

Luísa Pinto

Cartoon de Plantu

PLANTU
No blogue do cartoonista Plantu, no jornal francês Le Monde, já há uma homenagem às vítimas das explosões desta manhã, associando-as aos atentados de Paris, em 13 de Novembro.
 

Cláudia Lima Carvalho

Número de mortos sobe para 21

Um porta-voz dos bombeiros avançou à AFP que os atentados desta terça-feira fizeram já 21 mortos. Segundo M. Meys, há 11 mortos no aeroporto e mais uma dezena na estação de metro de Maalbeek. "A maior parte dos feridos já foi evacuada, a situação é bastante caótica", acrescentou ainda, deixando claro que estes são ainda números provisórios. 
 

Cláudia Lima Carvalho

Aeroporto encerrado até às 6h de quarta-feira

O aeroporto de Zaventem vai permancer fechado até às 6h de quarta-feira, hora que poderá ainda sofrer alterações. Foi, entretanto, criada uma linha telefónica para todos aqueles que precisam de informações sobre familiares ou amigos que pudessem estar no aeroporto – (0032) (0)2/753 73 00.

"Fiquem onde estão", pedem autoridades aos habitantes de Bruxelas

As explosões ocorridas nos transportes Bruxelas fizeram com que as autoridades não só encerrassem todas as estações mas também que pedissem à população que deixe de circular nas ruas na manhã desta terça-feira.
"Fiquem onde estão", pediu o centro de crise através da rede social Twitter.  
As crianças e jovens que estão retidas nas escolas.

Joana Amaral Cardoso

Comissão Europeia pede a funcionários que fiquem em casa; metro fechado em Bruxelas

Na sequência das explosões que esta manhã causaram dezenas de mortos e feridos graves em Bruxelas, a Comissão Europeia pediu aos seus funcionários que permaneçam em suas casas ou que não abandonem as instalações.
“Fiquem em vossas casas ou no interior dos edifícios”, apelou via Twitter Kristalina Georgieva, comissária europeia para o Orçamento e que tem também o pelouro da segurança do Executivo europeu. Todas as reuniões e actividades do Executivo foram canceladas, partilhou ainda na rede social, e o acesso às instalações está reservado aos funcionários com identificação especial.
Na cidade, o serviço de metro foi suspenso esta terça-feira de manhã após as várias explosões verificadas no Aeroporto Internacional e na estação de metropolitano de Maalbeek. Todas as operações e voos do aeroporto foram também suspensos. 

Félix Ribeiro

Líderes europeus reagem

David Cameron, primeiro-ministro britânico.
Mariano Rajoy, primeiro-ministro de Espanha. 
Matteo Renzi, primeiro-ministro italiano. 
 

Cláudia Lima Carvalho

Atentado suicida confirmado no aeroporto

O procurador público confirmou que as explosões no aeroporto se trataram de um atentado suicida, avançando o número de 13 mortos e 35 feridos.

Luísa Pinto

Relatos de algumas testemunhas no metro

AFP
Os utentes do metro de Bruxelas começaram a ser evacuados após a explosão da estação de Maalbeek que terá feito dez vítimas mortais. Já fora da estação surgem relatos de pessoas com escoriações visíveis. É o caso de Alexandre Barns, de 32 anos, que conta que “lá dentro”, na estação, “há pânico por todo o lado”. Noutra estação, em Arts Loi, Ian McCafferty, referiu que estava a sair do metro quando ouviu “um baque surdo” e sentiu algum entulho cair-lhe em cima.

Joana Amaral Cardoso

Imagens recolhidas no local mostram o exterior da estação de Metro após a explosão e o estado de parte do Aeroporto de Bruxelas depois das detonações.

Joana Amaral Cardoso

Imagens recolhidas no local mostram os passageiros a fugir do Aeroporto de Bruxelas após as explosões desta manhã.

Luísa Pinto

Relatos de algumas testemunhas no aeroporto

Alex Rossi, repórter da Sky News e que está no aeroporto de Bruxelas, disse ter ouvido as duas explosões “muito, muito grandes”. “Senti o edifício a tremer. Havia fumo por todo o lado… Aproximei-me do sitio das explosões, mas estava toda a gente a correr em sentido contrário e com expressões de pânico e choque”, afirma a testemunha.
A cadeia britânica tem vindo a recolher e a divulgar vários testemunhos nas imediações do aeroporto que referem o impacto que sentiram no próprio corpo e a reacção imediata de “fugir”. Uma dessas entrevistadas, Denise Brandt, de cobertor pelas costas e a calma possível acaba por referir a sua experiência em situações passadas. “Sabia que era uma explosão – já estive perto de explosões em situações anteriores. A maneira como ela atravessa o teu corpo, só nos permite olhar um para o outro e dizer ´por aqui’”, relata. O instinto é “fugir”, insiste, tomando a mesma direcção que levam todas as pessoas, em pânico e em lágrimas.
Jeffrey Edison, uma outra testemunha que estava a dirigir-se à sua porta de embarque, pelo contrário, não teve percepção imediata do que aconteceu. “Havia centenas de pessoas que de repente começaram a correr, a fugir da área de controlo e segurança e ninguém nos dava notícia de nada”. Mas, admite, começou a fazer como a turba e, de repente, já estava a correr na mesma direcção que todos os outros, sem saber o que se estava a passar.

Félix Ribeiro

10 mortos na explosão em Maelbeek

Emissora VTM avança com a primeira estimativa para o número de vítimas na última explosão na capital belga: dez mortos. A contagem mais recente para o aeroporto de Zaventem vem da emissora VRT, que contou para já 13 vítimas. 
Mapa das explosões da manhã desta terça-feira em Bruxelas. Todos os transportes na capital belga foram encerrados e as medidas de segurança foram reforçadas em outros pontos sensíveis na Europa, como nos aeroportos de Frankfurt, na Alemanha, e Charles de Gaulle, em França. 

Félix Ribeiro

Explosões ocorrem quatro dias depois da captura de Salah Abdeslam

As explosões ocorrem quatro dias depois da captura de Salah Abdeslam, um dos terroristas que atacou Paris a 13 de Novembro em nome do grupo Estado Islâmico e que, já depois de detido, admitiu estar a preparar novos ataques. No início desta semana, o ministro belga do Interior disse que as autoridades estavam preparadas para possíveis ataques de represália à detenção de Abdeslam.

Félix Ribeiro

As declarações do ministro belga do Interior, na segunda-feira, falando sobre uma possível acção de terrorista como resposta à captura de Salah Abdeslam
"Sabemos que travar uma célula [jihadista] pode fazer com que outras entrem em acção", disse Jan Janbom. "Estamos conscientes disso neste caso."

Félix Ribeiro

À medida que se confirmam vários feridos na última detonação, na estação de Maelbeek, um primeiro olhar para o local da explosão. 

Félix Ribeiro

Dez mortos e 30 feridos no aeroporto

A emissora estatal belga diz ter confirmado dez mortos e trinta feridos causados pelas duas primerias explosões, que atingiram a zona de embarques do aeroporto. Já a emissora VRT avança ter-se tratado de um ataque suicida, como parecem confirmar as primeiras imagens de videovigilância. 
Entretanto surgem imagens dos primeiros momentos depois das explosões no aeroporto. 

Félix Ribeiro

Local da estação de metro atingida.

Félix Ribeiro

Terceira explosão, na estação de metro de Maelbeek, dá-se numa zona próxima de várias instituições europeias. Evan Lamos publica uma fotografia de passageiros que foram evacuados para as linhas de metro, quando antes estavam em direcção da estação atingida. 

PÚBLICO

Às sete da manhã foram ouvidas duas explosões no aeroporto de Bruxelas

A polícia belga confirma que duas explosões na zona de embarque do aeroporto de Bruxelasmataram pelo menos uma pessoa e que o número de vítimas deve aumentar nas próximas horas. "Uma pessoa morreu e pode ser que haja mais [vítimas]", anunciou. Os dois impactos estridentes sentiram-se por volta das 7h da manhã desta terça-feira (hora de Portugal Continental). Há cerca de 20 feridos. 

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook