domingo, 28 de fevereiro de 2016

Visitas em massa à livraria flutuante

Várias pessoas, entre elas, estudantes, docentes, pesquisadores e o público em geral, têm estado a visitar de forma massiva a maior livraria flutuante do mundo presente em Maputo. Aberto ao público no passado dia 25, o navio comporta mais de cinco mil livros desde romances, bibliografias, dicionários, livros infantís, de família, culinária, casamento, religiosos, entre outros.
A biblioteca presente no navio “MV Logos Hope” operado por GBA Ships e V, uma organização internacional sem fins lucrativos, registada na Alemanha, tem estado a escalar vários países. Desde 1970, a organização recebeu mais de 45 milhões de visitantes nos seus navios em mais de 150 países.
Presente em Maputo até o próximo dia 14 de Marco, o “MV Logos Hope” pode ser visitado às quartas-feiras até aos sábados, das 10:00 às 20:30 horas. E aos domingos até terças-feiras, a partir das 14:00 as 20:30 horas. O bilhete de entrada custa 20 meticais por pessoa. No entanto crianças até 12 anos não pagam, desde que estejam acompanhadas por um adulto.
Tomás Donça, 23 anos de idade, estudante da Universidade Eduardo Mondlane, foi um dos visitantes da livraria. Disse que a iniciativa da Logos Hope é boa e muito interessante, sobretudo por ter livros acessíveis a todos. “Não encontrei exactamente o que queria (mais livros científicos). No entanto o que tem aqui também não deixa de ser bom. Espero que esta seja a primeira de muitas visitas deste navio ao nosso país. Gostei muito”,disse.
Por seu turno, Onávio Silvério, 22 anos de idade e estudante do Seminário de Maputo, avançou que para além de ser uma ideia diferente esta livraria é revestida de muita importância uma vez que “procura abranger todo tipo de cidadãos e tem quase tudo o que precisamos. E os preços não deixam de ser impressionantes”.
Na cerimónia de abertura oficial da livraria flutuante, o Ministro da Cultura e Turismo, Silva Dunduro, referiu que o “MV Logos Hope” transporta o mundo e a cultura. Por conta disso, a sua visita a Moçambique trará muitos ganhos para a cultura. Afirmou ainda que, é um grande marco de solidariedade social e complementa o esforço do governo em tornar o livro num instrumento para a socialização. “Exortamos aos cidadãos para que aproveitem o máximo possível da visita da biblioteca flutuante durante estes dias. Pois  isso vai alimentar os seus espíritos e mentes”.
Por sua vez, Pat Tracy, Capitão do “MV Logos Hope”, avançou que as três semanas que irão permanecer aqui são poucas mas como muitas vezes “onde visitamos deixamos um pouco de nós irão valer a pena. Também esperamos criar boas relações de amizades com os cidadãos daqui para que nos recordem com muita alegria, disse Pat Tracy.     
No dia de abertura houve também a apresentação de alguns tripulantes de nacionalidades diferentes que viajam no navio. Eram pessoas de Singapura, México, Rússia, Alemanha, Peru, Holanda, Tailândia, Chile, Hong-Kong, Colômbia, Brasil, entre outros.
“MV Logos Hope”, que traz mais de 400 voluntários de diferentes países, oferecerá ainda eventos a bordo para pessoas de todas as idades. Serão actividades como Café Cultural, um evento para experimentar a variedade de culturas a volta do mundo, Porque estou aqui?, programa interactivo com histórias de vida dos membros da tripulação, Ritmo e Batida uma oportunidade de saborear a música ao vivo e danças do mundo.
SOBRE LOGOS HOPE
O Logos Hope preocupa-se em trazer conhecimento, ajuda e esperança enquanto navega de porto-a-porto pelo mundo inteiro. Foi em 2009 que lançou a primeira viajem navegando 43,685 milhas náuticas nos primeiros três anos de operação. O navio parou em 62 portos e recebeu mais de um milhão de visitantes por ano. Visitou o norte da Europa, África Ocidental, Península Arábica, Ásia do Sul, Sudeste da Ásia desde o começo de sua navegação.
Os voluntários procuram também visitar além dos portos das diferentes regiões que escalam. Procuram aprender através da experiência da diversidade de cultura que encontram. Ficam atentos às necessidades e dificuldades das pessoas e sempre ajudam no que for possível. Normalmente, providenciam clínicas médicas de acesso gratuito a doutores ou dentistas, teste de vista, instalam igualmente purificadores de água para ajudar as regiões. Em Maputo não será diferente e já agendaram as suas visitas para algumas comunidades da cidade e província.
Depois de visitar a Cidade de Maputo, a livraria flutuante irá atracar no porto de Richards Bay, localizado na África do Sul. 

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook