domingo, 28 de fevereiro de 2016

Investigação a Manuel Vicente deixa-o fora da sucessão à presidência

28.02.2016 • 01h33

Semanário “Expresso” diz que José Eduardo dos Santos está agastado com as críticas que o processo tem gerado.
Por REDE ANGOLA.
854
0
A investigação que decorre em Lisboa contra o vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, suspeito de corromper um procurador português, ameaça assumir dimensões políticas, mais concretamente no que ao processo de sucessão presidencial diz respeito.
De acordo com a última edição do semanário Expresso, citando uma fonte dos serviços de informação angolanos, as críticas suscitadas pelo acaso agastaram o presidente José Eduardo dos Santos, que terá pedido uma investigação aos negócios de Manuel Vicente relativos ao tempo em que liderou os destinos da Sonangol.
A investigação poderá muito bem servir de pretexto para Eduardo dos Santos afastar definitivamente o “vice” do processo de sucessão, escreve o semanário português.
Sobre o processo envolvendo Manuel Vicente, indiciado por corrupção activa pelo alegado pagamento, através da Sonangol, de EUR 200 mil euros (USD 221,5 mil) a um procurador português, o Expresso dá conta de que a investigação conduzida por Orlando Figueira, actualmente em prisão preventiva, durou apenas quatro meses até o arquivamento, um tempo anormal para este tipo de situações.
Manuel Vicente foi o único a beneficiar desta celeridade pouco habitual, uma vez que os restantes visados pelo inquérito-crime, aberto em Setembro de 2011, esperaram até 2015 para que as suspeitas existentes sobre eles fossem arquivadas.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook